História The Last Petal- Taejin - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jin, Seokjin, Taehyung, Taejin, The Last Petal, Vjin
Exibições 210
Palavras 5.932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi oi
primeiramente eu queria ressaltar que to destruída
EU AINDA NÃO SUPEREI QUE TEVE TAEJIN NO MV DE BLOOD SWEAT & TEARS AAAAAAAAAAAANHKFSDHNKNBHKIACVHIVBISDV
OS DEDINHOS DO TAE TAPANDO OS OLHOS DO JIN
O JIN BEIJANDO ELE METAFORICAMENTE AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
O TAE SEM AS ASAS NO FINAL EU FIQUEI TIPO QUE JKNJJABDCJBJSDVDFDSV
eu amo meu otp e vou protegê-lo com a minha vida
CARALHO QUASE 100 FAVORITOS AAAAAAAAAAAAAAAA TE AMO VOCÊS SEUS MARAVILHOSOS
enfim, me desculpa pela demora aaaaa
eu queria postar o capítulo do Jimin hoje já que é aniversário do meu bolinho precioso, mas ainda não escrevi o cap :c
enfim, boa leitura e me desculpem pelos erros <33

Capítulo 9 - Can I play with you, hyung?


Fanfic / Fanfiction The Last Petal- Taejin - Capítulo 9 - Can I play with you, hyung?

Jin POV

Três dias. Já faziam exatos três dias que Taehyung estava daquele jeito, não saia do quarto nem sequer para comer. Eu não fazia a menor ideia de porque ele estava sofrendo tanto, o porquê de ele insistir em chorar baixinho sem parar para não ter de compartilhar sua dor e nem preocupar os outros a sua volta, o porquê de guardar o que quer que estivesse o deixando dessa forma para si mesmo e não pedir ajuda.

As poucas vezes que o vi sair do quarto, ele estava sempre chorando e evitando contato comigo e Yoongi.

_ Jin! Você está muito distraído, é a terceira vez que deixa o carro bater nas laterais da pista. – Yoongi disse enquanto ganhava a corrida no vídeo-game e o carro do qual eu tinha controle ficara preso outra vez.

_ Desculpe... Podemos começar de novo?

_ Aish, espere, preciso ganhar primeiro. –disse com os olhos fixos na TV.

Larguei o controle no chão e deixei que o peso do meu corpo fosse para trás me fazendo deitar no tapete no qual estávamos sentados.

_ Ya! Min Suga é o rei desse jogo. –Yoongi disse largando o controle e fazendo uma dançancinha comemorativa juntamente de um sorriso vitorioso.

_ Você só ganhou porque eu desisti. –falei em deboche.

_ Ah é? Então vamos de novo e você verá quem é o perdedor.  –sugeriu

_ Então vamos. –concordei sorrindo esperançoso.

Nos sentamos novamente e dessa vez tentei me concentrar na partida e desviar meus pensamentos de Kim Taehyung. Quando o carro comandado por Yoongi estava se aproximando da linha de chegada, um vulto avermelhado passou pelas cortinas da sala fazendo-as balançarem e por fim parou em frente a TV.

_ AH! QUE MERDA É ESSA? JIN?! –Suga jogou o controle em Sora, gritou e se agarrou em mim com medo.

_ Sai, Yoongi. –o empurrei mas ele não desgrudou de mim. _ É só a Sora.

_ É “só” a Sora? Obrigada pela consideração, Jin. –Sora revirou os olhos em nossa direção e riu. _ Desculpe o susto, Yoongi. –depois de deixar o controle de Suga na estante da qual se encontrava a televisão, ela veio em nossa direção e se abaixou na frente de Yoongi. _ Prazer, Sora Hahiro. –sorriu fazendo-o dimininuir a força que mantinha ao apertar meu braço e olhá-la nos olhos, assim como ela fazia.

_ Oi...

_ Podemos conversar? –estendeu a mão na esperança que ele a segurasse.

Depois de alguns segundos com receio estampado em seu rosto, Yoongi segurou a mão da moça e se levantou junto dela. Foram para o quarto em que ele estava dormindo e fecharam a porta na tentativa de passar privacidade.

Soltei o controle outra vez e abracei minhas pernas enquanto deixei que a leve brisa vinda da janela que faziam as cortinas balançarem em sincronia tentasse levar essa angústia que me fazia afundar cada vez mais rápido. O sol estava se pondo e os poucos raios de luz provenientes deste penetravam-se pelas frestas da janela e iluminavam meus pés.

O som do jogo dizendo “press start” quebrava o silêncio do cômodo, que logo depois foi seguido pelo ranger de uma porta sendo aberta. Yoongi havia esquecido o celular em cima da almofada ao meu lado. Ainda sem tirar os olhos da sincronia das cortinas, peguei o celular e estendi-o para cima esperando que Suga pegasse assim que os passos antes próximos fixaram-se em algum ponto. Sem obter resposta, levantei o olhar a ele esperando algum gesto do mesmo, mas não era Yoongi.

_ Taehyung? –ele se encontrava de pé à minha frente com o rosto inchado e visivelmente segurava para não chorar. As duas mãos mantinham-se enfaixadas e levemente roxeadas nas regiões expostas, assim como seus braços descobertos. Vestia uma camiseta e calças de moletom. Os fios do cabelo úmido juntavam-se em finas mexas que colavam em sua testa.

_ Posso jogar com você, hyung? –sorriu tímido e por poucos segundos esse mínimo levantar de lábios fez parecer com que ele nem sequer estivesse triste daquela forma.

_ Claro. –sorri desviando o olhar dele e lhe entregando o controle que antes estava nas mãos de Yoongi.

Sentou-se na almofada ao meu lado e o leve cheiro de sabonete que sua pele exalava tomou conta do ar.

O silêncio surgiu entre nós e ficamos longos minutos disputando o primeiro lugar no jogo escutando somente os efeitos sonoros do mesmo. O carro que Taehyung comandava trombou em um dos lados assim como eu havia deixado acontecer minutos atrás. Desviei o olhar da TV para olhá-lo e me assustei ao vê-lo com a cabeça abaixada e algumas lágrimas descerem por seus olhinhos cerrados e gotejarem no controle que ainda tinha em mãos, mas que agora repousava-o em suas pernas cruzadas. Se segurava para desfarçar o choro, o que fora inútil.

Tae POV

A mão de Seokjin deslizou por minha bochecha limpando uma lágrima que ali escorria e desviou para meus cabelos iniciando um carinho dentre os fios levemente molhados.

_ Me desculpa, hyung. Não consigo jogar. –falei com dificuldade por ter a garganta presa pelo choro que segurava e deixei o controle de lado e abracei meus próprios braços.

_ Tudo bem. –desligou a TV e deixou também o objeto de lado. Continuava a me olhar preocupado, senti isso, mesmo que não estivesse olhando em sua direção.

Depois de alguns minutos de silêncio, deicidi me aproximar mais dele e este empurrou de leve minha cabeça com a mão que antes fazia cafuné fazendo-a repousar eu seu ombro, em seguida, continuou com o carinho e seu rosto encostou de leve no meu cabelo, assim como nossos braços opostos. Ainda estávamos lado a lado e o olhar de Jin mantinha-se fixo em seus próprios pés iluminados pela pouca luz que o sol transmitia antes de se pôr.

_ Você não vai perguntar o que aconteceu comigo? –perguntei encarando minhas próprias mãos.

_ Não quero te pressionar a dizer.

_ Eu queria te contar, mas não sei se consigo. É vergonhoso. –me encolhi ao lembrar novamente da cena.

_ Você não precisa dizer. Só o faça se estiver confortável quanto á isso. –colou mais a lateral de seu rosto no topo da minha cabeça sem parar com o cafuné.

_ Eu... eu só não consigo dizer porque terei de olhar nos seus olhos para isso. Eu confio em você, hyung, mas não consigo com você me olhando.–tentei mais uma vez segurar as lágrimas que insistiam em cair, não obtendo sucesso.

_ Não precisa dizer agora, Tae, sei que confia em mim. Se quiser mesmo contar, só faça quando estiver realmente pronto para isso. É algo sério para te deixar assim, não é?

_ Sim...

_ Eu estive tão preocupado com você desde o dia que você voltou. Sabe, eu estava disposto a lhe ignorar por estar um pouco triste com toda aquela coisa de você não ter confiado em mim, não por muito tempo, até porque não consigo. Mas, no fim, quem estava me ignorando era você. –seus dedos desceram pelos meus cabelos e apenas repousou a mão no meu ombro me mantendo abraçado a ele de lado.

_ Desculpe por te preocupar e te ignorar. Eu só... queria ficar um pouco sozinho.

_ Não se desculpe, eu entendo. –sorriu.

Estiquei meu braço para alcançar sua outra mão que até o momento descansava sob sua perna. Pousei minha mão nas costas da sua e deixei que meus dedos a envolvessem e segurassem-a de forma delicada. Jin sorriu tímido com o ato.

_ Você continua a se auto-mutilar? –perguntou virando minha mão fazendo com que o pulso ficasse para cima e acariciou com o polegar a região onde diversas vezes fora machucada e que agora era coberta por uma faixa.

_ Eu não consigo evitar. –virei minha mão de volta e entrelacei meus dedos nos dele.

Meus lábios voltaram a estremecer, a respiração ficou frenética outra vez e os soluços tornaram-se presentes juntamente das que lágrimas continuavam a cair, por mais que tentasse, não conseguia deixar de ficar triste. É uma sensação horrível querer se sentir bem e se esforçar para isso, mas não conseguir e ver que seus esforços nunca são o suficiente e no fim querer somente se isolar de tudo outra vez.

_ Hyung, desculpe, se importa se eu te deixar? –disse me soltando de seu corpo e me levantando.

_ Não, tudo bem. –me olhou parecendo preocupado e sorri de leve como forma de dizer “está tudo bem” por mais que não estivesse e fui para o meu quarto.

Pude perceber os passos de Jin presentes a medida que me afastava, mas ignorei. Assim que coloquei a mão na maçaneta da porta, sua mão foi de encontro com a minha me impedindo de entrar no cômodo.

_ Você vai se trancar nesse quarto de novo? –perguntou sério.

_ Vou ficar bem. –menti de cabeça baixa e dei um mínimo sorriso com dificuldade pelo tremor dos lábios.

Jin POV

Taehyung entrou no quarto e fechou devagar a porta, trancando-a em seguida. Encostei as costas nela e deixei que descessem até que meu corpo fosse de encontro ao chão.

Longos minutos se passaram e o silêncio havia se tornado presente outra vez, tanto vindo de dentro do quarto como de fora. Sora e Yoongi ambos conversavam baixo, então não era possível ouvir a conversa dos dois. Quando prestei mais a atenção, notei o barulho que Taehyung fazia ao chorar baixinho.

_ H-hyung? Você ainda está aí? –perguntou baixo o suficiente para que só eu pudesse ouvir.

_ Sim.

_ Vou lhe contar, tudo bem? –fungou.

_ Certo, estou ouvindo.

_ Bom, não sei por onde começar... –ficou em silêncio por alguns segundos. _ No tempo em que fiquei na cadeia aconteceram coisas, coisas que me deixarão marcado para sempre.  

_ Como assim?

_ No começo eu estava sozinho em uma cela, por mais solitário que fosse eu preferia ficar daquela maneira, mas nem tudo é sempre da forma que queremos, não é mesmo?

_ Sim...

_ Quando o segurança apareceu na minha cela dizendo que eu poderia ligar para alguém, eu já estava me sentindo horrível por não ter conseguido dormir direito. Para falar a verdade, eu não durmo direito desde que voltei daquele lugar. –sua voz tornou-se abafada por alguns instantes provavelmente por estar com os braços apoiados nos joelhos e o rosto escondido entre eles. _ Enfim, quando voltei para a cela tinha outro homem lá. Sim, eu ganhei um companheiro de cela, mas não fiquei nada contente por vê-lo. Seu olhar sobre mim era arrepiante. Ele estava na cela errada, mas o segurança insistiu em me prender naquele lugar junto dele enquanto ele saia para descobrir o porquê de aquele homem estar ali. Eu evitei manter contato visual com meu companheiro, mas ele me fitava com um sorriso malicioso no rosto. Então ele veio na minha direção, começou a passar a mão em mim e... –  não conseguiu terminar a explicação e começou a chorar ainda mais alto.

_ Taehyung, abre a porta.

_ P-por que? –perguntou com dificuldade.

_ Abra, por favor.

Me levantei esperando que ele abrisse e depois de alguns segundos o barulho da chave girando ecoou e Taehyung abriu-a devagar. Ele chorava como nunca, se mantinha de cabeça baixa e evita contato visual. Levou as costas das mãos aos olhos tentando enxugar as lágrimas sem obter sucesso. Me aproximei dele e envolvi meus braços pelos seus ombros, abracei-o o mais forte que consegui . Ele escondeu o rosto na curvatura do meu pescoço e retribuiu o abraço enquanto agarrava minha camiseta com as mãos.

_ Jin hyung, não me deixe sozinho outra vez... –pediu com a voz abafada e me apertou mais forte contra si.

_ Não deixarei, Tae.

Era aterrorizante aceitar que uma coisa terrível dessas havia acontecido com ele. Taehyung sempre fora uma pessoa tão inocente, tão adorável e puro. Ele parecia com tanto medo, era horrível vê-lo assim, frágil. Já era de costume eu querer protegê-lo, mas depois disso simplesmente senti vontade de não soltá-lo mais, eu nunca me perdoaria se deixasse algo ruim acontecer a ele.

Acariciei suas costas com as pontas dos dedos juntamente dos cabelos enquanto deixava que suas lágrimas molhassem minha pele.

_ Para de tentar segurar as lágrimas, coloque tudo para fora, você está precisando disso. – sussurei e isso só o fez aumentar os soluços e chorar mais alto, por mais que estivesse abafado pela minha pele.

Yoongi POV

_ Oh... Essa história é incrível, mas bem complicada. –disse quando Sora terminou de me explicar o que estava ocorrendo.

A ruiva sorriu e deixou que o corpo caísse para trás fazendo-a deitar na cama ao lado da que eu estava.

_ Obrigado por me explicar. Mas, sério, você me dá medo. –ri.

_ Era minha intenção te assustar. –sorriu vitoriosa.

_ Aish. –rimos, mas nossas expressões se tornaram sérias no momento em que o som de alguém chorando tornou-se presente. Nos entreolhamos e Sora se levantou e foi em direção à porta. Abriu-a devagar somente em uma fresta e espiou pelo pequeno espaço. Viu algo do lado de fora e a fechou novamente com um sorriso bobo no rosto.

_ O que? O que foi que você viu? –perguntei curioso.

_ O Tae e o Jin. –aumentou o sorriso.

_ O que tem eles?

_ Estão abraçados e o Taehyung está chorando no ombro dele.

_ E por que está feliz com isso?

_ Não estou feliz porque ele está chorando. Eles estavam brigados, é bom vê-los juntos outra vez. Mas fiquei feliz por ver que o Tae finalmente decidiu falar com alguém, ele está sofrendo muito com o que aconteceu.

_ Espera, você sabe o que aconteceu com ele?!

_ Sim, mas não posso dizer. Ele pode não querer que você saiba. Desculpe.

_ Aish, tudo bem...

_ Yoongi, me diz, eles não uma gracinha juntos?

_ Como assim?

_ Como um casal.

_ QUE?! –engasguei  com a própria saliva e arregalei os olhos.

_ Cala a boca, idiota! –tapou minha boca evitando que eu gritasse outra vez.

_ Sora, você é estranha. –ri.

_ Eu sei. –riu de volta. _ Estou preocupada. Sabe, eles não podem demorar muito a salvar os meninos.

_ Quem é o próximo?

_ Jimin.

_ Sério?! –sorri e ela me olhou maliciosa.

_ Yoongi, você já ouviu falar em fanfics?

_ Sim, mas não sei o que é.

_ Sabe o que é Yoonmin? –sorriu de canto e começou a digitar algo no próprio celular.

_ Não.

_ Leia isso e faça uma Sora feliz. –me entregou o celular e deitou na cama outra vez. Olhei-a desconfiado, mas decidi fazer o que ela pediu.

Jin POV

Depois de alguns minutos, Taehyung se acalmou com o carinho, estava parando de chorar aos poucos e sua respiração estava se normalizando.

_ Eu gosto tanto do jeito que você me conforta, hyung. Você não fica me fazendo perguntas nem nada, só fica me fazendo cafuné enquanto me deixa chorar.

_ Eu só... é... Aish, por que você foi dizer isso? É embaraçoso... –senti minhas bochechas esquentarem.

_ Desculpa. –riu fraco.

_ Eu só faço isso da forma que queria que fizessem comigo se eu estivesse no lugar.

_ Hyung?

_ Sim?

_ Obrigado por se preocupar comigo. –me apertou forte outra vez.

_ Você... não precisa agradecer. –sorri e continuei com o carinho. _ Você ainda está chorando?

_ Sim, um pouco.

_ Sua voz fica estranha quando chora, fica mais grave que o normal. –disse e ele riu.

_ Fica mesmo. Não gosto de chorar. –se encolheu mais nos meus braços e as lágrimas continuaram a molhar minha camiseta.

_ Chore o quanto precisar, não te deixarei até que fique bem.

_ Certo... –senti sua bochecha se mexer em contato com a minha pele como se estivesse sorrindo.

_ Tae, você denunciou esse homem? –afundou mais seu rosto no meu ombro.

_ Não...

_ Por que? Não se lembra do rosto dele?

_ Lembro, mas ele me ameaçou de morte caso eu contasse.

_ Não precisa ter medo, TaeTae, ele não fará nada à você. Se o denunciar, ele terá uma pena maior, até lá nós já teremos normalizado toda essa coisa de congelamento de tempo, então ele nem se lembrará de você porque nunca terá te agredido.

_ É verdade, não tinha pensado nisso. –disse com a voz abafada.

_ Amanhã você fará isso, ok? –separei-o por um instante para poder olhá-lo nos olhos.

_ Ok. –sorriu.

Seu rosto estava inchado e vermelho, assim como os olhos, os lábios estavam roxeados e estava visivelmente triste, mas não como antes.  Ele ainda agarrava minha camiseta com os dois punhos fechados, mas dessa vez nas laterais do meu corpo. Mantinha um olhar inocente sobre mim, esperando que eu dissesse algo.

Tirei algumas mexas de seu cabelo que cobriam seus olhos e ele piscou no fim do ato fazendo com que uma lágrima escorresse do olho direito, limpei-a com o polegar e acariciei a maçã de seu rosto em seguida fazendo-o sorrir. Ele acompanhava meu olhar sobre si com os olhinhos esmagados pelas bochechas que se levantavam ao sorrir. Desci minha mão para seu queixo erguendo-o minimamente e nossos olhares de se encontraram fazendo-o esburescer o rosto. Intercalou entre olhar para minha boca e meus olhos, assim como eu fazia com ele. Taehyung aproximou o rosto do meu e deu fim no espaço que nos mantinha separados.

Não era um beijo com malícia ou desejo, era simplesmente um ato de carinho. Eu descreveria esse beijo como o próprio momento em que estávamos, os sentimentos tristes dele precisavam do meu conforto, e quando se juntavam tudo ficava bem. Era algo inocente, belo, que esbanjava sentimentos fortes mas ao mesmo tempo frágeis. Seus lábios fininhos se encaixavam nos meus e tudo parecia apenas uma brincadeira de criança em que quem se separasse primeiro perderia. Era intenso, mas não de forma exagerada. Era como um selar prometendo proteção. Por mais que eu não consia dizer isso da boca para fora, tinha sim uma pitada de amor no meio de tudo isso, vindo tanto da parte dele como da minha.

Suas mãos foram de encontro com meu maxilar enquanto o áspero das faixas que as cobriam fazia cócegas nas minhas bochechas.

Nos separamos e ele abaixou a cabeça tentando esconder as bochechas vermelhas enquanto sorria feito uma criança. Deixei que nossas mãos livres se tocassem e entrelacei meus dedos nos dele, sem obter resposta imediata.

_ Prometo cumprir minha promessa dessa vez. –ele levantou a cabeça com uma expressão de surpresa, mas logo sorriu juntamente de mim e retribuiu o afago das mãos.

_ Prometo cumprir a minha também. –me olhou nos olhos enquanto sorria por alguns segundos e depois já estava nos meus braços outra vez. _ Jin hyung?

_ Sim?

_ Seria estranho se eu dissesse que estou me apaixonando por você? –fiquei surpreso com sua pergunta mas logo depois um sorriso tomou conta dos meus lábios.

_ Não. –suspirei. _ Está se declarando para mim?

_ Não... Ainda não tenho certeza dos meus sentimentos, mas pode ser que eu faça isso quando souber ao certo do que sinto. –sorriu.

Não consegui achar algo para o responder, então apenas ficamos abraçados em silêncio aproveitando o calor do corpo um do outro.

Yoongi POV

_ Sora, você vai mesmo ficar espiando eles?  -disse enquanto lia uma história em que eu era um policial e Jimin um assaltante.

_ Shh, acabe logo de ler.

_ Falta uns 20 capítulos ainda, e até agora não aconteceu nada de emocionante.

_ Que capítulo você está?

_ Terminando o 1.

_ É claro que a história é sem graça agora, idiota. E você é lento para ler. –virou-se para mim e sorriu.

_ O que vai acontecer?

_ O policial Yoongi vai se apaixonar pelo assaltante Jimin.

Cuspi o café que estava bebendo até o momento e tossi por ter engasgado. Sora ria de mim e tapava a boca com um travesseiro evitando que o som da risada fosse muito alto.

_ Por que está me fazendo ler isso? –perguntei ainda tossindo um pouco.

Sora não respondeu e apenas riu mais da minha situação e do meu rosto que estava vermelho tanto por ter engasgado como por ter ruborizado com o que ela disse sobre mim e Jimin.

A maçaneta da porta girou e Jin apareceu. Se assustou ao ver o chão sujo de café mas depois começou a rir junto com a ruiva que agora não insistia em segurar a risada.

_ O que você fez, Yoongi? –disse sem fôlego.

_ A idiota da Hahiro está me fazendo ler uma história em que eu me apaixono pelo Jimin. –antes que pudesse dizer mais alguma coisa, fui atingido pelo travesseiro que ela segurava.

_ Não me chama de Hahiro!

Jin riu ainda mais e joguei o travesseiro nele, o que não diminuiu sua risada.

_ Você sabe que vai ter que limpar isso, não sabe? –se referiu ao chão sujo.

_ Aish, quem vai limpar é a Sora, a culpa é toda dela. –ri.

_ Ya! Foi você que cuspiu o café todo.

_ Sora? –Taehyung apareceu atrás de Jin e sorriu ao ver a ruiva.

_ Oi Tae! –acenou.

_ O que está acontecendo? –perguntou confuso e riu de leve por me ver sujo de café.

_ Sora quer que Yoongi e Jimin fiquem juntos e ele cuspiu todo o café que estava bebendo quando ela disse. –Jin falou e Taehyung começou a gargalhar junto deles.

_ Eu odeio vocês. –me deitei na cama e virei para o lado oposto deles.

_ Min Suga, estamos brincando. –Sora cutucou meu ombro. _ Eu também faço isso com o Taehyung e ele não fica assim.

_ Você gosta do Jimin?! –Jin se virou para Taehyung e perguntou assustado.

_ O que? Não!

_ Ya! Chega. Vocês querem sair para comer algo? –Jin rompeu o assunto. _ Ah, você está bem? –perguntou a Taehyung.

_ Sim. –assentiu.

_ Sim! –falei empolgado.

_ Sora, o que você fez com o Yoongi? Era pra ele dizer algo como “não posso ficar dormindo?” –Tae perguntou rindo soprado.

_ Ela não fez nada. –ri. _  Apenas estou com fome.

_ Então vamos logo. –Tae disse animado.

Me levantei da cama e fui me trocar em outro quarto. Quando voltei, eles estavam conversando sobre algum assunto aleatório, ambos trocaram de roupas, exeto Sora.  Jin e Taehyung se levantaram ao me ver e ela continuou onde estava, observando algo pela janela, parecia pensativa.

_ Sora, você não vem? –perguntei quando os dois já estavam na porta da sala e a ruiva virou-se para mim sorrindo.

_ Não. Pode ir, Yoongi. –voltou o olhar à janela.

_ Vamos logo, Hahiro. –puxei-a pela mão fazendo-a levantar e saí a puxando até a porta.

_ Pare de me chamar assim! –fez bico.

Tae POV

Fomos andando até uma pizzaria próxima de casa conversando sobre assuntos aleatórios, Sora andava ao meu lado e estava calada assim como eu, Yoongi e Jin estavam animados escolhendo a pizza que queriam antes mesmo de chegar no local.

_ Vocês dois combinam muito. –Yoongi disse olhando em nossa direção juntamente de Jin.

Sora e eu olhamos na direção deles com a mesma e expressão e foi aí que percebi que ela estava da mesma forma que eu; moletom escuro com o capuz cobrindo a cabeça e as mãos no bolso. Eu e ela nos olhamos e fizemos cara de nojo um para o outro, mas depois acabamos rindo junto dos meninos.

_ Sora, por que está tão calada? Você é sempre tão falante. –perguntei.

_ É que... é estranho andar com vocês. –sorriu fraco.

_ Estranho por que? –Seokjin se pronunciou.

_ Eu sou army. –disse séria e todos nós a olhamos com os olhos arregalados. _ O que foi? Não me olhem assim! Não sou nenhuma sasaeng.

_ Wow, é muito estranho pensar que você é nossa fã. –disse Suga.

_ Quem é seu bias? –Jin perguntou.

_ Obviamente é o Taehyung, né, Jin? –Yoongi falou como se fosse óbvio.

Olhei para ela e sorri. Abracei-a de lado mas ela me empurrou.

_ Não é o Tae, nem nenhum de vocês três. –riu.

_ Então quem é? –Jin perguntou sorrindo.

_ Podemos falar disso outra hora? –pediu e assentimos apreensivos.

Ficamos calados o restante do caminho e logo chegamos no restaurante. Sora se sentou ao meu lado, Yoongi ficou à minha frente e Jin à frente dela. Os meninos ficaram empolgados em pedir a pizza e eu e ela ficamos conversando sobre a volta no tempo que logo teríamos que repetir.

_ Tae, você não pode demorar tanto, entende? Eu não quero te pressionar, você está passando por um momento difícil e me preocupo com você, mas por favor, não demore. Não quero ter que te apressar, mas é preciso. Tenho medo que dê errado. –disse apoiando os cotovelos na mesa e o rosto entre as mãos.

_ Eu estou bem, obrigado por se preocupar. –sorri. _  Não demoraremos, prometo. Mas, existe algum tipo de prazo para fazermos isso?

_ Se existe eu não sei, mas caso exista, vocês não podem quebrá-lo. –disse séria.

_ Oh sim. Jin hyung? –chamei.

_ Sim? –disse sem desviar os olhos do cardápio.

_ Podemos ir amanhã no antigo apartamento? O Jimin morreu naquela banheira que tinha lá, não é?

_ Sim. Mas, você já está se sentindo melhor? –perguntou me olhando preocupado. Assenti sorrindo e ele devolveu o gesto.

Yoongi chamou o garçom e eles fizeram o pedido. Pedi um suco sem açúcar e Sora me olhou torto assim que o garçom chegou com as bebidas.

_ Por que não pediu um refrigerante ou algo assim como os outros? –perguntou.

_ As fãs não gostam de mim quando não estou magro.

_ Taehyung eu vou tacar esse suco na sua cabeça! Como eu odeio essas fãs coreanas! Seu idiota, elas gostam de te ver feliz, não importa o seu peso, o seu cabelo ou o que for. Você tem ideia de quantos sorrisos você é capaz de colocar em milhares de pessoas no mundo somente por ser você mesmo? Você não precisa perder peso para agradar algumas “fãs”. –fez aspas com os dedos. _ Pessoas assim  gostam de você não pelo o que você é, mas pelo seu corpo, saiba que não são fãs de verdade, elas gostam da sua aparência, não da pessoa que é. Inclusive, você não é o V no momento, não precisa se preocupar com isso nem agora, nem nunca. –terminou de dizer e deixou todos nós boquiabertos.

_ Eu nunca tinha visto as coisas por esse lado... –Yoongi se pronunciou e eu e Jin concordamos com ele.

_ Gente, sejam felizes, nós gostamos de vocês assim, não anoréxos e tristes. –sorriu e me entregou sua lata de refrigerante. _ Pegue, eu bebo o suco.

_ Mas, Sora, você não é coreana? –perguntei.

_ Existem coreanas ruivas? –perguntou em tom de deboche.

_ Claro que existem, milhares de meninas pintam o cabelo.

_ Tae, seu idiota, ela é ruiva natural. Até os cílios dela são desta cor. – Yoongi falou.

_ Ah... É verdade. É que seus olhos são um pouco puxados, não tanto como os nossos mas são. –falei.

_ Sim, meu pai é coreano. –sorriu. _ Mas eu sou da Itália.

_ Oh... –Jin disse.

_ Queria que o Jimin estivesse aqui para ter ouvido isso, ele é o que mais se preocupa com o próprio peso. –Yoongi se pronunciou.

Depois de alguns minutos a pizza chegou e ficamos comendo enquanto Jin  e Sora riam de mim e do Yoongi por não conseguirmos comer usando talheres. Sou muito acostumado a usar hashis, é difícil segurar garfo e faca. Eu acabei deixando-os escaparem das minhas mãos várias vezes resultando em dois idiotas rindo sem parar de mim.

Jin POV

Horas se passaram e finalmente resolvemos ir para casa depois de muito reclamarem que eu e Taehyung comíamos demais. Decidimos dividir a conta e pegamos o caminho de volta.

Tae estava ao meu lado e Yoongi e Sora do lado dele.

_ Vocês não estão com frio? –Tae perguntou quebrando o silêncio.

_ Um pouco. –Sora respondeu.

_ Ah! Está muito frio. –reclamou outra vez com uma pontada de tremor na voz.

_ Tae, você está batendo queixo de frio, não está tão gelado assim. –me assustei ao vê-lo se encolher no próprio moletom. _ Não está com febre?

_ Não sei... –disse e todos paramos.

_ Você está fervendo em febre! –falei ao colocar a mão em sua testa e sentir sua pele esquentar em questão de segundos minha mão que estava gélida até o momento.

_ Tem uma farmácia ali, quer que eu compre um remédio? –Yoongi perguntou.

_ Sim, vai lá, por favor.  Vou levar ele para casa, nos encontramos lá mais tarde.–falei.

_ Certo.

Yoongi pediu à Sora que fosse com ele e atravessaram a rua depois de esperar alguns carros passarem.  Tae estava tremendo e se encolhia cada vez mais. Fui tirar a blusa que usava para colocar sob seus ombros, mas ele impediu.

_ Não precisa, hyung. Você pegará um resfriado se tirar seu casaco.

_ Eu não estou com frio, não se preocupe. –sorri e ele deixou que envolvesse o tecido pouco aquecido pelo meu próprio corpo em seus braços.

Envolvi um dos braços por seus ombros mantendo-o próximo à mim e ele se aconhegou no afago em uma tentativa de amenizar o frio que sentia.

_ Seokjin?

_ Por que está me chamando de Seokjin?

_ Não sei. –riu. _ Você se lembrou de cuidar do Chim hoje?

_ Sim, por mais que aquele cachorro goste mais de você do que de mim. –riu soprado.

_ Acho que ele também se preocupou comigo, quando eu tentava parecer feliz na hora de brincar com ele, ele parecia triste por me ver daquele jeito.

_ Sempre acreditei que nossos animais de estimação se preocupam mesmo conosco. –suspirei. _ Sabe, eu tive medo de abrir a porta do seu quarto e te encontrar sem vida lá dentro...

_ O que?!

_ Você é suicida. É meio impossível descartar essa possibilidade, por mais ruim que seja imaginar.

_ Bem, na verdade, pensei várias vezes ao dia em fazer isso mesmo, mas acabei desistindo. –disse cabisbaixo.

_ Teve algum motivo para desistir?

_ Eu só tentei deixar o momento ruim de lado e me lembrar de todas os boas lembranças que tive ao lado das pessoas que amo ao longo da vida. Seria bobeira esquecer tudo de bom que já aconteceu comigo e enxergar somente as coisas ruins.

_ Concordo. –sorri.

_ Está t-tão frio... –disse tremendo e puxando mais meu casaco para si.

_  Já estamos na esquina de casa, aguente mais um pouco. –alertei e ele assentiu.

Andamos mais um pouco no meio de algumas árvores que tinham suas folhas desprendidas pelo vento e que faziam redemoínhos por vários cantos antes de chegarmos em casa. Assim que entramos, Taehyung foi para seu quarto e se encolheu nos cobertores fazendo-os ficarem em tremor por conta de seu corpo.

_ H-hyung, vem aqui. –chamou quando notou minha presença na porta do cômodo.

Fui em sua direção e me sentei  na beira da cama.

_ Você sabe que não é bom ficar enrolado em cobertores quando se está com febre, não é?

_ Sim, mas, por favor, me deixe ficar assim. –pediu fechando os olhos.

_ Tudo bem. –sorri.

O barulho da porta da sala sendo aberta ecoou pela casa e logo Yoongi e Sora apareceram no quarto com uma pílula na mão e um copo d’água. Taehyung se sentou para poder tomar e assim que o fez deitou novamente.

_ Quer que a gente fique aqui com você? –Yoongi perguntou.

_ Não precisa, Yoongi hyung. Leve a Sora para casa. –Tae disse com a voz abafada pelo cobertor que cobria sua boca.

_ Não precisa disso, Tae. –disse a ruiva sorrindo.

_ Mas está tarde. –Suga olhou-a preocupado.

_ Meninos, eu posso ir embora da mesma forma que cheguei aqui, não tem necessidade. Mas, obrigada por se preocuparem.

_ Ah, é verdade. –Yoongi riu soprado.

Sora ergueu seu corpo para alcançar Suga e cochichou algo em seu ouvido, ele sorriu e então os dois saíram do quarto dizendo que veriam um filme na sala.

_ Esses dois aí, não sei não. –Tae riu.

_ A Sora do jeito que é só arrastou o Yoongi para lá pra nós dois ficarmos sozinhos. Ela é louca.

_ Como chegou nessa conclusão?

_ Porque hoje quando estávamos abraçados no corredor eu a vi nos espiando pela fresta da porta com um sorriso bobo no rosto. –ri.

_ Ela adora me irritar com isso. –revirou os olhos.

_ Isso o que?

_ Ela fica me irritando insistindo em dizer que eu gosto de você. –suas bochechas que já estavam vermelhas pela febre esburesceram ainda mais e ele puxou o cobertor tentando esconder.

_ E você não gosta? –provoquei-o.

_ Eu não sei, sinceramente. –riu.

_ Está melhorando? –perguntei e levei meus dedos às suas madeixas bagunçadas fazendo cafuné.

_ Sim. –sorriu e fechou os olhos outra vez aproveitando o carinho. _ Jin, sabe aquele filme Edward Mãos de Tesoura?

_ Sei.

_ Você é o Hyung Mãos de Ouro.

_ Hyung Mãos de Ouro? –ri do apelido.

_ É. Você já tentou acariciar os próprios cabelos? Sério, ninguém faz isso melhor que você. –abriu os olhos novamente e as bochechas deixaram-os encolhidos pelo sorriso escondido atrás do tecido.

Eu não o respondi, apenas sorri sem graça com o elogio e continuei a alisar seus cabelos.

_ Você cuida sempre tão bem de mim, queria poder retribuir isso. –disse direcionando o olhar para os próprios pés.

_ Mas eu não estou doente para você ter que cuidar de mim.

_ Não só nesse sentido. Cuidar de uma pessoa é você querer mantê-la perto, se preocupar com mínimas coisas que ela faz, perguntar como foi o dia dela, se ela está bem. Enfim, essas coisas. Você está sempre fazendo tudo isso por mim, hyung. –falou e fez com que um sorriso surgisse nos meus lábios outra vez.

_ Você cuida de mim, Tae. Quantas vezes eu fui sair sozinho e você se preocupou com medo que eu surtasse no meio da rua e não tivesse ninguém para me ajudar ou perguntou se eu estava bem milhares de vezes mesmo que eu insistisse em dizer que sim?

_ Não foram tantas vezes... –olhou para mim.

_ Foram sim, você que não quer admitir para si mesmo. –falei e ele sorriu, dessa vez evitando esconder .

Ele sentou-se na cama e me surpreendeu ao envolver os braços cheios de hematomas pelo meu pescoço me abraçando. Seu corpo que ainda estava em temperatura alta fez um arrepio correr pela minha espinha ao chocar-se com o meu que se mantinha frio.

_ Obrigado por ser esse hyung maravilhoso que você é, Jin. –agradeceu baixinho.

_ Obrigado por ser o dongsaeng maravilhoso que é, Tae. –sussurrei e retribui o abraço enquanto sorria feito um idiota.

Taehyung se soltou do afago e selou timidamente minha bochecha, deitando-se novamente em seguida. Depois de um tempo, ele adormeceu e fui para a sala afim de ver o filme que Yoongi e Sora assistiam, mas desisti ao ver a cabeça de uma mulher ser serrada ao meio e os dois rindo e dizendo “sua idiota, eu disse que não deveria ir aí”. Então, resolvi que apenas iria dormir, mesmo que não estivesse com sono.


Notas Finais


oi aaaaa
queria me desculpar pelo lixo que ficou esse capítulo
eu tava planejando ele tão lindamente na minha cabeça, mas fui escrever e ficou essa coisa aí
desculpa também pelo título e capa lixos, eu literalmente não tenho criatividade
SIM, VAI TER YOONMIN NJKSIFVBHSJUHFVHUSIFGVD <3
enfim, comentem o que acharam e nos vemos no próximo capítulo <3
amo vocês sz
ps: prometo tentar não demorar sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...