História The language of desire - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ariana Grande, Romance, Third Kamikaze
Visualizações 9
Palavras 1.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Por favor comentem e favoritem a história se gostarem.

Capítulo 2 - Vizitinha no quarto


Fanfic / Fanfiction The language of desire - Capítulo 2 - Vizitinha no quarto

-- Oi é... Desculpa mas eu ainda não sei o seu nome. - falo levantando da cama.

-- Third Lapat. - ele fala simples. --- Mas me chama só de Third. 

Óbvio que eu vou te chamar só de Third né? Quem é o imbecil que quando vai falar com alguém pronuncia o nome todo da pessoa? 

-- Ok, a quê devo a visita. 

-- Mas cedo você me perguntou o que você tinha de interessante lembra? - eu assenti com a cabeça. -- Então... eu vim te mostrar. 

Ele caminhou na minha direção e inpulsivamente eu recuei, cai sentada na cama não tendo mais como fugir e ele se inclinou para frente com uma mão apoiando seu peso no colchão e a outra em minha cintura, me deitando lentamente ele selou nos lábios ficando sobre mim. A única coisa que o empedia de jogar todo o seu peso contra o meu corpo eram os seus cotovelos um de cada lado do meu rosto apiados na cama. Sua boca era quente e macia me dando ainda mais prazer em beija-ló, e conforme sua língua manuseava a minha eu senti cada centímetro do meu corpo corresponder àquele momento. Com o calor se formando entre nós eu cravei as unhas em suas costas por cima da blusa tentando conter o desejo por ele que crescia dentro de mim. 

Parando o beijo, ele afundou a cabeça no meu pescoço depositando uma mordida que ativou o pisca-pisca da minha intimidade. Bem no meu ponto fraco, ele desferiu selinhos que viriaram de mordidas para chupões, isso com certeza deixará algumas manchas roxas na minha pele. Eu mordo o lábio inferior na tentativa de reprimir um gemido que acaba saindo abafado e sinto seus lábios descerem até o meio dos meus seios e depositar um beijo demorado no meu peito esquerdo, a partir dai ele puxa minha blusa para o lado junto com o sutiã espondo o mesmo seio que ele acabou de beijar. Senti um forte arrepio subir pela minha espinha quando ele gira a língua ao redor do meu mamilo, chupões desferidos naquela área fazem eu me encolher na cama como resposta à ação. 

Meu Deus! Eu preciso parar antes que faça alguma merda da qual eu vá me arrepender depois. 

-- Third... para. - eu tento empurra-ló.

Me empedindo da argumentar qualquer outra coisa ele desce uma de suas mãos até meu short o envadindo junto com minha calcinha. Com o pressionar de seus dedos sobre a minha intimidade eu perco as forças sentindo minhas pernas ficarem fracas. Não quero nem sou capaz de faze-ló parar, e essa necessidade para que ele prosiga só aumenta quando ele gira o polegar no meu clitóris, em questão de segundos sinto os gemidos baixos surgirem e com o aumento da velocidade dos movimentos, prevejo o orgasmo se aproximar. Ele para retirando a mão ates que eu chegue ao ápice e eu senti uma frustração surgir em meu peito.

-- Frustrada? - ele abre um sorriso vitorioso. 

-- Sim. - falo involuntariamente. 

Ele se levanta abandonando a cama e retira a blusa a jogando no chão, como resposta a sua ação e também retiro a minha. O olho novamente e ele está desabotoando a calça, ele a desce junto com a cueca box revelando seu membro já erguido. Dasabotoo o sutiã e o lanço loge, êxito um pouco em tirar o short quando o observo pegar uma camisinha no bolso calça que estava atirrada no chão, ele raga o plástico com os dentes e coloca o prservativo. Levo minhas mãos ao short para tira-ló mas ele me empede fazendo com que eu me deite na cama e ele mesmo se da o trabalho de tira-ló juntamente com a calcinha. 

O que eu tô fazendo? 

Ele sobe em cima de mim se posicionando entre minhas pernas e antes que ele me penetrasse eu dou o aviso que talvez o fizesse para por ali.

-- Eu sou virgem. - fito seus olhos escuros.

-- Eu sei. 

O quê? 

Ele ignora completamente o que eu disse e presiona seu membro endurecido contra minha vagina me fazendo gritar quando a pele é rompida. 

-- Siiii. - ele me silencia. -- Já vai parar de doer.

Mordo o lábio reprimindo a vontade de gritar e ele prossegue enfiando seu pênis lentamente dentro de mim, a dor começa a diminuir com forme os minutos e se transforma em prazer proporcionado pelos movimentos de vai e vem. Logo eu só conseguia sentir a excitação aumentar e num movimento impulsivo cravo minhas unhas em suas costas deixando escapar um gemido. Ele aumenta a velocidade das estocadas,  o que me fez mexer o quadril no mesmo ritimo. Em questão de segundos eu consigo ouvir seus gemidos no meu ouvido, gemidos esse que me deixaram entorpecida de prazer. 

-- Há... - eu grito trombando a cabeça para trás. -- Mais rápido. 

Ele faz assim como eu peço e dobra a velocidade das estocadas enfiando quase todo o seu membro dentro de mim, como resposta eu arranho suas costas lhe fazendo gemer ainda mais no meu ouvido, sinto algo crescer dentro de mim e deduzo ser o orgasmo se aproximando. Chego ao ápice como o previsto e desabo sem forças na cama. Ele continua me penetrando até que atinge o ponto máximo segundos depois que eu e vai diminuindo os motivos até parar e cair cansado ao meu lado.

Eu acabei de falar sexo? Meu Deus eu fiz sexo! 

-- Você quer tomar um banho? - ele pergunta com a respiração ofegante. 

--Quero. 

Eu entro na banheira onde ele já estava me sentado em sua frente, apoio a cabeça em seu ombro e me aconchego. Brico com os dedos na água pensando no que falar para quebrar o silêncio que pairava.

-- Foi bom? - ele é o primeiro a falar. 

Ta brincando? Foi ótimo!

-- Foi. - falo tímida. 

-- Eu já sabia, só queria ouvir você falar.

Homens e o seu ego fortalecido. 

-- Eu não podia ter deixado isso acontecer. - falo com um quase arrependimento na voz. 

-- Mas deixou. -- ele da de ombros. 

-- Eu sei.

-- Você é como as outras, se entrega fácil. 

O quê?! Ele não tá me dizendo isso. 

-- Só que diferente das outras eu sou esperta o suficiente pra não cometer o mesmo erro duas vezes. 

Saio da banheira e me enrolo na toalha branca de algodão que tinha ali, vou até o quarto e visto um pijama de ceda branco cheio de bolinhas pretas. Ele sai minutos depois com uma toalha enrolada na cintura, a visão daqueles cabelos molhados e bagunçados me fez quere-ló de novo, mas isso não aconteceria. Eu vou provar pra ele que eu não sou como as outras. 

-- Já vai dormir? - ele pergunta me envolvendo por trás enquanto eu prendo meus cabelos. 

-- O quê você acha? - arqueio as sobrancelhas fazendo parecer óbvio. 

-- Ficou boladinha foi? - ele usa algo clássico conhecido como sarcasmo. 

-- Ficaria se eu me importasse com o que pensa de mim. - me solto de seus braços e passo por ele indo até a cama. -- Eu simplesmente não ligo então... Boa noite Third. 

Me deito na cama cobrindo a cabeça com o edredom e segundos depois ouço a porta se fechar. Olho de novo e ele não estava mais lá, me viro para cima fitando o teto e um sorriso vitorioso se forma em meus lábios. 

Acho que consegui provocar ele.

Me viro mais uma vez para o lado e fecho os olhos adormecendo istantaneamente. 



Notas Finais


Espero que gostem e por favor comentem o que acharam. Bjs♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...