História The List - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Doença, Hentai, Lemon, Medo, Sadomasoquismo, Suspense, Yaoi
Exibições 76
Palavras 523
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Colegial, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Josei, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Demorei, né?
Avisando que estou postando do Jimin por ser o aniversário dele u.u
Logo farei o pedido do Nam que recebi u.u
DEIXEM SEUS PEDIDOS NOS COMENTÁRIOS, ELES MOVEM A FIC :3

Capítulo 10 - Súplica


Súplica

Como ela podia ter certeza de que ficar não era certo? Ele não sabia, tão pouco se importava. Sua prioridade era tê-la em seus braços.

Conforme o tempo passava, mais ele via que a clarabóia estava se tornando muito pouco para a relação dos dois. Um feixe de luz nunca substituiria o privilégio de ver um céu azul. Porém, não podia deixar isso acontecer. Ele queria permanecer, ele ansiava que ela permanecesse. 

— É errado, ele se foi agora, o sofrimento deve acabar — ela afirmava.

Oras, desde quando havia se tornado tão fraca? Onde estava a mulher que lhe tomou a mão, tomou-lhe o corpo e o primeiro beijo? Logo ela queria que fosse embora?

— Não, vamos ficar assim por mais um tempo. Juro que não me importo! Ambos não queremos que isso pare.

— Eu quero! Ele destruiu seu passado, não seu futuro. Pegue a chave e vá embora, por favor! Tome esse mapa e esse celular... É meio antigo, mas vai ser melhor assim. Eu já avisei seus pais, só siga reto para os encontrar.

E Jimin foi, mas não sem antes prometer:

— Vou voltar, buscar-te e então tu serás minha prisioneira.

Dito e feito. Quando voltou, todos o receberam com abraços calorosos, amor e saudades, enquanto o garoto só conseguia pensar em um plano para trazer o amor de sua vida. Perguntaram quem era a mulher da ligação e ele apenas falou:

Minha salvação.

Não que fosse mentira. Há 6 anos, ao ser sequestrado pelo pai da moça, era ela quem lhe dava comida e cuidava de si. Tão carinhosa, tão generosa, apesar de apanhar por cuidar-lhe tão bem.

Graças à sua burrice, perdeu o bendito mapa. Procurou-a durante meses, até finalmente conseguir encontrá-la aleatoriamente, numa cafeteria. Então, arrastou-a até sua nova casa.

— Tente me deixar e eu vou na polícia te denunciar e dizer que você me sequestrou — ameaçou, sorrindo vitorioso.

Aqueles anos de escuridão o fizeram alguém ruim, alguém que faria tudo, absolutamente tudo, para ter sua menina em braços.

— Amo-te, pequena.

E ele se tornou o ditador, o dono das noites difíceis da jovem. Onde estava o rapaz amoroso, o qual há anos implorou por um simples selar?

— Você se lembra de quando eu te levava comida?

— Sim, depois disso seu pai te batia...

— Era porque eu gostava de você.

— E agora? Gosta mais ainda, não? — sorriu.

— Agora? Eu nem sei mais o que isso significa.

Jimin desatou a chorar. Idiota, burro. Devia ter tratado a garota bem! Mas não adiantava mais, afinal, estava tão vazia que podia ver seus olhos sem brilhos contrastando com os roxos atuais em sua pele, roxos que, diferente dos feitos por seu pai — os quais já estava acostumava —, doíam, doíam muito.

— Você estava certo. Eu sou sua prisioneira, seu brinquedo. Quebre-me.

Não adiantava o quanto chorasse, a garota apenas o encarava como uma súplica, como se pedisse para que lhe matasse de uma vez por todas.

Sem mais pensar, Jimin jogou o próprio corpo no chão, agarrando-lhe os pés e os beijando.

— Não, meu amor, por favor, eu prometo que vou ser melhor! Não me diga isso, não faça isso comigo!


Notas Finais


Gostaram?
Obrigada por ler :3
Deixe seu pedido, pls :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...