História The Lie of First Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Suga
Visualizações 23
Palavras 1.086
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shoujo (Romântico), Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu juro que uma das últimas ones e que eu vou tomar vergonha na cara e atualizar as que já tenho.

Ela é uma fic que estava escrita a um tempinho no meu celular já, porém, a terminei esses dias durante uma aula de gramática... Sim estou com pontos suficientes para passar Ahsuahsuah.

Espero que Gostem de mais uma das minhas xodos <3.

Capítulo 1 - So Far Way


Lembro-me até hoje de nossa primeira conversa, oh deus foi amor à primeira vista, você estava lindo mas infelizmente muito longe.


Agradeço até hoje a Jungkook por ter me feito sair de casa e ir naquela comemoração e agradeço ainda mais por ele ter ido dançar com o resto do pessoal e nos deixado sozinhos.


Você me encarava tanto aquela noite que eu estava como as garrafas de cerveja sobre a nossa mesa, a diferença era: As garrafas estavam suando pois estavam frias por dentro e o ambiente era quente do lado de fora, só que eu… Eu transpirava por estar fervendo por de dentro e o ar condicionado não parecer fazer efeito.


Para poder tentar conter uma ereção que formaria só pelo seu olhar, eu resolvi começar uma conversa, a primeira de muitas outras que teríamos.


“— Espero que você não seja um psicopata — Você riu, uma risada que me fez querer gravar e por como toque de celular… Acho que eu sou o psicopata.


— Desculpe, mas não revelo todas as minhas cartas na manga.


— Eu não jogo cartas.


— Eu posso te ensinar, é uma questão de prática.”


Naquela mesma noite você me levou até em casa, porém não ultrapassou a zona de segurança e aquilo com certeza me deixou frustrado.


Eu queria que você tivesse me beijado naquela noite.


Mas você não fez isso, e aquilo foi a primeira da vasta lista de coisas que você não fez; Você apenas acenou com a cabeça e foi embora sem nem um adeus.


Sempre que Jungkook me falava que iria sair e pedia para ir junto esperando lhe encontrar novamente, e quando isso aconteceu você me levou até em casa novamente e dessa vez me deu um breve selinho com gosto de álcool e menta. Porém, você não pediu meu telefone. Eu também esperei que você entrasse e tomasse café comigo, contudo, você não fez isso.


Noutro dia, quando uma garota se aproximou e pediu seu número eu pensei que você negaria e continuaria a aproveitar o resto da noite comigo, todavia, você não fez isso; Quando me levantei e saí de lá sem me despedir pensei, ou melhor, quis que você fosse atrás de mim… Mas como sempre, você não fez o quê eu esperava.


Algum tempo depois Jungkook me convidou novamente para sair porém eu não fui, nem nas vezes seguintes. Eu havia seguido com minha vida e você havia se tornado apenas mais um nome em minha lista de decepções amorosas.


Eu estava bem, até o dia o qual você apareceu na minha porta com os cabelos molhados e com uma expressão assustada, aquilo com certeza me preocupou. Você não disse nada, apenas me abraçou… Aquela foi a primeira vez que você fez algo que eu não espera que você fizesse.


Pouco tempo após aquilo começamos algo, aliás não tinha um nome exato para aquilo mas já servia… Ao menos para mim.


Você era tudo o que havia de errado no mundo em um único ser humano… Porém, mesmo quando a briga era feia e você passava a noite fora com suas vagabundas, no dia seguinte eu voltava para você novamente… Eu não era burro, por isso voltava.


Perto do nosso 1 ano de namoro resolvi oficializar e preparei tudo do jeito que eu sei que você gostava; Fui a uma sex shop, Jungkook me ajudou a encher vários balões coloridos e os deixei no teto da sala de estar, pois, quando o sol batesse na janela que ocupava uma parede inteira, daria uma visão privilegiada e cheia de vida.


E, o principal, fiz seu prato favorito e coloquei as alianças em cima da mesa… Tudo perfeito.


Sentei me na sala e esperei você chegar, o que não aconteceu. Assim que você chegou a comida já estava fria e o sol já havia se posto a muito tempo.


Você cheirava a álcool, estava com a camisa amarrotada e cheio de chupões no pescoço. Aquilo foi meu limite.


Você foi até a mesa que ainda estava posta e segurou as alianças, leu a inscrição e soltou uma breve risada antes de jogá las no chão.


“— “Meu coração não aceita mais bater só, agora que conhece o seu” isso é meloso demais até para você Jimin.


— Não vou perguntar pois já tenho uma boa idéia de onde o senhor estava. Esqueceu que hoje era nossa noite especial?


— Não enche, preciso de um banho.


— No meu banheiro não — Senti seu olhar pesar sobre mim, entretanto não me atrevi a encará lo pois sabia que perderia a coragem — Sai da minha casa antes que eu perca meu resto de respeito por você Min Yoongi.


Nossa casa Jimin.


— Não, a casa está no meu nome e você apenas se mudou para cá.


— Se eu sair, você sabe que não irei mais voltar.


Parte de mim queria que você ficasse, ela gritava para que eu esquecesse e seguisse a noite… Mas meu orgulho não permitiu.


— Por isso estou te mandando embora — Virei meu olhar para você, você demonstrava arrependimento e se eu não lhe conhecesse bem o suficiente diria que era de verdade.”


Mesmo falando uma coisa, eu queria que você ficasse, mas adivinha, você não fez isso.


Quando você deixou nosso apartamento eu chorei.


Eu chorei porque eu te amo mas eu não sei amar. Eu chorei porque eu sempre canso de tudo e tudo sempre cansa de mim. Chorei de cansaço profundo de sempre cansar de tudo, e de tudo sempre se cansar de mim. Chorei de apego ao cheiro do novo e principalmente de melancolia pelo cheiro do velho. E chorei porque tudo envelhece com novos cheiros e a vida nunca volta. Eu chorei de pavor da rotina, de pavor do fim, de pavor de sair da rotina e começar outros fins.


Mas se isso não tivesse acontecido não poderia chamar de amor, afinal que tipo de amor é esse que não sobra um tolo de coração partido para contar a história?


Eu sei que era amor pois eu sentia aquela famosas “borboletas no estômago”. Se não fosse amor não haveria ciúmes, nem vontades, não haveria desejo, nem meu pensamento sempre em você... E muito menos um coração partido.


Quando me dei por perdido não encontrei ninguém, me fiz de fênix e renasci, assim vou continuar renascendo mil vezes se necessário; mesmo que ainda seja sem você.


Talvez a única dor que machuca mais que te ver saindo por aquela porta é a de não ter tido a oportunidade de me despedir de você.


Mas quando um amor sai da sua vida você precisa pedir que ele deixe a porta aberta para que outros amores entrem na sua vida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...