História The Mafia Nanny - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Agatha, Babá, Comedia, Criminal, Gêmeos, Justin Bieber, Máfia, Max, Morte, Romance, Safira Stiles, Tragedia
Visualizações 3.206
Palavras 3.253
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


SAIUUUUU!

Sim, estamos de trailer novo pessoal! Sério. Estou completamente apaixonada pelo trailer 2 de TMN. É simplesmente incrível! Graças a minha amiga super fofa VanaDrew 💖 essa gata trevosa. Vou deixar o link la embaixo nas notas finais ok ? Okay.

Olá pessoal. Quero dizer uma coisa, depois desse capítulo vocês podem ter certeza que muitas coisas vão mudar. A Safira principalmente. Não vou dar spoiler é claro, mas o bagulho vai ficar sério de um jeito que oh, só botando pra foder. Vocês vão entender depois que lerem. E bom, pra quem quer reecontro de Jafira, vai demorar um pouquinho MAS o que estou planejando é tão grandioso que cês nem vão reclamar.

Eu devia estar estudando para minhas quatro provas de amanhã, mas estou aqui. Isso é muito amor por vocês fofuchas. Ah quero dizer que estamos chegando a 700 comentários! Eu tô infartando! Obrigada pessoal, vocês são incríveis!

Sabem do esquema ? Reviso depois.

É isso, um beijo e comentem por favor! Quero saber suas opiniões! 💖

Capítulo 35 - Consequences


Fanfic / Fanfiction The Mafia Nanny - Capítulo 35 - Consequences

 Fito o chão cinza minuciosamente com cara de entediado. E realmente essa merda estava me dando sono. 

Em nenhum momento olho para o ser que está sendo espancado por Chaz. Um grito entrecortou o silêncio absoluto daquela saleta composta por vários blocos de cimento e paredes a prova de som, estava tudo coberto por plástico para não deixar os vestígios do sangue. Além de possuir um bom equipamento de tortura. 

- Eu não sei de nada! - Marone gritou. 

Mais um soco. 

É, Chaz pode ser um retardado. Mas fazia o trabalho bem feito.

E Marone continuou apanhado, ao ponto de escorrer sangue em sua roupa imunda e deixar os dedos de Charles destroçados. Continuei rodando a adaga dourada entre os dedos como se fosse um brinquedo. Está tão afiada que só de encostar a pele corta. No cabo dela, alguns rubis foram esculpidos. Amberly mandou fazer isso. Essa costumava ser sua arma preferida. 

Tiro os olhos do objeto. 

- Somers, está bom. - Minha voz saiu dura e fria. 

Chaz deu um último soco em Marone. 

- Preciso comer alguma coisa- disse tranquilamente. - É todo seu.

Chaz passou por mim acendendo um cigarro. Estreitei os olhos para o indivíduo na minha frente e um sorriso diabólico apareceu em meus lábios. 

- Brian Marone. - Falo lentamente. - Pensei que não nos veriamos tão cedo.

Arrasto uma cadeira e me sento de frente para o homem. Ele está todo fodido. Resultado de horas sendo espancado por Somers. Mas agora Brian lidaria diretamente comigo. 

- Seu bastardo! - Rosnou cuspindo sangue. - Você e toda essa corja fodida! 

Reviro os olhos. 

- Não está sendo nada educado. 

- Dediquei grande parte da minha vida para servi-lo!

Abro um sorriso zombateiro. 

- Acho que fez um péssimo trabalho. - Falo ficando sério. - Ficou com inveja do irmão e quis pegar o mesmo destino? 

Elliot Marone tentou armar uma emboscada pra mim há alguns meses naquele fatídico dia no shopping. Ele era um mercenário de merda que matava por dinheiro e por consequência de sua divertida brincadeira de esconde-esconde, Safira descobriu sobre minha profissão antes da hora. Ele era um crápula assumido, mas Brian havia feito um juramento perante o conselho.da máfia jurando lealdade a organização há anos atrás. 

Mas o homem não passa de um rato que se aliou ao inimigo para me derrubar.

Brian gruhiu amarrado a cadeira e eu tombei a cabeça para o lado, passando os dedos no queixo. 

- O que eu faço com você ? - Sussurro pensativo. - Tenho certeza de que Charles se encarregou de quebrar seu rosto. Mas posso ser bonzinho se me contar quem te contratou para invadir minha casa.

- Eu não sei de nada. - Disse com expressão de dor. 

Balancei a cabeça em negativo. 

- Tsc, tsc, não se deve mentir perante seu líder, Marone. -  O fitei. - Vamos lá, chega de preliminares. Já sei que comprou um dos meus seguranças e ele confessou depois de uma boa dose do tratamento especial do Ryan. 

Brian cuspiu sangue em meus sapatos. 

- Você nunca vai ser meu líder moleque! Pode me matar, mas não vai ficar sabendo de nada. Tu é uma bosta! 

Arqueei as sobrancelhas. 

- Pois bem...- remexi em meu bolso. - Olhe só, não é uma bela menina ? 

A foto mostrava uma garotinha de aproximadamente oito anos de idade. É filha de Brian com uma de suas putas. Talvez a única que ele tenha assumido. 

- Amélia o nome dela, não? 

Seus olhos se arregalaram. 

- Não ecoste na minha filha seu bastardo! Ela não tem nada haver com isso!

Avaliei a foto e depois dei de ombros. 

- Minha governanta também não e veja só como ela está. - Elizabeth por mais sombria e estranha que fosse, ajudou a Pattie a me criar. Não é nada legal vê-la sem a porra da cabeça. - Talvez um de meus homens faça uma visita a ela e sua mãezinha. 

Ele tentou se desprender das cordas, avançando contra mim. Soltei uma risada nasal. Mesmo todo fodido, ainda tentava lutar. Patético. 

- Me diga quem lhe contratou. E sua filha sairá livre. 

A mansão foi invadida na calada da noite na troca de seguranças. Alguém de dentro da mansão teria que ter ajudado a entrarem e esse alguém foi Troy Steves. 

Um dos seguranças contratos recentemente. Ele não é uma pessoa muito inteligente e continuou em seu posto como se não tivesse um dedo naquela merda. Só não estava esperando que eu pessoalmente fosse fazer o interrogatório com todos os funcionários. O filho da puta tentou fugir, mas acabou sendo pego por um dos cães de guarda. Não precisei mover um dedo para que ele confessasse. O cara estava todo borrado. 

A pessoa que assassinou Beth revirou meu quarto inteiro. Mas se queria alguma coisa, não conseguiu. Guardo tudo de importante em compartimentos secretos. Nem mesmo o pessoal da equipe sabe sobre eles. 

Consegui interceptar o jatinho que levaria Marone de volta para Itália. E desde então ele está preso em um galpão fora das localidades de Nova Iorque. 

- Não ? - Suspiro parecendo frustrado. Com uma rápidez que me impressiono. Cravo a adaga em sua coxa erquerda e ele solta um berro cheio de dor. A mancha de sangue começa a escorrer tão rápido quanto foi feita. - Estou tentando manter minha paciência, Brian. Realmente estou tentando, mas falta isso aqui para que eu estoure sua cabeça e faça o mesmo com o que sobrou da sua família.  

Chamo Kenny com um aceno de cabeça. Meu chefe de segurança se aproxima. 

- Sim, chefe. 

- Já conseguiram a localização de Amélia Marone ? 

- Sim, senhor. Está atualmente em Verona, na Itália. 

Sorri largo. 

- Mande uma de nossas babás para Verona. Creio que Kim adoraria brincar um pouco com a menina. 

- NÃO! EU NÃO SEI QUEM ME CONTRATOU! APENAS SEGUI ORDENS! 

Passo a língua pelos lábios. Uma chantagem sempre funciona. É claro que eu não mandaria matar uma criança. Não sou tão doente à esse ponto. 

- Creio que esteja mentindo, Marone. 

Não sou burro. Ele sabe sim.

- Eu juro que não sei. A pessoa  não quis informar sua identidade, me pagou milhões e disse que queria apenas que sua marca registrada ficasse como aviso. Também quis que encontrássemos um colar com um diamante azul. - Ofegou. - Mas...

Estreito os olhos. 

- Mas... ? 

- Quero garantias de que ficarei vivo. Só assim contarei tudo o que sei. Isso não é nada perto das informações que tenho.

Só pode ser uma piada. 

- Você me roubou, quebrou o juramento, traiu e assassinou pessoas da organização. - Cito seus podres. - Quem poupa pecadores é jesus. E eu sou Justin Bieber. 

Um ser mandado pelo diabo. Lúcifer, para os íntimos.

- Você é uma merda. Um merda! - Grita enlouquecido. - Ainda cairá desse trono.

- Não sou eu que estou acorrentado em uma cadeira acusado de traição. - Bocejo e tiro a arma do coldre. Minha mira é uma das melhores. Meu avô me ensinou e treinou para nunca errar um alvo. - Últimas palavras ? 

- Filho da puta! 

- Ninguém nunca te ensinou a não xingar a mãe dos outros ? - Nego com a cabeça. - Espero que Amberly te acolha no inferno. Amém.

Atiro em sua cabeça e o sangue jorra para todos os lados. Encaro ele tranquilamente enquanto a mancha vermelha se espalha pelo chão. Guardo a arma de volta e Somers aparece novamente. 

- Que pena, perdi a diversão. - Olha para o corpo. - Conseguiu alguma coisa ? 

Dou de ombros. 

- Ele fala bem sob pressão. - Coço o queixo. - Mas uma coisa me deixou intrigado. 

Caminhamos para fora do subsolo. 

- Quem o contratou não queria ser identificado. - Murmuro pensativo. - E seja quem for, quer o diamante Hope. 

Aquela jóia dos infernos que por algum motivo Amberly escondeu em um lugar que nem eu sei. Aquele troço só trás desgraça.

Respiro fundo e Chaz de repente cospe o sanduíche que estava comendo.

- Cara. - Coloca a mão no meu ombro. - Qual a probabilidade da Milícia estar envolvida ? 

Reviro os olhos ao escutar esse nome. 

- Nenhuma. Eles estão ocupados demais com o novo brinquedinho. 

Que tem nome e sobrenome. 

Safira Stiles. 

- Metade do mundo te odeia, dude. Vai ser complicado descobrir qual dos teus inimigos bolou isso. Mas eles sempre cometem um deslize, deixam uma marca ou...

Paro de andar. Uma marca. 

A porra de uma marca. 

As roupas de Amberly reviradas. 

O diamante Hope. 

Fecho os olhos e bato as mãos em punho na parede de concreto.

Como não pensei nisso antes ? É a primeira prova em anos que tenho desse desgraçado. 

- Charles, quem era a única pessoa da equipe que degolava as vítimas como marca registrada ? 

Meu rosto esquenta de raiva. Trinco os dentes para não sair socando tudo. Chaz franze a testa e pensa um pouco. Então arregala os olhos. 

- Valentin Willians. 

Valentin Willians. 

O filho da puta que assassinou a minha mulher. Pior. O irmão totalmente obcecado e apaixonado por Amberly ao ponto de mata-la apenas porquê ninguém poderia tê-la se ele não a tinha.

Um psicopata que me odeia até a última célula. 

E eu vou mata-lo. 

 

[...] 

 

Safira Stiles

Passar todo esse tempo em Saphira Hall me renovou. Sério. Parece até que eu me tornei outra pessoa, um pouco mais descansada e tranquila. 

Não. Eu não esqueci do Bieber. 

E me odeio por isso. 

Mas isso não significa que eu fiquei sofrendo debaixo das cobertas lamentando tudo o que aconteceu. 

Tentei tornar tudo o mais divertido possível e os Turner fizeram o mesmo. Eles são uma família grande e sempre estão falando - bem alto por sinal - sempre competem um com o outro para conseguir minha atenção. Sempre e repetem e nunca param. 

Agora eu entendi o porquê todos se afastarem de mim no colégio. Qualquer pessoa em sã cosciência fugiria desses loucos. Mas eu não. Nunca me senti tão...amada. É, talvez. Vale lembrar que Charlotte não me suporta e deixa isso claro toda vez que topa comigo. 

Mas não tem tanta importância. 

Acabei ficando uma semana a mais do que poderia. Não queria ir embora e enfrentar a realidade dura que me aguarda. Mas já estava na hora. 

Foram duas semanas incríveis.

- Você não precisa ir embora. - Damien disse jogado na minha cama. - É só vir morar com a gente. 

Solto uma risada fraca e continuo arrumando minhas roupas. 

- Eu adoraria, mas o dever me chama. - Respondo e me sento ao seu lado. - Não posso abandonar tudo. 

Por mais que a ideia seja tentadora. 

- Por deus, Safira. Você não suporta essa coisa de medicina. - Rola os olhos. - Você é maior de idade, dona do próprio nariz. Largue essa merda e vá fazer algo de útil. 

Arregalo os olhos. 

- Já expliquei meus motivos. 

- E eu continuo sem entender. Alias, tudo isso é uma perda de tempo. Você vai ter que assumir os negócios da família uma hora ou outra.

Congelo. 

- Como é ? 

Ele para de jogar a bolinha para o alto e me fita. 

- Você ainda não se tocou que é a herdeira da Milícia Geral ? - Disse incrédulo. - O reinado vai ser seu. O primogênito da família sempre assume o posto de líder. Que no caso, é você. 

Pisquei vários vezes. 

- Não. 

Nego. 

- É você. Tem que ser você. - Arfo. - Damien, você nasceu e foi criado nisso. Sabe de tudo o que acontece nesse mundo. Enquanto eu só sou...eu. 

Nenhum pouco responsável para assumir nada. Eu nem tenho responsabilidade sobre mim mesma, imagine controlar uma organização inteira. Péssima ideia.

- Crescer nesse mundo, não significa estar preparado para ele. - retrucou de volta. - É claro que vou servir a Milícia, como todos. Mas vou ficar na inteligência da organização e ser seu braço direito. Sem envolvimento direto com o fogo. 

Continuo com uma expressão abismada. 

- Não acho que seja coerente. 

Senti sua mão em meu ombro. 

- Safira, todos ouvimos histórias sobre você. - disse me deixando surpresa. - A garota do Bieber se tornou o assunto mais comentado de todo o submundo. 

Fecho a cara. De novo esse negócio de garota do Bieber. Me irrita até os últimos fios de cabelo. 

- Não vejo como isso pode me deixar preparada para alguma coisa. - Resmungo. 

- Bom, você tem uma inteligência elevada. Sabe estratégias de jogo, é manipuladora e tem lábia. - Lista e eu fico apenas ouvindo. - Aposto que não suporta ser surbordinada e ama o gostinho de poder. 

Encolho os ombros. 

- Essas caractéristicas não me fazem se adepta para assumir algo tão grande como a Milícia Geral, Damien. - murmuro mexendo no cabelo. - Se acontecesse algo, eu não saberia o que fazer. 

Sou uma mulher frágil, apesar de tudo. Posso saber quebrar alguns narizes e ser bem chata, falando sem parar. Mas não vejo como isso pode salvar de algo. 

- Concordo plenamente com você. - Liam aparece na porta de repente. - E é por isso que vou treina-la. 

Franzo a testa. 

- Como ? 

Ele cruzou os braços e se apoiou no batente na porta. Ficou me avaliando da cabeça aos pés. 

- Estamos em uma guerra. - disse lentamente. - Você foi envolvida diretamente. Vão vir atrás de ti. Precisa saber se defender e defender os outros.

Engulo em seco. Lembro-me dos inimigos de Justin e de alguns alertas que Caitlin fez. 

Todos que odeiam o Justin, agora te odeiam. 

- Isso tem haver com o Justin ? 

A faísca de ódio aparece em seus olhos. 

- O que está acontecendo é culpa dele.

Fico sem ação.

- Não acho que isso seja possível. Eu trabalhava apenas como babá para ele. 

- E depois saiam para rachas e bailes aos olhares atentos de toda a sociedade criminosa. - disse arqueando a sobrancelha. - Não foi uma boa tática. 

Respiro fundo. 

- Eu não sabia dos riscos. 

Isso não é totalmente mentira. Em parte. Eu simplesmente não fazia ideia de que era filha de quem sou. E do risco que eu estava correndo me aventurando ao lado daquele canalha. Ok, eu tenho culpa.

- Talvez. - Dá de ombros. - Mas seu pequeno momento com aquele moleque, está rendendo consequências desastrosas. Você não pode voltar para Nova Iorque. 

Agora sim eu fico branca feito papel. Tenho vontade até de limpar os ouvidos para ver se escutei isso certo. 

- Não entendo. - Rio fraco. - Você está brincando ? 

Sua expressão continua séria. De repente Agnes aparece também e sua feição não é nada agradável. 

- Querida, sinto muito. 

Fito Damien como se eles estivessem ficado loucos. 

- Alguém pode diabos me explicar o que está acontecendo ?! 

Explodo de uma vez.  

O casal se entre-olham e então, Agnes se pronuncia calmamente. Mas eu via o pânico florescendo em seus olhos a cada palavra dita.

- Nosso informante na máfia nos ligou avisando do decreto efetuado em uma linha de rádio invisível para os demais da sociedade. Ela funciona em uma página secreta da deep web e bom, é onde as notícias do crime correm. - Diz como se estivesse com lâminas no peito. - Funciona apenas para quem tem conexões da alta elite, mas as notícias correm por todo o mundo - ela engole em seco. - estão oferecendo trezentos milhões de dólares para quem capturar Safira Stiles viva. A metade disso morta. 

 

[...] 

 

Valentin expremeu os olhos do homem que estava amarrado na cadeira de tortura. Ele sorriu se deleitando com os gritos de desespero do homem eram inebriantes.

 Como se fossem música para seus ouvidos. 

Nada mais satisfátório que uma tortura básica. 

Valentin estava ardendo de raiva.  Muita raiva de Bieber. Teve que passar os últimos dois anos escondido pois Bieber o caçava feito um animal selvagem. Foi divertido de fato. Mas já era hora da brincadeira acabar. 

Ele queria ver sangue. O sangue daquele garoto insuportável. Onde já se viu matar os principais parceiros de crime de Valentin ? Apenas por um joguinho bobo. 

Ah, doce Amberly. 

Era uma mulher perfeita. E Valentin a amava. Eram irmãos, apenas um pequeno caso à parte. Não podia lutar contra o sentimento de posse que tinha sobre ela. Mas se ele não podia tê-la para si, ninguém a teria. 

Achou um verdadeiro espetáculo enganar todos por tanto tempo. Era um verdadeiro amigo para Bieber, confiavam cegamente nele, até que foi a hora da diversão começar. Sequestrar Amberly e as crianças foi fácil. Afinal, era o irmão querido e o tio amado. 

Era a porra de um bastardo. 

Mas quem desconfiaria ? 

Foi um desperdício ter que matar Amberly aquela noite. Mas Valentin nunca vai se esquecer dos olhos de desespero que sua irmã lhe lançava e implorava para poupar os filhos. Sorri toda vez que lembra da cena. 

Pena. Uma pena. 

Mas Valentin ainda não terminou seu servicinho. Queria um pouco mas do gostinho que teve há dois anos. Agora ele mataria Bieber. Tinha certeza disso e passou os últimos anos arquitetando isso. Mas agora ? Agora surgiu a oportunidade de fazer o que tanto queria. 

Um novo jogo. 

O homem grita cada vez mais alto. Valentin revira os olhos e pega um machado, cravando em cheio na cabeça de seu conselheiro pessoal. O homem discordou dele, portanto, não tinha utilidade. 

O que Valentin queria ? Ah, é muito fácil. 

Uma guerra. Queria ver todos espumando de raiva como loucos. 

Pegou um pequeno lenço branco e limpou as mãos cheias de sangue. Fechou a cara ao se lembrar da garota de olhos azuis esverdeados. Não param de falar dela. Valentin ficou curioso. 

Então soube como começaria. O pequeno Bieber tinha uma nova barbiezinha. Tão pequena e maravilhosamente deliciosa. Com aparência delicada e histórico perfeito. Um verdadeiro prodígio de óculos. 

Mas perderia a graça se fosse um desafio fácil. 

Até que descobriu ligações entre a menina e a Milícia Geral. Seu sorriso doentio se alargava cada vez mais. O destino estava realmente colaborando com ele. Colocou um prato cheio em suas mãos. Nada melhor que causar intrigas entre as duas organizações criminosas mais poderosas do mundo. 

Mas precisava do diamante Hope. Aquela pedra maldita que amaldiçoa qualquer um que a possua. Sem ela, não poderia ter sorte. E Valentin é um cara supersticioso. Fazia questão de ter seu colar de volta.

Valentin manda que tirem o corpo do homem dali. Não foi nada divertido. Adorava torturar, mas esse cara foi um inútil. Então começa a dar ordens para seus homens. 

Suspira ao se lembrar que achou a parceira perfeita para seus divertimentos. 

Aléxis Blackwell é a vadiazinha mais vingativa de todo os Estados Unidos. Depois do que aconteceu há alguns anos, quando sua irmãnzinha quase a deixou desfigurada, a puta está com sede de sangue. 

O melhor é que ela está tão próxima deles. Tão próxima. 

Bieber nunca esteve tão cego. 

- Brandon, mande anúnciar na rede dos crimes. - disse sorridente. - Lance um desafio, para todos do submundo. Trezentos milhões para quem conseguir capturar Safira Stiles viva e trazê-la até mim. Metade disso morta. 

Gostaria de conhecê-la pessoalmente. 

A mulher tinha que ser incrível para substituir Amberly Willians. 

Sorrio. 

Teria o prazer de vê-la destruída também. 

Cantarolou uma canção fúnebre.

É apenas uma brincadeirinha. 


Notas Finais


Valentin Willians é um psicopata caso queirão saber e ele tem muito poder em mãos, pode crer que ele vai causar caos nesse caralho - foi inspirado no meu vilão favorito The Joker - então podem ter certeza que ele vai ser um demônio.

LINK DO TRAILER : https://youtu.be/Bg0Cioetffk

Comentem o que acharam dele 💖 para para quem quer ler TMN no wattpad, meu usuário é GabyRaffaello7.

Beijosss 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...