História The Mafia Nanny - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Agatha, Babá, Comedia, Criminal, Gêmeos, Justin Bieber, Máfia, Max, Morte, Romance, Safira Stiles, Tragedia
Visualizações 1.052
Palavras 1.821
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oláaaaaaa tudo bom?
Então, LEIAM AS NOTAS FINAIS!

Capitulo não revisado.

Capítulo 48 - Sick


Fanfic / Fanfiction The Mafia Nanny - Capítulo 48 - Sick

- Gemêos? – balbucio chocada. – Eu estou grávida de gêmeos?

Edythe arruma os óculos um pouco assustada com a minha reação. Eu até pediria desculpas se eu não estivesse quase entrando em um colapso mental. Sério, como se respira?

- Bem, sim. – respondeu me fazendo engolir em seco. – É o que o exame está indicando.

Escuto os passos de Justin ficarem mais próximos até ele parar do meu lado. Ele olha para a tela de ultrassom e fraze a testa, fitando Edythe um pouco abismado também. Deitei a cabeça no travesseiro e fiquei fitando o teto.

Gêmeos. Puta. Merda.

- Tem certeza Edythe? – ele pergunta a doutora. – Não está...

- Errado? – completou ela. – Não. Tenho 99% de certeza.

Suspiro profundamente passando as mãos no rosto. Abro uma fresta nos dedos e olho Bieber incrédula. Céus, como esse homem pode fecundar tantos bebês assim? É algum tipo de tradição?

- Como diabos isso aconteceu? – pergunto para ninguém em especial. – Digo, na genética da minha família pelo o que eu saiba não tem gêmeos. Eu...

- A probabilidade é grande quando pelo menos um dos lados tem a genética. – Edythe olhou para Justin que parecia uma estátua. – Não é mesmo rapaz?

- Justin!             

Ele parece acordar de seu transe e me fita com os olhos brilhantes. Franzo a testa estranhando totalmente essa atitude. Ok, é muita coisa para a minha cabeça. Estou verdadeiramente surpresa e boba.

Bieber se abaixa para ficar da minha altura e me surpreende depositando um beijo nos meus lábios.

- Obrigada por isso. – diz de modo afável. – Você não tem ideia do quanto eu estou feliz.

Acho que acabo avermelhando.

Ele está feliz!

Eu também estou, digo, é um baque muito grande, mas...

Dois filhinhos. Dois menininhos.

Acho que meus olhos estão ardendo.

- Acho que precisam de um momento sozinhos. – Edythe murmura sorridente. – Vou tomar um café.

Ela sai da sala nos deixando sozinhos. Suspiro um pouco envergonhada. É normal que eu esteja querendo chorar horrores agora e comer um balde de sorvete. Totalmente normal.

- Justin, eu estou com medo. – admito olhando para baixo.- E-eu não sei se consigo fazer isso.

Sinto seu polegar acariciar a minha bochecha e em seguida ele ergue meu rosto de maneira que eu encare seus olhos cor de mel. Eles estão tão profundos e escuros que eu posso me afundar ali. Esse homem é lindo.

-Agora, você é uma Bieber. Sangue do meu sangue, carne da minha carne. E  na nossa família não sentimos medo. – fico arrepiada com essas palavras. – Estou aqui com você, amor. Pelo céu e pelo inferno, se lembra? Por toda a eternidade.

Praticamente me debulho com isso. Abraço o pescoço de Justin o puxando para mim possessivamente. Tenho noção de que quase o enforco, mas não me importo com isso e ele parece pouco ligar também. Naquele momento somos apenas nós dois.

....ou melhor, nós quatro.

 

[...]

 

Chaz segura as malditas trufas na minha frente.

Arrumo meus óculos e o encaro bufando com essa maldita ousadia. Ele pode não saber – apesar de imaginar – mas estou jogando mil e umas pragas para sua pessoa. Simplesmente é um ultraje o que ele está fazendo. O cúmulo.

- Eu vou te fazer engolir esse negócio. – Ameaço realmente irritada. – Estou falando sério.

Provocar tentações em mulheres grávidas deveria ser considerado um dos maiores pecados do mundo. E Charles Somers estava o cometendo ao saber que estou proibida de ficar comendo tanto açúcar e mesmo assim está com um saco cheio de chocolates.

- Não duvido nada. – retrucou abrindo um sorriso debochado. – Mas como sou uma pessoa muito generosa...

Me entregou os chocolates e eu o encarei embascada.

- Não se acostume com isso. Bieber come o meu cu se descobrir que ando traficando doces para você.

Eu estava proibida de ficar consumindo muito açúcar. Mas se eu ficasse mais tempo sem colocar uma mísera trufa ou café na boca...sério, eu não responsabilizo pelos meus atos.

Sou britânica? Sou. Gosto de chá? Sim.

Mas prefiro café.

E estou sendo privada até mesmo disso porque minha dieta diz que não é recomendado. Pro inferno com isso! Se eu quiser bebo a garrafa inteira. Mas Bieber não deixa nenhum dos empregados suprirem minha vontade. Ah, vou mata-lo.

Trucidaria cada ossinho daquele corpo gostoso.

- Bem, acho que isso não seria um problema para você. – falo brincando e abro meu doce. – Obrigada, Chaz. Eu realmente não sei como te agradecer.

Enfiei a trufa de brigaderio com morango na boca. Meu deus. Isso! Isso sim é comida. Não todas aquelas coisas que Alfred vinha me servindo.

- Que tal liberando o que tu tem ai debaixo das pernas?

Rolei os olhos e dei um soquinho nele.

- Idiota.

Estamos no clube Red. Sim, mas um com nome de cor. Eu realmente não entendo Justin e sua fixação por cores. Enfim, todos os dias eu venho e fico aqui no bar com os meninos ou Caitlin. Também fiz amizade com alguns  clientes que frequentam o lugar. O pessoal daqui é até que bem divertido e muito louco. Mas é claro que nunca saio dos olhos super protetores do chefão.

- Quem é o pessoal com quem Justin está fazendo negócios hoje?

Questiono notando que ele já está há horas na sala de reunião com algumas pessoas estranhas. Ele anda bem atarefado essas últimas semanas. Bieber viaja muito e eu fico sozinha em casa com as crianças e quando volta, ele se enterra cada vez mais no trabalho. A Máfia cresceu muito em cerca de alguns meses e ele como um dono muito dedicado, gosta de participar de todas as transações que acontecem e agora com o apoio da Milícia Geral, os negócios triplicaram.

- Mexicanos. – Charles respondeu. – Bieber está negociando com o maior Cartel de Sinaloa, os Jimenez.

Assinto e fito minhas unhas.

-Ele comentou algo sobre um tal de Hazza Nera. – falo como quem não queria nada. – Na verdade, eu o escutei falando com Ryan, mas quando questionei sobre...

Justin fingiu que não era com ele e simplesmente me ignorou. Ele faz isso quando não quer responder minhas perguntas e isso é um saco. Fico muito puta da vida e acabamos discutindo. Mas depois acabamos na cama. É confuso e deliciosamente prazeiroso.

Mas não deixava de ser irritante.

- E você espera que eu fale? – questionou divertido. – Muito bem, já pensou que talvez tenha uma razão para que ele não fale disso com você?

Dou de ombros.

- Ignorância está na minha lista principal.

Chaz ri e roda a cadeira.

- Muito bem, pode até ser. – disse sorrindo. – Eu vou te contar. Mas se ele descobrir, vou negar até a morte.

Reviro os olhos.

- Eu digo que te manipulei.

Sou bem influente.

 – O Hazza Nera é tipo o mercado negro da máfia. É onde acontecem as maiores negociações do mundo do crime. – contou baixo.- Mas não é esse o ponto. Há uma competição que origina o nome “ Hazza Nera,” que em italiano significa corrida negra. 

Franzo a testa e fico mais interessada.

 - Só isso?

- A Corrida Negra reuni os melhores assassinos do mundo que competem para conseguir a proteção total do submundo. Os concorrentes são jogados dentro de uma prisão no meio do oceano e à partir daí, começa uma corrida pela sobrevivência. Eles tem quarenta e duas horas antes que a prisão afunde e mate todos lá dentro.

O fito horrorizada.

- Isso é horrível.

Ele assente concordando.

- E a única regra do jogo é que apenas uma pessoa pode sair viva de lá. O restante morre. Já pode imaginar o massacre que ocorre. Mas todos estão lá porque querem. Ninguém é forçado a nada.

Fico enjoada só de imaginar o banho de sangue.

- Todos que estão no Mercado Negro assistem o Hazza Nera.É a maior diversão que temos de oito em oito anos.

- O conceito de diversão de vocês é meio torto. – Retruco.

- Torto ou não, eu sempre ganho muito dinheiro com isso. – Uma terceira voz diz e eu me viro, vendo Justin com as sobrancelhas arqueadas. – Charles, você parece uma menina fofoqueira.

Ele anda até nós e eu jogo os chocolates para o outro lado do balcão. Esse homem parece até o houdini. Quando menos esperamos, ele aparece.

- Sua mulher pode ser bem persuaziva quando quer. – Chaz responde erguendo as mãos. – Sou um mero soldado.

- Um que ela sabe manipular muito bem. – Me fita e eu dou de ombros. – Caitlin precisa de ajuda com os novos equipamentos na sala vermelha.

Chaz suspira e se levanta.

- Graças a deus.

Ele sai rápidamente me deixando sozinha com Bieber.

Ficamos em silêncio apenas nos encarando quando eu vejo aquele maldito lampejo divertido atravessar os olhos de Justin. Ele se inclina para frente, erguendo a mão na minha direção. Seus dedos tocaram o canto da minha boca e em seguida, ele os chupou e abriu um sorriso cruel no rosto.

- Chocolate? – me encolho por não ter disfarçado. – É bom saber que anda seguindo minhas ordens.

Respiro fundo.

- Não sou nenhum dos seus empregados para seguir ordens. – ressaltei bem alto. – Eu estava com fome.

Ele ergue as sobrancelhas.

- Isso não mata fome.

Dou de ombros.

- Mas mata desejo.

Fiz questão fuzila-lo com os olhos.

- É mesmo?

Arrumo meus óculos.

- Sim.

Bieber continua com aquela expressão neutra. Hum, estranho. Todas as vezes que eu tentei driblar as ordens dele, geralmente ganhava um pequeno castigo, como ficar mais um tempo na academia. Mas ele está estranhamente calmo. Estranho.

- Está tudo bem?

Bieber continua tranquilo.

- Claro, por que não estaria?

Oh-oh.

- Não sei...- murmuro desconfiada. – Me diz você.

Bieber me encarou e balançou a cabeça levemente.

- Se está nervosa pelo seu pequeno deslize, não vou te punir por isso esposa. – Alguém substituiu o homem com quem me casei. – Porém, a algo que eu devo te contar.

- Fique à vontade.

No fundo eu estou um pouco nervosa. Sinceramente, toda vez ele joga uma bomba no meu colo.

- Vamos viajar. – disse sem rodeios. – Você quer visitar sua tia e eu devo ir para Londres amanhã.

Meu coração bate rápido.

- Sério?

- Sério. – devolve indo até a prateleira de bebidas. – Na verdade, eu adiantei nossos negócios por lá.

E novamente estava lá um lampejo de que ele estava ocultando alguma coisa.

- Bieber, conte a verdade. – mando um pouco ansiosa. – Eu te conheço, você está enrolando.

Seus lábios se reprimem.

- Não há nada de errado.

Pois não é isso o que minha intuição diz.

- Justin, você sabe que se não me contar, eu mesma vou descobrir sozinha.

Ele manda um copo de vodka para dentro em segundos.

- Certo. – diz cauteloso. – Eu coloquei pessoas para vigiarem sua família. Então tudo o que acontece com eles, eu sei em primeira mão. 

Tudo bem, disso eu sei.

- E?

- E...- bebe de novo. – Sua tia está com câncer. Sinto muito.


Notas Finais


ENTÃO!
Me desculpem pela demora, eu realmente queria ter postado antes mas infelizmente não foi possível. Na realidade eu fiquei extremamente desanimada pelo o que aconteceu com a Hyatt, a autora de Criminal Blood e estava com certo ódio do social, mas vida vida que segue e estou de volta. Sei que o capitulo está curtinho, mas foi o que eu consegui escrever. Não vou demorar para postar de novo, talvez até mesmo amanhã ou depois, não sei. Mas é isso ai, um beijoooo!

Quais são os nomes que vocês sugerem para os gêmeos?

Xoxo, Gabbie <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...