História The Legend - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Bts, Camponeses, Fanfic De Época, Fanfics Ballonskpop, Imagine, Jeon Jungkook, Lenda, Sobrenatural, Wolf
Visualizações 230
Palavras 1.458
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Lírica, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá Flores!

Estavam com saudades de The Legend? Pois eu digo e afirmo que eu estava...

15 COMENTÁRIOS NO ÚLTIMO CAPÍTULO... 15

Sincaramente eu só tenho a agradecer ao carinho que venho ganhando com essa e minhas outras narrativas. Me sinto honrada e digna de tudo isso que me dão!

Peso perdões pela falta de banner, mas meu computador está morrendo, e não tenho como passar o phtoshop para o notebook a qual estou utilizando para atualizar minhas fics agora... Vai demorar um tempinho pra voltar a ter banner nos capítulos, mas rezem por mim pra ballons aqui conseguir comprar um pc novo!

Tenho duas indicações de múicas pra compor o capítulo:

Wires do The Neighbourhood
Warmer da Bea Miller

Essas são minhas duas indicações amores, e espero que gostem do capítulo, por que a partir daqui as coisas começam definitivamente... Como eu amo The Legend!

Beijo Flores! <3

Capítulo 4 - Promessas em Sussurros


" Os segredos poderiam se repassados durante séculos, numa orlagarquia nitidamente podrida e formada as esparrelas da superioridade, tendo como tombos constantes os tombos dados por Deus, em suas tentativas errôneas de o inferiorizar... A verdade sempre iria ao solo, segredos não poderiam ser mantidos, nunca uma fala seria guardada a sete chaves, afinal, sempre haveria um que não seguraria o fardo de tal falácia ". - Sabrina Eloi Pio.



The Legend


Promessas em Sussurros



O corpo ainda se mantinha atônito, num estado de deslocamento de alma tão recente como os acontecimentos de instantes atrás.


A velha lenda havia adquirido posse de si...


O coração se mantinha acelerado, quente e vívido, aquecendo minimante o corpo exposto ao frio da floresta que a cercava, e o sereno que já começava a cair a medida que o dia dava indícios de sua chegada, porém nada se comparava as orbes escuras como o breu acalentante de seu quarto, que não se refletia em meio aqueles olhos, tendo nítido a ferocidade e uma pitada de soberania, com um breve salpicar inebriação.


Era profundo, como o rio que se estendia e meio aos alpes, levando vida para aqueles pobres medíocres!


O vilarejo estava próximo, seu coração batia ansioso pelo avistar de tal, afinal, a segurança e meio as delimitações do povoado sucinto - ainda que assim se desviassem grotescamente da fé - não parecia ser eternamente apavorante, assim como a noite que a cercava e a voz que ecoava em sua mente, tendo como última vista, antes de seu afastar rápido e temeroso, a figura branca como a lua, e imponente como o mais grandioso e astuto guerreiro de todos os tempos, a olhando intensamente numa confirmação de suas últimas palavras. Nada parecia ser eternamente verídico, pois uma imponência não poderia se manter de maneira contínua num corpo humano frágil, pecador e requerente de orientações constantes, entretanto, aquilo que parecia ser imposto pelo criador como castigo, manteria tais características.


Não era um homem, leigo e vulnerável a prazeres decadentes, era um castigo, uma lenda praticamente indestrutível e voraz, fugia do homem envolto de falácias, se tornando matéria impactante aqueles que se desviavam...


A realidade era tão soberba quanto o próprio irreal pra jovem anciã naquele momento, sua mente pregava interrogações que pareciam gigantescas a si naquele momento, assim como o encontro que teve a instantes, ocasionado pelo simples impulso de curiosidade e liderança, ou até mesmo pelas escrituras do senhor, em um relato convicto de sua ida a lenda. Não sabia afirmar ao certo, informar a si mesma que não se tratava de um transe, ou uma idealização de todo o ocorrido, pois seu corpo era agraciado pelo sereno do inciar da manhã, que se estendia por toda floresta de maneira ainda discreta, mas sentida nitidamente pelo corpo macio, e indescritivelmente tensionado da jovem, que rapidamente se viu dentro dos limites da pequena campina.


Estava a salvo ali...


A respiração acelerada, o corpo aquecido pela corrida, e os músculos tensionados, pareciam ser problemas distantes a si, praticamente insignificantes naquele instante, a qual a jovem rumava de maneira apressada e cuidadosa a pequena cabana que pertencia a si, se deparando com o antes, véu negro que cobria a noite, quase inexistente dando liberdade ao sol de assumir seu posto natural bem ao alto do céu em toda a sua nomenclatura majestosa. A mais nova anciã, tomou a maçaneta em mãos, a girando cautelosamente afim de não alarmar qualquer camponês que fosse, e simplesmente deitar-se afim de descansar a alma de todos os acontecimentos e extremos hipérboles que pode sentir, e foi o que fez.


Assim que entrou ao quarto, se deparou com a janela que se localizava exatamente atrás de sua confortável cama, a dando a visão da bela floresta que lhe cercava, e assim que se aproximou de tal, pode ter a resposta concreta de que nada daquilo havia sido realmente uma ilusão, afinal, em meio as árvores sucintas e graciosas que limitavam sua campina, pode observar nitidamente aqueles brilhantes e profundos olhos negros, carregados de uma força contrastante a pelagem branquida ostentada sucintamente pelo animal, que a fitava de maneira dilacerante, assim como fez em seu momento de ataque.


Era profundo como o mais aterrorizante penhasco...


O corpo para congelado, mas só se mantinha num estado de surpresa e tensão, mas não em total pavor, algo impedia de mergulhar naquele olhar escuro e sentir a áurea aterrorizante passada por tais orbes, um campo invisível remendado a uma aconchegante proteção, tal essa que era respeitada pela lenda. Mesmo assim, o lobo se mantinha ali, beirando os limites, num profundo fitar a jovem anciã, que respondia em mesma medida ao olhar firme do animal, mesmo que o dela fosse banhado a curiosidade, tal essa que a impulsionou a se aproximar da janela, tendo a perfeita visão da criatura, e rapidamente sussurrou um pedido praticamente nulo para o afastamento de tal.


- Saia daqui, já sanou sua necessidade de sangue lenda... - Um suspiro cansado escapou pelos lábios carmesim da jovem mulher, a qual voltou a sussurrar. - O que mais queres de mim filho do demônio? - Um sorriso cansado, e totalmente desgostoso tomou aquela jovem face, que logo se manteve em um sereno desgostoso ao desviar o olhar para a pequena clareira, logo voltando a fitar o lobo ao receber a resposta de sua questionação, a qual veio num tom extremamente baixo, assim como sua voz, mas que demonstrava clareza.


- Eu certamente já sanei minha necessidade de sangue essa noite querida ________, mas eu queria observar o retorno seguro da minha humana, como eu disse és minha! - O tom se mantinha impassível, e teve em mesma sintonia a fala da jovem dirigida a si.


- Não sou uma marionete lenda para pertencer a ti, e sei de todos os perigos que se escondem atrás dos limites da clareira, e você é o mais temível deles! - Um sorriso de escarnio tomou a bela jovem, que fitava ainda mais cortante o lobo. - Não serei sua se findar a sua existência antes de da possível concretização de sua falácia, e tenho certeza que o matarei lentamente afim de amargar todas as que cometeu. - Uma risada extremamente incrédula tomou os ouvidos da jovem, que se manteve quieta em meio a incredulidade de suas palavras.


Não cederia ao joguinho pisicológico...


- Certamente sua afronta me atiça de diversas maneiras querida humana, e isso é deliciosamente excitante pra mim, se não fosse contra seu próprio destino, que está fadado a pertencer a mim... Eu sinto isso, e seu coração logo também irá ser louco pelo meu, só me deixe provar de seu lábios e se entregue a mim... - A breve pausa do lobo não durou muito tempo, apenas o necessário para implantar tais palavras da mente da jovem anciã, e causar um eterno maremoto na cidade sólida que era sua mente, arrastando todas as vigas e estilhaçando cada vidro que simbolizava os ideais existentes moldados de maneira límpida, que agora não passavam de cacos, e apenas cacos. - Se entregue ao inevitável, e apenas facilite aquilo que não precisa ser complicado, afinal, sei da minha convicção, e tenho certeza que esses são os planos de Deus pra ti minha bela anciã. - A voz serena acariciava os pensamentos da jovem, assim como centrifugava toda aquela confusão que se aflorava dentro de si.


Momentaneamente dava a brecha necessária, para aquelas palavras se tornarem realidade...


- Não use o nome do divino para implantar mentiras em minha mente, e tenho dito: se cruzares novamente meu caminho, não serei piedosa em findar o sangue que corre em suas veias! - O tom raivoso se mantinha nítido na voz da jovem, mesmo que fosse mascarado singelamente pelo os sussurros a qual expressava suas palavras a criatura.


O lobo ouviu atentamente cada palavra, decretando ali, o iniciar de suas novas investidas contra a jovem, mesmo que necessitasse usar dos extremos que lhe foram concedidos, para realizar suas palavras.


Se mostraria em sua forma humana se houvesse necessidade...


- Vejo que realmente será difícil colocar em sua mente que já és minha, porém serei paciente, afim, de tomá-la pra mim no final. - Com suas últimas palavras, o lobo em sua prepotencia adentrou a floresta nua rapidez sobre humana, deixando pra trás a bela anciã, em meio a seus pensamentos agora embrenhados em dúvidas. Dúvidas essas que não passavam da mais pura verdade, verdade essa que viria a tona em breve!


Afinal, o mesmo era só uma lenda a alguns dias, e se tornou realidade em meio aquela noite regada a promessas em fundos verídicos...


" Não eram apenas falsas promessas, jogadas ao vento, como as folhas de outono que cobriam meus dias escuros, eram a mais pura verdade, que refletia como a lua em seu estado completamente cheio e belo, no lago límpido e eternamente escuro ". - Sabrina Eloi Pio.


Notas Finais


O que acharam?

Espero que tenham gostado, e eu só tenho que dizer que são maravilhosas... Estou sem palavra pelos omentários passados, que vou responder amanhã!

Beijo Flores! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...