História The Killing - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, One Direction
Personagens Harry Styles
Tags Dark, Harrystyles, Sequestro, Stalker, Stayhigh_girl, Tortura, Violencia
Visualizações 108
Palavras 2.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura ❤️

Capítulo 9 - Capítulo Nove


||She's Gone||

 

Sinto as mãos quentes de Harry em mim, ele massageia as grandes e doloridas marcas roxas no interior de minhas coxas, marcas que ele havia feito. 

 

Harry aperta e massageia gentilmente, seu toque gentil me fazendo ficar quente. O creme que Harry havia dito ser para hematomas tem um cheiro suave e refrescante. O creme frio esquenta minha pele e depois pinica deliciosamente. 

 

"Vai ajudar" ele diz, seu sorriso aparece por entre seus lábios rosados. 

 

Harry abaixa seu rosto até o meu e deixa um suave beijo no canto de minha boca. Ele repete o movimento, beijando o canto de minha boca algumas vezes antes de sugar meu lábio inferior entre os seus. Viro meu rosto parando lado, fecho meus olhos com força e espero, a ansiedade me corroendo por dentro. 

 

"Não gosto de ser rejeitado" a voz de Harry surge após alguns segundos "O que foi? Não quer ser beijada?" me pergunta. 

 

Sinto seus dedos em meu rosto, me forçando a olhar para seus olhos, profundo e penetrante verde. Harry lambe minha boca, sua língua quente faz cócegas enquanto ele umedece meus lábios com sua saliva. 

 

"Ainda não se sente bem?" volta a perguntar "Me responde" manda. 

 

O tom autoritário me dando ordens me faz ficar molhada. 

 

"A-a outra garota..." começo, penso com cuidado antes de deixar as palavras saírem de minha boca "P-pensei que..." balanço minha cabeça negativamente. 

 

O medo me atinge, os únicos pensamentos que rondam minha mente desde a noite passada são imagens do que eu vi na sala, Harry e aquela garota, juntos o chão. Eu me vi naquela garota, sendo amarrada e desesperada, mas o que senti ao vê-la veio de dentro da parte mais profunda de mim, um medo diferente que parecia queimar meu estômago. Medo de ser substituída por ela. 

 

"O que você pensou?" Harry pergunta, suas mãos me colocando de bruços no colchão. 

 

"Ela vai ficar?" minha voz falha, aguardo a resposta tentando ao máximo controlar minhas lágrimas. 

 

A risada de Harry chega aos meus ouvidos, olho sobre meu ombro para olhar seu rosto, as bochechas vermelhas mostram sua covinha enquanto seu sorriso se abre. 

 

"Ela já se foi" ele diz como se a resposta à minha pergunta fosse óbvia, a sensação de alívio que surge dentro de mim me faz sentir um aperto ruim. 

 

'Se foi', é óbvio o que isso significa, ela estava morta. Imagino as coisas terríveis que ele havia feito com ela. Mas nem mesmo esses pensamentos terríveis são capazes de me fazer abandonar meu alívio. 

 

"Era isso que estava te fazendo preocupada?" ele diz entre seu sorriso "Não precisa se preocupar, você é especial não é?" diz enquanto beija meu pescoço, Harry pressiona meu rosto contra o colchão e acaricia minha cintura "É isso que você quer ouvir? Que você é especial" ele sobe minha blusa.

 

Sinto o peso do corpo de Harry subindo sobre mim, sua mão entra entre minha barriga e o colchão, ele sobe até meu seio e o aperta. Sua outra mão se infiltra dentro da calça de moletom azul que estou usando, a peça de roupa é bem maior que as roupas que costumo usar, Harry desce sua carícia até a região sensível entre minhas pernas. Solto um gemido baixinho quando ele me toca, massageando lentamente me deixando excitada. 

 

"Já se sente melhor?" pergunta, a deliciosa carícia fica mais intensa, é difícil respirar ou responder com meu rosto contra o colchão "Ainda tá machucada demais?" todo o meu corpo se arrepia e fica tenso com o prazer "Posso ser gentil, você só precisa pedir"  ele continua "Só precisa dizer 'Harry por favor seja gentil' ou 'Me foda gentilmente'" posso sentir a malícia em sua voz "Só precisa pedir" incentiva. 

 

Minha cabeça gira, meu estômago retorce em prazer, sinto quando meu corpo se retrai. 

 

"Por favor" minha voz é apenas um sussurro "Seja gentil" peço, muito envergonhada para abrir os olhos.

 

As mãos de Harry ficam mais intensas, uma massageando e a outra acariciando meus seios, seus lábios chupam e beijam meu pescoço. Chego ao meu limite, sinto que estou prestes a gozar. 

 

"Talvez depois" ele sussurra antes de me soltar. 

 

Não levanto, mantenho meu rosto para baixo enquanto me sinto quente e humilhada. 

 

"Levanta" Harry manda, não tenho alternativas.

 

Apoio minhas mãos no colchão para erguer meu tronco, me viro e então me sento. 

 

"É hora de levantar, nós temos muito o que fazer hoje"  avisa, vejo então Harry caminha para fora do quarto. 

 

Me levanto devagar ainda sentindo todo o prazer continuo em meu ventre, me apoio na parede e caminho lentamente tomando cuidado para não por peso demais em minha perna machucada. 

 

Saio do quarto e sigo o corredor até o quarto mais adiante, vejo Harry tirando sua cabeça e colocando uma outra, a blusa branca surrada tem manchas marrons e alguns pequenos buracos na parte de trás. 

Ele vem até mim quando me vê, Harry me pega em seu colo e caminha comigo até o banheiro. Quando entramos sou colocada sentada sobre o balcão. 

 

"Comprei algo pra você" ele avisa com um sorriso, Harry abre a segunda gaveta do armário e tira de lá uma pequena caixa. No rótulo posso ver uma mulher bonita com o cabelo em um preto azulado brilhante "Você já pensou em ser morena?" me pergunta. 

 

Nego enquanto o vejo abrir a caixa de tintura, Harry me deixa sozinha no banheiro, após alguns minutos posso ouvir quando a música começa, o rock alternativo começa com sua batida lenta. Harry volta, ele veste um par de luvas cirúrgicas brancas, cantando e dançando enquanto entra no banheiro. Ele pega um recipiente na parte de baixo do armário da pia, em seguida um pincel. 

 

"Have you got colour in your cheeks?" Harry canta, ele se move ao ritmo da música "Do you ever get that fear that you can't shift the type" ele abre a caixa e tira de lá os objetos necessário para preparar a tinta, Harry ignora o manual enquanto mexe os cremes com o pincel "That sticks around like something in your teeth. Are there some aces up your sleeve" 

 

Harry coloca o pote com tinta ao meu lado no balcão, ele me pega e me coloca sentada sobre o vaso sanitário. Harry pega um pente e então coloca sua mão sobre seu queixo enquanto olha pra mim. 

 

"Quero que fique parada" ele pede, sua voz dois tons mais alta para ser ouvida sobre a música "É minha primeira vez nisso" avisa "Não deve ser difícil" 

 

Harry separa meu cabelo em suas partes, ele começa por baixo, a mistura escura é fria, posso senti-la em meu couro cabeludo. 

 

"Do I wanna know? If this feeling flows both ways" 

 

[...] 

 

É estranho me olhar no espelho, o cabelo escuro me faz parecer outra pessoa. Me sinto estranha e insegura. Os dedos de Harry seguram uma mecha, ele se mantém atras de mim enquanto nos olhamos no espelho. 

 

"Combina com você" diz suavemente "Te faz parecer mais com uma mulher e menos como uma garotinha" o suposto elogio me faz corar, Harry se inclina sobre minhas costas e me imprensa entre ele e a pia "Hoje nós vamos à um lugar especial, preciso que você seja boazinha. Pode fazer isso?" me pergunta. 

 

Concordo ainda nos olhando na parede. 

 

"Responda, quero ouvir sua voz" Harry ordena. 

 

"Sim, posso ser boazinha" respondo como ele pediu. 

 

"Tudo bem, precisamos sair logo" avisa, Harry começa a tirar suas roupas e entra no banheiro, "Vem até aqui" chama. 

 

Retiro minhas roupas e entro com ele dentro do box. 

 

[...] 

 

Uso as mesmas roupas que usava no dia em que vim para a casa de Harry, as roupas estão lavadas e passadas como se eu as tivesse tirado de meu guarda-roupas essa manhã, mas o cheiro que há nelas é o dele e não o meu. Mexo meus dedos dos pés dentro de meus tênis pensando o quão estranho é usar sapatos depois de tanto tempo. Harry pega suas chaves em cima do balcão da cozinha, ele tem um boné em uma de suas mãos e dois pares de óculos escuros na outra. 

 

Ele se aproxima e coloca um dos óculos em meu rosto, Harry bagunça meu cabelo para que ele fique mais solto e então coloca o boné em minha cabeça. 

 

"Vamos" chama enquanto abre a porta da sala, sou golpeada por uma forte onde de ansiedade. 

 

Em minha mente há uma voz gritando que esse é mais um dos testes dele, gritando que devo recuar e me recusar a sair de casa. Meu coração se aperta, engulo em seco. 

 

"Vem Wandy!" Harry parece brava quando não me movo, seu rosto sério se contrai em uma carranca. 

 

Harry vem até mim e me segura pelo braço, ele me puxa com violência. 

 

"Você não está sendo boazinha" acusa "Vou ter que te colocar no porão enquanto saio?" me pergunta. 

 

Só o pensamento de ir até aquele lugar frio e escuro me empurra pra baixo. 

 

"Não" peço, o nervosismo transparecendo em minha voz. 

 

"Vamos" Harry volta a dizer. 

 

Ele alivia seu aperto e me da seu braço como apoio, nós atravessamos a porta. A corrente de ar fria passa por meu rosto, fecho meus olhos para apreciar a deliciosa sensação. O sol da tarde me ilumina, o suave calor é reconfortante. Sinto todas aquelas sensações como se pela primeira vez. 

 

Os cascalhos de pedra fazem barulho sob as solas de meus tênis. Caminho lentamente querendo que esse momento dure pra sempre. 

 

Harry abre a porta do carro para mim, ele me empurra para dentro e então fecha a porta. O vejo enquanto da a volta no veículo para então entrar do outro lado. 

O carro entra em movimento, meus olhos se enchem de água quando vejo como o sol passa através das árvores. Tudo é tão lindo, as folhas são tão verdes que quero toca-las. 

 

Nós subimos uma rua íngrime, Harry sobe os vidros quando as primeiras pessoas começam a surgir. 

 

A tarde se vai rápido, ele dirige através da cidade tranquilamente enquanto mantém o rádio ligado baixinho. Harry cantarola algumas canções, ele parece despreocupado e jovem. 

Nós chegamos à um grande estabelecimento 24 horas afastado, Harry estaciona o carro em uma das inúmeras vagas no estacionamento. 

 

Ele desce do carro e da a volta para abrir a porta para mim, Harry novamente me apoia enquanto andamos lado a lado.

 

"Cabeça baixa e não fale com ninguém" me instrui. 

 

Mantenho minha cabeça baixa, as portas duplas se abrem com o som de uma pequena campainha quando nos aproximamos, Harry pega um carrinho e  o entrega a mim. Ele me solta e se afasta, uso o carrinho como apoio para me manter firme. 

 

Harry me se afasta e isso me deixa nervosa, minhas mãos soam e minhas pernas tremem. Me apresso para acompanhá-lo enquanto pega cereais, ele caminha através dos corredores enquanto joga os alimentos despreocupadamente dentro do carrinho. 

 

"Quer algo especial?" me pergunta com uma rápida olhada para trás "Nada?" 

 

"Cerejas, gosto de cerejas" digo. Minha boca se enche de água ao lembrar de minha fruta favorita. 

 

"Tudo bem, vou pegar as cerejas e você pega umas cervejas ok?" Harry diz retoricamente antes de virar em um corredor e desaparecer. 

 

Meu coração acelera, viro no corredor que ele havia entrado segundos antes, me atrapalho em andar tropeçando em meus próprios passos. 

 

"Harry?" chamo, minha garganta fica saca. 

 

Todas aquelas pessoas começam a me olhar, seus olhos me seguem onde quer que eu vá, meu ouvido zumbe, tudo ao meu redor parece girar quando sinto um enjôo tão forte que mal posso respirar. 

Solto o carrinho e me afasto, andando alguns passos para trás até batem contra algo sólido. 

 

"Tá tudo bem" a voz de Harry chega a meus ouvidos segundos antes de suas mãos segurarem meus ombros "Respira fundo" 

 

Sugo o ar por meu nariz e o solto pela boca lentamente, todo o meu interior se acalma quando ele acaricia meus ombros. Harry me vira para para ele, retira meus óculos escuros e olha em meus olhos. 

 

"Vamos" diz um segundo depois, Harry ergue a embalagem transparente em suas mãos para que eu vejas minhas cerejas. 

 

Ele me apoia e caminha até o carrinho, nós andamos até as cervejas e pegamos algumas. Harry também pega duas garrafas de vinho. Então caminhamos até as sessões de roupas. 

 

Harry pega roupas pra mim, uma calça skinny preta, uma blusa da mesma cor com uma palavra escrita em letras cursivas estampada, outra blusa preta lisa e meias. 

 

"Devia pegar um pijama" ele sugere "Não pode usar minhas roupas pra sempre" termina. 

 

Pra sempre. As palavras flutuam no ar. 

 

Vou até as araras com pijamas e pego um conjunto com calças listradas é uma blusa lisa de mangas. 

 

"Não, use um pouco da sua imaginação" Harry diz perto demais. 

 

Ele pega uma camisola preta transparente, um conjunto BabyDoll com um shortinho amarelo e uma blusinha de alças e por fim ele se concentra em pegar calcinhas. 

 

Meu rosto esquenta.


Notas Finais


Perdoem os erros e espero que tenham gostado ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...