História The Lovers - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Visualizações 142
Palavras 3.212
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Fala quebrada como vocês estão hoje??

Capítulo 60 - Past and ice cream...


Olhei Emma sentada sobre a grama do parque, Storm corria a sua volta com uma bolinha na boca, como se a enganasse de alguma forma. Ele estava feliz e empolgado como de costume, ela brincava com ele sob o sol já algum tempo, enquanto eu curtia a sombra de uma árvore, me distraindo com a visão que tinha dos dois. Storm parou à frente dela, rosnando abafado pela bolinha que ainda estava em sua boca, ela levantou os braços ao lado do corpo, como se dissesse que não entendia o que ele queria. O filhote pulou sobre ela derrubando seu corpo contra o chão, ficando de pé com as patas dianteiras sobre os ombros dela, sua risada ecoou e eu sorri. Emma levantou seu tronco, abraçando Storm, olhou para mim sorridente e o filhote também me olhou com a língua pendurada para fora da boca, aproveitei meu celular em mãos e tirei uma foto dos dois naquela pose natural tão bonita e acolhedora. Olhei a imagem admirando quão boa havia ficado, sorri com o resultado a postando deixando dois corações na legenda. 

Ela se levantou correndo com Storm muito próximo as suas pernas, a maioria das pessoas observavam os dois e sua maioria com olhares admirados. Não tive tempo de processar direito quando o cão entrelaçou em meio suas pernas e ela caiu. Emma não se levantou e eu me preocupei, quando ameacei me levantar notei ela rindo com um dos braços sobre os olhos, enquanto Storm a rodeava rosnando de forma choramingada e ameaçando latir. Suspirei balançando a cabeça em negação, rindo baixinho. 

- Esse cachorro vai me matar. - Ela se sentou ao meu lado deixando que seu corpo caísse contra a grama. - Ah merda. - Storm pulou sobre ela, tentando lamber seu rosto, enquanto ela se debatia tentando fugir dele. - Uma ajuda seria boa Laur. - Ela resmungou. 

- Storm, vem aqui. - Chamei e ele pulou em minha direção. 

- Obrigada. - A olhei deitada na grama, levemente suada. Storm voltou para próximo dela e após algumas carícias ele se deitou ao seu lado. - Ei está tudo bem? 

- Uhum...

- Não parece, o que foi? - Ela se arrastou deitando a cabeça sobre minhas pernas. 

- Estou pensando em como te contar a minha história...

- Então não pensa. - A olhei confusa. - Apenas conte. 

Deixei meus dedos correrem em seus cabelos, enquanto ela olhava meu rosto de forma serena. Emma estava pronta pra ouvir o que quer que eu lhe contasse, mas minha história era diferente da dela. Completamente diferente. 

- Então... Eu... - Ela pegou minha mão livre, puxou até próximo ao seu rosto e deixou um beijo nas costas dela. Aquilo me deu a confiança que eu precisava. - Minha história é muito diferente da sua... Meus motivos, os que me trouxeram até aqui são bem menores que os seus...

- Ei, cada um tem sua história, se a sua fosse igual a minha não seria sua. 

- Eu conheci uma garota no backstage de um show, nós abriríamos para a banda que ela fazia parte. Bom... A gente fez amizade, mas eu ansiava por ela de outra forma, eu a queria como minha namorada, mas era bem mais complicado. Até porque na época que realmente aceitei meus sentimentos por ela, a mesma estava namorando com um cara...

- Desculpa interromper mas... A garota é a Camila? - Balancei a cabeça concordando. - Então todo aquele furdúncio não era infundado, a mídia toda falou sobre isso. 

- Calma, nós chegaremos nessa parte. - Ela concordou se calando. - Eu não esperava, as coisas aconteceram muito rápido... Em um dia eu estava escutando Adam dizer que eu deveria contar a ela, e no outro lá estava eu, me abrindo para ela. - Emma enlaçou os dedos de sua mão com a minha que não estava em seus cabelos. - Nós passamos a noite juntas, mas no outro dia a turnê da banda começaria e eu não tinha contado isso a ela. Na manhã seguinte eu tentei lhe explicar, mas ela não quis ouvir, ficou chateada porque eu ficaria um ano inteiro apenas viajando, então ela me expulsou da sua casa. 

Suspirei revivendo aquele dia... Naquele momento eu não imaginava que coisas piores que ser expulsa de sua casa aconteceriam. Na verdade naquele dia eu não fazia a mínima ideia de que muitas coisas ainda aconteceriam na minha vida.

- A banda passou um ano na estrada. Durante esse um ano se eu e ela conversamos duas vezes foi muito, eu até tentei, mas Camila no início não se mostrou disposta a fazer isso, então eu não tentei mais. Mas então Adam veio conversar comigo uma noite, aqui mesmo em Londres. - Naquela noite com Adam jamais imaginaria que eu estaria aqui de novo. - Ele me disse para esquecer ela ou tentar fazer algo, correr atrás do que eu queria e agarrar com minhas próprias mãos meu objetivo, disse que me apoiaria qual fosse a minha decisão, de ir atras dela ou simplesmente deixar para trás. Bom, eu fui atras e as coisas foram... Relativamente simples, já que ela sustentava os mesmo sentimentos. Não foi difícil pedi-la em namoro, difícil mesmo era o ciúme que eu sentia... - Emma parecia pensativa. - O que foi?

- Estou apenas pensando em algo idiota. Prossiga.

- Não, agora eu quero saber. - Afirmei convicta, com a curiosidade me consumindo por dentro. 

- Eu estava apenas pensando se você teria ciúme de mim... - Ela parecia pensar distante. 

- É claro que sinto. - Apertei seu corpo contra o meu. - Você é minha. - Rosnei para Storm e ela riu. 

- Eu quero um sorvete. - Ela resmungou abafado enquanto eu ainda a apertava contra mim. 

- Primeira vez que vejo você querendo algo além de café...

- Idiota. - Ela resmungou baixinho rindo. 

A soltei e ela correu com Storm atras de si até um senhor em uma van, que estava próximo. Eu me distrai com qualquer coisa, primeiro foi com uma garotinha que corria por ali e depois com uma folha que caiu sendo levada pelo vento. O inverno estava próximo... Vi Emma se abaixar e com o dedo sujo de sorvete e dar ao cão que lhe acompanhava, neguei com a cabeça rindo da situação. Ela reparou e riu voltando até mim. 

- Quer?! 

- Quero. - Peguei a casquinha de sua mão, provando o sabor.

Olhei Emma que voltou a se deitar nas minhas pernas. Eu estava feliz com nossa amizade, gostava da facilidade que me faz rir, do imenso carinho que trocamos, da confiança que existe. Eu a amava simples assim. 

- Ei, como você vai tomar sorvete deitada?

- Não vou. Peguei ele para você, sei que me contar tudo está de desgastando e também sabia que você ia querer então eu peguei esse para você. - Sorri dando uma longa lambida. - Ei sabe que estou aqui, e se não quiser mais revirar tudo isso eu entendo. 

Seu olhar era seguro no que dizia. Ela colocava meu bem estar acima da sua curiosidade, acima de qualquer coisa e eu a admirava por isso. Por não forçar nada. 

- Eu preciso. - Sussurrei e ela concordou. Eu precisava me abrir e sentir esse peso se tornar mais leve. -  Enfim... - Parei me recordando onde eu havia parado com a narrativa. - Então apesar do meu ciúmes e de pequenos empecilhos, nós estávamos em um bom relacionamento. Eu a amava e isso era o mais importante, por isso decidi a levar em um final de semana com meus amigos, porque eu achava que ela era a pessoa certa... - Emma pareceu não entender e eu me apressei para explicar. - Eu nunca levei nenhuma garota até meu grupo de amigos, porque nenhuma era realmente importante para mim. - Ela pareceu entender e concordou com a cabeça. - Foi maravilhoso aqueles dias que passei com ela e com eles, pessoas tão importantes para mim...

Me recordei do dia, distraindo por certo tempo em meus pensamentos. Era estranho reviver tudo aquilo, me fazia pensar como Camila estaria agora, se ainda conversava com Adam. Abaixei meu olhar em Emma que me encarava esperando que eu prosseguisse. Ela estava atenta e parecia totalmente focada no que eu dizia. 

- Bom ela gravou um clipe, com um cara e quando eu o vi, simplesmente surtei, era difícil encarar mesmo nas filmagens ele a tocando, era quase perturbador. - Deixei o guardanapo que rodeava a casquinha ao meu lado, voltando minha mão para o seu cabelo. - Eu sai da casa dela transtornada com aquilo, precisava de ar e pensar um pouco, mesmo que eu não quisesse, não podia nem conseguia negar que aquelas cenas haviam mexido comigo. Naquele dia eu conheci uma senhora, ela me contou sua história, e disse que eu deveria aprender a ter ciúme na medida certa. Eu não sei o que teria sido de mim se aquela conversa não tivesse existido, foi uma lição que levo até hoje comigo... - Parei por alguns segundos querendo respirar e me distrair um pouco de tudo aquilo  - Minha história não é tão emocionante quanto a sua...

- Como assim não? Eu nem sei direito o que sentir, como reagir a tudo. Eu não consigo me distrair nenhum minuto do que você diz. - Sorri levemente. - Eu tenho a minha história e você tem a sua, nenhuma é melhor que a outra, apenas diferentes. 

Concordei com a cabeça me dando um tempo para relembrar não dá minha história, porque essa eu já sabia de cor. Mas de Camila, do seu sorriso, do seu jeito, de nossos momentos, de tudo que passamos. Eu ainda estava magoada, mas tentava seguir em frente, sempre sendo seguida por essa sombra, mas em frente. Se não fosse por Emma, talvez eu ainda estivesse na casa de Mark e Claire, trancada em um quarto revivendo constantemente memórias que não me fariam bem nenhum. Tentei imaginar como eu estaria, minha aparência e meu psicológico... Meu coração não tinha se recuperado totalmente, mesmo após um ano, mas não podia simplesmente me entregar a toda tristeza que sentia, por isso eu ainda tentava. 

- Laur olha aquela nuvem. - Ela apontou além das folhas acima das nossas cabeças. - Parece o Storm. Ali o focinho... Se desfazendo. - Ri de sua careta. - Mas ali tem o resto do corpo. 

- Aquela ali parece um monstro. - Apontei entrando na brincadeira. - Ali a boca e os dentes...

- Acho que preciso viajar, olha quanta criatividade sendo gasta com nuvens. - Ela resmungou se mexendo com a cabeça em minhas pernas. 

- Você deu o gancho perfeito para eu continuar a história. - Eu ri e ela me acompanhou. - As meninas acharam que seria uma boa ideia viajarmos juntas, descansar um pouco... Foram boas, repletas de altos e baixos, mas realmente era o que eu precisava. Nós tínhamos combinado três lugares, mas foi no dia que saia o voo para o último lugar que tudo aconteceu e meu namoro veio à tona. - Emma me encarou com as sobrancelhas franzidas. Passei meu polegar pelas dobras as desfazendo. - O porteiro do prédio de Camila tentou ficar com ela a força... - O rosto de Emma pareceu ficar sombrio, em uma expressão que nunca tinha visto antes. Me lembrei do dia e como senti nojo, raiva daquele homem, como prometi a proteger de tudo... - Enfim, com toda a bagunça que foi eu tive que ir falar com meu pai, a pedido dele. - Emma sabia sobre meu deslocamento com minha família, era algo que não tinha como esconder. - Nós brigamos e eu perdi a cabeça e destrui meu apartamento. - Falei tudo de uma vez não querendo aprofundar muito nessa parte. Lembrar daquele homem, como era antes e o que se tornou era um peso que eu sempre carregaria comigo. - Podemos ir pra casa? Eu queria ficar em um lugar mais calmo para terminar minha história. 

- Claro. - Emma se levantou e eu pulei em sua costas. - Ai, você quase me quebrou. - Ri do drama lembrando das outras vezes que fiz isso e ela não disse nada. 

- Emma. - Chamei baixo deixando meu queixo descansar em seu ombro. - Me deixa ver uma foto sua com Matt?! - Eu vinha me preparando a um bom tempo para esse pedido. 

- Tudo bem. - Ela soltou sua mão de uma minhas pernas tirando com certa dificuldade o celular do bolso. Me entregou e eu abracei seu pescoço com apenas um dos braços, sentindo seu aperto firme para não me deixar cair. 

A primeira era uma apenas dele. Ele era bonito, moreno, os cabelos não eram longos, mas volumosos, a barba por fazer dava a ele um ar mais atraente e os olhos eram em um tom de azul, o mais claro contrastava bem com os escuros de Emma. Na foto seguinte eles estavam juntos riam de algo, pareciam felizes... Enquanto eu ia passando as fotos, via Emma feliz e Matt da mesma forma, em todas as fotos eles estavam sorridentes ou demonstravam paixão, carinho, eram um casal lindo, me partia o coração saber de todos os acontecimentos, saber que eu nunca os veria junto. Guardei o celular dela em meu bolso, descansando minha cabeça em seu ombro. 

Reparei um cara que passou correndo por nós, de relance ele me lembrou o Tyler, mas quando parou percebi que era completamente diferente. Tyler...

- Quando nosso relacionamento chegou até a mídia, uma série de limitações surgiu nele, e tentando de alguma forma disfarçar, os empresários da banda das garotas propuseram que ela fingisse namorar com um cara. Tyler era o nome dele. 

- Me diz que você não aceitou essa loucura. - Eu ri baixinho contra a orelha dela. 

- Eu me senti pressionada, principalmente pelo fim da banda que fazia parte. Eu sentia que devia isso as garotas, elas não seriam prejudicadas por minha culpa, não queria que a banda delas tivesse o mesmo fim que a que eu fazia parte. 

- Entendo, mas esse tipo de interferência por parte deles foi bem invasiva. - Algumas pessoas pela rua nós olhavam curiosas, imagino que por eu estar sendo carregada. 

- Tyler era um nojo de pessoa. - Emma riu baixinho. - Não gostei dele desde a primeira vez que o vi. - Relembrei o dia, ele dando em cima de Camila na minha frente, sem se importar comigo ali. Todos os nossos encontros se passaram por minha cabeça, haviam sido um desastre. Cada um deles. - Tive que aceitá-lo gostando ou não daquele ser. Ele me irritava de todas as maneiras, até quando Tyler não me provocava eu me sentia irritada com ele. A pior parte era ver que Camila cada dia mais preferia ele a mim... - Emma pareceu se surpreender com o que eu havia acabado de dizer. 

- Espera, você está me dizendo que ela preferia ele, teoricamente um completo desconhecido a você que era namorada dela até então?!

- Isso mesmo. 

- Isso é insano Laur. Agora é a parte que você me da um tempo pra tentar processar isso. 

Se Emma tinha dificuldade de entender isso, sabendo da história depois que já aconteceu, imagine eu. Nos dias que vivi essa experiência eu não conseguia entender, e até hoje era provável que eu não entendesse tudo por completo. Não era uma questão de beleza, nem de ser melhor, mas eu não conseguia compreender como Camila que dizia que me amava, que eu era única e me trocou facilmente por ele. Como era ruim olhar para trás e reviver tudo isso... Pior era saber que por mais que eu tentasse negar eu ainda amava Camila...

Emma caminhou normalmente até sua casa, me carregando sem dificuldade. Storm nos seguia sempre por perto, geralmente ao nosso lado ao invés de na nossa frente, enquanto a guia de sua coleira estava na mão de Emma. Estávamos chegando em casa e apesar da história estar me incomodando e me fazendo reviver coisas que eu preferia que ficasse apenas no passado, a presença dos dois me deixava mais confiante e relaxada. Eu sabia que eles que formavam minha família, não me trocariam por nenhum motivo. Desci das costas dela assim que passamos pela porta da frente, soltei o cachorro da coleira enquanto ela colocava água para ele, e pegava um copo para si. 

Tirei meus coturnos caminhando apenas de meia até o sofá, me joguei nele decidida a terminar tudo aquilo e voltar todas essas memórias para o fundo da minha mente. Emma se sentou ao meu lado, como no dia em que ela me contou tudo, a olhei e então migrei meus olhos para as minhas mãos, respirei fundo e prossegui. 

- Como disse Camila estava cada vez mais próxima dele, e eu estava ali apenas por estar. Pelo menos era assim que eu me via naquela situação... Então um dia comum como qualquer outro, ela foi vê-lo, me senti irritada e enciumada, porque ela estava comigo e me deixou para ir com ele. Não pensou duas vezes em fazer isso, acho que esse detalhe me chateou mais... Era ruim demais, angustiante demais ver que cada dia mais ela estava com ele, gostava dele e eu apenas me contentava com as migalhas que iam ficando para trás... Eu estava no meu apartamento quando recebi uma mensagem de Tyler, era algo instigante já que ele nunca me mandava mensagem, ele me pedia para encontrá-lo. Me deixei ser levada pela curiosidade e fui até o lugar... Bom... Aparentemente ele achou que seria divertido, ou engraçado, não sei, que eu o encontrasse ali com Camila. - Emma se surpreendeu e me puxou contra si, abraçando meus ombros. - Fiquei sem reação diante da cena, eu não queria acreditar no que estava vendo, mas tudo aquilo era real. Me senti quebrada, traída, senti que ela tinha mentido pra mim, então eu liguei para Mark e pedi para passar um tempo aqui e... Bom aqui estou eu. 

Emma me apertou contra si e eu me permiti relaxar em seus braços, naquele aperto reconfortante e cheio de carinho. Me encolhi levemente querendo mais daquele carinho em específico. 

- Sinceramente Lauren acho que Camila se acomodou. Ela tinha certeza do seu amor, tinha confiança nele. Por ter tanta convicção nisso ela se deixou levar e ficou com esse cara imaginando que ainda assim te teria, teria o seu amor...

- Eu não gosto de lembrar disso, reviver tudo isso. Sinceramente eu no momento só queria afastar os dois, esconder Camila atras de mim e gritar que ele estava errado, mas ela também estava...

- Chega! Você não vai ficar relembrando isso, não vai se machucar dessa maneira. Eu não vou permitir. - Ela me prendia tão forte contra si, brigando comigo por puro amor. - Nós duas tivemos o coração partido Laur, de maneiras diferentes. Mas ainda assim iguais. E eu sei como é ruim mexer em tudo isso. 

Me escondi contra Emma sentindo que em seu abraço eu estava protegida. Porque pela primeira vez, sem que ela precisasse usar as palavras, eu sabia que Emma me protegeria de tudo que pudesse.


Notas Finais


Yo, yo e aí. Então tô pensando em aparecer amanhã e sexta, pode falar sou show. E aí o que acharam?? Adiantando pra vocês porque eu sou o espírito de caridade em pessoa, logo teremos surpresas... Enfim ate qualquer dia e a gente se vê por aí. 🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...