História The Life And Death Go Together - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias My Chemical Romance
Personagens Frank Iero, Gerard Way, Mikey Way, Ray Toro
Tags Frerard
Exibições 23
Palavras 1.098
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi pessoal 0/
Demorei um pouquinho pq não estava na minha casinha, não me batam u.u
Tirando os acontecimento da tarde de hoje :/ todo mundo pronto pra mais um cap?
Bora lê

Capítulo 23 - Maybe One Hero


Depois do hospital a gente foi em uma lanchonete, afinal, já era começo de tarde. Sentamo-nos em uma das mesas e em seguida fomos atendidos. Olhei ao redor e não tinha muita gente, deveria ser pelo horário.

— Então... — Ray chamou minha atenção.

— O que? — Perguntei sem entender, estava distraído.

— Esta distraído, o que aconteceu? Você não é assim.

— Não e nada — Ele me olhou desconfiado — Bom, eu meio que salvei alguém ontem — Disse um pouco sem jeito.

— Nossa, temos um herói aqui — Ele disse animado, mas sabia que estava zombando de mim — Como isso aconteceu?

— Fui ao mercado e o encontrei — Dei uma pausa — Era ele — Me deu um pequeno calafrio de lembrar daquele homem.

— Ele que... Ah — Parecia que tinha se lembrado — Novamente esse assunto? Não superou aquele homem?

— Foi estranho, qual era as chances de nos encontramos novamente? — Deixei de lado suas brincadeiras.

— Supera Frank, se não, vai ficar pensando nisso toda hora.

— Acho que sim.

------------------------------------------------------------------

Fui para fora de casa ainda mancando, o remédio que eu tomei não me ajudou muito, ainda sentia um pouco de dor e aquele curativo me incomodava um pouco — sem chances de sair de casa hoje. Sentei-me próximo a porta e peguei a cartela de cigarros junto ao isqueiro no bolso, coloquei um entre os lábios e o acendi, o tragando. Olhei para o céu que já estava escuro por ser final de tarde.

Noite passada... Recordava-me pouco sobre ela, tudo ainda esta um pouco confuso para mim, acho que a bebida ajudou nisso — não deveria ter bebido tanto. Aquele homem... Ele não seria o mesmo que eu vi no hospital?!Se for ele mesmo, era estranho à gente ter se encontrado, mas se isso acontecesse mais vezes, bom, eu não iria reclamar, de alguma forma sua presença me fazia sentir melhor.

O vento frio se fazia presente, achei melhor entrar, mas antes eu joguei o que sobrou do cigarro no chão. Entrei e a mudança de temperatura foi imediata, o clima quente era mais agradável.

Fui para cozinha, estava com fome e aparentemente não tinha nada para comer, o jeito seria fazer — teria que colocar minhas habilidades de culinária a prova mais uma vez. Procurei algo pelos armários e decidi fazer macarrão, era uma coisa fácil e algo que eu sabia fazer.

Flashback On

— Estou com fome — Disse sem me mexer do sofá.

— Não reclama na casa dos outros, não vou à sua casa falar que eu estou com fome — Eu ri disso. Ele nunca tinha ido à minha casa.

— É serio Jake — Choraminguei um pouco — Você não esta com fome?

— Um pouco — Ele me olhou do outro sofá e pegou a garrafa próxima a ele — Bebe que passa — Ele tomou um gole e me estendeu a garrafa.

— Se eu beber isso ai, eu vou vomitar lá no seu banheiro, é você não quer isso — Cruzei os braços e me ajeitei no sofá.

— Ok dona cozinheira, vamos para cozinha — Ele se levantou e eu fiz o mesmo. Fomos para cozinha que era ao lado.

— Não me chama assim, parece que eu sou uma garota — Cruzei os braços.

— Mas você é uma garota, baby — Ele tentou se fazer de sexy, mas se atrapalhou nesse processo.

— Acho que você fumou de mais. Posso mexer nos armários?

— Fique a vontade, querida — Ele se sentou em uma das cadeiras.

 Deixei de lado suas brincadeiras e procurei o que eu faria. Eu não era muito bom em cozinhar, mas eu conseguia fazer algo que se me esforçasse um pouco. Achei macarrão e mais algumas coisas que iria usar.

A cozinha era simples, como o resto da casa, a minha casa perto dessa era como se fosse algo de luxo, mas mesmo assim me sentia confortável aqui.

Peguei uma panela e coloquei água, fui acrescentado mais algumas coisas, então coloquei ao fogo e esperaria a água esquentar. Olhei para o Jake, ele praticamente dormia naquela mesa.

— Jake — Eu fui ate ele e dei um cutucão, tirei a garrafa de suas mãos e tomei um gole.

— Te amo sua menina — Dei um sorriso.

— Também te amo.

Eu sabia o quanto ele já não estava em seu juízo normal, mas por algum motivo acreditava no que ele disse, saber que ele me amava, mesmo que talvez isso fosse mentira, me confortava um pouco.

Deixei a garrafa com ele na mesa e voltei para o que estava fazendo. Joguei uma boa quantidade de macarrão para nos dois (acreditava que ele iria comer). Sentia-me um pouco desconfortável, afinal, eu não estava na minha casa.

Eu nem percebi quando ele veio ate mim, apenas me agarrou por trás apoiando sua cabeça no meu ombro. O cheiro de droga misturado com nicotina era notável, mas não era algo que me desagradava muito.

— Eu amo você de verdade — Ele disse perto da minha orelha me fazendo ter um leve arrepio.

— Sai daqui — Disse tentando me desvencilhar.

Virei um pouco o meu rosto e encontrei com o dele, estávamos tão perto um do outro, nunca tivemos essa à proximidade. Ele aproximava mais seu rosto do meu, mas algo nos chamou a atenção, o barulho da porta da sala se fez presente e não demorou muito para uma mulher entrar no local.

— Oi mãe — Jake disse e eu me distanciei um pouco dele — Esse é o Gerard — Da forma que ele estava falando, se via claramente que ele estava bêbado.

— Oi — Disse envergonhado.

— Olá — Ela apenas analisou o local e nos dois — Jake fala muito de você.

— Mas e só coisa boa — Ele complementou e deu um beijo na minha bochecha.

— Espero que sim. Peguei sua cozinha emprestada por um momento — Voltei para o que estava fazendo.

— Ele sabe cozinhar.

— Não exagera Jake. Acho melhor arrumar a mesa.

Os dois decidiram fazer isso. Sentia-me como se fosse à menina prestativa que estava fazendo comida na casa do namorado para ser avaliada pela família, era uma sensação estranha, não queria passar por isso de novo.

Acho que eu não precisava fazer algo muito apresentável, finalizei tudo dentro da panela mesmo, afinal, a casa não era minha e eu não sabia onde estavam as coisas.

— Vou deixa aqui na panela — Aproximei-me de Jake e vi os pratos já em cima da mesa.

— Pode deixa, eu sirvo vocês dois — Ele disse contente me fazendo sentar junto com a sua mãe.

Ele pegou os três pratos que estavam ali e trouxe um por um com a comida que eu tinha feito, então veio se sentar conosco. Ele parecia tão feliz, não acreditava que estava dopado, é sim que estava feliz de verdade, mas eu podia estar enganado.

Continua...


Notas Finais


Mais um flashback com o Jake, eu gosto do Jake ^-^
Hoje aprendemos a fazer macarrão, manhã o que sera então? Haha
Ate o próximo cap
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...