História The mega vírus - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Digimon
Personagens Personagens Originais
Tags Digimon
Visualizações 13
Palavras 2.193
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Seinen, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


EU SEI!!! EU DEMOREI!!! MAS EU POSSO EXPLICAR!!! (T-T) bloqueio de criatividade! Problemas da escola, internet ruim, família, falta de tempo, esquecimento, bugs e pensamentos malucos, esses são meus motivos pela demora, me perdoem ;-;

Capítulo 18 - Volta para casa


 Estava saíndo da torre com Piter em meu colo, estava dormindo, Gomamon estava me acompanhando, Black Tailmon estava no meu digi vice, os outros três casulos eram policiais que iam investigar o lugar e foram pegos, eram donos dos Agumons, e o outro casulo estava apenas teias e um digi ovo que eu peguei, Sistermon fica cuidando dele

-Onde será que ele ta ? -questiona Taylor, eu estava atrás de ambas ouvindo a conversa

-Ja chega! Vou entrar! -fala Jasmine

-Cheguei! -falei como se não tivesse acontecido nada, elas se assustaram na hora

-Finalmente! Onde estava ? Eu vi explosões! Raios! Nuvens de digimons! Parecia um apocalipse! -falava as duas brigando comigo

-Ok, ok, vocês teen total motivo em ficar bravas, mas vamos sair daqui, ok ? Esse lugar não parece tão seguro -eu falei olhando a torre.

-Esperem! -grita alguém e quando nos viramos era um dos políciais, ele estava com seu parceiro no ombro, acho que tava ferido, nos olhamos e logo fomos ajudar.

[...]

Estávamos já fora do Digimundo, estávamos no hospital, resolvi levar Piter para fazer exames - nunca se sabe - um dos policiais ficou internado, parece ter sido mordido bruscamente, Taylor estava ao meu lado

-Então você conseguiu acabar com a ArachGreymon com a ajuda de algumas pessoas ? -questionou Taylor

-Sim! Uma tinha um Meikuumon, outro um Tailmon e o último um Mikemon! Foi uma das coisas mais épicas que eu já fiz na minha vida! -eu dizia empolgado ainda

-E aqueles digimons que corriam do lugar ?

-Quando entramos, tinha casulos feito de teias de Arachnemon, fomos abrindos eles, os andares de baixo possuía digimons e os de cima os humanos, fomos abrindo todos, e depois! Eu resolvi ir sozinho acabar com a aranha mas o povo me seguiu na hora

-Jake Adams -fala uma enfermeira com uma prancheta

-Sim -respondo

-Seu irmão quer ir ver você antes que seja tarde -diz ela, na hora fui correndo até o quarto, um médico surge do nada e quase me interrompeu de entrar, mas dei um salto e bati com os pés em sua cara o fazendo sair do caminho e logo entrei

-PIIITER!!! O QUE HOUVE ???!!! VOCÊ TA BEM ??!!! ME RESPONDEEEE!!!! -Gritava eu desesperado

-Calma... É que eu vou ter que tomar vacina contra algumas doenças pois ainda não tomei -ele dizia com lágrimas nos olhos, e naquele momento eu percebi ser bem dramático

-Então eu dei uma voadora no médico a toa ? -quando me virei e vi o médico com a marca da sola de meus sapatos em sua cara, o meu pensamento foi: SOCORRO!!!

Estávamos a caminho de casa, Piter estava com Gomamon no colo, Taylor estava ao meu lado com o braço em volta do meu pescoço - virei encosto agora hehe - e fomos indo calmamente, até chegar em casa

-Mas... O que houve aqui...? -me perguntei ao ver os destroços da minha casa, estava totalmente destruída em pedaços, abri a porta rapidamente, estava uma bagunça total, tudo queimado, destruído aos pedaços, parecia que tinha tido uma guerra dentro do lugar

-Como isso aconteceu ?! -pergunta Taylor olhando o para o "teto" que não existe mais

-Mas... Isso foi a algum tempo! Não ta nem quente! -falava Piter, e realmente isso parecia ter sido a um bom tempo, como não tinha muita opção resolvi ir ver o que houve com as pessoas que conseguem pegar as notícias antes de jornais, televisão qualquer coisa, era a minha vizinha da direita, foi até la, e bati na porta

-Taylor, Piter procurem alguma pista -disse a eles, e eles foram ver o que era, bati na porta da casa mais uma vez, e logo abrem a porta, minha vizinha era conhecida como "Fofoqueiramon" pois sempre sabia das notícias, ela tinha 32 anos, mas parecia ser mais nova, quase 25, tinha o cabelo curto, loiro, olhos pretos, e era mais carente que tudo, da em cima de qualquer um, e ainda por cima, era meio "Abusada", no momento ela estava com um vestido curto azul escuro, e na hora estava com uma meia que ia até a cocha, estava sem sapato ou chinelo

-Jake! A quanto tempo! -diz ela me abraçando, senti meu corpo estralar por inteiro naquele momento, literalmente, ela era mais alta que eu, eu tava sentido o peso dela caindo em cima de mim mas logo parou, e quando parou voltei a respirar

-Eu também senti saudades... -falei enquanto recuperava o fôlego, logo ela abre mais a porta para mim entrar e eu adentro. Ela então faz um café quente, me sentei no sofá, que era em forma de coração, ela me da uma xícara do café e depois senta em uma poltrona verde claro

-Aposto que sei por que veio aqui -diz ela tomando um gole do café

-Bem, então comece -eu disse olhando para ela tomando o café

-Olha, Jake eu gosto de você mas, olhe para mim, eu tenho 35 anos e—

-NÃO FOI ISSO QUE EU QUIS DIZER!!! - Exclamo antes que ela termine isso - eu quero saber o que houve com minha casa!

Na hora, ela ri um pouco, parece ter sido de propósito

-Sua mãe chegou aqui a um tempo atrás, daquela viagem a negócios dela, quando ela viu que você e seu irmão sumiram, ela iniciou uma busca, chamou polícia, bo bombeiros tudo, mas quando não acharam, ela resolveu esperar, depois de um tempo, um digimon apareceu, um Andromon, ele estava sobre o vírus esfinge e estava destruindo tudo na sua casa, sua mãe usou o digimon dela, teve uma forte batalha que destruiu sua casa e ficou como esta... Ela disse para mim depois: como eu sei que uma hora eles vão aparecer, fala para eles irem no condomínio nesse endereço - na hora, ela pegou um panfleto e me deu - ela disse que vai estar la, e que esta louca espera de você e seu irmão. E isso foi tudo

Na hora, tomei o café em apenas um gole, ignorei a dor por conta do café estar bem quente, abracei minha vizinha fortemente, e ela retribui, mas não igual a antes, dei um beijo na bochecha dela que a deixou com cara de quem precisava daquilo a séculos

-Obrigado, obrigado, obrigado, obrigadooo!!! -eu falava alegre, sai de sua casa, chamei Taylor e Piter e fui correndo até um ponto de ônibus.

[...]

Estávamos de frente a casa do condomínio que correspondia minha mãe

-O que eu falo ? -questiono olhando meu irmão e minha amiga

-Deixa comigo -diz Taylor, ela levanta a mão para bater na porta mas para

-ABRE LOGO ESSA PORTA QUE TA FRIO AQUI FORA TIA!!!! AAAAAAAAHH!!!!! -Gritava Taylor batendo na porta como uma louca, acho que entendi por que minha mãe não gostava dela

-Taylor, que surpre...sa... -dizia minha mãe depois de abrir a porta, não preciso dizer que nós todos nós se abraçamos, não é ? Abraçamos ela como se fosse a única coisa que existisse no mudo, era bom sentir o calor de um abraço depois de tudo isso.

[...]

-E esses são Black Tailmon, Sistermon, Nohemon, Mushroomon -eu dizia apresentando meus digimons a ela, Taylor apresenta apenas Sunflowermon, que era sua úncia digimon que minha mãe não conhecia

-São todos lindos, como conseguiu ? -ela me pergunta olhando eles contente

-Hehe, foi culpa do Piter, exceto Black Tailmon -eu dizia como se isso fosse algo ruim, mas todos entenderam que foi ironia minha

-E você algum digimon novo ? -pergunta Piter olhando ela esperando algo

-Não, não, apenas que Elecmon aprendeu a evoluir, mas fora isso nada -ela responde olhando Elecmon que dormia no sofá

-Pelo menos isso hehe -eu disse olhando

-Mamãe, do que você ta trabalhando agora ? -pergunta Piter

-Hã ? Ah! Eu não disse, eu agora estou trabalhando na empresa Esfinge digital -ela disse alegre, na e hora, eu, Taylor e Piter ficamos surpresos, e ar tenso invade o lugar, afinal, Esfinge é o nome do vírus que tentou nos matar umas cem vezes

-Mãe... Se demiti -falei

-Mas...

-Se demiti, tia -diz Taylor

-Se demiti mesmo -diz os digimons presentes

-Por que ?! -ela pergunta sem entender

-Essa tal esfinge tentou nos matar muitas vezes, e agora você trabalha para eles ? -questiono de braços cruzados

-Vocês devem ter confundido com os vírus esfinge -ela disse, na hora, ela mostra um gráfico, contando os lugares dos incidentes dos vírus e os lugares onde estão as empresas, era um laboratório louco em resumo, teste, experimentos etc

-Ta vendo ? Não temos nada ave! -ela dizia, na hora, eu apenas suspirei, continuei preocupado apesar disso

-Ok, mãe, eu estava errado -eu disse.

[...]

Como o condomínio onde minha estava não tinha quarto de hóspedes eu resolvi ir aonde eu pensei que nunca mais iria: a mansão da familia da Jasmine, a Mafia Russa dos digimons. Taylor foi para sua casa, e eu odeio dormir em sofá e não queria virar pai aos 16 anos com a minha vizinha

-Hey, a quanto tempo, carinha -diz Gabriel abrindo a porta da mansão

-Eae, cara, tudo bem contigo ? -perguntei meio cansado, afinal, fui andando

-Eu estou bem, mas acho que não preciso perguntar o mesmo a você para saber, não é ? Entra ai -ele diz dando espaço para mim entrar, e foi o que eu fiz, entrei, por dentro, a mansão era azul escuro, tinha bastante quadros, estátuas, miniaturas, etc, o piso era preto e branco, xadrez em resumo, Gabriel então vai a minha frente e eu o seguindo, inesperadamente, quando noto percebo estar na sala de estar, a minha direita estava uma TV enorme, enorme mesmo, a baixo dela tinha a estante com livros, e quando em virei para esquerda vi o sofá, que estava com Jasmine, um cara que chuto ser seu pai, e duas garotas que jugo ser suas irmãs, e ao lado Gabriel se senta, naquele momento meu único pensamento foi "Ou morro aqui, ou morro na perseguição..." o homem que me observava tinha cabelos pretos, com alguns grisalhos nas laterais, bigode que cobria um pouco dos lábios de cima, tinha um anel que lembrava um Holy Ring, olhos azuis, e estava com uma roupa forma, un terno marrom com uma gravata preta, e parecia estar me olhando muito bravo, na hora engoli seco

-Então foi você que Jasmine sequestrou, e em seguida Gabriel soltou ? -pergunta o homem sem mudar sua expressão de sério nem nada

-E-E-Eu mesmo! -falei com medo

-O que te trás aqui, garoto ? -pergunta ele novamente, eu não podia dizer "eu vim dormi aqui pois to sem casa" então tive que improvisar

-Eu vim fazer um trabalho de e-escola com a Jasmine! -respondi, na hora ficou muito visível meu medo, Jasmine fez um olhar que ficou claro que eu to ferrado nas mãos dela

-Hã ? Trabalho ? Não sabia que eram da mesma sala, e você vem aqui mesmo depois daquilo é muita coragem - e burrice também - pois bem, fique a vontade... Mas! Não toque na minha filha com más intenções! -quando ele diz isso, ele da uma piscada com o olho esquerdo

-Sim, Senhor! -concordei com o mesmo sinal

-Meu nome é Johannes Ackerman Helsink Orson -ele dizia e na hora estendeu a mão

-Meu nome é Jake Adams -falei e comprimentei na hora, e logo ele aperta minha mão e quase me faz me ajoelhar, Jasmine rapidamente me puxa e vamos até seu quarto onde ela fecha a porta brava

-QUE PORRA É ESSA ??!!! -Ela pergunta da forma mais gentil do mundo

-Oi, como vai ? Ah quanto teeempo! -ironizei ela, com um rostinho fofo, ela tenta me dar um tapa, mas eu me abaixei e ela acertou um bichinho de pelúcia, ah sim, o quarto era azul, com os cantos brancos, uma estante com bichinhos de pelúcia e um enorme Pandamon de pelúcia - que ironia um Pandamon de pelúcia, é tipo pelúcia da pelúcia - que se destacava no meio deles, a cama era suficiente para três pessoas, o guarda roupa era enorme, branco com dois espelhos nas portas das pontas, tinha uma mesa de estudos perto da janela com um computador de quase última geração, tinha alguns quadros a cima da cama, e fora ter uma estante com action figures, de todos os jeitos, heróis, vilões, antiherois, aposto que ela era uma geek, ou nerd, ou sei la.

-O que você ta fazendo aqui ? -ela pergunta arrumando o que derrubou

-Eu to precisando da sua ajuda! E admito não esta nem um pouco feliz com isso! -eu respondi em cochicho, mas exclamando como um grito, o famoso gritar em voz baixa

-Como ?! Ferrando minha vida social ? -ela pergunta pondo o dedo no meu peitoral e me olhando brava

-Eu só preciso de um canto pra dormir! Apenas uma noite, nem preciso tomar café, apenas dormir e mais nada!

-Hmmmm... Não garanto nada, e por que eu ? E a Taylor, ou o emo pegador ?

-Nunca fui na casa da Taylor como pediria para dormir ? E o Samuel não esta aqui ainda, esta no digi mundo!

Jasmine olha para a janela e em seguida para mim, fiquei assustado na hora, mas logo ela parece "desistir" da idéia que teve

-Eu me odeio, mas apenas um dia!!! E no quarto do Gabriel! E sem reclamar!!! -ela responde, na minha cabeça veio apenas a palavra "Valeu, Deus!"

-Yes! Sabia que podia contar com você! Obrigado! -falei, por impulso dei um abraço, mas nada de grudento.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, pq eu n gostei, ficou meio vazio, sei la como explicar ;u;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...