História The Mad Coke Addicted - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Kookmin, Taeseok, Vhope
Exibições 106
Palavras 1.691
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Queria poder culpar a @KomoryMei por eu ter demorado a postar, mas dessa vez ela não tem culpa aoskaskasjas (ela sempre quer bater em mim toda vez que eu culpo ela)
@Tsukira_KM que esse capítulo te faça se sentir melhor <3
Boa leitura a todos e obrigada aos novos favoritos <3

Capítulo 18 - Pegos em flagrante


— Serei bom pra você, Taehyung, serei bom como o Hoseok dos seus sonhos. — Eu disse. O corpo de Taehyung se tremeu todo por um segundo.

— Calafrio. — Ele riu sacolejando as mãos, como se para mandar a sensação embora. Será que aquilo era um bom ou mau sinal? — Sobre hoje...

— Estão atrapalhando a aula. — O professor pediu silêncio.

Olhei para Taehyung, e fiz um biquinho triste. Antes de eu voltar a posição normal na cadeira, pude vislumbrar o pequeno sorriso que surgiu em seu rosto.

As aulas passaram rápido e Jimin só apareceu no final das mesmas.

— Onde está o Jungkook? — Jimin se aproximou sorrindo.

— Ele foi ao banheiro, Jimin-ah. — Respondi achando fofo o brilhinho que surgiu em seus olhos, quando falou do meu melhor amigo. Taehyung sorria com o jeito do amigo.

— Hoseok, posso te perguntar uma coisa? — Jimin se sentou na cadeira, onde Jungkook estava a poucos momentos, ao meu lado.

— Diga. — O incentivei.

— Como ele é? — Perguntou empolgado.

— Como assim?

— O jeito, as coisas que ele gosta de fazer… Não diz pra ele que eu perguntei. — Falou tudo rápido demais.

— Ah, Jimin-ah, não acha melhor você mesmo descobrir? — Sua feição decepcionada com a minha resposta me fez rir. — Tudo bem. Hmm… — Parei um pouco pensando. — Jungkook é divertido e não gosta de ficar muito parado. Gosta de se embebedar, por mais que saiba que uma hora vai cair num choro pesado. Sabe ser manhoso, mas em geral gosta de parecer o “alfa” da relação. Ele o protegerá de tudo e de todos. — Isso eu poderia agradecer todos os dias por Jungkook estar ao meu lado, ele sempre me defendia. Um sorriso inconsciente se formou em meu rosto. — Gosta de se vingar da família nos jeitos mais estranhos. — Lembrei das vezes que ele surgia na minha casa, com raiva dos pais homofóbicos e me atacava em cima da minha própria cama. Ri sozinho lembrando, até que vi o olhar confuso de Jimin e o ciumento de Taehyung. Tossi disfarçando e desfazendo o sorriso. — Mas o resto você descobre com ele.

— Ok. — O sorriso voltou ao rosto do de cabelos alaranjados e ele parecia imerso em pensamentos.

— Jimin-ah. — Jungkook surgiu da porta e logo foi caminhando para o lado de Jimin.

— Oi. — O outro respondeu tímido, segurando mais forte na cadeira e tentando esconder o sorriso.

— O que falavam?

— Ele tava perguntando sobre você. — Disse Taehyung, olhando brincalhão para Jimin, que corou na mesma hora.

— Ah é? — Jungkook se ajoelhou ao lado da cadeira do mais baixo, para poder olhá-lo nos olhos, já que o mesmo estava de cabeça baixa. — Me conte um pouco sobre ele então, Taehyung. — Jungkook pediu, vendo que Jimin não falaria nada. O mesmo escondeu o rosto com as mãos. — Justo, não?

— O Jimin? — Taehyung riu. Era bonita a amizade dos dois. — Ele é muito fofo e fica envergonhado muito fácil. É todo romântico e vai se apaixonar por você se der um chocolate. Mas não o deixe bêbado com frequência, porque ele pode passar dos limites. Não é? — Dessa vez Jimin levantou o rosto para encarar o amigo. E Taehyung tinha um sorriso malicioso no rosto. Algo dentro de mim não gostou nem um pouco daquela situação. — Ele também gosta muito…

— Espera — o interrompi agoniado — vocês já…? — Deixei sub entendido a pergunta.

— Quê? — Taehyung arregalou os olhos, surpreso. Ele percebeu que eu queria dizer se eles já tinham transado. — Não! — Riu alto. — Mas eu sei com quem ele já perdeu o juízo.

— Taetae! — Jimin o repreendeu.

— Acho melhor deixar o passado no passado, né? — Jungkook parecia desconfortável em pensar em Jimin com alguém. Jimin concordou com a cabeça.

— E vocês? — Um alarme de incêndio começou a disparar em minha cabeça, assim que Taehyung perguntou a mim e Jungkook.

— Com licença, vocês sabem onde fica a sala quatro? — Um homem que devia ter por volta dos seus vinte e cinco anos e cabelos loiros, se aproximou. Salvo pelo gongo.

— Eu posso te mostrar onde é. — Me levantei de prontidão, rezando para que Taehyung esquecesse o que perguntara. — Nos encontramos lá fora? — Dirigi meu olhar para Taehyung.

— Sim. — Ele sorriu.

Saí da sala junto com o homem, enquanto os três pegaram suas mochilas para ir embora.

— Precisamos subir algumas escadas. — Indiquei o corredor que precisávamos seguir e fomos até o último andar. Ele subiu calado, atrás de mim. — Não sei porque a sala quatro fica sozinha e no último andar e as cinco, seis, sete e oito são lá embaixo. — Girei a maçaneta e acendi a luz no interruptor, ao lado da porta, dentro do local. — Só sei que é aqui.

— Obrigado. — Ele sorriu agradecido, entrando na sala.

— Obrigado você. — Eu disse, dando dois passos para dentro do local. — Você me salvou quando chegou lá.

— Seu namorado ele? — Perguntou tirando a bolsa de couro do braço e colocando a mesma apoiada na mesa de professor, retangular, que ficava perto do quadro.

Sorri. Ele havia percebido tão rápido.

— Ainda não. — Passei a mão pelos cabelos.

— Você está escondendo algo dele, não é? — Me olhou com um sorriso simples, me passando confiança.

— Ah… — Mordi o lábio inconscientemente, pensando. — Eu não sei se devia... — Eu deveria dar apenas adeus e sair. E era o que eu ia fazer, quando ele voltou a falar:

— Min Yoongi. — Ergueu a mão para mim. Caminhei até ele e a apertei.

— Jung Hoseok.

— Se quiser pode conversar comigo. Eu vou dar monitoria no colégio, mas também posso vir a ser professor substituto caso necessitem. Estarei sempre aqui.

— Obrigado. — Me curvei logo em seguida e saí da sala. Tínhamos acabado de nos conhecer, mas ele foi tão legal comigo. Eu estava quase no final do andar, de volta na escada, mas voltei correndo para a sala. — Prof… — Parei antes dele poder me ouvir, quando o vi olhando para uma foto em seu celular, parecendo perdido em pensamentos. Me aproximei devagar e notei que era ele com uma criança pequena na tela.

Ao ouvir meus passos, ele olhou para trás.

— Meu filho. — Inclinou o celular em minha direção e eu o peguei por um momento, olhando a foto mais de perto. — Dois anos.

— Ele é lindo. — Eu disse olhando para o rosto gordinho do pequeno. — Qual o nome?

— Min Hyun Yo. Mora com a mãe fora do país.

Abri a boca surpreso, me sentindo mal por ele. Antes que eu pudesse responder alguma coisa meu celular tocou. Tirei o celular do bolso e vi que era Jungkook.

— Desculpa. Depois nos falamos mais. Preciso ir. — Me curvei me despedindo e atendi o celular saindo da sala. — Alô?

— Se perdeu com o professor bonitão? — Kook falou do outro lado da linha.

— Ahn? Eu to chegando. — Fui descendo as escadas correndo.

— Eu, o Tae e o Jimin estamos te esperando aqui fora. Vai dar bolo no crush no primeiro dia de sair com ele?

— Ya! Eu já disse que estou descendo. — Bufei e desliguei o celular. Em menos de dois minutos eu já passava pela porta de saída.

Quando os vi, corri até eles.

— Vamos. — Num ato súbito, entrelacei meu braço ao de Taehyung. O mesmo sorriu, o rosto ficando um pouco corado e o meu também, eu não tinha pensado antes de fazer aquilo, apenas o fiz.

— Vou tentar também. — Disse Kook e entrelaçou o braço ao de Jimin, que soltou uma risadinha envergonhada.

— Vamos sair de novo? — Jimin olhou para o maior, mesmo envergonhado, por seus braços estarem juntos.

— Preciso trabalhar hoje. — Deixou um beijo sobre os cabelos do alaranjado. — Mas podemos combinar outro dia, tudo bem?

Jimin concordou, tentando não demonstrar toda a decepção que sentia, mas sem sucesso.

— Vou te acompanhar até o ônibus. — Jungkook já o puxava pelo braço.

Fomos caminhando com eles, pois iríamos andando até o shopping, que era bem perto dali. Quando os dois chegaram ao ponto, nos despedimos e eu soltei seu braço, para logo em seguida segurar sua mão. Por que eu estava nervoso apenas por ter feito esse pequeno ato?

— Eu nem acredito que estou saindo com você. — Taehyung riu. Seu olhar parado sobre nossas mãos juntas.

— Se você não acredita, imagina eu. — Eu interessado no garoto maluco da coca-cola. Que vida estranha eu tenho.

X

Chegamos no andar do cinema e compramos nossos ingressos. Logo nos direcionamos para comprar pipoca e refrigerante. Eu fiquei segurando o pacote grande da pipoca salgada numa mão e o meu refrigerante na outra. Taehyung segurava apenas o seu refrigerante.

— Você parece bem embolado aí. — Ele comentou rindo, vendo que eu estava sem jeito, segurando as duas coisas, enquanto andávamos.

— A pipoca está quente demais, o refrigerante gelado demais. — Uma risada escapou de seus lábios e eu acabei rindo junto.

— Quer que eu leve pra você?

— Não, eu inventei de comprar isso, eu levo. — Como Taehyung me veria se eu não conseguisse carregar nem minha própria pipoca? Nossa, no caso. Sorri ao pensar que já tínhamos algo nosso.

— O que foi? — Taehyung sorriu também, quando me viu fazê-lo de repente.

— Ahn? — Pego em flagrante. Por que eu já parecia um menininho apaixonado?

Nervoso, não querendo explicar o verdadeiro motivo do porque eu tinha sorrido, acabei andando sem prestar atenção a minha frente e tropecei. Metade da pipoca no saco — que eu ainda consegui segurar — e o copo de refrigerante, voaram no chão, fazendo a maior sujeira e o maior barulho. Todos nos olhavam.

— Eu não acredito nisso. — Fiquei estático.

— Ta tudo bem. — Taehyung ria mais do que deveria, mas aquilo me deixou de certa forma aliviado. Ele não tinha ficado envergonhado com a minha burrice... Mas afinal, ele foi quem brincou de ser maluco na rua. Ele não tinha vergonha de chamar atenção... Hmm... Esse seu lado diferente poderia não ser tão ruim assim.

— Podemos comprar mais? — Perguntei, sorrindo envergonhado.

— Claro. — Ele afagou meu ombro. Eu o admirava cada vez mais. Lindo e ainda por cima gentil, mesmo com as minhas besteiras.

— Hoseok, Taehyung? — Essa voz... não creio nessa minha sorte. Nós dois nos viramos ao mesmo tempo.

Omma Jin e appa Namjoon estavam parados, na entrada de uma das salas de cinema, provável que só tenham nos notado por causa do meu barulho.

— O que fazem sozinhos aqui? — Appa Namjoon levantou uma sobrancelha.


Notas Finais


Eu enganei todo mundo com esse título, né? aojslkajslkasj
Todo mundo achou que era o Hoseok e o Kook que iam ser pegos dando uns beijinhos, mas na verdade não foi nada disso kkkk
E o Yoongi... será que ele vai fazer diferença nessa história?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...