História The Life of a Girl - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Lysandre, Personagens Originais, Priya, Rosalya
Tags Amor Doce, Hentai, Indyaney, Romance
Exibições 10
Palavras 1.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiii xenti! Desculpa pela demora, criatividade tá foda! Semana de provas finais... Tá difícil, viu? Mas espero que gostem desse capítulo! Atée!

Capítulo 7 - It was Just a Dream



Eu sinceramente não sei oque acabou de acontecer, é como se eu tivesse perdido o controle das minhas ações, do meu corpo, a única coisa que eu queria era me jogar nos braços dele, ainda bem que não fiz isso, eu quero saber mais dele, conhecer ele, saber oque ele gosta, oque ele não gosta, estilo, animal favorito, tudo! Mas como vou fazer isso? Ah, não sei, depois eu penso nisso, se não eu vou explodir aqui mesmo. Eu fui no bebedouro tomar água(não, foi tomar iogurte!) e depois fui encontrar Rosalya que estava mexendo no armário dele.
-Rosalya!!! Tu nem sabe oque acabou de acontecer!!! -fui correndo o mais rápido que pude até ela.
-Vou ficar sabendo agora, conta tudo!! -ela falou, quase me dando ordem.
-Vamos ir andando? -não sei porque eu falei isso, eu gosto de contar babados, segredos e novidades andando, não sei porquê.
-Okay.
-Então, eu fui entregar o bloco de notas para o Lysandre.
-Tá, e?-eu falei a situação para ela, fora a parte que eu senti, não queria falar isso para alguém.
-Você está gostando do Lys??????????? -ela falou, com um sorriso gigante no rosto e com voz de empolgação.
-E-eu? Não, im-magina, eu acabei de conhecer o menino já vou estar gostando dele? -ela lê pensamentos ou está tão na cara?
-Nunca ouviu falar em amor á primeira vista?-ela falou, levantando uma sobrancelha.
-Claro que sim! E-e mesmo assim, eu não estou gostando dele, ok? -gaguejei sem querer.
-Aham, você me engana e eu finjo que acredito, trato feito! -ela falou, estendendo a mão como se fosse assinar um contrato.
-Ah, vai se f*der, Rosalya! -ela consegue ser chata.
-PARTIU!-ela disse, se levantando rapidamente, não consegui me segurar e ri descontroladamente, ela também.
-Vem aqui, sua retardada!-puxei ela pelo braço e a fiz sentar novamente- Não esquece que você tem namorado, hein! DUVIDO que ele gostaria de ver você falando isso.-ela mostrou a língua pra mim e nós rimos feito cabritas no cio.
-Ai ai... Mas você gostando dele ou não, você vai me contar absolutamente TUDO!-disse ela, me ordenando mais uma vez.
-Trato feito!-apertei a mão dela, nos levantamos e já fomos para sala. Chegamos e eu sentei na janela e ela sentou atrás de mim. Ficamos conversando até que a porta se abriu e entrou Alexy gritando feito louco:
-WORK WORK WORK WORK WORK RISIMIHAFI WORK WORK WORK WORK WORK WORK -entrou Alexy, cantando, ou melhor, gritando e saltitando feito uma gazela com fogo no rabo, com seu inglês belíssimo. -Oi vadias! Vocês tão sabendo que a Rihanna fará shows aqui na França? Tô PI-RA-DA! -disse nossa bixa favorita.
-Percebe-se. -eu disse, rindo da performance do nosso amigo- Ai, mas os ingressos estão tão caros, parece que vão vender diamantes no show!
-Não são diamantes, mas é Rihanna, dá no mesmo! -disse ele.
-Olhando por esse lado, haha!
O sinal bateu e a multidão de alunos começou a entrar, logo o professor chegou e a aula começou. Não teve nada demais, apenas equações, mais equações, depois um pouco mais de equações, matéria nova, etc. Lysandre sentou lá no fundo, na frente de Castiel, eu notei que ele me observava de vez em quando, cada vez que eu percebia meu sangue gelava, e para não deixar ele perceber isso eu voltava a olhr para frente e fazer minhas tarefas. O dia de aula passou e o sinal bateu, seria ciências agora, mas a diretora entrou antes que saíssemos da sala.
-SILÊNCIO! A professora Delanay, de ciências teve alguns problemas pessoais, por isso não poderá vir hoje. Os dois períodos que vocês teriam com ela estão vagos, vocês só terão aula após o intervalo. -toda a sala começou a gritar e bater na mesa, a diretora fazia sinal para pararem, mas os mais rebeldes nem ligaram e simplesmente saíram da sala ignorando a presença dela. Quando eu vi que ela não tinha mais nada para falar eu me retirei. Eu fui com a Rosalya até o refeitório, nós comemos e conversamos.
-Me conte mais sobre o Lysandre? -eu pedi.
-Mas tipo o quê? -ela falou de boca cheia, engolindo um pedaço do sanduíche.
-Sei lá, como ele é, o que ele gosta...
-Bem, eu namoro o irmão dele, ele é meio reservado, não costuma falar muito,-ela tomou um gole de suco- ele tem uma tatuagem, ama coelhos... Não sei mais o que falar.
-Tatuagem? Como é?
-Eu não sei bem, só sei que é nas costas porque o Leigh me falou.
-Hum, obrigada Rosa, ajudou muito, acho que depois eu vou falar com ele, mas o que eu falo?
-Fala assim, oh: "Lysandre, eu estou completamente apaixonada por você e eu quero ficar com você pra sempre." Pronto! Tudo certo!
-Aham, vou falar isso, nossa, já falei até! -ironizei.
-Quê foi? Pra quê perder tempo, mulher!!! Já pega a metralhadora e trá trá...
-PARA COM ESSA MÚSICAAAAAA!!!! -coloquei as mãos nos ouvidos.
-TRÁ TRÁ TRÁ TRÁ TRÁ-ela praticamente gritou nos meus ouvidos.
-Vaka! -eu disse.
-Ain brigadan, também te amo, linda!
-Nós terminamos, colocamos os copos na cozinha e ficamos andando loucamente pela escola, fomos ao encontro de Priya e Alexy que estavam na estufa do Clube de Jardinagem e ficamos lá conversando e loquiando até a hora de ir para a aula novamente.
O restante do dia passou voando, eu cheguei em casa e minha mãe estava no trabalho, então resolvi ir no Supermercado Central comprar algumas guloseimas para passar a tarde, pois minha mãe chega apenas no final da tarde.
Eu só coloquei um sapatênis preto pois o sapato que eu coloquei estava machucando meu pé e prendi o cabelo em um coque bem frouxo mesmo, só pra não ficar na minha cara, peguei minha bolsa, coloquei meu óculos de sol(um marrom com alguns brilhantes no cantinho superior) e peguei minha carteira. Eu fui andando até o Supermercado mesmo, até porque é pertinho daqui de casa, chegando lá eu peguei um carrinho e fui direto para o corredor das guloseimas, mais conhecidas como porcarias que estragam nossa vida mas todos nós amamos, peguei salgadinho e bolacha recheada(é BOLACHA SIIIIIM!!! Se reclamar eu chamo de Nelson), peguei duas garrafas de suco de laranja e fui para o caixa, paguei as bagaça tudo lá, peguei as sacolas e quando eu estava saindo eu esbarrei em alguém que vinha em direção ao meu lado e deixei as sacolas caírem no chão, as sacolas da pessoa também caíram no chão.
-Me desculpe! Desculpe, eu estava distraída... é... L-Lysandre? -CÉUS.
-Não, tudo bem! Sofia? -TÔ NO CHÃO.
-Lysandre, você p-por aqui!-ISSO NUM TÁ ACONTECENU.
-E-eu te ajudo a juntar as compras-ele deu um sorrisinho de canto enquanto se abaixava para pegar as sacolas que eu quase desmaiei pela décima quinta vez só nessa semana. Eu me abaixei junto e nossos olhares se cruzaram, não consegui conter o sorriso. -Você quer que eu te acompanhe até a sua casa? Suas sacolas estão pesadas, seria falta de educação minha não lhe ajudar.-TEM COMO SER MAIS FOFO, BRASIL?
-N-não, imagina, quê isso! Não precisa, nem estão tão...-ele colocou o dedo na minha boca.
-Xiiiu, eu te ajudo.-ele sorriu. O que eu vou fazer? Recusar é que eu não vou, não sou trouxa!
Ele me levou até em casa e nós fomos conversando, ele me contou várias coisas sobre ele, eu falei algumas coisas também, eu desejava que aquele caminho não acabasse nunca. 
-Chegamos, -eu disse sorrindo- muito obrigado, Lys!
-Lys? -ele disse, rindo.
-Ah, desculpa! -eu abaixei a cabeça, por mais morena que eu seja, provavelmente eu estava mais corada que... ah, sei lá! Estou nervosa demais para pensar.
-Não, tudo bem, até que eu gostei do apelido.-nós sorrimos. Nós ficamos nos olhando, eu apreciando aqueles lindos olhos bicolores e contendo a minha vontade de agarrar aqueles cabelos brancos com pontas pretas, ele me olhava com carinho, sorrindo, queria muito ver no que ele estava pensando. De repente ele veio se aproximando de mim, colocou os dedos no meu queixo levantando um pouco, eu fiquei na ponta do pé porque ele era alto demais, ele estava apenas alguns centímetros de meus lábios, senti meu coração acelerar mais rápido que carro de fórmula 1, ele se aproximava mais, e mais, e mais...
-SOFIA!!! Acorda, menina! Vem jantar!
-O quê? Quando eu dormi? Que horas são? -eu levantei tão rápido que fiquei com dor de cabeça, era um sonho?
-Não sei, eu cheguei e você estava dormindo no sofá, são 19:35 da noite.-Não creio que tudo foi um sonho! Ôh desgraça! Fazer o quê, né? Vou lavar o rosto por que do jeito que está não dá pra ficar, dar uma arrumada nos cabelos que devem estar tudo para cima, orar para que esse sonho vire realidade... É triste.


Notas Finais


Ah, só pra constar, eles moram na França, mas é como se morassem no Brasil, é só o nome mesmo, mas lá todo mundo conhece Metralhadora. É só isso mexmo.
~Tchauzin!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...