História The legend of a love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vamps
Tags Bramel
Exibições 37
Palavras 3.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - The Wall


 

 

 

 

 

 Aos poucos enquanto a luz entrava no quarto, fui abrindo meus olhos e vendo a janela ao meu lado. O sol brilhava do lado de fora mostrando um novo dia começar.

Olho o quarto em minha volta me lembrando da noite passada, Frainer... a noite, as janelas e... Bradley.

Me sento em minha cama e observo minhas mãos, vendo que a mancha que eu tenho em meu pulso está ficando mais escura, deixando ainda mais visível o formato de uma lua minguante. Lembro me das cartas que guardei na gaveta, me levanto e vou até a cômoda.

Antes de abrir a gaveta, pude escutar uma voz chamando meu nome, olho a porta que estava fechada, passo meus olhos pelo quarto percebendo que estou sozinha.

Novamente escuto uma voz chamando por mim, eu posso estar ficando louca? 

   Encosto me na cômoda e tento ver da onde a voz está saindo, olho a janela e me aproximo.

-Você pode ver a porta- 

Olho para trás e ninguém está comigo.

- Quem está aí? - 

-Você precisa ver a porta entre os muros-

Volto a olhar o quarto.

-Não esqueça da porta- 

E nesse exato momento meu copo estourou em mil pedaços me fazendo gritar.

A porta foi escancarada segundos depois.

-O que aconteceu?- James 

Olho ele assustada e ele olha os cacos no chão.

-James... eu estou ficando louca- 

Corro na direção dele, que me abraça.

-Eu estou... eu ouvi vozes James... eu... - Olho ele 

-Eu quero sair dessa casa- 

Ele arregala os olhos 

-Mel ?- Nia 

Me solto de James 

-Nia, eu quero sair, não posso mais ficar aqui, eu... eu estou ficando maluca- 

Pude ver Nia olhar James.

-O que aconteceu?- Nia

-Uma voz estranha começou a falar comigo... eu quero sair dessa casa, não tenho nada haver com vocês- Me viro para James 

-Eu peço minha demissão, James- 

-Mel, se acalme, o que aconteceu? -Nia 

-Nia, eu estou ganhando manchas em formatos de luas, vozes estão surgindo, pessoas falando de maldições...-

Nisso Bradley aparece na porta fazendo meu olhar encontrar o dele.

-Janelas explodindo assim como copos...- ele se aproxima.

- a culpa é sua - Falo apontando para ele.

-Você está me deixando maluca seu idiota- 

Me aproximo dele.

-O que você... - Caio no choro.

-Mel - James se aproxima de mim 

-Não toca em mim- 

Falo olhando para ele.

-Vocês são malucos... malucos- 

Me afasto deles aos poucos.

- O que aconteceu?- Bradley 

Me sento na janela e olho o muro.

Começo a passar meus olhos pelo jardim até ver uma mulher toda de preto.

Ela me olhou tão intensamente, começo a acompanhar ela com os olhos. Ela caminhou até o muro e entre as plantas abriu uma porta e me olhou.

Ela aponta para a entrada e desaparece.

" Você precisa abrir a porta " 

Novamente uma voz em minha cabeça surge.

-NÃO- grito 

Me levantando e me afasto da janela até esbarrar em alguém.

Bradley me olha com os olhos arregalados, me segurando pelos braços.

-Não... Não vou - 

-Mel - Nia

Coloco a mão em meus ouvidos tentando parar de escutar todos ao meu redor.

Pude ver James olhar Bradley, Nia se aproxima de mim.

-O que aconteceu?- Nia

Ela coloca a mão em minha testa.

-A febre está alta- Nia 

-Delírios?- Bradley 

-Vamos acreditar e esperar que seja isso!-Nia

-O que?- eu 

-Eu... eu não estou delirando- 

-Nós sabemos disso, Mel- James 

Bradley me olha e aos poucos me solta.

-Eu quero sair daqui- Falo olhando nos olhos dele.

Ele me olha por segundos, que mais pareceram horas.

-Por favor, ninguém saberá do que vi aqui- 

Olho nos olhos dele.

Ele me olha e sai do quarto.

Olho James até sentir minha visão ficar totalmente preta...

 

  Abro os olhos e me vejo em meu quarto, coloco a mão em minha testa. 

Eu estava em delírios? 

Troco de roupa e desço até a sala.

No corredor não pude evitar de escutar James conversando com Bradley.

 

-O que vamos fazer? As coisas estão diferentes Bradley- 

-Você acha que eu não estou preocupado? Ela ganha as manchas da lua, isso não é normal,James - 

-Quantas são? - 

-Quatro, temos quatro fases, esse é o tempo- Bradley 

-Bradley... Ela está... mudando -

-James... A Mel está ganhando poderes que ninguém imagina que existem, isso pode derrotar Frainer e isso me preocupa- Bradley 

 

-Você diz que...A Mel é uma das filhas?  Uma das filhas da lua?- 

O que? 

Me afasto da porta e vou até a cozinha.

Filha da lua?  Derrotar Frainer ? 

-Mel- 

Me viro com o susto na direção da voz.

-Nia, que susto...-

Ela sorri

-Se sente melhor?- 

-Sim- 

Analiso Nia e me pergunto o que ela sabe sobre essas histórias.

-Logo o jantar será servido- 

-Jantar? Por quantas horas eu dormi?- 

-Você dormiu por dois dias- 

-O que?- 

Ela sorri e sai. 

Volto para a sala e olho a janela com a lua brilhando ao lado de fora.

Olho os muros até que...

"Venha Mel... eu posso te ajudar" 

Olho para trás e não vejo ninguém.

"Você precisa abrir a porta" 

Me aproximo da porta de entrada e escuto alguém descendo as escadas. Tiro a mão da maçaneta.

-Mel? Algum problema ?- James 

Me viro para ele e vejo ele junto com Bradley.

Faço que não e  me afasto da porta.

Bradley me olhou e eu me sentei.

-Vamos jantar?- Nia 

Fomos até a mesa e tudo aconteceu em silêncio.

-Outra reunião foi marcada Bradley- Nia 

Tudo o que se escutou foi o barulho dos talheres de Bradley.

-Frainer?- Bradley

-Sim- Nia 

-O que ela quer dessa vez?- Bradley 

Olho as flores sobre a mesa e uma visão surge.

 

 "Você está pronto Bradley? Novamente estamos aqui- Frainer parecia mais nova 

-Você não vai conseguir Fraine- Bradley 

Frainer sorri 

-Eu já consegui, ela está morta - 

E nisso Bradley olha uma mulher deitada no chão com um frasco na mão.

-Não... Não -

-Você nunca vai se livrar dessa maldição e nunca terá sua amada Bradley - Frainer 

Ela se abaixa perto de Bradley que agora tinha no colo o corpo da mulher morta.

-Ela sempre morre no final - Frainer sorrindo 

Em um borrão eu vi o rosto da mulher junto com lágrimas do Bradley. A mulher era... eu"

 

Aperto meus olhos e olho na direção deles, que me olhavam atentos.

-Mel? - Nia -O que você viu ?- 

Olho ela com os olhos arregalados.

-Por que ela sempre morre no final?- 

Pergunto olhando Bradley.

-Por que você deixa ela morrer? Por que eu me vejo morta... ao seu lado ?-

Ele me olha assustado 

-Mel... Foi isso o que você viu?- James 

-Precisamos de uma vidente - Nia -Urgentemente -

Bradley olha Nia 

Me levanto e eles me olham.

-Vocês são... loucos - 

Vou em direção a porta e abro, dando de cara com o jardim e o muro que rondava a casa.

Fecho a porta atrás de mim, e começo a correr pelo gramado, a Luz da lua parecia me guiar e iluminar, me dando forças.

Me jogo na grama sentindo o brilho do luar em minha pele.

Olho o céu que estava sem estrelas.

O que está acontecendo comigo? Onde eu estou? 

Me permito chorar, deixando as lágrimas escorrerem pelo meu rosto me dando uma sensação de alívio.

Me sento e olho o muro, olho a casa que estava com as luzes apagadas exceto o quarto andar...

Me levanto e vou ate o ponto que a janela de meu quarto me dava vista.

Tento me lembrar do que a mulher falou e mostrou.

Vou me aproximando do muro passando a mão pelas pequenas plantas agarradas nele , até que em uma parte as folhas eram ocas. Me afasto e olho o muro, passo a mão  pela parte oca até achar uma tranca.

Eu não estava louca, a porta existe !

Coloco a mão na tranca e a porta se abre com um ranger, consigo ver o outro lado.

Abro mais a porta, a neblina do outro lado quase me fez querer voltar.

"Entre" 

A voz voltará em minha cabeça.

Olho para trás, entro.

A porta se trancou atrás de mim, uma trilha iria dar em algum lugar, um caminho entre arbustos.

Começo a caminhar e em menos de dez passos meu corpo tremeu com a cena em minha frente.

A neblina pairava sobre um antigo cemitério , um trilho com pedras levava até um mausoléu no meio do pátio.

Sinto meu coração bater.

"Bem vinda querida" 

Olho ao meu redor.

"Não se preocupe, sou sua amiga, quero te ajudar, siga a lua " 

Olho para a luz da lua sobre as pedras que indicavam o mausoléu.

"Siga a lua" 

Respiro fundo e começo a caminhar, olho os túmulos, aparentemente são da família dona da casa. Chego a porta do mausoléu, que se abriu sozinha.

"Esta pronta?"

"Quem está aí? " 

Até que alguém toca meu ombro me fazendo gritar e me virar.

Olho assustada a mulher de preto atrás de mim, ela sorri para mim.

-Desculpe o susto, não era minha intenção-

-Quem é você?- 

Ela sorri 

-Me chame de Luz-

-O que você quer comigo? Que lugar é esse?-

-Não fique com medo, sou enviada para te ajudar, sou sua protetora- 

-Minha protetora?-

-Você sabe da maldição? - 

Faço que não 

-Quer conversar? Seu destino depende dela-

-Você irá me contar tudo sobre ela?- 

-Eu, tudo não posso, mas uma coisa pode- 

-Uma coisa?- 

Ela vai até a porta e faz sinal para eu entrar.

Olho ela .

Ela tinha cabelos vermelhos, pele tão clara feito uma estrela, o vestido longo preto com uma capa preta tampando seus olhos.

Entro e ela vem atrás de mim.

-Vamos até a biblioteca-

-Você mora aqui ? Em um cemitério?-

Ela sorri 

-Sim- 

Meu corpo se arrepia.

Ela abre uma porta e uma sala repleta de livros surge, ela indica a poltrona no centro e eu me sento.

-Me diga, o que você sabe-

Ela se senta em minha frente.

-Não sei, eu... eu estou louca, estou em um cemitério falando com uma... morta?- 

Ela sorri 

-Uma feiticeira- 

- ah... ótimo, melhorou muito- 

-Mel, você não está louca, eu sou real, isso é real, a maldição é real, isso tudo é seu- 

-Meu? Eu nem sei do que estamos falando, como pode ser meu ?- 

- Você teve um encontro com Frainer certo?- 

Concordo 

-E Bradley? -

Ela me olha nos olhos.

-Não posso olhar para ele, quando Frainer estiver perto -

-E por que?- 

Olho ela 

-Gostaria de saber isso também-

Ela sorri 

-Você quer saber sua verdadeira história então? - 

-Eu quero saber por que estou aqui e o que eu tenho - 

Ela sorri e se levanta indo até um calendário.

-A milênios atrás, uma jovem se apaixonou por um homem, um homem tão poderoso, que tinha o poder do céu e da terra nas mãos, em uma noite os dois se encontraram e finalmente ficaram juntos, jurando estarem apaixonados, um amor começou ali, entanto, uma segunda jovem apareceu na história. Em uma noite, enquanto o homem na cidade aguardava sua namorada, os dois se encontraram, e desse dia em diante nada mais foi o mesmo, a rotina dos dois era tão ligada que encontros por acasos estavam se tornando presentes no dia a dia.

O homem prestes a noivar com sua amada, encontra essa jovem uma vez em uma floresta muito perto daqui, os dois finalmente se encontram, e o inesperado aconteceu, a atração entre os dois era tão forte, que nada pode separar eles durante aquela noite, que não foi a única, disposto a desistir da noiva, o homem perdidamente apaixonado, prometeu um amor eterno a jovem, deixando da noiva no dia seguinte, e foi ali que uma maldição começou.

A mãe da noiva, uma das maiores feiticeiras  das dores e dos males, rogou uma maldição no homem e na jovem, devido ao coração partido da filha. 

Uma maldição terrível.

O homem pagaria pelo que fez, vendo que sua amada não era como ele, não tinha sua eternidade, não tinha nada apenas o amor dele. Ele teria que salva - lá ou quebrar a maldição que era a morte da jovem.

Em forma do homem pagar pela dor da filha da feiticeira, veria sua amada morrer todos os séculos, sem nenhum modo de volta, a maldição se estende até os dias de hoje, ele viu seu amor morrer por milhares de anos e nunca pode evitar, tento o coração partido da pior forma. Até que em um século, o improvável aconteceu, a jovem que sempre tem a mesma alma, sabendo da maldição, matou seu amado com uma facada no coração, e depois com a mesma faca, se matou. Esse homem é conhecido como um herdeiro, o herdeiro da maldição.-

 

Ela me olha 

-Você está me dizendo que... O Bradley é um herdeiro ?- 

-Eu ainda não terminei...

 

 A alma dos dois está destinada em todas as vidas a se encontrarem, a eternidade de um espera a volta do outro, sendo ligados desde o primeiro suspiro da amada, a maldição se recomeça com o nascer dela, mas... Com a morte do homem pela jovem, os rumos mudaram, uma chance de acabar com essa maldição veio a tona. 

A jovem não nasceu durante dois séculos depois da morte dele. E a próxima vinda dela pela coragem, seria mais forte, presenteada com a lua, a única maneira de acabar com a maldição seria uma verdadeira filha da Lua, nascer como a jovem, tão poderosa que poderia derrotar todas as feiticeiras, uma ameaça à todas, principalmente aquela que rogou a maldição.

A verdadeira filha da Lua, carrega com sigo uma prova, que ameaça a feiticeira das dores, uma macha no pulso com os ciclos da lua, tornando o prazo da maldição, a cada nova mancha uma amostra que o tempo está se esgotando, e que o dia da maldição está perto, com poderes tão especiais, uma atração tão forte com o herdeiro, que juntos com os poderes de cada um deles, são capazes de derrotar a feiticeira, mas a Filha da lua, é procurada por ela e com o juramento de morte, a feiticeira faz com que a jovem conclua a maldição todos os milênios, morrendo nos braços do herdeiro.-

Ela sorri para mim 

 

-Você... Quer dizer que ... eu ? Eu sou a filha da lua? Eu tenho que salvar o Bradley dessa maldição?  O Bradley é um herdeiro ? -

Me levanto e ela também.

-Você é mais especial do que imagina Mel, tem poderes jamais visto por nenhuma feiticeira, você é uma de nós, só que... Você é a filha da Lua, com poderes de controlar o tempo, as pessoas e os feitiços, você é a escolhida para acabar com a maldição-

 

-Luz... eu não posso, eu... eu não sou apaixonada pelo Bradley - Falo sorrindo 

-Você não era apaixonada pelo Bradley, a partir do momento que você descobrir seu verdadeiro eu, tudo vem a tona, seus poderes, seu amor e a maldição -

 

-Luz... eu não posso-

-Você quer provar ? Você tem magia Mel, você é a criatura mais poderosa que pode existir, você nasceu para derrotar  a Frainer-

 

Olho ela 

-Você pode ver?- 

Ela aponta para a janela, e nesse momento eu vejo os espíritos das pessoas, uns com os outros.

Meu corpo treme.

-Eles esperam por você, todos amaldiçoados por Frainer, aguardam a Filha da Lua- 

Olho ela 

-Eu vou te ajudar a descobrir seus poderes, vou te ensinar tudo o que você precisa saber para quando o dia chegar, você não caia nas magias  dela, não podemos ter você morta Mel...

-Luz? Por que você. .. Ficou tensa?- 

-Essa é a última chance do Bradley te salvar, caso contrário, ele será morto e perderá os encantos, Mel... A morte de um mago, não trás coisas boas a ninguém, Bradley não pode morrer- 

-O que... aconteceria?- 

-Um ciclo, a filha da Lua estaria nas mãos da Frainer, com o herdeiro morto, você perde seus poderes, e não tem como salvar o herdeiro sem lutar com Frainer, você seria eternamente prisioneira dela, e Bradley morreria da mesma maneira todos os anos, na sua frente e por sua causa, ela tem domínio sobre as emoções Mel, ela vive de corações partidos, essa é a fonte das forças dela, sem um coração partido ela perde os poderes, entende agora porque você e  ele não podem morrer?- 

-Sim... Mas, eu nunca amei ele- 

-Não se preocupe, isso é mais forte que você, e agora vira a tona, você está preparada? - 

 

-Eu não quero mais isso, se eu acabar com isso, tenho minha vida de volta? -

-como você desejar!- 

Ela sorri 

Olho a janela.

-Então... A mulher morta no colo dele, nas minhas visões, sou eu?- 

Ela me olha 

-Sim, Você morre todas as vezes por amor, das maneiras mais profundas possíveis-

Volto a olhar a janela.

-Eu quero sair daqui -

-Vou te levar de volta a casa-

Concordo.

Começo a caminhar até avistar o muro.

-Mel, Obrigada por concordar em salvar todos nós- 

Olho ela nós  olhos

-Vocês não merecem pagar pelos nossos erros- 

Ela sorri 

-Agora eu percebo porque todos achavam que você era de fato a filha da lua, ninguém pensaria assim-

Sorrimos fraco, ela abre a porta e eu volto a ver a casa.

-Tudo vai ficar mais claro com o tempo, confie em mim- Luz 

Concordo e saio. Fecho a porta e começo a correr pelo gramado sentindo minhas lágrimas.

Magia? Poder? Maldição?  Amor ?

Me deito na grama me encolhendo deixando tudo sair de mim, eu estou louca.

Sinto meu pulso arder, rapidamente paro os olhos nele e vejo uma nova forma de lua se formar... 

Me sento e passo a mão em minha bochecha.

-Eu quero voltar a ser normal - 

Grito para o céu.

-Você pode sair da casa... Ir embora - 

Me levanto e olho para trás com a voz.

Vejo Bradley me olhando, rapidamente seco minhas lágrimas.

-Eu estava evitando, que você soubesse de tudo, desdo início eu soube que você era a filha da Lua, não vou te obrigar a ficar  você pode ir embora-

Ele se aproxima de mim.

-Eu não queria que você passasse por isso novamente, todos os anos esperando a volta disso tudo, os milênios são dolorosos-

-Não vou sair daqui, tem pessoas sofrendo por conta de um erro seu Bradley- 

-Eu sei, você acha que eu já não tentei evitar  com que elas se prejudiquem ainda mais? Eu criei antídotos para tudo , para evitar a sua morte de todos os tipos, eu passei séculos esperando o fim disso tudo, você não é a única que quer sair disso-

-Quem foi a feiticeira ?- 

-Frainer, logicamente- 

- e a filha?- 

Ele me olha nos olhos.

-Crystal - 

Olho os lados sentindo um sentimento estranho sobre meu corpo, uma mistura de ódio e raiva, começo a olhar o chão sem entender o que está acontecendo até eu fechar meus olhos com força e escutar alguma coisa explodir em mil pedaços e queimar em chamas atrás de nós.

Abro meus olhos sem entender o que aconteceu.

Bradley me olhava assustado.

Começo a sentir meu coração acelerar, olho  um arbusto em chamas atrás de nós, a lua brilhava assim como minhas manchas, olho minhas mãos tremendo.

-Mel... - 

Olho Bradley 

-O que eu fiz? - 

-Você tem que controlar seus sentimentos, o que você sente resulta em alguma coisa, por isso os vidros explodiam quando nos olhávamos- 

Olho ao redor.

Minhas mãos continuavam tremendo.

-São suas magias querendo sair - 

Ele pega em meu pulso.

-Me solta - Me afasto dele 

-Não toca em mim, fica longe de mim- 

Volto a chorar, com todas as informações caindo em minha consciência, meu mundo para.

Olho minhas mãos novamente, olho Bradley .

-Mel- 

Ele se aproxima.

-NÃO- 

No movimento que eu abaixo minhas mãos outro arbusto começa a queimar.

Olho as chamas e mais lágrimas.

Bradley vem na minha direção e em segundos me derruba no chão segurando minhas mãos sobre meus ombros.

-Se você apontar suas mãos para qualquer coisa quando estiver assim, elas explodem-

Ele me olha nos olhos.

Outra lágrima cai.

Sinto ele soltando minhas mãos aos poucos e o olhar dele no meu.

A luz da lua ficou mais forte sobre nós, meu pulso ganhou um brilho maior, meu coração disparou assim que senti os lábios de Bradley nos meus.

Tudo o que se escutou foi os vidros do último andar explodirem.


Notas Finais


O que estão achando ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...