História The lie of a killer - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Personagens Originais, Ravi
Tags Drama, Hakyeon, Hongbin, Hyuk, Ken, Lemon, Leo, Ravi, Romance, Sexo, Shoujo, Visual Novel, Vixx
Exibições 82
Palavras 3.386
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


boa leitura <3

Capítulo 28 - Extra pt1


[7 janeiro quarta 22:00pm]  

 

A neve já havia ido embora, sem deixar rastros e levando consigo toda dor de uma cidade inteira. Já era noite e um certo policial estava em seu turno, acompanhado de três de seus parceiros, estavam rondando as ruas do centro de Seoul, como sempre. Nada de anormal acontecia a tempos, as vezes assaltos e brigas de rua, mas nada com que os policiais não pudessem lidar. Durante seu turno tudo estava calmo e parecia que continuaria assim a noite toda, foi quando o mais novo dali disse que iria para casa, aliás, estava com uma folga atrasada e já se sentia na obrigação de cobrar isso. Foi até a delegacia e trocou de roupa, pegou sua mochila e foi até um prédio não muito longe dali. Entrou e após falar com a recepcionista do local se dirigiu a uma porta no final do corredor. Bateu na tal porta a sua frente e não demorou para que quem estivesse do lado de dentro a abrisse. Entrou e a primeira pessoa que viu foi um loiro com alguns livros nas mãos, tentava equilibra-los enquanto abria a porta com sua mão direita. 

- Vejo que estão ocupados – Disse Hongbin ao finalmente avistar Jung Taekwoon com mais livros sobre sua mesa, ele parecia concentrado, estava com o cenho franzido e com as mãos cruzadas. - O que estão fazendo? - Perguntou o moreno entrando na sala e afagando os fios do loiro a sua frente e então indo em direção a Jung, que coçou a cabeça e deixou com que uma expressão frustrada surgisse lentamente em seu rosto. 

- Leo hyung está me ajudando a estudar - O jovem fechou a porta e guardou os livros que estavam em suas mãos em sua mochila. As provas finais de Hyuk estavam chegando e estavam cada vez mais difíceis, mas sempre que podia seu hyung o ajudava, até por que Hyuk havia conseguido o queria, estava cursando direito, área a qual o mais velho conhecia bem. Taekwoon se sentia cada vez mais orgulhoso do jovem, era esforçado tanto no trabalho quando nos estudos. Jung sentia que cada centavo que gastava com material escolar, livros e as outras despesas da faculdade estavam realmente valendo a pena. - Minhas provas estão chegando e tenho medo de ir mal. - Os mais velhos ali acabaram soltando uma risada abafada a qual o mais novo não havia entendido. - O que? 

- Não acha que está se cobrando demais? Você mal respira e está sempre com a cara enfiada em um livro, sempre tira boas notas e ainda assim está com medo de ir mal – O policial se aproximou e abraçou o garoto com uma certa força, o fazendo reclamar. - Não se preocupe, vai se sair bem. 

- Eu tenho que me sair bem – Lee continuava curioso com o que Jung estava lendo, parecia confuso enquanto mantinha seus olhos naquele livro de capa vermelha.  

- O que está lendo, Taekwoon? Não parece ser algo relacionado a direito, estou certo? - O mais velho suspirou e olhou para o loiro, que começou a rir e então olhou para Hongbin. 

- Ele está lendo um romance – O mais novo pegou sua mochila e a colocou em seu ombro esquerdo – Hyung disse que era muito inteligente e que poderia me ajudar a estudar, mas se ele é inteligente como diz, deve ser capaz de entender um romance do século XIX, estou certo? 

- Errado, não tem como entender isso – Fechou o livro e respirou fundo, arrumando algumas papeladas que estavam espalhadas ali. - O romance é algo bem mais complicado do que qualquer matéria escolar, Hyuk – Jung sorriu e com uma de suas mãos estendeu o livro e devolveu ao garoto. - Nem mesmo eu consigo entender algo assim. 

 - "Nem mesmo eu"? O quão convencido você consegue ser, Taekwoon?  

- O suficiente, Hongbin. Agora vão, eu vou ficar um pouco, ainda tenho trabalho a fazer – Hyuk se aproximou do mais velho e após dizer um "Não trabalhe muito", saiu de mãos dadas com o moreno, que o guiou até seu carro para que pudesse leva-lo para casa. Estava demorando mais que o normal, mas o loiro não havia sequer percebido, dormiu o caminho todo, estava realmente muito cansado. Enquanto Hongbin dirigia, sempre dava um jeito de olhar o loiro e as vezes tocar levemente seu rosto para ter certeza de que ele estava mesmo dormindo. 

- Hyuk, acorde – O policial tocou seu ombro, mas não obteve resposta. Estava com pena de ter que acordar o mais novo, então saiu do carro e pegou o outro no colo, o levando com cuidado para dentro. O deitou em sua cama, tirou sua camisa e colocou uma sua. Também tirou a calça jeans que o garoto usava e colocou uma de moletom do mesmo que havia dentro de sua mochila. - Quando ele acordar, vai me matar – Sussurrou ao dobrar as roupas que a pouco estavam no corpo do jovem e logo as colocou e seu guarda-roupa. Foi tomar banho e não demorou para que voltasse para o quarto. Estava usando apenas um moletom parecido com o que colocara em seu namorado, seu abdômen estava amostra e algumas gostas de água ainda escorriam ali. Se deitou ao lado do loiro, mas não para dormir, apenas se virou para ele, se apoiou em um de seus braços e passou a encara-lo. Gostava da forma como seus fios loiros caiam em seu rosto e se olhasse bem de perto podia ver que seu rosto era naturalmente rosado, sua pele esbranquiçada era um de seus charmes e combinava perfeitamente com a coloração de seus lábios. Hongbin poderia ficar o tempo que pudesse apenas o admirando, acariciava o garoto e suspirava como se fosse a primeira vez que estivesse o tocando. O mais novo abriu lentamente os olhos e viu os de Lee em sua direção, não disseram nada, apenas ficaram ali se olhando. Num movimento lento, o moreno puxou Hyuk para mais perto e o afundou em seus braços, o garoto não reclamou, apenas se aconchegou ali e envolveu seus braços na cintura do outro. 

- Você fez de novo – Hyuk sussurrou sonolento, ele estava se referindo ao policial tê-lo levado a sua casa. O loiro morava com sua prima, Ji Hye, ambos estavam na faculdade então passavam o dia estudando juntos, mas algumas vezes, ou melhor quase sempre, Hongbin o buscava no trabalho e ao invés de leva-lo a casa de Ji Hye, o levava até a sua. O próprio disse que sentia falta do garoto e mesmo que se fosse por pouco tempo, queria ver o jovem dormindo ao seu lado, ele dizia que era a coisa mais linda do mundo e que aquilo lhe trazia tanta paz. O que não era diferente para Hyuk, que com o tempo parou de reclamar e cedeu ao mais velho. 

- Você sabe que vou continuar fazendo isso até morarmos juntos. 

- Sei, mas por enquanto eu ainda não posso 

- Então vamos aproveitar enquanto podemos – Antes que Hyuk perguntasse como, o policial já havia tomado seus lábios e o puxado levemente para cima, sua mãos passeavam pelas coxas do loiro que só então reparou que estava com roupas diferentes. 

- Você... Minha roupas... Hongbin! - Seu rosto ficou vermelho e se sentiu imensamente envergonhado.  

- Eu me segurei tanto para não fazer nada enquanto você dormia – Sussurrou no pé do ouvido de Hyuk, ignorando o fato do mais novo estar bravo consigo. Continuou apertando sua coxa e logo subiu sua mão até que chegasse em seu membro. - Você é tão lindo – Arfou o moreno em meio ao beijo.  

- É raro você não dizer isso – Respondeu sorrindo enquanto entrelaçava seus dedos no cabelo do policial, uma vez ou outra puxava levemente fazendo o moreno murmurar um "Não me provoque" enquanto ria da situação. Hyuk sorriu quando percebeu que Lee já estava tão duro quanto ele, então o beijou, cada vez mais forte e de forma mais desesperada. Estava inseguro, nunca havia passado de um beijo, quando se tratava do mais novo, Hongbin se controlava da forma que podia, era difícil ficar ao lado do garoto e não poder toca-lo, por ele iria esperar o tempo que fosse preciso, por mais que fosse uma tortura. Quando Lee percebeu a mão do outro já estava o estimulando em cima da calça que estava usando.  

- Tem certeza que quer isso? - Perguntou colocando os fios teimosos do loiro atrás de sua orelha. 

- Não é como se eu pudesse voltar atrás agora – Respondeu enquanto esfregava seu corpo no outro, juntamente com suas ereções. As mãos do moreno puxavam o jovem cada vez para mais perto, fazendo movimento bruscos para que o atrito fosse cada vez mais prazeroso para ambos. Arfavam em meio ao beijo e ao contato físico. Podiam sentir o pré-gozo deixando as boxers de ambos úmidas. Para a surpresa do mais novo, Hongbin agora estava em cima de si, continuava com o atrito e se movia lentamente em cima do pênis rijo de Hyuk, que gemia apenas com aquilo. 

- Você me deixa tão excitado, Hyuk – Disse enquanto abaixava lentamente a calça do loiro juntamente com a boxer que o mais novo usava. O pênis do garoto estava a mostra, quanto se deu conta, cobriu seu rosto com as mãos. - Não precisa ficar com vergonha – Com isso a mão do policial tocou devagar o membro do mais novo e logo se via acariciando a glande de seu pênis, começou devagar e depois aumentou a velocidade.  

- Hongbin... - Hyuk o puxou para cima e com pressa lhe deu um beijo, ainda envergonhado sorriu e o olhou nos olhos. O mais velho umideceu dois de seus dedos e com calma deixou com que um entrasse no loiro, que gemeu de dor acenou positivamente e disse que estava tudo bem "pode continuar". O moreno foi cauteloso, sabia que aquilo doeria. Depois de um tempo, já eram dois dedos e com o tempo Hyuk foi se acostumando com a dor. O policial ergueu seu corpo e terminou de tirar as peças de roupas de ambos, acariciou todo o corpo do outro e dedilhava cada local. Queria senti-lo. - Tudo bem, você já pode começar - Disse com o rosto virado para o lado, suas bochechas extremamente vermelhas eram tão lindas que o moreno sentia vontade de morde-las. Enfim, ele se aproximou mais e com cuidado pressionou seu pênis na entrada do mais novo, que mordeu o lábio inferior para não mostrar que ainda estava sentindo muita dor. Hongbin ainda se lembrava do que os médicos disseram sobre o loiro "Sua pele é sensível" e por isso estava tendo paciência e todo o cuidado possível com seu namorado. 

- Se quiser que eu pare, basta me dizer, não quero te machucar - Começou a distribuir beijos e mordidas leves em volta do pescoço do loiro enquanto se movia lentamente para que o jovem se acostumasse. Lee percebeu que podia ir mais rápido quando sentiu o quadril do mais novo se mover contra o seu. Por mais que o moreno quisesse ir com força e mais rápido, se segurou o máximo que pode, estava muito excitado e não aguentava mais, estava pegando fogo e seu corpo pedia por mais. Ouvir seu menino gemendo por sua causa era um tanto prazeroso, mas não queria machuca-lo. Seus corpos já estavam suados e sem que percebessem, o mais velho estava se movimentando cada vez mais rápido. Hyuk não reclamou uma vez sequer, a dora já havia ido embora. Continuaram até ambos sentiram que iriam gozar. - Eu estou perto... - Então atingiram o clímax, seus corpos suados e respiração ofegante denunciava o quanto haviam gostado daquilo. Hongbin se deitou ao lado do loiro e pegou um lençol para cobrir seus corpos nus - Foi bom para você? 

- Cala essa boca! - O mais novo começou a rir ainda com dificuldade, ainda estava muito ofegante e cansado. Ele se aproximou e voltou para a posição que estavam antes. Aconchegado no abraço do maior, que beijava o topo de sua cabeça e sussurrava vários "Eu te amo, Hyuk" para ele, que respondia com um sorriso largo e beijos em seu pescoço.  

- Eu também te amo, Hongbin – Murmurou o loiro, embora o mais velho não tivesse escutado, já havia caído no sono. 

 

xxx 

 

Quinta 11:47am 

 

- Um café, por favor – Disse um homem com uma voz doce enquanto se apoiava no balcão. Todos que estavam no local o encaravam e o analisavam de cima abaixo, principalmente as mulheres. Não havia como desviar o olhar de seu sorriso e seu olhar juvenil, ele realmente chamava atenção, por mais que não gostasse disso.  

- Com açúcar ou adoçante? - O moreno se virou e se surpreendeu ao ver o jovem ainda de jaleco sorrindo ainda mais ao vê-lo. 

- Com açúcar - Viu o moreno se virar rápido, mas antes foi possível perceber a vermelhidão em seu rosto. O médico apenas ficou ali vendo o outro preparar seu café, adorava fazer isso, até saíra as pressas do hospital em seu horário de almoço para poder chegar a tempo do turno do jovem. Hakyeon havia conseguido seu emprego de volta, bem apenas no turno da manhã, mas já era alguma coisa. Lee o levava todos os dias cedo para a cafeteria e depois voltava para levar Min Hye à escola. Estava gostando dessa nova rotina, talvez isso fosse exatamente o que estava faltando. Gostava de conversar, mas nunca tinha ninguém, bem, tinha seus colegas de trabalho e até seus pacientes, com quem realmente gostava de conversar, alias, foi assim que sua amizade com Kim Wonsik havia começado. Entretanto, Jaehwan queria alguém para quem pudesse dizer como foi seu dia no trabalho, alguém para contar piadas, para ver filmes, queria simplesmente ter alguém, e agora tinha. 

- Aqui está - Hakyeon se aproximou do balcão de deixou uma xicara com o café que lhe foi pedido. O médico segurou a pequena xicara e a levou aos lábios, tomou um gole sem tirar os olhos do moreno, que ficou parado o olhando tentando conter um pequeno riso. 

- Seu turno está acabando, não é?  

- Ah, sim. Eu vou trocar de roupa – Lee terminou seu café e foi para o lado de fora da cafeteria esperar que o menor se trocasse, o que era uma pena já que o médico gostava de ver Cha com aquele uniforme. Uma camisa social branca de mangas compridas, por cima um colete vermelho com o logotipo da cafeteria e calças da mesma cor. Lee gostava de como aquela roupa modelava seu corpo, além disso o deixava muito fofo. O mais velho saiu de lá de dentro com sua mochila nas costas e se aproximou do jovem de jaleco que o esperava paciente. Hakyeon estendeu sua mão para o castanho, que a alcançou e juntos foram andando até onde o carro do mais novo estava estacionado. - Sabe, você não precisa vir me buscar todos os dias, Jaehwan 

- Eu gosto de vir aqui, posso tomar café e ver você de uniforme - Riu e encarou o menor por alguns segundos.

- O hospital é longe, mesmo que esteja de carro estamos em Seoul, ha transito o tempo todo, sempre chega atrasado 

- Não me importo se chego alguns minutos atrasados, além disso Jin está lá e cuida de tudo quando eu não estou  

- Já que estamos falando sobre isso, eu também quero pedir para que não leve mais Min Hye até a escola 

- O que? Por que não? - Chegaram até onde o carro estava e entraram. Ambos colocaram o cinto de segurança e enfim o médico ligou o carro. 

- Você tem que acordar mais cedo para leva-la, eu faço isso a partir de agora, certo? E também a noite, não vamos mais ver filmes até tarde e...   

- Por que está me pedindo isso, Hakyeon? 

- Você anda mais cansado que o normal, acorda mais cedo do que o necessário e passa a noite acordada, você é um médico, quase não descansa... Também anda roncado muito ultimamente - O mais velho sussurrou a ultima parte enquanto virava seu rosto para a janela. O mais novo começou a rir para a surpresa do outro, que franziu o cenho sem entender qual a graça. 

- Yeon, você está realmente preocupado comigo – Disse mais para si mesmo do que para o outro ao seu lado. - Eu realmente não me importo em dormir menos e trabalhar mais, sabe por quê? Por que eu amo você e Min Hye e quero dedicar cada segundo da minha vida a vocês dois, me sinto bem quando estamos juntos, sabe, como uma família. Eu nunca tive momentos assim, não até hoje. - O farol fechou e rapidamente o castanho tirou o cinto e beijou Cha, que arregalou os olhos e retribuiu deixando que o mais novo usasse a língua. O beijo estava durando um tempo e se separaram sentindo a respiração falhando - Não se preocupe, e estou mais feliz do que nunca. - Disse isso e voltou a seu lugar e, foi quando a luz do farol ficou verde para os carros. - E se não gosta de me ouvir roncar, não durma mais comigo, não quero te acordar com meus roncos altos – Falou num tom sério. 

- Não foi isso que eu quis dizer, que droga! - O moreno cruzou os braços e uma expressão irritada se formou em seu rosto, fazendo Lee rir tanto que pendera sua cabeça para trás - Não ria! - Gritou o menor, resultando em risadas mais altas do castanho. Depois de alguns minutos chegaram a seu destino, ambos desceram do carro e foram até a porta da casa do casal. Jaehwan acompanhou o moreno até a entrada e afagou seus fios negros, em troca recebeu um soco leve em seu ombro direito. 

- Tenho que ir  

- É, eu sei – Hakyeon gostava de ver o outro se esforçando para passar mais tempo com ele e com sua irmã e por mais que reclamasse por ele estar sacrificando seu tempo para isso, realmente gostava de tê-lo por perto. Depois de tudo, ele e sua irmã estavam finalmente vivendo de verdade, sem passar fome, sem chantagens, sem perigo. Jaehwan era bom para eles e isso era obvio, o próprio havia dito que se importava mais com os irmãos do que consigo mesmo.  

- Hoje eu volto mais cedo, Jin vai ficar no meu turno a noite  

- Eu e Min Hye vamos estar te esperando  

- Eu sei disso – O mais novo se aproximou e abraçou, seu queixo ficara sobre o topo da cabelo do moreno, que não negava gostar disso. Lee se afastou e acenou uma ultima vez, logo entrou no carro e se saiu dali. 

 

Quinta 4:50am 

 

Com cuidado, Lee Jaehwan abriu a porta de casa e entrou tentando não fazer barulho, seu coração estava apertado por ter chegado muito tarde. Se sentia culpado e já estava pensando em qualquer coisa que poderia fazer para se desculpar. Tirou seu jaleco, o qual ainda vestia devido a pressa de chegar em casa, o jogou no sofá e em passos lentos foi em direção ao quarto da garota. Abriu a porta e a viu dormindo junto a um urso de pelúcia, um presente seu. Deu um beijo na testa da menina e saiu. Foi até seu quarto, entrou lentamente e tentou fazer o mínimo de barulho possível. Tirou o resto de suas roupas e as trocou por um pijama confortável. Viu o moreno debaixo das cobertas e suspirou ao vê-lo dormindo. Com cuidado foi se deitando ao seu lado e antes que encostasse sua cabeça no travesseiro ouviu a voz do outro. 

- Está atrasado – Sussurrou, seu corpo estava do lado contrário ao de Jaehwan, que respirou fundo. 

- Eu sei, eu sinto muito, houve um imprevisto no hospital. O que eu posso fazer para me redimir? Faço qualquer coisa - Disse o virando para si e o acolhendo em seus braços

- Canta para mim, gosto da sua voz 

 

You’re warmer than anything else in the world, my love 

You always warmly hugged me by my side 

I want only you, my light 

 

- Você é a minha luz, Hakyeon


Notas Finais


como eu amo muito vocês, farei mais um cap extra
ate porque se eu fizesse um só, ia ficar muuito grande
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...