História The Love We're Hoping For - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jake Bugg, Shawn Mendes
Personagens Jake Bugg, Shawn Mendes
Tags Eu To Loca, Jake Bugg, Shawn Mendes, Shipp Estranho Eu Sei
Visualizações 24
Palavras 2.256
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heey, como o previsto olha noix de novo ae carai UAHSUAJEO o começo tá meio que "mais do mesmo" Kkkkkkcry sorry.
Jake sendo pau no cu (e geograficamente preconceituoso), why not? Obrigada quem favoritou a fic, é noix galera \o/
Boa leitura ❤
Foto do Jake com os parças para ilustrar o cap.

Capítulo 2 - I'm sorry I met you, darling.


Fanfic / Fanfiction The Love We're Hoping For - Capítulo 2 - I'm sorry I met you, darling.

 

— Shawn —

 

Eu estava cansado.

Cansado de não saber o que fazer.

Cansado das perguntas dos meus pais e amigos.

Cansado de estudar a vida toda.

Cansado das promessas da vida adulta, das responsabilidades que viriam a seguir. 

 

Quando uma das minhas tias me convidou para passar um tempo em sua casa, foi como uma benção divina. Era tudo o que eu precisava para organizar meus pensamentos.

 

[...]

 

 

   Meus primeiros dias em Clifton não foram exatamente o que eu esperava. Era um lugar parado, com muita natureza ao redor, mas, algo parecia errado dentro de mim. Talvez fosse eu tentando me acostumar em estar longe de casa, da minha mãe e irmã. 

   Uma semana depois de chegar, eu finalmente estava me sentido melhor, como se eu tivesse me adaptado ao lugar.

 

 

   — Ei, Shawn. Minha mãe disse que quer fazer um bolo pra você, mas ela precisava comprar algumas coisas. — Lisa chamou, enquanto eu estava na varanda apreciando a brisa fresca da manhã.

   — Você quer que eu vá, preguiçosa. — Resmunguei, escondendo o riso.

   — O bolo é pra você mesmo! Vai lá, tem um mercado aqui perto. Eu tenho que levar Saul pra passear. — Lisa riu, segurando a guia de seu cachorro, um labrador bege, em uma mão e a lista do mercado na outra.

    — Seu cachorro tem um nome estranho. — Falei rindo, pegando a lista e acariciando os pelos do cachorro.

    — Foda-se. Volta logo. — Lisa riu, indo até o portão comigo, antes de seguir para outro caminho.

 

    A visita ao mercado tinha tudo para ser uma coisa rápida e simples, mas, como a vida não é fácil, ocorreu exatamente o oposto. Depois da fila demorar uma eternidade, o caixa grosseiro conseguiu piorar tudo ainda mais. Eu nunca fui uma pessoa que se irritava fácil, mas, aquele garoto fez por merecer. Sai do mercado bufando, felizmente com a caixa de ovos inteira e as outras coisas.

 

 

     — O que foi? Por que você tá bravo desse jeito? — Lisa perguntou, com as sobrancelhas erguidas em surpresa. 

    — Essa droga de mercado. A fila demorou mais de vinte minutos, e o caixa era um idiota completo! —  Reclamei com raiva, entregando a sacola para ela.

    — Essas coisas acontecem. — Lisa falou rindo, colocando a sacola sobre a mesa.

    — Eu sei, mas ahhhh ele foi tão idiota! Parecia que ele estava fazendo de propósito. — Falei resmungando, sentando em uma das cadeiras.

    — O que aconteceu, Shawn? — Tia Marie perguntou, começando os preparativos para o bolo.

    — Nada, ele só estranhou a educação da gente. — Lisa riu, recebendo um tapa fraco e um olhar raivoso de minha parte.

    — Melhor se acostumar. — Tia Marie riu junto de Lisa, me fazendo bufar mais ainda.

    — Que tal a gente sair hoje a noite? Ver se melhora essa sua carinha de filhote com raiva. — Lisa falou apertando uma das minhas bochechas, fazendo-me revirar os olhos. — Podemos ir em um bar, alguns amigos meus vão estar lá. 

 

    — Acho que pode ser legal. — Dei de ombros, com um sorrisinho. Ficar em casa lamentando eternamente não iria acabar em lugar nenhum.

    — Ótimo! Vamos umas 19h. — Lisa comemorou, bagunçando meus cabelos antes de sair correndo para outro cômodo. Essa garota é uma lunática.

     

    

    As 19h eu já estava pronto, com minha calça preta e camiseta cinza, esperando por Lisa no quintal da casa, com Saul dormindo ao meu lado. Eu estava um pouco nervoso em conhecer os amigos de Lisa, como ela é um pouco mais velha do que eu, seus amigos provavelmente também eram, isso me deixava nervoso. E se ninguém gostar de mim? E se todos rirem da minha cara?

   — Relaxa, Mendes. Eles não vão implicar com você. — Lisa falou sorrindo, enganchando um braço entre um dos meus. — Você é praticamente meu irmão, e aliás, você é um cara legal.

   Às vezes, eu tinha a impressão de que ela conseguia ler minha mente. 

   — Obrigado. — Respondi sorrindo.

   — Não voltem muito tarde! — Tia Marie gritou de dentro da casa, fazendo nós dois rirmos. 

   — Pode deixar! — Gritei de volta, antes de Lisa me arrastar para fora da casa.

   — Ela é tão protetora, acho que esquece que eu já tenho 23 anos. — Lisa revirou os olhos, antes de puxar e acender um cigarro.

   — Eu sei como é. — Falei rindo, balançando a cabeça.

   Tanto Lisa quanto eu, eramos filhos de pais divorciados, morando com suas mães. Parecia natural para as duas serem um pouco protetoras demais. Ou talvez, isso só era uma coisa da família Mendes, no final das contas.

   

    Não demorou muito para chegarmos até o ponto de ônibus, e dentro de cinco minutos nós embarcarmos em um. Demorou um pouco mais de 20 minutos para chegar até o bar, todos os lugares pareciam ser próximos em Clifton. Era um lugar não muito grande, com os dizeres "Rock Night" em uma placa neon (bem clichê). Algumas pessoas estavam na porta, e música acústica podia ser ouvida do lado de fora.

    — Anda, vamos entrar. — Lisa saiu acotovelando as pessoas, enquanto me puxava pelo pulso.

    — Lisa, você não pode fazer isso, pelo amor de Deus! — Tentei falar, mas ela só me puxou mais forte.

    — Relaxa, garoto. Aqui as coisas são assim mesmo. — Lisa riu, finalmente chegando na porta do bar, enquanto várias pessoas reclamavam e xingavam nós dois.

    Eu estava meio assustado, enquanto assistia Lisa praticamente brigando para finalmente entrar.

    — Meus amigos estão ali, vamos lá! — Lisa acenou entusiasmada, enquanto voltava a me puxar pelo pulso. 

   Aparentemente eu havia perdido minhas habilidades de andar, mas até então tudo bem. O problema foi quando eu olhei para a mesa que Lisa estava acenando, eu congelei do lugar. O caixa do mercado, o garoto que eu havia discutido mais cedo estava lá, sentado com a mesma cara entediada de antes. Por Deus, esse garoto nunca estava feliz com nada?

    — O que foi? — Lisa perguntou confusa, tentando me puxar consigo.

    — Não podemos ir lá. — Sussurrei, segurando ela pelos ombros, encontrando um canto afastado para conversar.

    — O quê? Por que não? Eles são legais. — Lisa perguntou curiosa, enquanto eu tentava tomar coragem de falar.

    — Aquele seu amigo, o de roupa preta e cara fechada... — Falei respirando fundo. — Foi com ele que eu briguei hoje.

    — O Jake? Isso é bem a cara dele! — Lisa começou a rir, enquanto eu tentava manter a calma e não surtar mentalmente.

    — De todas as pessoas desse lugar, você tinha que ser amiga logo dele?! — Murmurei, cobrindo o rosto com as mãos.

    — Clifton não é um lugar muito grande, sabe. Mas vamos lá, Jake pode ser um pouco emburrado, mas ele é um cara legal. E aliás, meus outros amigos estão lá. — Lisa falou, tentando me puxar em direção a mesa pela milésima vez em cinco minutos.

    — Não posso aparecer lá como se nada tivesse acontecido! — Falei reclamando, agitando os braços.

    — Ei, Lisa! Esse é seu primo? Vem sentar com a gente. — Uma voz soou, me fazendo ficar paralisado. Por sorte, vinha de uma outra mesa, atrás de nós.

    — Vamos. — Eu praticamente arrastei ela até a mesa, sentando junto de seus outros três amigos.

    Eu podia encarar alguns amigos de Lisa, mas definitivamente não podia encarar o tal do "Jake" naquela hora.

 

     Lisa me apresentou para seus amigos Chris, Robert e Jesse. Eles brincaram com o fato de eu também ser canadense, mas nada que eu não pudesse levar na brincadeira. E eu estava verdadeiramente aliviado por isso.

 

 

    Uma banda tocava ao fundo, enquanto nós conversávamos, comendo batatas fritas e bebendo cerveja. Os amigos de Lisa eram bem legais, e muito parecidos com ela. A noite estava correndo muito bem, eu tinha esquecido dos problemas e estava aproveitando minha noite em Nottingham pela primeira vez. Até que Lisa teve que abrir a boca para seus amigos, essa garota deve ter um sério problema.

    — Vocês sabem com quem o Jake brigou hoje? — Lisa falou empolgada, fazendo eu começar a suar frio em antecipação.

    — Difícil, o Jake briga com um monte de gente. — Robert falou rindo, sendo acompanhado pelos outros.

    — Com o Shawn! Dá pra acreditar? E é verdade mesmo, ele tá trabalhando no mercado. 

    — Impossível, primeiro porque Jake não trabalharia nem em um milhão de anos. E segundo, seu primo é provavelmente a pessoa mais educada nesse bar. — Jesse falou rindo, enquanto eu tentava sorrir de forma constrangida.

    — Eu tô falando. Até ele ficou com raiva do Jake.

    — Onde ele tá, falando nisso? Ele disse que ia vir hoje. — Chris perguntou, olhando ao redor para as mesas.

    — Ah não, por favor. Não chamem ele. — Eu praticamente choraminguei, mas já era tarde demais, Robert estava acenando para alguém, e com certeza era o tal do Jake. Ah, ótimo.

 

     Mentalmente eu queria muito me bater, por ser tão idiota e aceitar vir. Cobri o rosto com as mãos, na tentativa de me esconder, ou então acordar, porque aquilo era um pesadelo, só podia ser. Talvez, eu pudesse escapar indo até o banheiro e depois  embora. Levantei para sair da mesa, mas acabei dando de cara com Jake, fazendo meu plano ir por água abaixo. Parabéns, Mendes. Você estraga até seus próprios planos. Aqueles segundos constrangedores se encarando, me fez desejar nunca ter saído do Canadá. Jake arregalou os olhos, exibindo suas íris azuis, que até então eu não havia notado, e eu acabei decidindo que a humilhação de correr para o banheiro não valeria a pena. Sentei de volta, tentando não fazer contato visual com ele, e torcendo para que ele apenas ignorasse a minha existência na fase da terra.

     

   [...]

 

 — Jake — 

 

   Eu tinha certeza que ouvi Lisa chamando, mas eu não conseguia achá-la no meio de tantas pessoas. Meus amigos e eu pedimos cervejas e continuamos a conversar. Talvez eu só estivesse oficialmente ficando louco.

    Um bom tempos depois, eu ouvi meu nome ser chamado novamente. Não era possível, eu estava louco?

    — Vocês ouviram alguém chamar meu nome? — Perguntei para meus dois amigos, Adam e Paul.

    — Cara, Robert tá chamando você do outro lado. — Paul respondeu, dando de ombros.

    Levantei para ir até meus outros amigos, enquanto Paul e Adam continuavam a conversar. Quando eu cheguei até a mesa, outro garoto estava levantando e nós acabamos dando de cara. O senhor maior sorriso do mundo e sotaque estranho. Eu arregalei os olhos com a visão, enquanto ele ficava mais branco que uma folha de papel. O universo provavelmente me odiava mais do que eu imaginava. O garoto sentou-se e eu fiz o mesmo.

    — Estava procurando por você, Jake. — Lisa sorriu, dando um soco fraco no meu braço.

    — Eu achei que tinha escutado você, mas não achei vocês depois. — Dei de ombros, mas alguma coisa clicou na minha mente depois de ouvir Lisa falar.

     Lisa era originalmente canadense, quando nós nos conhecemos ela tinha um sotaque esquisito que eu sempre brincava, hoje em dia era quase imperceptível. O garoto do mercado tinha o mesmo sotaque, ele era o primo de Lisa. Ótimo, mais um canadense em Clifton.

    — Estávamos falando de você agora mesmo. — Chris falou, com um sorriso de lado, como se estivesse tramando algo.

    Eu tinha os piores amigos do Reino Unido, ou pelo menos de Nottingham.

    — Parece que você já conheceu o meu primo, Shawn. — Lisa sorriu inocente, apertando Shawn pelos ombros. Jesus, aquela garota era o diabo. Eu tinha certeza que eles estavam tentando me envergonhar para pedir desculpas ao garoto, como geralmente acontece. Mas eu não ia dar aquele gostinho para eles naquele dia.

    — Infelizmente. — Respondi bufando, fazendo Shawn revirar os olhos, finalmente expressando alguma emoção.

    — Jake, dá um desconto para o garoto. Ele é legal. — Robert riu sem graça. Dei de ombros, tomando a cerveja de Jesse.

   Chris, Robert e Lisa começaram uma conversa sobre como a música que estava tocando era ruim, enquanto Jesse e eubrigávamos por causa da cerveja. Shawn pegou seu celular, provavelmente pedindo ajuda para sair daquele lugar.

    —Acho que vou ir conversar com Adam e Paul, e depois fumar um pouco. Já volto. — Lisa levantou-se, dando um aperto amigável no ombro do seu primo.

    — Você devia parar de fumar. — Shawn respondeu com uma careta, enquanto ela afastava-se rindo.

    — Era só o que faltava, um canadense certinho em Clifton. — Resmunguei, escondendo um sorriso de lábios com a mão, vendo como Shawn tentava ficar calmo, expirando com um pouco mais de força que o necessário.

    Eu sei, eu deveria parar de ser um babaca, mas eu simplesmente não conseguia controlar. 

    — Você é um idiota. — Shawn bufou, tomando um gole de sua cerveja.

    — Pelo menos eu não moro em um iglu. 

    — Não moramos em iglus, seu imbecil. — Shawn revirou os olhos pela décima vez,  olhando ao redor procurando sua prima.

    — Jake, para de ser idiota, cara. Que tal a gente ir dar uma volta? — Chris ofereceu, tentando amenizar o clima tenso.

    — É, nós ficamos aqui com o Shawn. — Jesse concordou, sorrindo tenso.

    — Pode ser. Qualquer coisa para deixar o senhor maior sorriso do mundo e sotaque estranho longe. — Resmunguei, cruzando os braços sobre o peito.

     — Você é tão estúpido, não sei como as pessoas te aguentam! — Shawn vociferou, levantando-se da mesa e indo embora do bar.

    — Já vai tarde! 

    — Onde meu primo tá indo? — Lisa perguntou com as sobrancelhas erguidas. Eu dei de ombros, com a maior cara de inocência possível.

    — Jake exagerou, como sempre. — Robert falou suspirando.

    — Puta que pariu, Jacob. Você não consegue pegar leve um dia? Ele é como meu irmão, precisava ser tão babaca assim?! — Lisa vociferou, verdadeiramente irritada.

    — A culpa é sua, ninguém mandou você trazê-lo. — Falei, fingindo estar indiferente, como sempre.

    — Arghh. Às vezes, eu tenho vontade de socar sua cara! — Lisa grunhiu, pegando suas coisas e indo atrás de seu primo.

    Parabéns, Jake. Você oficialmente arruinou a noite de todos.


Notas Finais


Heey, e aí? Soltem o verbo AUHSHAIJIE o lance do iglu, o Shawn falou numa entrevista que falaram isso pra ele, e eu fiquei "ah não, tenho que por" UHAHSHE até semana que vem ❤ (valeu aí se você leu até aqui, te amo) ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...