História The King of Olympians - Capítulo 9


Escrita por: ~

Exibições 74
Palavras 1.600
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Crossover, Fantasia, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - You Can't Ride From Me


Fanfic / Fanfiction The King of Olympians - Capítulo 9 - You Can't Ride From Me

“- Pai, eu trago novidades. – A imagem que se formava era a de Bianca se formará nos meus sonhos, ela estava agachada, sustentando seu equilíbrio por uma espada fincada no chão, provavelmente bronze celestial. A frente dela, estava Hades sentado em seu trono de ossos humanos fundidos. Ela levantou a cabeça e o olhou em seus olhos. – Os três primeiros da elite conseguiram rastrear meu irmão.

- Onde ele está? – Hades perguntou, coçando o queixo.

- Em uma cidade pequena dos seus domínios. – Eles provavelmente estavam no Tártaro e o Reino de Hades era por cima. - Eu posso ir atrás dele.

- Vou te dar essa chance. – Disse Hades, a encarando. – Mas, certifique-se de levar as crianças que conseguiram rastrear o garoto.

- Tudo bem, pai. – Disse Bianca, convicta. – Não vou lhe decepcionar. – Ela se levantou e saiu da sala."

 

“- Nico Di Ângelo, o que eu disse sobre violência? – Uma garota encarava ele, de braços cruzados. Ela era realmente linda, pele clara, cabelos longos cor de mel acompanhados de uma tiara. Seus olhos amendoados travaram em Nico, e mesmo no sonho, eu pude sentir seu aroma de canela e madeira queimada.

- Ah, por favor, irmã. – Nico disse, limpando as mãos machucadas da briga. – Foi só um desentendimento, ele vai ficar bem.

- Semanas em coma. – Nico se aproximou dela, agarrando sua cintura, enquanto sorria. – E o que eu disse sobre tentar pegar sua irmã?

- Bem, você é minha irmã, amiga, amante, ás vezes minha inimiga. – Ela sorriu, empurrando ele e indo fazer alguma tarefa.”

 

“- Calipso, por favor fique comigo. – O cenário tinha mudado, a casa pegava fogo atrás deles, Nico tinha machucados de uma batalha recente e a garota estava em seus braços ensanguentada. – EU VOU MATAR VOCÊ! – Nico urrou, olhando para uma pessoa disfarçada que tinha uma faca de cozinha enfiada em seu abdômen.

- N-Nem pense. – Disse a garota, sorrindo. – Você não vai matar ninguém, não depois de ter me conhecido... Me prometa.

- Calipso, não posso... – Ela segurou firme a mão de Nico, e levantou o tronco sangrando ainda mais, mas não desviou os olhos amendoados e reprimiu um gemido.

- Me prometa! – Ela disse, o sangramento não parava, Nico não tinha escolha.

- Eu juro pelo Rio Estige! – Um trovão ribombou, promessas como aquelas não podiam ser desfeitas.

- Você é uma deusa, não é? – Nico disse, desesperado. – Não pode morrer, não desse jeito.

- Eu não sou como os olimpianos, Percy. – Ela disse, com os olhos semicerrados, se esforçando. – Eu provavelmente vou voltar, ou não. Mas, só daqui a uns cem anos se tiver sorte.

- Quem será que fez isso... – Nico disse, com ódio no olhar, mas a garota o calou com o dedo indicador.

- Nico Di Ângelo... – A garota disse, sorrindo. Nico ia provavelmente dizer para ela não falar nada, mas ela continuou. – Você foi a melhor pessoa que eu conheci em meio a essa geração de idiotas. – Ela sorriu. – Eu te amo, foi muito bom te conhecer.

- Calipso, não diga essas coisas, nós ainda vamos nos ver. – O corpo da garota, começou a brilhar, e sua imagem foi se desfazendo. – Não, não, não, vocês não podem fazer isso com ela! – Nico gritou aos céus, imerso em suas próprias lágrimas. – Não com ela! Vocês me desgraçaram toda a minha vida, não levem a única coisa que me faz feliz, bando de idiotas! Seus narcisistas estúpidos cegos pelo próprio poder! – Um trovão ribombou, mas ele não parava de gritar. – Você vai ficar só mandando raios, Zeus? Desça aqui e venha me falar sobre minha falta de respeito na minha cara, seu estúpido! – Ele levantou do chão, Calipso já não estava mais lá. – Idiota, cego! Eu sei que vocês podem impedir isso!

A imagem dos gritos de Nico foram se desfazendo e eu acordei.”

 

- Nico! – Eu gritei, e vi a imagem dele e Bianca se levantando de suas beliches. Annabeth estava do outro lado, com os olhos também arregalados.

- Você matou ela! – Percebi, que não foi só eu que sonhei com aquilo, os olhos de Nico só mostravam raiva. – Você matou Calipso!

- Nico, eu só disse sua localização pro papai! – Ela disse, mas Nico levantou a sua camisa, e tinha uma cicatriz de facada em seu abdômen. – Nico, foi sem querer, ela entrou na minha frente quando eu fui te atacar, você viu!

- VOCÊ MATOU ELA! – Nem quando Nico espancou Donovan na arena eu tive medo dele, mas agora eu estava. Suas órbitas tinham assumido um tom totalmente negro, em volta do seus olhos, veias tomaram cor. Quando gritou, ele avançou contra Bianca, gritando na cara dela. Depois recuou, encarando sua irmã. – Eu só amei uma pessoa nesse mundo estúpido, e você me tirou ela. – Nico disse, seu rosto voltou ao normal, a primeira vez que eu vi ele chorando por mim mesmo. Ele apontou o indicador pra Bianca. – Você matou a minha família!

- Nico, eu sou sua família. – Bianca gritou, e no mesmo momento, Reyna e Jason abriram a porta, entrando. – Mesmo que você não veja isso por causa de alguns erros que cometi e me arrependo. – Nico passou a mão no rosto e deu um passo pra trás.

- Bianca, você matou a pessoa que eu mais amava, e agora...  – Nico a olhou, com ódio puro em seus olhos. – Eu vou matar você! – Ele apontou novamente pra ela.

- Ei, Nico, nós sabemos que você não vai fazer isso, cara! – Jason chegou sorrindo, tentando acalmar a situação. – Eu e Reyna também sonhamos, mas ela é sua irmã, e... – Nico pegou Jason pelo pescoço, o levantando e sustentando seu corpo por lá. Jason era quase o dobro do tamanho de Nico. Jason colocou as mãos na de Nico.

- Nico, pare com isso. – Eu fui avançar, mas ele lançou Jason na minha direção, me fazendo colidir com a beliche e quebrando ela. Bianca olhou a seu redor aterrorizada. Eu não conseguia raciocinar direito.

- CORRE BIANCA! – Reyna gritou com toda sua força, e Bianca a obedeceu, quando Nicou tentou impedi-la, Reyna avançou com uma adaga.

Nico desviou da tentativa de corte, jogando o corpo a sua diagonal, e deixando Bianca passar por ele. Ele aproveitou o erro da garota, e conduziu seu corpo para a beliche, empurrando-a e quebrando ela. A faca que Annabeth segurava, tremia em sua mão. Nico a olhou, e levantou seu punho, forçando-o. Geocinese, o chão do quarto tremeu e Annabeth perdeu o equilíbrio, caindo no chão. Nico passou por ela como se fosse nada, e saiu do quarto. E eu e Jason? Estávamos igual a dois imbecis olhando.

- Vocês vão ficar parados, idiotas? – Reyna nos repreendeu e nos levantamos, correndo para fora do quarto.

- Você não pode correr de mim, Bianca! – Ele gritou, e virando um corredor, quando eu e Jason chegamos lá, ele tinha sumido.

- As sombras! – Eu disse, socando a parede.

 

(...)

 

Nós já tínhamos rodado todo o lugar, e tínhamos achado os dois. Nico pendia Bianca sob o pescoço, ela estava vermelha, não conseguia respirar. Nós tentamos avançar, mas ele falou.

- Se eu sentir um movimento suspeito eu desloco o pescoço dela na mesma hora. – Ele nem se deu o trabalho de olhar para nós, sua espada de ferro estígio estava na outra mão. Bianca não poderia continuar naquela situação.

- Nico, eu sei que ela tirou o que é mais importante pra você. – Ele continuava sem olhar pra mim, concentrado em Bianca, que o olhava em desespero. Eu me aproximei um pouco, pegando a caneta que ele me dera e jogando longe. – Mas, você não é como ela.

- Não, Percy, não sou mesmo. – Ele disse, com uma voz tão fria quanto sombria. – Eu sou pior.

- Não, você não é. – Eu disse, me aproximando mais. – Você fez uma promessa a Calipso, não vai matar mais, e não vai quebrar a promessa por causa de Bianca. – Eu já estava do lado dele, peguei a guarda da sua espada e a peguei dele, colocando-a no chão. – Você não vai quebrar um juramento que fez a pessoa que amava... – Eu retirei a mão dele cuidadosamente do pescoço de Bianca, que caiu no chão desesperada por ar. – E agora... Você pode chorar, gritar... Pode colocar pra fora o que está aí dentro.

- Ela matou Calipso, Percy... – Nico se virou para mim, chorando. – Calipso, cuidou de mim como se fosse minha irmã.

- Eu sei, irmão... Eu sei. – Nico me abraçou, e eu retribui.

 

(...)

 

- Então, vamos eu e mais dois soldados. – Jason disse, anunciando que iríamos na missão. Estávamos andando pelo acampamento. Já tinha se passado um dia desde a briga de Nico e Bianca.

- Na verdade, só precisamos de você. – Nico disse, colocando as mãos no bolso. – Vai ser eu, você, Annabeth e Percy.

- O que? – Jason perguntou, franzindo o cenho. – Só isso será necessário?

- Provavelmente, se forem muitas pessoas, são mais pessoas para atrapalhar, correr riscos, essas coisas. – Eu disse, e Jason viu que fazia sentido. – Só precisamos de um soldado experiente.

- Tudo bem, então. – Jason assentiu. – Quando partimos?

- Agora! Vai pegar sua mochila. – Annabeth disse, mostrando a sua.

-  Como assim? – Jason perguntou.

- Vai logo! – Nico disse, e ele saiu andando resmungando alguma coisa sobre os gregos serem muito complicados.

- Bom, então é aqui que nos despedimos de você, Bianca. – Nico disse, frio. – Boa viagem de volta. – Ele saiu andando.

- Você sabe que eu estou tentando consertar as coisas, não é?  - Ela disse, e Nico estacou, a olhando por sob o ombro.

- Não parece. – Ele saiu andando.


Notas Finais


Esse capítulo foi só pra mostrar um fragmento do passado do Nico, o próximo a missão volta e muitas coisas vão ser esclarecidas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...