História The legend of a love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vamps
Tags Bramel
Exibições 31
Palavras 2.381
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem, boa leitura...
Será editado.

Capítulo 2 - Eu não tenho medo de você


O dia começou cedo e a casa já estava com sua rotina novamente, em um dia de sol, tudo continuava escuro, pude observar pela janela que algumas flores começavam a desabrochar, coisa improvável a acontecer pois até ontem tudo aqui era morto, as plantas mortas do quintal estavam ficando com uma aparecia um pouco mais saudável e a casa, não era mais a mesma, parecia que um espírito de esperança pairava sobre ela. 

Olho meu quarto quando Nia surge na porta.

-Bom dia - ela sorridente 

-Bom dia- falo olhando a janela novamente

Ela chega ao meu lado 

-Estão ganhando vida- eu 

-Sim, as coisas parecem estarem melhorando por aqui- 

Olho ela 

-Você nunca soube nada de algum herdeiro ?- 

Ela me olha séria. 

-não, ninguém comenta nada sobre esse assunto.-

observo ela 

-Quem é o rapaz de cabelos castanhos? -

-Cabelos castanhos?- ela fala tentando se lembrar de alguém.

-Bra... - digo tentando me lembrar do nome 

-Você se encontrou com Bradley ?-

Ela me olha assustada 

-Isso, Bradley . Ele apareceu na cozinha na noite passada- 

-Você falou com ele? - 

O olhar dela estava começando a me apavorar.

-Nia, qual o problema ? Quem é ele?-

-Mel - 

ela me puxa para sentarmos na cama.

-Em momento nenhum você pode falar com ele, me prometa isso ?-

-Nia, por quê ?- 

-ele é Bradley, o dono dessa casa, ele raramente sai do quarto andar-

-O andar proibido- eu

-Exato, você não pode ir nesse andar, e não pode falar com ele, como vocês se encontraram?-Nia

-Eu estava na cozinha e ele apareceu atrás se mim me fazendo ganhar um susto- 

-Vocês conversaram?-

-Nia, qual o problema com ele?-

-Você conhece as histórias dessa casa, Mel, só fique longe dele -

-Tudo bem -

-James quer falar com você - ela sorri 

Me troquei e fui ao encontro de James .

-Bom dia Senhor James - 

Ele me olha sorrindo 

-Bom dia Mel, me chame de James-

Sorrimos 

-O que você queria me falar 

Começamos a andar até a sala.

-Essa semana teremos visitas, e digamos que elas são de extrema importância para essa casa-

-Para o Bradley você quer dizer-

Ele me olha sério.

-Desculpe -

- Não, sem problemas, mas como você sabe do Bradley ?-

Olho os lados 

-Eu encontrei com ele na cozinha -

-Bradley na cozinha é quase mais surpreso do que você ter encontrado com ele -

-Por quê todos ganham essa reação? Ele não anda pela própria casa?- falo rindo 

-Não - James me olha sério .

-Ele fica no andar dele e não sai de lá -

-James, sem querer me meter,  eu sei que só estou temporáriamente aqui mas, o que tem naquele andar?-

-Bradley mora nele, e ele não aceita que ninguém entre nele, então ... - ele me olha sério 

-Mel,  nem eu sei o que tem lá em cima- 

Olho James e ele me pareceu sincero

-Eu sinto que posso confiar em você James- eu

-Claro que pode Mel, eu quero ser seu amigo- 

Sorrio 

-James, os herdeiros existiram ?- 

Ele sorri 

-Existiram!- 

Ele me olha

-Você certamente não leu os livros da biblioteca - 

-Não, não cheguei a ler- 

-No canto da parede da janela você vai encontrar um livro que irá falar das lendas, alguma coisa está acontecendo agora Mel, as coisas estão estranhas, essa casa está com outros ares, se você olhar ao seu redor, essa casa esta caindo Mel-

-A Onde você quer chegar? -

-Essa visita que vamos receber irá perceber essa mudança, e tem muita coisa que pode deixar Bradley encrencado-

-Por exemplo ?- 

-Bradley se priva do mundo Mel, essa visita irá perceber que a casa mudou-

-James, do que você está falando?-

-Você terá que ler as lendas e só assim me entenderá-

Concordo 

Chegamos na sala e alguns mordomos estavam ajudando Nia a por a mesa para o almoço.

-Você ficará responsável por organizar essa reunião, não se esqueça nada pode parecer diferente-

-Eu vou observar as coisas que vocês usam e não vou modificar nada-

-Nia pode te ajudar com as coisas e ela sabe que teremos grandes convidados - 

-Vai ser uma honra senhor James- Nia

James sorri para ela e eles se olham, sorrio com o olhar dos dois.

-Você pode sair com a Nia para comprar alguma coisa- 

-Posso?-

-Pode !-

-Não, não pode!- 

Uma voz, fez a casa ficar silenciosa e todos pararem o que estavam fazendo, os olhos de James foram para a pessoa atrás de mim que supostamente estaria nas escadas.

 James me olha e eu me viro lentamente até ver Bradley parado nos olhando.

-Bom dia Bradley- James

Ele vem na nossa direção.

-James você sabe que ninguém sai dessa casa- 

Eles se encaram e eu vou um pouco para trás, Bradley tinha uma fúria nos olhos e a maneira que olhava para James, não era nada muito... amigável.

-Bradley você sabe que eles virão essa semana- James 

-Ninguém sai dessa casa- Bradley 

James bufa e eu vejo Nia olhando em nossa direção.

Olho os olhos apavorados dela e a maneira que ela me olhava não me deixou muito confortável. 

-Eu não quero ninguém fora dessa casa- Bradley 

James concorda mas com raiva

-Senhor Bradley... -Eu 

-Mel... Não - Nia 

Olho Bradley e  ele me olha com os olhos cheios de raiva.

-James tem razão, bom... Se o senhor não quer que ninguém que trabalha na casa, saia dela, quem sabe eu possa sair, só precisamos do que o James decidir e eu me responsabilizo...

-Você sair daqui ?- ele riu pelo nariz 

-Você é a primeira que se encaixa na regra, Não saia da casa- ele fala tão sério, o tom de sua voz era rígido.

Ele se afasta e começa a subir as escadas.

-Por que não posso sair? Qual o problema em sair daqui ? E quem o senhor acha que é para dizer se eu posso ou não sair?- 

Por um momento eu sinto meu corpo gelar e uma ponta de medo surgir, Nia sussurra um" Mel", olho ela, que está com os olhos arregalados assim como os mordomos, o olhar de James parou sobre mim e Bradley que parou de subir as escadas.

Deixei meu olhar firme e fiquei olhando ele que se virava lentamente.

-Como ?-  ele me olhou com os olhos mais vermelhos do que o normal.

Senti meu sangue parar em minhas veias.

-Só estou tentando entender, por que não posso sair e fazer o que James quer- falo olhando ele 

Ele começa a descer as escadas e Nia me olha aflita.

Ele vem se aproximando com o olhar frio em mim. Eu não iria abaixar o meu dele, ele se aproxima eu me aproximei também, logo estávamos frente a frente, a respiração dele era pesada, já a minha...

-Senhorita...?

- Stewart- Eu 

Olho diretamente nos olhos dele.

-O dono dessa casa sou eu, as regras são minhas, e a senhorita não vai muda-las -

Me aproximo um pouco mais dele.

-Eu não quero muda-las- falo olhando nos olhos dele.

-Quero fazer essa reunião, que julgo ser importante para o senhor-

-Você não sai da casa-

-Eu saio da casa!- 

-Não tente desrespeitar uma regra minha Senhorita- 

-Ou o que ? Você vai sumir comigo como um herdeiro fez quando uma jovem pisou no terreno da casa? -

Eu pude escutar os dentes dele se trincando, o olhar dele cheio de raiva agora me fuzilava.

Ele faz nossos corpos colarem e sussurra em meu ouvido.

-Não duvide, eu posso fazer pior do que sumir com você, não me provoque, e não tente passar por mim-

Meu corpo tremeu quando ele voltou a me olhar, com passos pequenos ele se afastou com um olhar de satisfeito.

-Eu não tenho medo de você- falei baixo 

-Então vai aprender a ter - 

Ele me olhou tão intensamente que meu corpo amoleceu e eu tive um flash novamente .

 "- Solte ela 

-Cale a boca

Ele corria com ela nos braços pela chuva.

-Você vai pagar caro

Ele olhou ela que sorria,colocou a jovem no chão, os dois começaram a correr pelo jardim enquanto a chuva e trovões caiam intensamente, a jovem olhou para a mulher na porta da casa e eu não consegui ver o rosto dela"

  Todos me olhavam apavorados, olho Bradley nos olhos e ele me olhava sério mas se perguntando o que estava acontecendo.

Sinto meu corpo cair e tudo ficar escuro.

   

 

               **   Narrador **

 

-Mel- Nia corre até Mel que desmaia na frente de Bradley, ela se abaixou ao lado da jovem.

-Bradley, ela só quer sair para comprar o que precisamos - James

-Ela não sai da casa, James -Bradley  Ele olha Mel que agora estava com a cabeça apoiada  nas pernas de Nia.

-Mel - Nia tentava acordar ela .

Bradley à olha mas volta a subir as escadas.

-James, me ajude - Nia

Os dois pegaram Mel e levaram ela para seu quarto.

-Precisa de alguma coisa?- James 

-Não, logo ela irá acordar-

-Nia qualquer coisa avise-

Nia concorda e abre um sorriso fraco.

-Em todos esses anos eu nunca vi ninguém falar assim com Bradley- Nia

James sorri 

-Digamos que ele achou uma concorrente agora, vamos ver onde isso ira dar- ele sorri fraco 

-Será que?- 

-Não, ele não está mais como antes Nia,  alguma coisa está acontecendo com o Bradley-

Os dois se olham sérios e logo Nia começa a cuidar de Mel.

Durante a tarde nenhum sinal de Mel, no início da noite ela acorda, sozinha no quarto ela começa a olhar as janelas percebendo que já era tarde e que a casa deveria estar toda dormindo.

Ela se levanta e vai até o corredor, chegando na escada ela observa as escadas que levavam ao andar de Bradley, um estrondo surge o que faz ela querer subir e ver o que aconteceu.

A curiosidade bateu mais forte e ela devagar começou a subir as escadas que acabaram em um longo corredor com aproximadamente 6 portas.

Ela começou a caminhar pelo corredor que no final escondia uma grande porta.

Ela se aproximou da porta e pode escutar a voz de Bradley que conversava com alguém.

Ela abriu uma greta na porta e pode ver ele.

Ele andava de um lado para o outro, parecendo preocupado até que em segundos ele olha para a porta e fixa o olhar nela. 

Mel sentiu seu corpo tremer e ele continuava olhando a garota.

No ato que ela fechou a porta e saiu correndo pelo corredor a porta foi aberta. O corpo dela estremeceu ao escutar a porta bater, sem segundos ele agarrou ela pelos braços, virando a garota para ele.

Os dois se olhavam nos olhos, a respiração pesada de Mel batendo no rosto de Bradley.

-Você está me machucando- Mel fala tentando soltar as mãos de Bradley dos braços dela.

-O que você está fazendo aqui em cima? -

Ele olha ela nos olhos

-Me solta - 

-Caso ninguém te avisou esse andar é proibido - 

Ele começa a arrastar a garota pelo corredor.

-Bradley me solta- ela aumenta o tom de voz o que faz ele parar de andar e olhar ela.

-Presta atenção pois eu só vou falar uma vez- 

Ele se aproxima dela.

-Eu mando nessa casa, e você trabalha para mim, e eu não sei por quê já que você não tem utilidade nenhuma nessa casa, então é bom você começar a seguir as regras dessa casa, e esse andar é proibido, então comece a seguir as ordens e se por no seu lugar - 

-Quem você pensa que é para falar comigo assim ?- 

Ela puxa o braço.

-Eu não preciso dessa droga de cargo nessa casa idiota que você julga ser sua - 

Eles se olham agora com raiva, ela se aproxima dele e olhando nos olhos ela fala 

-Você não manda em mim -

Ele respira fundo e sorri para Mel.

-Você não tem noção de com quem está falando não é ?- 

-Se alguém responde-se a droga das minhas perguntas garanto que eu saberia-

-E quais são as suas perguntas senhorita Mel ?-

-A primeira é por quê essa casa está caindo aos pedaços ? O jardim está morrendo e além do muro tudo está vivo, as noites são sombrias e por qual motivo vocês tem tantos livros se eu nunca vejo ninguém na biblioteca? E você qual o seu problema? Se tranca em um andar quando tem uma mansão para morar-

Ele se vira e olha a janela.

-Você não precisa saber o por quê você só trabalha para essa casa-

-Então senhor Bradley, já que não posso saber, espero que seus convidados me respondam -

Ele se vira imediatamente e ela começa a andar até as escadas.

Ele puxa ela novamente.

-Não me enfrente mais na frente de quem trabalha para mim Senhorita-

-Eu já disse que não tenho medo de ser despedida, e não tenho medo de você - 

Eles se olham.

-O que você teve quando desmaiou?-

-Você não precisa saber o porque, eu só trabalho aqui, não tenho que dar explicações há ninguém- 

-Eu sou seu patrão - 

-Não devo minha vida à você- 

-Isso é o que você pensa- ele sussurra baixo ficando sombriu novamente.

-Não volte a esse andar - ele 

-Acredite, amanhã você não me verá nessa casa- 

Ele sorri 

-Esta pensando em sair da casa ?-

-Estou me demitindo -

-Então tente sair -

-Nada me impede -

- Nem uma chuva ?- 

-Não está chov...

Uma horrível tempestade começa a cair fazendo tudo o que estava fora da casa desabar com a força da casa gotas.

-Boa sorte - Bradley 

-O que ? Como ? Qual o seu problema ?-

-Você é o meu problema senhorita Mel -

-Então elimine seu problema Senhor Bradley -

-Adoraria matar você, mas preciso de você viva por mais três milênios -

Bradley se vira e começa a andar até a porta de seu quarto .

-Boa noite Senhorita, aprecie a chuva-

Ele sorri cínico para ela e fecha a porta deixando ela olhando o corredor escuro, deixando a garota com perguntas e mais perguntas, e agora tentando entender a frase de Bradley.

Por quê ele precisa dela viva por mais três milênios ?

 

 

  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...