História The Light - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Ariel, Chris, Diego, Drama, Elfos, Fadas, Feiticeiros, Gay, Henry, Intrigas, Lemon, Leon, Magia, Originais, Romance, Romance Gay, Samuel, Yaoi
Exibições 21
Palavras 1.625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 13 - Visões Reveladoras


Fanfic / Fanfiction The Light - Capítulo 13 - Visões Reveladoras

[...]

- Diego eu ouvi os sons lá nos fundo – Leon estava ofegante - E não foram ratos, eu tenho certeza        que o cheiro que sentir, era enxofre.

- Enxofre? – Diego se levantou de sua mesa exaltado – Droga.

- Por quê? – Henry perguntou.

- Isso só que dizer uma coisa... – Leon começou.

- Michele. - Diego completou.

- Por que o desespero? – Henry perguntou.

- Michele é a filha da Duquesa de Khan e Ariel a odeia, então para alerta a ele quando ela vem, Ariel fez uma maldição que a cada quilometro que ela estar perto, sons e cheiro de enxofre fica mais forte, mas há um mês eu consegui derrubar parte dessa maldição. – Diego explicou.

- Qual o problema dele com ela? – Henry tornou a fazer mais uma pergunta.

- A Michelle é uma... – Diego começou.

- Megera - Leon completou.

[...]

 Pag. 1300.

Paragrafo 12 : Qualquer  feitiço de memória é algo delicado,  quebra-lo extremamente complicado pois se trata de uma magia poderosa , NUNCA, mas NUNCA  realize um tipo de feitiço desse sem estar preparado para as consequências que trazidas por ele e boa sorte para aquele que deseja realizar. 

Ariel desenhava os detalhes daquela memória. Enquanto recitava em voz alta o paragrafo do livro.  

- Quem será você loiro? – falou terminando o desenho, traços firme em partes como a boca e o dorso, leves e delicado nos cabelos cobrindo o resto do rosto , o que lhe intrigava era que o resto do rosto sua memória sempre fazia questão de falhar.

 

[...]

- Desculpe, mas eu não entendi o que você quis dizer Ariel – Henry estava confuso com a frase exótica falada por Ariel na aula de Runas e Línguas Mágicas.

- A frase é poder  rondar, a magia luminar e  o poder impõem o  prazer, algo que é forjado na luz, feita com o calor do Sol e na Luz da Lua , não perecerá. – Ao terminar a frase, Ariel olha para os olhos de Henry que estava brilhando um dourado intenso, fazendo o esmeralda nos olhos do príncipe sumir.

- Bela frase jovem feiticeiro – Ariel ficou surpreso com o tom da voz de Henry – Mas será que ela é tão verdadeira assim? Isso foi falado, antes dele lança uma maldição, nele mesmo, mas será que ela vai durar? Uma maldição amparada pelo Sol e pela Lua? Isso é... – porém antes de concluir a frase o brilho nos olhos de Henry sumiu, e o garoto parecia ter saído de um transe.

- Aula Encerrada – Ariel saiu correndo segurando lágrimas que ele mesmo não sabia o porquê delas caírem.

[...]

Novamente Ariel estava lá naquela mesma clareira, olhando para o céu com o mesmo olhar perdido, sem perceber Christian deitando ao lado.

- Você fica tão lindo distraído – o elfo falou mansamente.

- Obrigado – Ariel se virou para olhar para o azul e rosa dos olhos de Chris – Eu não sei por que, mas você me trás um conforto tão grande, é estranho, como se o vazio que eu sinto fosse preenchido.

- Talvez eu seja – Chris  respondeu se aproximando do rosto, Ariel já podia senti o hálito de camomila do elfo.

- É, quem sabe –  Ariel estava corado e olhando nos olhos do elfo, mais uma visão apareceu.

- Vai se preparando que eu não vou ter paciência – Ariel empurrou o loiro na cama, novamente ele não conseguia ver o rosto inteiro, somente à área do maxilar – Eu sei que você estar noivo.

- Mas anjo...

- Esse papo não cola – Ariel arrancou o cinto do loiro, - Mas será que você faz amor comigo, como faz com ela?

E a visão sumiu.

- Eu preciso ir – o feiticeiro disse se levantando e com um movimento com uma das mãos sumiu.

- Ah! Anjo, você está lembrando – Deixando um sorriso de satisfação escapa, Christian ficou ali, onde há muitos anos atrás ele e seu anjo deram o primeiro beijo.

- Nem se iluda – falou Diego aterrissando.

-Nem passou pela minha cabeça - retrucou se levantando e limpando a grama da roupa.

- Eu vi o que ele viu – Diego conjurou uma grande pedra e nela sentou-se – Eu sei o que você está tentando fazer, mas será que vale a pena fazer ele lembra ?

- O que eu faço? Eu amo Ariel – a voz do elfo aumentava a cada palavra – E você o sugere, eu vá embora e sofra? Que seu irmão sempre sinta esse vazio? Você não sabe o que é amor – gritava –alias você acha que e imune, mas é mais um mero estupido, não é melhor que eu, Samuel é a prova disso, você o ama, mas foge dele o tempo tod... – antes de concluir a frase, Christian havia sido arremessado contra uma árvore.

- Você não sabe de nada – Diego mantinha o elfo contra a árvore – Eu ...- e libertou o elfo e saiu correndo.

- Covarde.

[...]

     

“Por que você está em  minha cabeça? Christian  não saia da cabeça de Ariel, ele estava em alta velocidade a caminho da cachoeira, já tinha mandado uma mensagem para Leon e Henry  pedindo para eles o encontrarem na Grande Cachoeira.

Há muito tempo que Ariel não ia à cachoeira, e quando ele aterrissou bem no topo da cocheira as visões voltaram a aparecer.

- O que você quer?- Aquela voz falava em seu ouvido fazendo com que se arrepiasse – Me diga Ariel, o que você quer?

- Você, seu corpo, seu beijo, seu... Isso é errado, você vai se casar em poucos meses – o garoto de olhos lilás falava enquanto não  largava do corpo do seu amante.

- Se é errado porque você não me soltar? – falava o Loiro olhando Ariel, cheio desejo.

-Porque não consigo – os beijos iam se aprofundando, enquanto as pecas de roupa sumiam uma a uma.

- Então se entregue – O Loiro fez questão arrancar a ultima peça, a única  que separava a pele dos dois – Do jeito que só você sabe se entregar.

Ariel voltou a si, levantando-se assustado por causa da visão, quando olhou para seu lado Leon estava ,vestido com um belo vestido amarelo, sentado ao seu lado olhando para Henry que estava somente com uma calça moletom azul e uma regata cinza.

- Posso saber por que você estar de vestido? – falou Ariel cortando o silêncio.

- Ele tentou aparata – Henry respondeu – E ficou só de cueca.

- E esse idiota ainda falou “bela bunda” – Leon retrucou.

- Mas é – Henry falou, deixando Leon vermelho – E quando tentou trazer as roupas de volta apareceu esse vestido e então eu segurei no braço dele e orbitamos para cá.

- Para um Lunar, problemas para se teletransportar são nulos Leon – Ariel olho no fundo do azul dos olhos de Leon – A algo estranho com você, o que é ?

- O problema não sou eu – Leon desconversou -  Você chamou a gente aqui por causa de um problema seu.

- Verdade – Henry apoio Leon.

-  E toda vez que você  vem aqui –Leon olhou para Ariel , fitou o horizonte e concluí-o – está confuso com seus sentimentos ou em apuros seríssimos  – ele voltou a olha para o Feiticeiro  – então oque é desta vez?

- Visões que estão me atormentando e o pior que eu não sei o que significam.

- Acho  que você sabe – Henry  falou e Ariel olhou para o príncipe com incredulidade no olhar – Veja bem, suas visões aparentemente são muitos pessoas, com objetos a muito vendidos, em situações passadas, eu mesmo, no transe de mais cedo vi muitas memórias, mas eu  sei que não são  minhas, porem fazem parte do meus poderes, provavelmente do meu pai, ou do Solar anterior a ele e de qualquer forma eu sei o que significam.

- As vezes eu acho que exerço o papel errado nesse mundo – Ariel desviou o olhar para correnteza perdido – Sabe a anos eu não me sinto tão vivo.

- Quantos mais ou menos ? – Leon perguntou.

- 38 anos  - Ariel respondeu – Mas depois de ... ah! Esquece !

-  Falar faz bem – Henry insistiu enquanto tirava a camisa e o a calça moletom, que por baixo tinha uma bermuda de banho –  faça como a água de um rio, leva vida e beleza, mas não se deixar para ou abater por nada, seja como um rio Ariel e  vá de acordo com a correnteza – o príncipe  sorriu e se lançou do topo da cachoeira direto  na água, enquanto Leon pensava “Como esse louco pula de uma altura dessas? ”, “ Que corpo “ e “ Ai meu Deus, quero, mas não posso ter ele “.

- Meu ajuda ? – Leon pediu para Ariel.

- Claro – e no lugar do vestido, um bermuda de banho amarela apareceu no corpo de Leon, que se atirou atrás do seu Solar – Esses dois, não fazem ideia do  quanto o destino deles estão entrelaçados.

E ali ficou observando os dois príncipes interagirem de forma bem romântica, mesmo que involuntariamente.

Ariel que já  estava sem camisa, parou, pensou e se jogou, sem pensa mais em nada ele teve se encontro com a água de forma calma e gostosa, sentiu muito bem quando chegou na margem, uma voz ecoou no seu lado.

- Tentando se mata Ariel ?

- E isso importa Christian ? – O elfo estava sentado olhando para o pequeno feiticeiro.

- Talvez – Ariel olhou no fundo do olhos do elfo, que sustentou o olhar – Sabe que vou passar uns dias no castelo não é ?

- Como assim ? – Ariel levantou assustado.

- É isso mesmo irmão – Diego apareceu do nada – o Rei dos Elfos, Cianiel, necessita viajar e entrou em acordo com  Cianiel, para que Christian fique sobre as regras do castelo da gente, que são impossíveis de serem burladas. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado e comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...