História The Love Is Beautiful - Capítulo 58


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Diabolik Lovers
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Amor Doce, Casamento, Hentai, Irmãos, Namoro, Vampiros, Vida
Exibições 9
Palavras 838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


:3
Falo nada... Só observo

Vai lê logo...

Capítulo 58 - Não importara se fosse um pecado...


Fanfic / Fanfiction The Love Is Beautiful - Capítulo 58 - Não importara se fosse um pecado...

°No dia seguinte

Kirsty se levantou cedo, cedo demais pelo visto, ninguém havia acordado ainda, o sol ainda estava nascendo, Kirsty se vestiu, desceu as escadas e foi até a cozinha, fez um achocolatado pra mesma, mas também fez um café pros outros, bem, só pegou uma maça e saiu, estava andando sem rumo, na verdade, estava andando pelo parque que ainda aparentava estar um pouco escuro, não mais escuro, pois tinha os postes com luz, ela avistou ao que parecia um menino, loiro, um pouco alto, ela duvidara que seja Arthur, ele não saía para caçar parecia décadas, o garoto deu um olhadinha pra trás através dos cabelos, avistou Kirsty, mas seguiu em frente, nessa “olhadinha” Kirsty teve a certeza de que era Arthur, mas...

“Por que não falara comigo?”

Era estranho já que toda vez que se encontravam ele fazia um esforço para falar com Kirsty, às vezes fazia até loucuras ameaçando revelar a identidade de vampiro na rua, mas isso não aconteceu, nesse dia Kirsty quase se ajoelhou no chão da praça em que estava para dar apenas um “Graças a meu Kami-sama”, Kirsty se teletransportara dali onde estava parada feito uma retardada para onde Arthur olhava fixamente enquanto andava para longe dali...

- O que vc quer Kirsty? - Perguntou ele

- Por que estás assim? Foi por que eu não ficara do seu lado ontem? - Perguntou ela

- Só... Deixa-me sozinho um pouco... - Falou ele

Ele continuou á seguir em frente, mas Kirsty o puxara pelo braço, Kirsty estara de rabo de cavalo com umas mechas soltas, apenas de lado...

- Olha Kirsty, não tem nada a ver sobre o que aconteceu ontem, eu só quero um tempo sozinho, para pensar... - Ele falara delicadamente, não parecia estar bravo...

Kirsty o soltou, e saiu dali imediatamente com o teletransporte, mas o vigiara de longe, ele iria para casa, seu pai não estara em casa, subiu as escadas, foi até seu quarto e pegara uma toalha e foi em direção ao banheiro, sentou-se na banheira com água gelada, e pensou em várias coisas, inclusive na Kirsty, pensou em como seu corpo era perfeito do jeito que era, pensou na cor do seu cabelo no tom roxo, pensou na cor de seus olhos quando se transformara em vampira, ficou excitado, não ligara pra isso, só estava perdido em seus pensamentos, dois minutinhos depois voltou a realidade, ainda estava excitado queria se aliviar de tudo aquilo, enquanto ele reparava na água que caia do seu cabelo, Kirsty estava lá, mas não o observando, estava na no banheiro de toalha olhando fixamente para Arthur...

- Desde quando vc está ai? - Perguntou ele

- Deixe-me te aliviar Arthur - Pediu ela - Eu aceito passar todos os dias da minha vida ao seu lado, mas deixe-me te aliviar, nem que seja pela última vez

Arthur se impressionara com o que tinha acabado de ouvir essas palavras vindo de Kirsty...

“O que deu nela?” - Ele se perguntou

E antes que ele pudesse responder, Kirsty tirara a toalha em que estava segurando e entrara na banheira, Kirsty se sentou colocando assim o “amigo” de Arthur dentro dela...

- Isso é loucura Kirsty - Fala Arthur

Ela se levanta e dessa vez vira de frente, colocando assim o “amigo” de Arthur dentro dela novamente, mas dessa vez pela parte de frente...

- Eu sei que você quer Arthur, pare de se fingir de difícil, eu sei que você não é assim - Fala ela

Ele estava cada vez ficando mais excitado, ele não se contentara e a beijou assim saindo da banheira e a colocando na parede a penetrando, dessa vez quem azunhara era ele, azunhava sua bunda, sua coxa...

“Enquanto ela?”

Ela desejara mais, dava para ver na cara de excitação dela, a cada estocada que ele dava, ela passava a mão sobre seus fios de cabelos, continuavam a beijar-se, ele foi descendo os beijos até chegar a seu pescoço na qual deu uma mordida, ela gemia, ela o puxava mais para perto de si, ele a penetrava com força, ele gostava de vê-la gemer seu nome, os dois sabiam que iriam ter encrenca se alguém descobrisse que já era a segunda vez que eles faziam isso, sabiam que aquilo era errado pros dois, mas eles se desejavam, ela o queria, ele a queria mais, ela gemia de prazer, ele azunhava sua bunda, suas costas, dava estocadas, fazia movimentos de vai e vem rápido, depois a pedido dela, ele começou a ir devagar assim a beijando levemente, ela ligou o chuveiro e a água caía levemente nos dois, ele massageava os seios dela de vez em quando, ela gemia sôfrega em resposta, a cada beijo feroz as palavras entre eles morriam...

Ela não se importara em viver ao lado dele pelo resto da vida, ela não se importara se isso seria um pecado, ela queria mais, queria mais, não importa se faria aquilo todo dia, toda semana ou até todo mês, o desejo falava mais alto...


Notas Finais


:3
Eu sei, eu sei...

Tchau <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...