História The last dream - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Davi-skryp

Postado
Categorias Originais
Tags Comedia, Doenças Mentais, Drama, Psicopatismo, Romance
Exibições 4
Palavras 2.777
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


blá, blá, ...

Capítulo 2 - Cap 2


Fanfic / Fanfiction The last dream - Capítulo 2 - Cap 2

          A mulher mais velha arregalou os olhos e se levantou da cama, a mesma estava com uma expressão horrível de terror, depois de uns segundos ela pensa no que Rize disse e fala assustada:

 - Vo-.. você está louca - diz, olhando-a de cima a baixo, logo em seguida encarava a menina - você esta realmente pensando nisso? - diz se afastando e completando – Não tem como alguém te aceitar - diz saindo frustrada do quarto e batendo a porta.

          A menina, que não época era uma criança, fica paralisada a única coisa que consegue fazer foi abaixar a cabeça e chorar. Rize já sabia o que iria acontecer e agora seria uma boa hora para fugir, mas ela não fez, talvez tivesse ''aceitado meu destino'' ou ''não fazer nada será melhor'', porém o que ela estava era medo, não tinha amigo ou familiares, ficaria jogada ate alguém a achar e isso poderia ser pior, então eu fico lá, debaixo das cobertas, chorando e ouvindo aquele delicioso silencio até que os homens de branco chegarem.

          Assim Rize acorda com a respiração pesada e um pouco assustada, quando olha para cima se depara com Dom de quatro em cima da mesma a observando enquanto mordia o lábio inferior esquerdo. 

          Dom - Bom dia Rize, tudo bem com você? – Ele perguntava baixo e estava nervoso mesmo estando em cima de da jovem – O que estava sonhando? Você me parecia com medo, você estava com medo? -- Mesmo tremendo ele se aproximava ainda mais dela, colando seu corpo junto ao da moça – Me responde - Fala com um enorme sorriso assustador no rosto.

 ''Não era mais o Dom''

           Dom, alguns meses mais velho que Rize, foi um dos primeiros a chegar no hospital. Dom foi diagnosticado com transtorno de múltiplas personalidades, tinha um problema de rebeldia, era muito inteligente, com 17 anos já havia vivido muito mais o que outros com a vida inteira, mas que por azar foi parar em um lugar como aquele. 

 Rize - Bom... dia?! – Ela dava uma olhada em volta e na hora que eu ia se levantar percebia de vez que ele estava em cima dela, e se encostou mais – Eu com medo? Não me faça rir, eu estava rindo, você que ficou com medo de mim não foi? – Respondia em um tom assustador com o mesmo sorriso do dele. .

 Dom sorri calmo e se afasta 

Dom - como se eu tivesse medo de você, fofa - Disse se levantando e me puxando para sair da cama e então ouvimos uma voz bem conhecida.

 Clara - Parece que vocês acordaram muito bem hoje - fala e nós nos viramos para a porta e lá estava clara de pijama com um sorriso de Dom, mas com um tom de malicia. 

 Rize - O que faz aqui – falava aquilo vendo a menina – Você sabe que não pode entrar nos quartos assim! – Então apertou a mão de Dom para que ele falasse algo. 

 Clara - Parece que vocês estão com um pouco de fogo aqui - Diz levantando as sobrancelhas e dando um sorriso malicioso, olha para dom e fala - Vim buscar uma coisa - Diz agora só olhando para ele e se aproximando demais.

 Rize - Que coisa seria essa? – Perguntava e então eu me lembrava de que se ela fosse pega no nosso quarto ia dá algo de ruim e ia sobrar para os três, então eu segurava a garota pelos braços e empurrava para fora do quarto batendo ela contra a parede – E que coisa seria isso, posso saber? – Perguntava chegando com o rosto bem perto do de clara para tentar intimida-la, Mas não funcionou, a mesma sabia que Clara era a mais doente entre nós duas e nunca se rendia, então era meio obvio, sua tentativa foi falha.

 Clara - Rize, minha amiguinha, isso e entre o Dom e eu, pode ficar calma - Fala tirando as mãos de Rize dos seus braços - Se me pegarem aqui eu falo que eu invadi seu quarto simples, não é?! - Diz dando seu sorriso sincero, Rize abaixa a guarda e dá ás costa a Clara, um erro, pois a loira pegou seu braço e virou ele fazendo ele se curva pressionando o meu cotovelo ameaçou quebrar se aproximou e falou no meu ouvido - Se fazer isso de novo, eu - Dom a interrompe toda aquela ação. Dom - Ok, clara já pode ir – Dom falava e logo em seguida ela a solta e andava calmamente, cantarolando um musiquinha desconhecida, até Dom, que estava com um isqueiro na mão e naquele momento tudo fez sentido.

          Clara da mesma idade que Rize e Dom, abaixo de Dom na idade para falar a verdade, foi diagnosticada com piromania, transtorno de ansiedade generalizada, com uns sinais de uma psicopatismo em potencial e cleptomania, ela e bem instável. Clara é o oposto de Rize. Rize era otimista, certinha, centrada, introvertida e organizada, já clara era realista, durona, ousada, rebelde, extrovertida e desengonçada, ate fisicamente, Rize com um corpo violão, cabelos longos lisos e castanhos e uns 1,63 de altura, já Clara tinha muita bunda, mas sem peito, loira de cabelos longos e um pouco encaracolados nas pontas e uns 1,67 de altura.

          Logo em seguida Rize se vira para Dom e me aproximava dele aparentemente irritada Rize – O que mais você esconde de mim? - Perguntava irritada mesmo, apertava o braço que a Clara quase havia torcido e balançando ele para ver se estava tudo bem – E o que você tem com a Clara? – Chegava bem perto encostando o seu peito no corpo dele encarando no fundo dos olhos bem – Então, vai responder? Olha que eu tiro a reposta na marra! - fala ameaçando 

          Escutam uma risada alta que chama atenção, era Clara rindo e então ela fala:

 Clara- ok, ok - Diz ainda rindo um pouco como se realmente tivesse graça - eu vou te explicar, mas deixa de ser ciumenta - diz segurando Rize e a sentando na cama, logo olha para ela com um olhar desconfiado e a loira começa - eu e o Dom fizemos uma parceria - fala ficando ao lado de Dom - onde eu consigo o que ele quer e ele conseguiu o que eu quero - diz piscando - então me desculpe te fazer um dodói - diz se referindo ao braço, ela era muito infantil também, e o sarcasmo irritava ainda mais a morena - E vamos esquecer que eu estive aqui, ok? - diz sorrindo e indo em direção a porta ate que ela se vira de novo e fala - vocês estão namorando ou algo do tipo? Porque se estiverem eu fico na minha - disse fazendo uma cara estranha meio safada.

 Rize -- Tsc... Que seja! – Falava deitando de volta na cama então ouvia ela falar aquilo por ultimo – Que? N-não... Esse extrovertido é meu colega de quarto, só não quero que ele se magoe para ficar chorando no meu pé do ouvido... Rum!

 Dom - Rum?! Como se fosse eu que faço isso - fala Dom e depois olho para cara de clara que olha sem entender.

 Clara - Então ele tá livre?- Faz uma cara maliciosa - interessante... - diz e sai do quarto sorrindo enquanto cantarolava aquela musica de novo.

       Rize joga um travesseiro na cara de Dom e fala – Nem pense nisso... Eu te mato se ficar sabendo de algo – Então estendia a mão de costas para Dom, pedindo o travesseiro de volta – Me devolve isso, é o único que eu tenho e eu gosto muito dele – Parecia está brava com toda aquela situação.

 Dom – Ahh, não seja assim! Vamos eu faço uma massagem para fazer você se sentir melhor – Dom sentava na cama de Rize e começava a esfregar as suas costas.

 Rize – Não, sai daqui, vai brincar de colocar fogo nas coisas com a sua amiguinha lá! – Rize com raiva tomava o travesseiro da mão de Dom e colocava de volta de baixo de sua cabeça, e nem se quer olhava para ele  

          Dom colocava a mão por baixo da blusa para tentar fazer cosquinha, mas Rize olha com raiva e o expulsa do quarto. 

 Dom - droga eu estava tão perto - fala passando uma das mãos no cabelo - O que eu vou fazer agora? - Se perguntava até ver dois vultos que ele conhecia muito bem passar correndo - Não acredito que aqueles idiotas... - pensou e foi atrásDom saiu correndo atrás dos dois até que esbarrou em uma menina magrinha, de cabelos grandes negros e lisos amarrados em uma trança e olhos grandes.

         Os dois caíram, Dom se levantou rápido e ajudou a menina rapidamente e saiu correndo novamente, tentando alcançar os outros dois, mas ele não os achou porem sabia onde encontrar.Foi direto para o pátio e andou atrás dos blocos que tinha e lá, achou dois meninos espiando por uma janelinha.Eles estavam vendo meninas...Dom se aproximou e falou - Poxa vocês nem chamam o amiguinho aqui - Fala dando um sorrisinho e assustando os dois que eram menores que ele.

 Theo - hahaha, pensávamos que você já estava feliz com a dona certinha - Diz e o outro ri da cara de Dom que faz careta.

 Dom - Theo, a gente não tem nada - disse levantando uma das sobrancelhas - e o que tem dessa vez - fala espiando na janelinha e os dois fazem o mesmo

Bart - huahuahuahuahua - ri estranhamente e fala - hoje nós temos uma loirinha hum... - fala fazendo igual aos chefes de restaurante, beijando as pontas dos dedos e abrindo a mão em seguida. 

Dom - Quem é? - pergunta animado procurando alguma loira.

 Theo - a nossa deusa, preciosa - diz apontando para uma menina no canto da sala. 

         Era clara, Bart e Theo eram apaixonados pela menina e sonhavam com ela, que não dava a mínima para eles. 

         Dom – Ela? A Clara? – Falava observando bem as curvas da jovem que realmente, era muito atraente – É, agora eu entendo... Bem, a senhorita certinha é muito chata, posso fazer nada que ela reclama. 

          Clara estava com o isqueiro que Dom havia dado a ela e um travesseiro na mão, era surreal a forma que Clara estava feliz, era como se o isqueiro fosse uma carta de amor escrito por um anjo, era quando ela aproximava o isqueiro do travesseiro e começava a atear fogo no mesmo, como era de penas, aquilo queimava muito fácil, Clara então jogava para fora de seu quarto no frente do quarto de Charlie e deixava queimar.

 Dom – Então foi para isso que ela queria, que estranho, porque fazer isso com o Charlie?! – Parecia calmo e frio esperando Clara fazer algo 

          Era quando Charlie saia do seu quarto com sua capa e o seu jeito de herói de sempre

Charlie – Não se preocupem! eu vou apagar isso – Charlie pegava a travesseiro na mão uma parte que ainda não estava queimando e saia correndo em direção ao pátio.

 Clara – Não, Charlie, você vai se machucar, solta isso! – Saia correndo atrás do mesmo para tomar o travesseiro do mesmo. 

 Charlie – Não se preocupe Clara, eu vou salvar a todos! – Charlie sorria mas quando passava pelo refeitório era parado por 2 homens grandes de roupa branca.

 - É ele que está colocando fogo nas coisas –Diz um deles, os dois tiravam o travesseiro de sua mão e o jogava no chão com força caindo por cima dele o imobilizando – Você vai para o quarto branco hoje! – Então os dois saiam com Charlie para outro lugar onde só os funcionários tinham acesso. 

 Charlie – Quarto branco? Tem TV lá? Wow, é algum lugar para treinar heróis?! Legal! Eu sabia que esse dia iria chegar, eu finalmente vou salvar o universo, - Charlie não sabia do que se tratava o quarto branco, então estava super animado para ir ao lugar.

          Clara colocava a mão na boca e sentava no chão, enquanto isso outro homem vinha e apagava o travesseiro e começava a limpar a sujeira e as cinzas, Clara sabia muito bem como era o quarto branco, com toda certeza era o pior lugar no mundo, um lugar todo branco com as paredes almofadadas, sem janelas, sem luz natural, sem visita e quase sem nenhum som... Aquele lugar não era algo desejável nem para seu pior inimigo, imagine para um amigo.

 Dom – Garotos, eu vou ali falar com a Clara, a gente se fala mais tarde ok?! – Falava se despedindo dos jovens e ia correndo para o refeitório onde Clara ainda estava sentada no chão, logo ele chegava e via a mesma no chão ainda pensando no Charlie

Dom – Hey, o que aconteceu aqui Clara? – Dom só via que Clara tinha colocado fogo nas coisas ainda não tinha visto nada sobre Charlie.

 Clara – O Charlie... ele, ele... – Clara colocava a cabeça no peito de Dom e apertava a camisa do mesmo – Quarto b-branco.

          Dom não falava nada, só se ajoelhava e começava a lembrar da semana que ficou lá, o verdadeiro inferno que foi, ele via que Clara se sentia culpada e a carregou para sua cama e sentava no canto da cama.

Dom – Ei, Clara... não fica assim, o Charlie tentou nos salvar, deveria está agradecendo o nobre sacrifício dele.

          Clara nem reagia, só deitava e começava a pensar em como Charlie iria se virar lá dentro, ele nunca tinha ido parar lá, como seria para ele aquele lugar horrível.

Clara - Não - disse ela olhando pro além, botou as mãos na cabeça e começou a gritar assustando o rapaz ao seu lado- isso de novo não! - diz tentando se jogar no chão, mas é impedida por Dom que a olhava sério agora e logo ele vê teu e bart entrando no quarto assustados e abraçando a clara que continua a gritar - não.

          Gritava e chova com força até uma monitora chegar e falar assustada

 - o que aconteceu aqui? - diz com os olhos arregalados e assustada por ver a jovem assim.

 Bart- ela entrou em pânico - disse sendo jogado no chão pela garota, que podia não ser muito forte, mas sabia lutar. 

          A monitora saiu correndo em busca de um dos caras de branco enquanto ele continuaram no quarto até que do nada Clara para e pergunta:

Clara - ela já foi? - diz se relacionando a monitora e Bart é teu sorrindo fez o sinal de sim se levantaram rapidamente.

          O Jovem Dom não sabia o que estava acontecendo então só observou assustado e falou:

Dom - o que esta acontecendo? - diz com medo da jovem e então Bart responde feliz.

Bart - nosso plano deu certo - diz sorrindo e batendo na mão de Theo que abraça Clara feliz - Hahaha, não esperava que desse certo - fala menina rindo, Dom estava assustado, ela botou o charlei no quarto branco de propósito? Não o plano dela não era só isso.

 Logo Theo olha porta a fora e avisa

Theo - eles estão vindo- diz se jogando no chão e bart fingindo que estava "lutando" com ela que voltou a ser a personagem. O homem de branco chega e fala (grita) 

 - o que está acontecendo aqui - diz botando medo nos menores, mas ninguém responde é clara joga bart no chão novamente e fala 

Clara - Não - diz encarando assustadoramente o homem que a segura e bota nas suas costas, ela se bate em cima dele falando - me solta, eu vou te matar - eles saem da sala e a monitora pergunta se os meninos estão bem e eles fazem sim com a cabeça, ela sai os deixando sozinhos.         

          Os meninos já saem daquele papel ridículo sorrindo como sempre e Dom ainda assustado fala 

Dom - já podem me explicar o que está acontecendo - diz sério os encarando

          Os dois riram o sorriso do rosto e falam 

Theo - era um plano da kami  - eles estava se relacionando a clara

Dom - Quem é kami? - pergunta Dom com raiva - e o que ela queria ? 

Theo- Kami e a clara - fala

Bart - E ela que falar com a psiquiatra dela e com a diretora do hospital e pra isso ela tinha que fazer isso - diz completando o amigo

Dom - E o que o Charlie tem haver com isso? - pergunta sem entender Os dois se olham e falam juntos - vingança - diz é um pequeno sorriso brota nos seus lábios 

Dom - Vingança a que? - pergunta e os dos riem alto

Bart e theo - Isso é coisa que só a kami pode falar.  


Notas Finais


eu tô com fome


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...