História The Last Letter- JiKook - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Got7
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Jackson, Jimin, Jungkook, Lisa, Mark, Rosé, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Namjin, Vhope, Yoonmin
Visualizações 20
Palavras 1.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Só mais um, eu preciso que chorem comigo!
Sério, eu leio as minha fics e eu mesma me emociono.
Nem eu me entendo.

Capítulo 4 - Está me zoando? Se for, por favor, pare!


Fanfic / Fanfiction The Last Letter- JiKook - Capítulo 4 - Está me zoando? Se for, por favor, pare!

Posso ter errado com pessoas que gostam de mim, mas você vai ser diferente.... Me perdoe, mesmo eu não conhecendo. Você diz que eu o conheço muito bem, mas eu não lembro. Eu não sei quem és.

Minha dor de cabeça, agora é insuportável. Meu irmão diz que é a possibilidade de um ‘chifre’, mas iludo-me dizendo que Lalisa não seria capaz.

Eu não sei o quanto te fiz sofrer, o quanto te machuquei, o quanto te magoei, me perdoe. Eu nem sei quem és, mas perdoe-me por tudo. Estou com medo de magoa-lo novamente.... Nós nos conhecemos tão pouco.

Então diga-me o que quer, diga-me o que sente, faça-me saber tudo o que sente, faça-me sentir a dor que sentes, o ódio que tanto diz amar...

Eu prometo que, quando tudo isto acabar, irei parar de machucar você. Entenda eu não sou assim... Pergunte ao Namjoon, ao Jin... pergunte ao Jimin.

Ah, o Jimin.... Eu nunca quis feri-lo, nunca quis machuca-lo, nem o fazer sentir o que sente. Só o quero de volta, sendo meu melhor amigo, aquele maduro e chato. Como ele consegue ser tão fofo sendo tão chato?

Por favor, fale comigo. Mas, se não quiseres revelar quem és, por mim, tudo bem.

J.J.

 

– Jimin, ele falou sobre você – Hoseok e Taehyung, praticamente, gritam. – Ele falou de você!

– Eu li, Taehyung. Eu li – Digo, sorrindo bobo.

– E ele ainda pediu perdão... Nossa, nunca pensei que, um dia, iria ouvi-lo dizer isto. Que dizer, ler. Ainda, mas ele, um gostosão do 3° ano, que estuda na mesma sala que a nossa – Taehyung diz sorrindo.

– A TÁ – Hoseok grita, tentando ganhar atenção alheia. Seu ciúme faz com que Tae comece a rir e os dois seguirem caminho.

– Aí, aí. Ah, vamos lá – Digo, respiro fundo.

 

* * *

 

Eu o perdoou, mas por favor, pare de fazer o que faz com Jiminie.

Só, por favor, não faça promessas, se não for cumprir.

Não diga, se não for fazer.

Não diga, prometa ou faça... Só não me machuque, só não o machuque. Não revelarei quem sou, pois nem eu mesmo sei quem sou!

Mas, por favor, quando for falar com o Chimchim. Diga que não quer vê-lo triste, que não quer vê-lo se mutilando, que não o quer chorando ou qualquer coisa que seja sorrindo. Diga que vai ficar tudo bem, porque ele não me ouve. Ele não ouve ninguém e, às vezes, só se sente bem abraçando o Jin, o Tae, o Hoseok, .... Você, o qual ele nunca mais falou. No qual, eu nunca mais falei...

Toda vez quando sonho, é você que está lá. E é bom vê-lo sorrir, mesmo não sendo diante a mim. É estranho saber que, além de estarmos tão longe, estamos tão perto. Uma lamparina fraca ofusca minha vista quando estou a olha-lo, mesmo sendo um incomodo, tudo dói quando estamos tão próximos. A dor principal é o coração.

Incrível o fato de você achar que estou sorrindo quando me ver, mas não sabe a dor quando você só se aproxima para me humilhar.

Você, ah, você. Acha que eu estou feliz, mas o que na verdade eu estou chorando, sofrendo por saber que o meu melhor amigo de infância vive me humilhando pelos arredores de todos, eu disse TODOS os lugares. Que ele sente nojo de mim...

Acha que, além de fazer-me chorar, eu sou um fantoche, que com aquele sorriso forçado, acha que não quer chorar?

NÃO! Eu quero chorar, me mutilar, suicidar!

Deixe-me sofrer, ao menos um pouco mais. Porque, eu não sei, mas isto facilita a dor que sinto por não ter você ao meu lado.

Você me conhece tão bem que, às vezes, parece que não...

Desde quando éramos pequenos fetos na barriga de nossas mães. “AMIGOS PARA SEMPRE” foi o que você disse quando tínhamos 2 anos, foi o que você disse bem antes de irmos aquele refeitório, antes de jogar-me naquele lixo quando tínhamos 10 anos.

Eu quero entender o porquê disto, por que me humilha desde então?

Meus amigos, você e seu irmão sempre foram... Sempre serão.

O fato de somente ele me abraçar, não basta.

Eu preciso de você. É você quem eu amo!

PJ.

 

– Jungkook? – Uma voz apareceu dizendo meu nome, assustando-me. O olho por um tempo, aquelas lembranças.

 

7 ANOS ANTES DOS DIAS ATUAIS.

 

– Jungkook? Jungkook!!? – Ele me chamava repetidamente, em uma manhã nublada em Seoul. – Acorda, verme!

Tinha apenas 8 anos. Mas, para alguém de 7 anos como ele, já era bem mais maduro que eu... e chato!

– Ai, Jiminie! – Abro os olhos. – Como você consegue ser tão fofo sendo tão chato!?

– Sendo. Agora, levanta! – Diz e vai indo para o banheiro. Ele havia dormido aqui, outra vez, pois seus pais haviam viajado e eu insistira que o deixasse ficar aqui. – A Omma fez café da manhã, delicioso alias!

– O QUE? – Levanto em um pulo, gritando. – VOCÊ TOMOU CAFÉ DA MANHÃ SEM MIM?

– Não! – Disse ele. – Mas só estou brincando com você!

– IDIOTA!

– É VOCÊ! – Ele ri. Eu amo aquela risada. Começo a correr atrás dele.

– JIMINIE!!! – Grito, quando o alcanço. Começo a fazer cosquinhas, fazendo-o ri junto a mim.

– Os dois! - Jin aparece dizendo. Não acredito que, com 11 anos, é tão autoritário. – Podem parar, sem mim não.

– AH!! – Eu e Jimin bufamos e nos entreolhamos, e começamos a ri outra vez.

 

2 ANOS DEPOIS, 9 ANOS ANTES DOS DIAS ATUAIS.

 

Minutos antes do recreio

– Ei, Jiminie. Vamos ser melhores amigos para sempre certo? – Digo sorrindo.

– Certo! – Ele sorri.

– Amigos para sempre! – Digo o abraçando. Sinto ter sido beijado e, fico corado imediatamente, sorrio.

– Jungkook, vamos para o refeitório. Preciso contar-lhe algo...

– Tudo bem! – Sorrio. E fomos, eu, Jiminie, Taetae, Hope, Nam e Jin. O casal, no qual, nunca tivera preconceito em sua relação. O qual, nunca estive contra.

Assim que chegamos, ele me conta, meio inseguro: – Jungkook. A um tempo que eu sinto algo diferente por você. Posso não ser correspondido, mas tudo bem. Estou certo de minhas decisões, que cheguei a uma conclusão que nunca chegou a se passar por minha mente, e.... – Ele estava nervoso naquele momento, já eu estava ansioso. Ele fica tão fofo nervoso.... Segurava sua mão como se segurasse minha vida, e fico admirando-o dizer. – Agora eu sei que, além de um amor de irmão, eu sinto algo a mais por você.

Eu não sabia o que dizer, não sabia o que fazer. Largo suas mãos brutalmente, como nunca havia feito. O olho com indiferença. Minha alegria naquele momento tornou-se raiva, uma decepção e alivio, E, rindo, eu disse:

– O QUE? VOCÊ ESTÁ BRINCANDO COM A MINHA CARA, NÉ JIMINIE? É MAIS UM DAQUELES TROTES SEU? – Eu disse, com medo de sua resposta. Estava abalado. Minha audição, estavam querendo me enganar. Meu coração batia, fortemente, em uma velocidade desconhecida. – Não?

Ele balança a cabeça para os lados, olho as lagrimas surgirem em seus olhos. O nojo em meus olhos o assustara. Estávamos próximos a lixeira do refeitório, então o empurro, sem ideia do que havia feito. E, sem mais nem menos, digo: – Eu nunca serei melhor amigo de um Gayzinho de merda. Seu lixo, que bom que já encontrou seu lar, NA LIXEIRA! E que fique aí. Espero que saiba que, EU NUNCA IREI SENTIR O MESMO POR VOCÊ, SEMPRE SENTIREI NOJO DE VOCÊ. Seu idiota!

Me arrependi no mesmo segundo quando o vi chorar, pela primeira vez por minha causa. Mas eu não pude correr atrás dele, os populares daquela escola de merda, haviam me cercado. Fizeram minha cabeça, eu fiquei com ódio dele, nojo.

Hoje não posso mais consertar o que eu fiz a ele. Estou muito arrependido.

 

– Jiminie? – Começo a lagrimejar. – Por favor, me perdoe. Me perdoe por tudo o que fiz, tudo o que lhe disse.

– Jungkook? Está me zoando? Se for, por favor, pare!

– Não, não estou te zoando! – Digo chorando. – Me perdoe. Eu, eu fui um estupido.

– Foi..., mas tudo bem. Estou acostumado. – Ele diz, sorrindo fraco. – Eu... perdoou você, J.J.

– Você, .... Como sabe da carta que escrevi para PJ?

– Bom, mais ou menos.

– Oh, Jiminie. Me desculpe por tudo…E, tira esse moletom, por favor. Agora!

– É.... não!

– Tira! – Peço, já com certo ódio de mim mesmo. Eu sei que o que ele esconde debaixo deste moletom é culpa minha... – Não vai tirar? Pois bem.

O puxo para o banheiro. Chegando lá, o olho. Seus olhos já vermelhos querendo chorar, por eu ter pego seus pulsos com certa brutalidade... Outra vez. E puxo as mangas de seu moletom para cima, revelando seus pulsos cortados.

– Jiminie... Eu, é – Gaguejando, ajoelho e ponho-me a chorar. – A culpa é minha, não é? Me perdoe.

Ele se ajoelha na minha frente e, sem mais nem menos, o abraço. E ficamos ali, por um longo tempo, abraçados.


Notas Finais


Não resisti e postei outro.
Pois é


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...