História The love of my life - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Accola, Chris Wood, Ian Somerhalder, Nikki Reed, Nina Dobrev, Paul Wesley, Phoebe Tonkin
Personagens Candice Accola, Chris Wood, Ian Somerhalder, Nikki Reed, Nina Dobrev, Paul Wesley, Phoebe Tonkin
Tags Delena, Nian, Tvd, Weskin
Exibições 181
Palavras 2.945
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


como o titulo ja diz, tem beijo, não disse de quem. leiam sz

Capítulo 9 - O beijo


Fanfic / Fanfiction The love of my life - Capítulo 9 - O beijo

 

Ian

Eu continuei deitado por uns poucos minutos recordando-me daquele sonho, estava tão extasiado, quando fechava meus olhos conseguia sentir o sabor de sua boca na minha, tinha sido tão real, eu levantei, definitivamente não conseguiria mais dormir, fui ate o banheiro e tomei um banho quente, fazia muito frio, deveria ser quase 06hrs00min da manha. Nikki ainda dormia tranquila, eu me arrumei, peguei as chaves do meu carro e me dirigi até a casa de Nina, cheguei rápido lá, mas o porteiro me proibiu de entrar, e quando eu insisti que ele interfonasse, ele me disse que ela tinha saído muito cedo, mas para onde ela iria? e nesse momento só um lugar me veio a cabeça, a casa de Chris. Eu não pensei, eu simplesmente agi, peguei meu carro e dirigi até a casa do imbecil.

Nikki

eu acordei e toquei o lado da cama mais ele não se encontrava mais la, desde que ela tinha voltado era difícil eu acordar e ver Ian na cama, eu remexi nos meus cabelos, droga as pontas estavam estragadas, precisava urgente de um salão, quando vai concorrer com sua arque inimiga, você tem que está a altura. Eu levantei e abri as cortinhas, meus olhos doeram com a claridade, definitivamente fazia um dia frio, Ian deveria estar na sala, era essa a direção que eu estava tomando até ver um papel dobrado, era um bilhete. Eu li muito rápido e tive que reler, Ian em uma balada? com ela?, isso estava saindo cada vez mais do meu controle, eu precisava agir imediatamente e era o que eu faria, eu precisava de um plano, não tinha, mas eu faria algo, não iria perder-lo, não o perdi antes e não vou perder ele agora.

Nina

Chris estava no banho, ele tinha suado bastante depois de todo o esforço que fez para me agradar, eu sorri com a lembrança de minutos atras, Chris me  fazia muito bem, me fazia se sentir feliz, mas naquele momento eu não estava, tudo que eu pensava era em como Ian tinha me magoado, tudo que ele fez, como ele me enganou, senti meus olhos arderem e respirei fundo não iria e nem poderia chorar ali, Chris saiu do banho apenas de toalha mostrando o corpo magnifico que ele tinha, ele me deu um sorriso malicioso e eu retribui, ele chegou perto de mim e iria me beijar mas antes de alcançar meus lábios a campainha tocou freneticamente.

- eu atendo. - eu disse dessa vez encostando os nossos lábios.

- eu vou me vestir e já desço - ele disse me dando um beijo de eskimô, eu sorri dei mais um selinho e desci as escadas, já estava ficando irritante o barulho daquela campainha, eu desci o mais rápido que pude até finalmente chegar a porta.

- quanta impacien... - eu não consegui terminar a frase quando abri a porta e me deparei com ele.

- precisamos conversar. - ele disse totalmente serio.

- você já deixou tudo claro ontem Ian, me deixa em paz. 

- eu não posso. - ele baixou a cabeça e quando levantou novamente para me olhar-me, seus olhos estavam marejados - não posso te deixar ir sem antes te pedir desculpas e admitir que eu fui um... - ele parou de falar e me encarou intensamente.

- foi um ? - eu insisti, mas o olhar dele se tornou frio cheio de ódio, aquele olhar que me causava medo.

- você voltou com ele? - ele estava enfurecido.

- nunca terminamos Ian, mas eu e você, sim, terminamos por aqui, apenas vá embora. - ele relaxou a expressão de fúria e estava se virando para sair mas Chris chegou muito rápido a porta fazendo toda a fúria de Ian voltar e antes de Chris falar qualquer coisa Ian o acertou com um soco, Chris revidou, eles começaram a brigar feito dois brutamontes, eu gritava feito uma louca pedindo para eles dois pararem mas de nada adiantava, eu corri até o quarto de Chris e peguei uma arma, a arma que o Chris sempre guardava para caso de assaltos, eu desci correndo e Ian estava por cima de Chris o esmurrando, Chris estava prestes a perder a consciência, então eu apontei a arma pra cima e puxei o gatinho, nem eu mesma sei como aquilo funcionou mas Ian olhou para mim assustado e parou de bater em Chris assim que ouviu o disparo.

- VAI EMBORA AGORA IAN, ANTES QUE EU MUDE DE IDEIA E CHAME A POLICIA! - eu gritei, ele olhou assustado para as próprias mãos ensaguentadas pelo sangue de Chris

-Nina eu...eu... - ele não sabia o que dizer, mas nada que ele dissesse mudaria o fato de que ele era um verdadeiro imbecil e egoísta.

- VAI EMBORA AGORA! - eu vociferei e enfim ele entendeu, saiu sem dizer mais nada fechando a porta a suas costas, eu corri até Chris e me assustei ao ver seu rosto encharcado de sangue, Ian poderia ter matado ele, que imbecil, eu liguei para a ambulância e fui com Chris para o hospital, liguei para Julie e desmarquei a entrevista, não queria ter de encarar Ian tão cedo.

Ian

Eu não sabia porque tinha feito o que eu fiz, que droga eu quase matei ele, se a Nina não me impede, Deus só de imaginar ele tocando nela, da vontade de voltar e dar outra surra nele, isso não deveria estar acontecendo de novo, eu e Nina não tínhamos que voltar a nos ver, mas agora parece tão errado ficar longe dela, eu não queria ir para casa e ver a Nikki, tomei meu caminho para casa de Paul.

Phoebe

Paul estava estirado em seu sofá comendo alguma porcaria, eu estava vestindo a camisa dele e fazendo algo decente para comer, eu adorava estar com Paul mais a irresponsabilidade dele me irritava, fora o tanto de mulheres que perseguiam ele, o passado dele não era um dos mais bonitos, ele era um galinha, mas abriu mão disso para ficar apenas comigo, embora não estivéssemos namorando, pelo menos não ainda, ele se mantinha fiel a mim, a campainha da casa dele tocou e ele pediu para eu ir até lá, nossa definitivamente ele é a pessoa mais folgada desse mundo, ódio. Fui atender e me deparei com o Ian, seu supercílio sangrava e o canto da boca tinha um pequeno hematoma, pelo visto tinha brigado, eu o olhei assustada mas não disse nada.

- Paul está? - ele me perguntou ignorando minha expressão.

- sim - eu disse engolindo a seco - entre.

Paul ficou louco quando viu os machucados do Ian, finalmente tinha levantado do sofá, eu os deixei na sala e voltei a cozinha, mas estava curiosa, precisava saber o que tinha acontecido, cheguei perto da porta que dava para sala e comecei a ouvir tudo, os planos de Ian para se vingar da Nina, e como ele se envolveu com ela e percebeu que não havia a esquecido, e que agora estava totalmente arrependido, a voz dele era trêmula, Paul dizia palavras de incentivo e Ian agradecia, então Ian finalmente contou o porque dos machucados, havia brigado com Chris o namorado da Nina. Sorri ao imaginar a expressão de Nikki se soubesse disso.

- espero que ele esteja pior que você. - Paul disse rindo

- ele está, dei uma surra das boas.- Ian respondeu em satisfação.

Homens, eu pensei, eles mudaram de assunto do nada, estavam falando de mim.

- Phoebs em? - disse Ian e seu tom era malicioso.

- não fala assim - disse Paul - ela não é como as outras, ela é especial.

- nunca pensei que viveria para te ver apaixonado Paul.

QUE? PAUL? APAIXONADO? POR MIM?

- e eu nunca pensei que te veria de novo tão louco pela Nina, mentira eu sempre soube que isso aconteceria novamente. - ambos riram. - de qualquer forma, Phoebs me faz sentir coisas boas, eu quero ela perto de mim a todo momento, acho que vou pedir ela em namoro. 

NOSSA SENHORA DOS CRUSHS ELE VAI ME PEDIR EM NAMORO?

- que gay - disse Ian - mas vai fundo, não comenta meus erros. Eu tenho que ir para casa, Nikki deve estar uma fera. 

Ian e Paul se despediram e Paul foi ate a cozinha, eu saltei da porta e fingi procurar algo na geladeira.

- o que esta procurando? - ele me perguntou

-  bacon.- eu disse nervosa.

- pra comer com cereal? - só então eu me dei conta da tigela de cereal que estava na mesa. eu olhei para ele sem resposta e por sorte ele continuou - eu preciso te perguntar uma coisa.

- EU ACEITO. - respondi sem me conter.Ele riu e eu continuei - aceito namorar você, sim estava ouvindo conversa me perdoa.

- isso é uma ótima noticia, mas eu ia te perguntar se você era uma daquelas malucas que mistura bacon e cereal. - eu fiquei sem chão, mas antes que eu me abalasse totalmente ele se aproximou de mim e me deu um beijo intenso.

- por que isso? - eu perguntei 

- nosso primeiro beijo como namorados, agora você é minha namorada, só minha. - eu sorri boba para ele.

- e agora você é só meu, todinho meu. - ele sorriu e me beijou de novo, eu estava tão feliz, estava apaixonada.

Ian

eu fui para casa e Nikki já me aguardava no sofá, ela deu um pequeno show, discutimos feito, e por fim ela perguntou o que havia acontecido ao meu rosto, eu disse que tinha sido assaltado, ela não acreditou, eu sou um péssimo mentiroso, deixei ela continuar a gritar sozinha e fui tomar banho, chamei o maqueador para ele tentar da um jeito de esconder os machucados e ficou realmente bom, fui para a entrevista, Nina não estava lá, Paul estava radiante, pelo menos um de nós estava conseguindo, perguntei a ele porque Nina não tinha ido e logico que a resposta era Chris. Que ódio, Julie me avisou de uma causa de caridade para o cast ir pintar uma instituição, eu concordei, queria ficar longe da louca da Nikki naquele momento, a entrevista acabou, e meu sonho, bem foi só um sonho, cheguei em casa e Nikki começou o berreiro de novo, que saco, eu peguei um de seus remédios de dormir e a ignorei mais uma vez, acordei em cima da hora, mas acordei, fui para a instituição, talvez eu a visse por lá.

Nina

Chris estava muito machucado, mas por sorte não teve nenhum ferimento serio, Ian seu idiota, Julie me avisou de um evento hoje, eu estava tão cansada e preocupada com o Chris, não queria sair do hospital, mas eu amava ajudar nas boas causas e acabei indo, passei em casa antes para tomar um banho e trocar de roupa, hoje estava mais quente então arrisquei um shortinho e uma camiseta, eu iria pintar, tinha que estar com uma roupa assim, coloquei meu casaco e sai, Ian estaria lá,  e por mais ódio que eu estivesse dele, eu não via a hora de finalmente vê-lo novamente.

Quando cheguei todos já estavam lá, e quando meu olhar encontrou o dele, Deus eu tremi, ele estava com alguns machucados e eu queria cuidar, por Merlim Nina apenas pare, eu disse a mim mesma quando cheguei cumprimentei todos, exceto ele, eu poderia querer, mas ele não precisava saber disso.

- vamos dividir as equipes - disse Julie 

- que tal duplas?- sugeriu Paul dando um olhar significativo para Ian. 

- ótima ideia. - disse Cand animada olhando para Paul, tadinha, só ela não via que ele estava apaixonado pela Phoebs.

- é sim. - disse Phoebs surgindo com o cast de the originals. - Cand fechou a cara.

- então, eu e Kevin pintamos aqui fora, Paul e Phoebs vão para a sala da direção da instituição, Nina e Cand...

- Nina e Ian vão para a sala da piscina. - disse Paul interrompendo Julie e antes que alguém pudesse discutir ele continuou - vamos logo, precisamos começar o quanto antes.

eu não discuti, eu e Ian seguimos para a sala da piscina, iriamos pintar de azul celeste.

- que tal você pega aquela parede e eu essa? - eu disse a ele, não me confiava ficar perto dele.

- ou podemos ficar só em uma parede, você começa daquela ponta e eu dessa, assim terminamos mais rápido. - Deus ele era um gênio, isso iria nos aproximar a medida que pintávamos.

 

- eu prefiro minha ideia. - eu disse cruzando os braços.

- eu prefiro a minha. - ele me imitou cruzando os braços também, idiota.

- tudo bem Ian, não quero discutir faremos do seu jeito. - ele sorriu

- uau, você realmente me surpreende. - ele disse já indo em direção ao seu balde de tinta e começando a pintar sua ponta, eu o imitei.

- porque? - eu perguntei.

- você era a pessoa mais teimosa que eu conhecia. - ele disse agora focado na pintura.

- as pessoas mudam Ian,e crescem, e amadurecem, e ...

- eu entendi Nina - ele interrompeu - eu sou infantil, imaturo, entendi. 

- você também me surpreende Ian - eu disse sorrindo.

- porque? - ele me encarou

- você nunca deixaria alguém falar assim de você. - eu achei que ele fosse ficar bravo mais para minha surpresa ele deu uma gargalhada gostosa que me fez sorrir

- isso é verdade, mas eu abro exceções, ou melhor dizendo, exceção. - ele me encarou intensamente e eu desviei meu olhar para a parede focando a pintura.

O silencio tomou conta do ambiente, mas não era um silencio incomodo, pelo contrario ele era bem vindo, Ian me olhava de vez enquanto, as vezes eu olhava para ele, e sempre que nos pegávamos olhando um para o outro desviávamos o olhar e sorriamos, eu não notei o quanto já tinha pintado, já estávamos muito próximos mas eu não o vi e quando mergulhei o pincel no balde de tinta ela respingou no Ian.

- ai me desculpe, eu juro que eu não te vi. - ele me olhou sapeca e passou o pincel de tinta no meu rosto.

- IAN SEU IDIOTA, EU NÃO FIZ DE PROPOSITO. - eu gritei, mas ele continuava rindo e eu acabei rindo também, peguei o meu balde de tinta.

- não Nina, o balde inteiro não, por favor... - era tarde demais, já tinha jogado toda a minha tinta na cara de Ian e ele estava coberto, eu gargalhei

- é guerra que você quer? - ele disse fazendo uma expressão assassina no rosto, eu comecei a correr rindo e ele veio atras de me coberto de tinta e me agarrou pela cintura esfregando o corpo dele no meu me fazendo ficar toda suja de tinta.

- Ian seu idiota - eu não parava de rir e ele me agarrava com mais força, me virou de frente e sussurrou:

- parece que esta meio sujinha, que tal um banho? - ele não iria me jogar na piscina iria?

- Ian não por favor, não Ian, nã... - tarde demais, ele me abraçou mais forte e pulou na piscina comigo eu seus braços, a água estava muito fria, e eu estava usando pouca roupa.

- que droga Ian,eu to congelando - ele ainda estava abraçado a mim rindo

-droga a água ta muito fria, não deveria ter feito isso. 

- mas fez, qual a sua idade? 18? - eu estava irritada, estava muito frio.

- não, mas é assim que eu me sinto quando estou perto de você. - ele ficou serio.

- o que quer dizer? - eu perguntei e não me dei conta de que tinha passado as minhas mãos em torno do pescoço dele.

- quando você tem 18 todos os seus sonhos são possíveis, você se acha o dono do mundo, acha que pode até voar, e bem, quando estou com você é assim que me sinto. -  ele disse isso tão naturalmente que por um momento pensei que ainda estivéssemos namorando, que nunca tivéssemos terminado, e acho que ele também pensou o mesmo,  ele sorriu para mim, estava tão lindo com os cabelos úmidos, me olhando como se eu fosse a unica garota no mundo, ele aproximou nossos rostos e eu fechei meus olhos.

- Nina.. - ele sussurrou - eu sinto falta dos seus beijos. - o sussurro me causou um arrepio fazendo os pelos de minha nuca se eriçarem, aquilo não tinha nada haver com o frio.

- eu também sinto falta dos seus. - minha voz era quase inaudível, mas eu tive certeza que ele ouviu, Ian colou os lábios deles no meu e mil borboletas no meu estomago acordaram, o beijo era intenso e lento, nossas línguas dançavam e travavam uma batalha para ver quem tinha sentido mais falta uma da outra, não demorou muito para o beijo ficar quente, e não existia mais frio, Ian mergulhou junto comigo e continuamos o beijo embaixo da água, eu sorri com isso, voltamos a superfície ainda com os lábios colados, eu não queria me separar dele, Ian se movimentou na água e me encostou na borda da piscina finalmente desgrudando nossos lábios, ele me encarou serio, eu sabia que deveria parar, eu tinha que parar, mas eu não queria, depois de encara-lo por meio minuto eu tomei a iniciativa e voltei a beija-lo, precisava daquele beijo, todas as sensações no meu corpo por conta de um beijo eram indescritíveis, ninguém iria chegar ali, tenho certeza que Paul cuidaria disso, e eu queria ir alem.

 

 

 


Notas Finais


e então?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...