História The Memories - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Colegial, Formatura, Londres, One Direction, Passado, Romance, The Memories, Zayn Mailk, Zess
Exibições 67
Palavras 8.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello o/
Gente já estou triste! Da pra acreditar que essa história está mesmo próxima do fim??? Eu estou tendo outras ideias pra próxima fic, quando TM acabar... Quem sabe retornar ao meu projeto antigo (TBOTR) ou reescrever a minha primeira fic (PSN)... Não sei, to aceitando sugestões.
Obrigada pelo apoio de sempre <3
Número de capítulos até o epílogo: 8.
Boa Leitura ;)
Mari

Capítulo 36 - O time do Tomilson


"Quero passar a noite acordado 
E me aventurar em algo que nunca vou esquecer 
Quero ficar de pé e festejar o fim de semana todo 
Sem saber quando parar 
Quero dirigir a noite toda até o fim do mundo 
E ultrapassar o limite 
Quero acordar com você e dizer 
Querida, vamos fazer tudo de novo 
Lábios tão bons, eu esqueço o meu nome 
Eu juro que poderia te dar tudo 
Eu não preciso do meu amor 
Você pode pegá-lo,
Eu não preciso do meu coração 
Você pode parti-lo, 
Eu apenas não posso dar muito, pois querida 
Nunca é, nunca é o bastante 
Nunca é o bastante 
Vamos lá, vamos lá"

- Never Enough, One Direction. 
 

POV ZAYN

Não tem como explicar isso. Simplismente não há como descrever o que eu sentia naquele instante, após me declarar a garota que eu amava. Cantar com ela sentada sobre o piano foi a melhor cena que vivi nos últimos tempos. Eu estava feliz, mesmo sem ter ouvido uma palavra da boca dela, eu sabia. O sorriso da Jess já era a minha resposta necessária.

Pela primeira vez os olhares sobre nós eram positivos, e mesmo sendo algo bom, pela primeira vez, eles eram nada. Porque o olhar e a presença da Jessica eram o tudo. 

- Vem comigo.- Foi só isso que a Jess falou, ainda que no meu ouvido, fazendo mais ninguém escutar. 

Ela levou à sua mão até a minha e começamos a correr em direção à porta de saída do ginásio. Foi libertador sair dali, dava pra ver que foi aquela a intenção dela. Então nós dois corríamos pelo corredor até os fundos. O mesmo caminho que eu corri atrás dela, no baile de primavera. Mas agora não era uma cena de fuga, agora estávamos os dois correndo juntos, lado a lado. 

Chegamos na frente da porta do nosso lugar, ela empurrou a trava e abriu a porta. Ficamos na parte coberta, estava um frio insuportável e até chovia levemente. 

Eu logo respirei fundo e pensei em congelar aquele momento, antes dela finalmente se posicionar sobre tudo. Congelar porque até ali tudo estava melhor do que o esperado, e de certa forma eu ainda tinha medo do que pudesse vir a acontecer. Afinal eu não tinha garantias de que o final seria como o que eu esperei. Então eu sabia que iria congelar aquele momento na minha memória, e foi pensando nisso que eu sorri, após ela soltar a minha mão.

Ali não teria plateia. 

- Eu não sei o que te dizer Zayn.- Ela disse quebrando o silêncio entre nós. - Eu realmente estou tão surpresa com tudo isso. 

Jessica estava ficando meio fria a cada palavra, ela não estava sorrindo ou falando de forma empolgada. Mas no final das contas quem era eu pra esperar isso dela. Eu senti que tinha de falar mais alguma coisa, eu só senti naquele instante que talvez o meu discurso no ginásio não tivesse cido o suficiente. 

- Independente da sua reação, eu só quero me desculpar. Eu nunca quis que a sua vida se tornaçe tão pesada quanto aquele ballet que assistimos no Brasil.- Eu falei soltando todo o meu ar, que antes estava armazenado nos meus pulmões, junto com as palavras. Isso era algo que eu pensava a tempos. Sobre o real siguinificado da escolha dela, ao querer assistir Romeu e Julieta.

- É um pouco tarde pra isso.- Jess disse intensificando o tom de voz sarcástico.

Eu fiquei em silêncio, eu não sabia como conversar com ela. Eu não sabia como fazer aquilo, porque eu nunca tive a intenção de fazer a Jess esquecer os meus erros do passado. Eu nunca quis isso porque eu sabia ser impossível. Não dava pra apagar nada.

- Não era essa a reação que esperava não é?-Ela disse com o mesmo tom de voz anterior.- Me desculpa não atender suas expectativas, mas você sabe quantas noites...- Ela abaixou a cabeça e a voz falhou, ali não era mais o sarcasmo era a tristeza.- Quantas noites Zayn, eu fui dormir pensando que talvez você me procuraria e me diria algo.- Os olhos dela estavam vermelhos, mas só consegui observar isso quando ela levantou a cabeça. Os olhos cerrados como o cenho das sombrancelhas, a boca tremendo.- Eu me sentia confusa, porque eu queria tanto de odiar.- Jessica me olhava no fundo dos olhos, pela primeira vez eu pude ver naquelas lágrimas o estrago real que eu havia causado nela.- Como eu queria, mas não cara, eu me odiava por ainda ser tão estupida por te esperar. E pelo pior de tudo, amar a pessoa que havia causado tudo isso.- A voz estava fraca, tanto a dela em seu som, quanto a minha dentro de mim.- Zayn eu voltei porque sabia que se eu ficasse lá no Brasil, se eu ficasse eu não conseguiria lidar com as coisas. Porque não importava o que acontecesse, eu continuava apaixonada por você.- Ela disse algo tão aliviador e belo, mas com um jeito tão triste.- Eu queria tanto odiar isso, mas eu simplismente não consegui.

- Eu confundi as máscaras.- Eu disse me atrevendo a me pronunciar.- Mas parece que isso não se trata só do que aconteceu no Brasil.

- É.- Jess disse secando as lágrimas dando de ombros.- Aquele dia no hospital, foi o dia que eu mais senti a sua falta. Por poder te ter ali do meu lado, mas não poder demonstrar nada. - Jessica disse aquela parte sem chorar, mas a voz voltou a ter ironia.- Porque você sempre fez tudo isso?- Ela me perguntou com o choro acentuado e um pouco de exaltação na voz, o que poderia até mesmo ser raiva.- Me tirou tudo, todas as minhas energias, e me deu tudo: do melhor e maravilhoso ao pior imaginável. Porque Zayn, tudo isso é um jogo? 

Não. Não era um jogo, e mesmo se fosse, eu não pretendia ganhar. Eu só gostaria de entender como eu me encaixava, da melhor forma possível, pra causar bem a ela. 

- É melhor eu te deixar livre.- Eu disse bufando pesado, disse aquela frase de peso com um tom que tinha a melhor das intenções.- Eu quero te ver feliz. 

- Não, isso não vai acontecer.- Ela me respondeu rindo e no final o sorriso ficou por um curto período.- Foi escolha nossa não namorar de novo, mas foi uma escolha só sua de anular essa possibilidade. Isso é um fato Zayn, e eu não gosto de falar sobre isso, como eu não gostava mais de olhar pra você e lembrar do que você fez comigo. 

- São coisas horríveis, talvez se eu me afastar...- Eu tentei falar aquelas coisas com a maior dor emocional que já senti. Mas era com a intenção mais nobre que já tive: fazê-la feliz. Eu não consegui terminar de falar, ela me cortou.

- Sim, são coisas horríveis. Mas não são tão horríveis quanto a realidade, que é: eu não vou conseguir ser feliz sem te ter do meu lado.- Jess disse votando a se aproximar de mim e pegando na minha mão.- E eu não estou a fim de tentar me odiar por fugir de novo.

- Nem eu, em te deixar partir novamente.- Respondi com um sorriso, com o tom de voz baixo mas confiante. 

Jessica me olhava com tristeza, olhava de forma confusa. Mas ali no fundo, por de trás de toda a armadura contra os maus do passado, eu via a pureza e a leveza da Jessica do primeiro ano. Eu via a verdadeira Jessica ali atrás, meio tímida e assustada, mas tão brilhante como jamais foi. 

- Tudo está uma bagunça, tudo foi sempre a maior bagunça, mas eu finalmente me achei nisso tudo.- Acresentei falando com confiança, mesmo ainda havendo algumas lágrimas querendo vir em meus olhos.- Foi necessário aquela confusão toda no Rio, pra me fazer pensar e lembrar de muita coisa.

Eu me permiti sorrir e finalmente me senti na sintonia dela. Sim, aquela conversa era bipolar e bagunçada, era assim que nós nos sentíamos, mas ali as intensidades foram as mesmas. E tudo, como eu e ela, ficou sintonizado junto. 

- Nesse tempo eu também descobri uma coisa: eu amo a essa bagunça, por que eu amo estar nela com você.- Afirmei sentindo ela entrelaçar nossos dedos com força.

- Eu te amo Zayn.- Jess disse alquilo que eu nunca duvidei, mas esperei muito a duvidar se ouviria algum dia novamente. 

Eu puxei nossas mãos e ela caminhou pra frente, eu senti minhas costas se chocando com a parede atrás de mim. Estávamos ali, os dois juntos a milímetros de distância. E não importava se era como costumava ser ou não, o que importava era que estava mesmo sendo.

- Eu te amo Marrentinha.- Eu disse cada palavra com os meu lábios quase que tocando os dela.

- Sim, namorado.- Jess falou aquilo com um sorriso, e isso que fez meus pelos se arrepiarem e meu coração ficar ainda mais acelerado.

Nos aproximamos e finalmente selamos nossos lábios. Foi como se houvesse sentido um choque estático entre os nossos lábios, foi tão excitante por fazer tanta falta, por ser tão esperado e aguardado aquele ato. Ali tudo fez sentido. 

Eu nos virei, colocando ela colada na parede, o beijo não se enterompeu. Nós mantemos unidos ali, como deveria ser. Eu coloquei as mãos na cintura dela, e ela colocou os braços esticados no meu ombro. Eu a peguei no colo e Jess entrelaçou as pernas na minha cintura, ficamos os dois mais colados ainda. Nossa proximidade era essencial. Os toques eram sentidos a todo instante, em cada local tocado, era sentido com intensidade. 

Jessica passou as unhas nas minhas costas, e ali separou o beijo. Eu fiz um rastro de beijos pelo colo do seu pescoço, e logo ela apoiou a cabeça sobre o meu peito e me abraçou com as mãos que já estavam nas minhas costas. 

- Eu nunca mais vou te deixar ir Jess.- Eu disse sentindo ela descer e tirar as pernas do meu dorço, mas sem desfazer o abraço.- Não posso me permitir perder a pessoa mais importante que já tive comigo. 

- Eu realmente não quero mais sentir a sua falta.- Ela disse desfazendo o abraço, assim nós olhamos um nos olhos do outro. 

Jess levou a mão direita até o bolso da sua jaqueta e de lá tirou uma fita Rosa toda enrolada e com alguns fiapos. 

- Porque eu não consigo te esquecer, e eu nunca quis te esquecer. - Jessica disse erguendo a fita na minha direção.

- Você não se livrou dela.- Eu disse pegando a pulseira do desejo das mãos dela e olhando cada detalhe daquele objeto tão familiar.

- Ela caiu faz pouco tempo, e eu não consegui me livrar dela.- Jess disse olhando a fita em minhas mãos com um sorriso.

- O desejo de realizou?- Perguntei olhando pra ela que me parecia feliz.

- Sabe qual foi o pedido?- Ela perguntou e eu ri do jeito que ela falou, arqueando as sombrancelhas.- Que eu tivesse um amor de verdade como o dos meus pais.

- E?- Perguntei por esperar a resposta dela. 

- E se tornou realidade.- Jessica respondeu pegando na minha mão com a fita, assim nos aproximando novamente. 

Com o nosso beijo, tudo ao redor iria ficar diferente. Porque estávamos, não zerando nada, mas apenas continuando a história com um novo capítulo. Afinal nada se apaga.

- Vamos voltar lá? - Perguntei apontando na direção da porta com um gesto de cabeça,  antes que nos beijássemos de novo.

- Vamos.- Minha namorada respondeu animada. Cara ela era mesmo minha namorada! 

As preças nos voltamos ao ginásio. Tirando que a equipe do Charlie estava desmontando o palco pro jogo, tudo estava igual antes de sairmos: todo aquele tumulto. E isso ficou claro pelos gritos assim que retornamos. Harry veio correndo em nossa direção com o microfone nas mãos. 

- Pelo amor de Deus!- O Styles disse aflito.
Jessica e eu rimos da reação exagerada dele, e rapidamente ela pegou o microfone das mãos dele.

- Obrigada pessoal, foi tudo incrível.- Jess disse ao microfone ligado fazendo o estádio se acalmar.- Eu estou muito feliz com tudo que fizeram aqui hoje, e também muito feliz em dizer que eu e Zayn voltamos. A resposta foi sim!- A reação foi unânime, todos, pouco a pouco, se levantaram e nos aplaudiram.- E agora vem o jogo, então vamos torcer pra ganharmos essa certo?! 

Na hora a agitação foi aumentando e a estrutura já tinha terminado de ser retirada. A banda se fez presente e começou a tocar a entrada para as liders de torcida, que logo vieram sendo lideradas pela Miranda.

Eu e Jess fomos até nossos lugares na arquibancada junto ao Harry. Quando chegamos emcontramos com todo o pessoal, menos o Charlie. Med se levantou e foi nos abraçar, assim já puxando toda a turma pra um grande abraço coletivo. 

POV JESS

O jogo seguia pau a pau, eu e Zayn estávamos sentados juntos com o pessoal. Se não fosse por toda a tenção, de estarmos no último tempo do jogo, eu estaria o mais feliz possível. Grace estava tão nervosa que estava quase partindo a mão da Med ao meio, segundo ela. 

- Aí! Calma ele vai conseguir a bolsa.- Harry disse sorrindo pra Grace que não tirava os olhos do jogo. 

- Melhor mesmo, eu não quero ter a minha mão amputada.- Med afirmou sarcástica, e Grace pareceu apertar mais ainda a mão da nossa amiga. 

- Esse dia puta tenso e eu não vi o Charlie até agora.- Comentei observando o jogo. 

Estávamos empatados, uma tenção enorme. O treinador estava indo de um lado ao outro do ginásio, sério parecia que ele tinha formigas no rabo. Não que as bolsas do Zac e do Louis tivessem algo haver com eles ganharem o jogo, mas de qualquer forma não queríamos perder. Falando em bolsa, eu podia muito bem supor que o engravatado sentado na primeira fila, deveria ser o avaliador da Solent University. 

- Eu achei o Charlie! - Liam disse animado apontando pra cima. E lá estava o Charlie na sala de computação do ginásio, onde filmavam o jogo e comandavam o placar eletrônico. 

- O que ele tá fazendo lá ainda? - Niall perguntou ao Liam. 

Foi naquele instante, faltando os últimos trinta segundos pro jogo acabar, quando todo mundo já estava esperando os pênaltis, aconteceu. 

- Gente! - O Zayn gritou do meu lado, quase que explodindo os meus tímpanos e me deixando surda. - O Zac tá quase conseguindo! 

Na hora todos começamos a gritar muito, com bons torcedores fanáticos que somos. Mesmo eu sem entender um "A" de futebol, o que valia era o nosso entusiasmo e nossas energias positivas. Bem quando eu comecei a sentir que ficaria rouca, Zac deu o último passe pro Loius que marcou com tudo um gol certeiro. Nem dez segundos depois o juiz deu o apito final.

- Caralho! Ganhamos!- Med disse gritando freneticamente e já abraçando a Grace que estava extremamente vermelha. 

- Vai lá!- Jenny gritou pra ela apontando pro centro da quadra, onde estava o Louis e o Zac frenéticos com o Nick. 

Grace rapidamente foi passando na nossa frente e correu em direção ao limite da arquibancada, Louis foi até ela quase como se tivesse cido tudo ensaiado, e os dois se beijaram. O ginásio todo estava em estado de frenesi, era muito melhor do que todos nós imaginávamos. 

- Lindos!- Eu gritava com as meninas, como se Louis e Grace conseguissem nos ouvir. Eles realmente estavam incrívelmente fofos naquela cena. 

Acho que eu tinha me enganado, às vezes, a vida pode ter umas cenas de filme nela. Mais um momento desses pareceu vir à tona quando levamos um susto. O ginásio teve naquele instante todas as luzes apagadas. 

- Mais surpresas?- Eu perguntei segurando no braço do Zayn, estávamos um do lado do outro ainda. 

- Eu juro que não tem mais nada.- Ele me respondeu rápido, rindo com a voz confusa. 

Um holoforte branco se fez presente e focou perto do gol. De longe eu consegui ver dois jogadores, quando foquei melhor percebi: eram o Nick e o Joe. Nick se aproximou mais do Joe, tocou o rosto do garoto que pegou na cintura dele. Então o momento que eu tanto torci pra acontecer veio à tona: o beijo do casal. Aquele beijo que revelava pra todos uma realidade, uma verdade e acima de tudo: o amor entre dois seres. 

Eu gritei a fundo, com todo o ar dos meus pulmões. O pessoal ficou paralisado por um tempo, mas não demorou nem trinta segundos para reagirem, gritando e aplaudindo, demostrando apoio. Assim como todo o ginásio o fez. 

Quando as luzes se acenderam novamente, o time todo foi em direção ao casal. Nick e Joe sorriam de modo estonteante. E eu podia ver no sorriso do Nick o alívio, de amar livremente, sem amarras. No fundo eu entendia um pouquinho como era tão poderoso e gratificante aquela sensação. Levantei o olhar e consegui ver o Charlie dando pulos de felicidade, lá de dentro da sala de computação, parece que foi ele quem deu uma ajudinha. 

Todos se preparavam pra sair do ginásio lotado, e estava um tumulto só, mas quando cheguei na beira da arquibancada consegui ver uma cena muito importante, e que sempre levarei nas minhas recordações do ensino médio. Louis rodeado pelo time com a Grace sentada em seus ombros erguendo o troféu do campeonato.

Havia cido a melhor final de temporada de todos os tempos. Não porque ganhamos, ou pela surpresa do Zayn, ou pelo Nick e o Joe, mas por ter cido tudo isso junto. Não era exatamente por ter cido o último, mas sim por ter todos unidos. Bem como deveria ser. 
(...)

Depois de uns trinta minutos estávamos no estacionamento perto dos nossos carros, esperando as estrelinhas do time. Louis e Grace vieram com sorrisos de orelha a orelha, e o capitão erguia com grande felicidade o troféu, que a propósito era enorme. Não muito atrás deles vinham o Nick com o Joe e o Zac. Med e Jenny já se exaltaram na recepção, e os garotos aplaudiam com sorrisos. 

- Meus jogadores favoritos!- Eu gritei já indo na direção deles e arrancando um abraço de cada um.

- Só eu que ainda to passada?!- Med disse rindo se aproximando do casal de jogadores. 

- Não era só o Zayn que tinha algo planejado.- Joe disse com um sorriso abraçando a Med.

- Já sou madrinha!- Disse abraçando mais o Nick. - Apesar de vocês estarem extremante suados. 

- Não acredito que você sabia o tempo todo.- Louis disse rindo sem jeito.- Não acredito que eu não sabia?!- O capitão disse indiguinado. 

- Ele vai superar.- Grace respondeu olhando pro casal que se divertia com a cena.

- E sabe qual o melhor de tudo?- Zac perguntou irônico e pude perceber a tentativa do Charlie de se esconder atrás da do Harry. - Garotas havaianas! - Ele complementou gritando alto. 

Da enorme bolsa que ele carregava, Zac tirou duas sacolas e jogou na direção do Harry. O garoto as pegou e encarou as mesmas, sem entender nada.

- Ue, duas?- Styles perguntou confuso e a fada gargalhava ao lado dele, sem acreditar.

- Trapaça e mentira tem perna curta!- Liam complementou e Harry ficou emburrado na hora, já olhando feio pra mim.

- Eu juro que não falei nada.- Respondi rindo da cara de decepcionado e bravo do meu melhor amigo.

- Então como eles descobriram?!- Harry perguntou bravo com ironia. Logo o Charlie gritou, apontando o dedo meio que na cara do Styles.

- Descobrimos agora mesmo.- Zac disse divertido.- Queríamos te testar, pra ver se você não tinha trapaceado.

- Parece que acabamos de descobrir.- Liam acrescentou confiante, fazendo todos gargalharem.

- Isso tava mesmo combinado?!- Harry perguntou com o mesmo tom típico de indiguinação. Todos estavam se divertindo muito com aquilo, até quem não estava sabendo da aposta.- Poxa, até você Liam?!- Ele disse enburrado pro amigo que quis se esconder atrás da namorada.

- De santo só tem a cara.- Med disse tirando o namorado de trás de si. 

- Tá vamos que nós temos uma festa pra ir.- Nick disse animado, já indo até o carro dele com o namorado.

- Vejo vocês lá em casa.- Zac disse indo pra dentro do carro do Nick. 

- Eu vou no carro da Jess com a Med e o Liam, você vai no do Harry com a Jenny?- Zayn perguntava pra fada. Eles já estavam esquematizado a divisão dos carros, quando a Med me puxou de canto. 

- Acho que eu esqueci minha bolsa no vestiário das liders. - Minha amiga me disse revirando os olhos. Aquele vestiário era tipo um santuário pra todas as garotas da torcida, então nós automaticamente detestávamos aquele lugar.- Deixei ela lá mais cedo, tava com umas coisas que o Charlie tinha pedido pra montagem. 

- Eu pego. - Respondi já entendendo pelo tom de voz dela, e pelas caras e bocas, o que a minha amiga queria de mim. 

- Vou só pegar umas coisas lá dentro tá?- Eu disse no ouvido do Zayn que checava as coisas no grupo da festa, no celular.

- Agora vai!- Louis disse sugestivo pra me irritar, com aquela voz de malicioso, tentando bancar o comediante inoportuno. 

Eu lancei um dedo do meio pro Tomilinson e fui a caminho do vestiário. Pra minha sorte parecia estar vazio, assim como o ginásio. Mas quando eu já tinha avistado a bolsa da Med, eu ouvi uma respiração acentuada e algumas fungadas. Era alguém chorando. 

 - Oi?- Perguntei assim que me convenci que tinha mesmo alguém ali. 

Eu continuei andando seguindo o som, e me deparei com algo novo: Miranda sentada no chão do vestiário, ainda com o uniforme, chorando com a maquiagem borrada. 
Bem quando eu achei já ter visto de tudo naquele dia. 

- Miranda?- Perguntei por ela me aproximando mais, assim que ela me viu colocou a mão sobre o rosto.- Tá tudo bem?- Perguntei sem pensar muito, como se fosse uma reação pronta e automática. 

- Parece estar tudo bem?- Ela perguntou com sarcasmo, mesmo naquele estado continuava convencida. Meu deus, como era possível. 

Eu respirei fundo e pensei no que fazer. Por um instante sair correndo pareceu a melhor das opções, mas quando vi a chefe das liders toda caída ali, mudei de ideia. E antes deu conseguir falar qualquer palavra de apoio, Miranda já me enterompeu. 

- Você deve estar adorando isso, né?- Ela perguntou retórica com a cabeça baixa, ainda sem me olhar diretamente. - Minha vida já era, meu "namorado",- Ela falou com ironia, se referindo ao Nick.- que nem gostava de mim, é gay. 

É, digamos que ela tinha mesmo motivos pra estar naquele estado. Por um tempo eu tinha me esquecido que a Miranda estava metida naquela história toda. Bom, acho que o Nick também acabou esquecendo. 

Me sentei na frente dela, ali mesmo no chão, e quando eu iria falar algo, que eu ainda nem sabia exatamente o que era, a rainha dos pom poms me enterompeu novamente. 

- Ele me usou pra passar uma imagem!- Miranda disse com a mesma voz irritante e a cara de enojada, mas dava pra ver que ali era só por proteção. Ela estava realmente péssima, e não era presciso ser a melhor amiga dela pra perceber.- É só pra isso que eu sirvo.

Eu logo me surpreendi. Eu vi a garota, classificada pelos corredores, como a mais amedrontadora e poderosa do colégio, se autodepreciando. Se colocando em um nível muito mais baixo do que estava. Miranda com falta de confiança e autoestima? Aquilo sim era, realmente, uma novidade.  

- Eu só queria que um cara gostasse mesmo de mim, como o Zayn gosta de você.- Miranda complementou. Ela estava sendo gentil e, ao mesmo tempo, dizendo que Zayn Malik gostava de verdade de mim?! Cara, o bagulho tava mais sério do que eu pensei. 

Eu vi nela um pouco de mim. Uma garota que só queria ser amada por alguém legal, que a entendesse e que fosse mais que uma boca pra beijar, que fosse um cara especial e amigo. Não que eu estivesse com dó dela, mas eu só vi que eu poderia compreendê-la, por já ter sentido algo parecido. Quando Miranda ia falar novamente, foi a minha vez, eu a cortei. 

- Então porque ser tão má?- Eu disse com um pouco de dúvida, se falaria mesmo aquilo. Porque pela primeira vez eu não queria brigar com a Miranda, eu queria ajudá-la.

Miranda me olhou nos olhos pela primeira vez na conversa, e foi como se pretendesse falar algo como: "não sei o que você está querendo dizer." 

- Pra que roubar a ficha médica da Jenny?- Eu usei como exemplo, que era o acontecimento mais recente, e esperei uma resposta. 

- Era pra me ajudar.- A líder de torcida até que respondeu rápido, mas eu achei a resposta um tanto quanto vazia. 

- Em que?- Perguntei retórica pra ela, que abaixou mais o olhar.- A acabar com a vida pública de mais uma garota?- Complementei me referindo a outros casos, em que a intenção da Miranda foi fazer exatamente aquilo. 

- Não.- Ela respondeu rapidamente e até mesmo com um pouco de raiva. Eu até me assustei por um instante, mas eu não esperava mesmo o que viria a seguir. - Eu tenho o que a Jennifer já teve. 

Aí minha cabeça quis colocar as engrenagens pra funcionar pra valer. Miranda, a miss perfeição do padrão de beleza, com distúrbios alimentares? 

 - Eu ouvi vocês conversando, só queria ver as recomendações e o contato da equipe médica dela.- A líder rapidamente se explicou, falando até que rapidamente e baixo. Dava pra ver que ela estava envergonhada. 

Eu não consegui ter reação, mas antes que eu tivesse tempo para conseguir refletir sobre o que tinha acabado de descobrir, ela cortou o silêncio com uma risada sarcástica.  

 - Você achou que tudo isso era boa genética?- Miranda perguntou olhando pra mim, a arrogância tinha retornado, mas estava junto com a autodepreciação dela com si própria.- Nem todo mundo consegue ser como você Jess.- Nesse momento ela desviou o olhar.

- Eu não sou perfeita.- Afirmei quase que em um susurro. 

- E eu sou uma farça.- Ela respondeu alto dando de ombros. 

- Ah pode ir parando!- Eu disse falando com o tom mais alto, acho que até assustei a garota que me olhou espantada.- Você é a Miranda, a rainha dos pom poms!- Acresentei sorrindo pra ela, que até correspondeu.

- E você a Jessica, a rainha dos corredores.- Ela acrescentou rindo fraco. 

- Ah, cala a boca!- Disse já rindo alto.- Ninguém liga pra isso! Quem liga é porque não tem vida própria.- Então eu consegui, pela primeira vez, eu arranquei uma risada verdadeira da Miranda. Não era de deboche, ironia ou sarcasmo.- As vezes eu paro e penso: do que tudo isso vai importar daqui a dez anos?- Acresentei compartilhando com ela um dos meus pensamentos mais frequentes.- Ou melhor, do esses rótulos todos vão importar ano que vem, quando estivermos na faculdade?- Expliquei sugestiva e ela pareceu entender bem. 

- Você tem razão.- Ela respondeu com um enorme sorriso.- Não sei porque achava que você pegaria o meu posto.- A chefe de torcida revelou, envergonhada, pra mim um fato que, eu própria, desconhecia.

- Eu, chefe das líderes de torcida?!- Perguntei rindo bastante, sem acreditar se era mesmo aquilo. 

- No primeiro ano, as meninas ficaram tanto no seu pé, pro teste de chefe das liders.- Ela explicou encolhendo os ombros.- Você tinha grandes chançes, todos sempre foram fascinados por você. 

Eu não tive outra reação a não ser rir, não dava pra acreditar no que eu estava ouvindo. Era surreal. Então era esse o motivo da Miranda me perseguir desde sempre. Não era o Zayn, era inveja e medo deu pegar o lugar dela.

- Você já me viu dar uma estrela antes?- Perguntei e ela negou com a cabeça.- É porque eu não sei nem dar meia cambalhota.- Acresentei rindo junto a ela. 

- Eu nunca gostei de dividir a liderança da escola com você.- Ela admitiu dando de ombros e eu parei de rir pra ficar chocada.- Mas foi bom ter o ginásio só pra mim. 

- Miranda,- Eu a chamei rindo mais ainda que antes.- Eu nunca quis liderar a escola.- Falei dando de ombros. 

- Acho que é algo natural seu.- A minha inimiga, quase "amiga", sugeriu se levantando.- Você não tinha que ser legal comigo, então obrigada.- Ela disse com um sorriso ficando na minha frente. 

Eu me levantei e a surpreendi com um abraço apertado, que por incrível que pareça, foi correspondido. 

- Fica bem.- Eu disse separando o abraço.

- Se contar pra alguém...- Ela já disse se armando novamente. 

Eu dei alguns passos pra trás e sorri com sinceridade pra ela que correspondeu igualmente pra mim. 

- A gente se vê por aí.- Eu falei pegando a bolsa  da Med e me virando pra sair do vestiário.

POV ZAYN

Entre tantas festas daquele ano, com toda a certeza, a festa do final da temporada era a maior e mais importante de todas. A casa do Zac estava lotada quando chegamos, também a Jess quis parar em casa pra se arrumar, por tanto chegamos depois de um tempo. 

O mais engraçado foi que ela pediu pra mim esperar no carro, o Niall podia ter voltado a ser meu amigo mas o pai dela... Isso era outra questão. Pra mim foi até melhor não ter entrado, mas isso não excluía o fato de nós termos que enfrentar essa realidade depois. Mas naquele momento nós nos permitimos esquecer aquilo, e focar no presente. 

Tudo estava incrível, Charlie tinha ajudado na organização da festa e tudo estava perfeito. O mais legal era que tinha gente de tudo quanto era grupo, o plano uniu à escola e pela primeira vez o pessoal da banda e da computação estava em uma festa do time. 

O bar estava com um fluxo fora do normal, e Nick agora tinha o Joe ao seu lado, ok que ele mais bebia do que ajudava, mas os dois estavam curtindo o novo lance. Era isso que importava. Ah e é claro que o mais fantástico de tudo era a fada e o Harry fantasiados de garotas havaianas! Eu estava amando aquilo, mas o melhor era a Jenny, o Zac e a Med zuando da cara dos dois, já que a Jenny ganhou a aposta e a Med junto com o Zac intermediaram o acordo. Os dos estavam levando na brincadeira e acho que o Harry estava incorporando até demais o papel. Melhores garotas Havaianas de todos os tempos! 

Essas coisas faziam aquela festa ser incrível, mas a massa do bolo era estar junto da Jessica. Nós dois estávamos no sofá da sala, bem de frente pro bar movimentado, nos beijando como se não houvesse amanhã. É que cara, eu e ela tínhamos esperado e sofrido tanto por aquilo, que ali era como se fosse a primeira vez de novo. 

- E pensar que foi nessa casa o nosso primeiro beijo.- Eu susurrei no ouvido dela nos separando por um instante. 

- Você lembra disso Malik?- Jess respondeu rindo sem graça e arqueando as sombrancelhas, se afastando minimamente para que eu vizualizase a sua expressão. 

- Como eu poderia esquecer, foi sua primeira tragada em um cigarro moça.- Respondi divertido falando mais alto devido a música. 

- Ah meu Deus, nem me lembra. - A garota na minha frente ria leve, podia notar o rosto ficando corado.- Não sei como você não riu da minha cara. 

- Eu estava concentrado demais nos seus olhos.- Afirmei pegando na sua cintura, puxando ela mais na minha direção. 

Quando eu podia sentir a sua respiração junto à minha, quando nossos lábios já pressentiam o beijo que retornaria, o Nick apareceu bem na hora. 

- Casal!- Ele gritou bem próximo de nós e Jess virou o olhar pra ele que sorria bastante. Eu só o encarei com a típica expressão de "não acho ser a melhor das horas".- A Jenny tinha ido no bar a pouco, e falado que queria falar com vocês.- Ele completou ainda animado, meio que iguinorando a minha cara pra ele. 

- Onde ela tá? - Perguntei respirando pesado. Já tínhamos perdido o momento mesmo. 

- Lá fora na área da piscina, com a fada e acho que o resto do pessoal. - Ele respondeu pra nós  já se afastando. 

Jess se virou pra mim e encarou a minha expressão descontente, eu sorri de canto pra ela e dei de ombros. Minha namorada pegou na minha mão e assim nos levantamos pra ir atrás do povo. Mas quando estávamos indo pra área de fora, ela desviou o caminho e foi até as escadas, me puxando pela mão. 

- Eles podem esperar.- Jessica disse no meu ouvido enquanto subíamos os degraus.

Eu correspondi com um sorriso surpreso, porque era raro ver ela deixando de encontrar com o pessoal. Jess sempre colocou as amizades à frente de tudo, e agora ver ela por um momento nos colocando na frente, isso mostrava como ela estava mesmo a fim de fazer dar certo. Dessa vez eu não iria decepciona-la. 

Passo a passo nos aproximávamos dos quartos, até acharmos um vazio. O coração parecia querer sair pela boca, era como se fosse a primeira vez novamente. Nós dois entramos e eu fechei a porta, ela me olhou dos pés à cabeça e sorriu. 

- Vem cá.- Jessica disse baixo e devagar estendendo a mão. 

Eu segurei na mão dela e ela me guiou até a cama, onde sinalizou pra mim sentar. Assim eu fiz o que me foi pedido, e ela ficou em pé na minha frente.

- O que pretende fazer?- Perguntei rindo sem entender qual o propósito. 

Ela levou a mão até o fecho do vestido que usava, o fecho ficava na frente e ia desde o decote até embaixo. Jess brincou com aquele fecho, o puxando mais pra frente, o abaixando um pouco e em seguida o subindo de volta.

- Esqueceu disso Zayn?- Minha namorada perguntou sorrindo de canto, decendo o zíper até o umbigo deixando eu ver o sutiã rendado preto que ela usava por baixo. 

- O que deixa você louco?- Jess me perguntava  toda enrolada. 

Mesmo já fazendo um tempo ela ainda não sabia como lidar com as bebidas muito bem. Estávamos quase no meio do primeiro ano, era a segunda vez que eu ia pra cama com a Jessica, e mesmo com o termo "virgindade" não estando mais presente no ar, dava pra ver que ela ainda se sentia um pouco como da primeira vez. 

Nós estávamos na cama da casa do Zac, alguma festa da temporada. O mesmo quarto de sempre, só que agora com ela. Nos encontrávamos na cama, ainda vestidos, ela estava encima de mim, que estava deitado. 

- Você quer me deixar louco?- Perguntei retórico rindo um pouco, o olhar cerrado. 

- Eu vou.- Ela respondeu convencida saindo do meu colo e da cama. 

Eu a encarei de forma convencida, e ali estava a desafiando de modo indireto. Jess foi pra frente da cama, se virou pra mim e me olhou decidida. Foi nessa noite que Jessica Carter fez a sua primeira performance de estripetize. 

- Como eu poderia?- Respondi com um sorriso me lembrando da história.

A música lá debaixo ainda estava presente por estar muito alta. Ao ver ela descer o zíper do vestido até o final, deixando o mesmo escorregar entre os seus braços até cair no chão, foi quando a música ficou fundo na minha mente, então aquilo era a única coisa no meu campo de visão e nos meus pensamentos. 

Jessica sorriu e se virou, deixando eu ter a bela visão do seu corpo. Ela dançava conforme a música, só que um pouco mais lento, rebolando  como se acompanhasse a batida da música. Minha garota levou as mãos pra trás, nas costas, as mantendo a centímetros do fecho de seu sutiã. Ela desceu até o chão de vagar, quando chegou no final desceu pra valer, mais rapidamente, ficando sobre os calcanhares. 

Era só ela, só ela que conseguia fazer algo como daquilo. Algo que não era como algo vulgar ou indecente, era tão leve mas tão sujo. E isso me fazia ficar vidrado e adorar cada segundo. Só ela conseguia aquilo. 

Com muito equilíbrio ela retornou a ficar em pé, ainda de costas, abriu o fecho do sutiã. Afastou as mãos da li, e devagar a peça de lingeri deslizou pela frente dela, quando a mesma caiu no chão ela se virou de frente pra mim. 

- Não é só você que tem surpresas na manga Zayn. - Jessica disse suavemente enquanto permanecia imóvel, deixando o meu olhar percorrer todas as curvas do corpo dela. 

Jessica era a mulher mais bonita do mundo todo. 

Devagar ela se aproximou de mim, se abaixou e afastou os meus joelhos um do outro, mais ainda. Eu a vi ali entre as minhas coxas e ela olhou pra cima de volta com um sorriso sacana. Jessica fez que não com a cabeça antes de se apoioar nos meus joelhos, cada mão em cada um deles, e se virar. Então ela se levantou um pouco pra sentar no meu colo, ela sabia exatamente como fazer. 

Eu passei as mãos do final de suas costas até chegar nos ombros dela, coloquei o cabelo longo dela de lado. Eu massagei brevemente a nuca dela, e logo ela girou a cabeça devagar e suspirou de modo longo. Jessica apertou minhas coxas e eu segurei na sua cintura, a girando na minha direção. 

Ela ficou a sentimentos de distância de mim, sentada na minha frente com as pernas entrelaçadas nas minhas. Assim ficou mais fácil pra mim se aproximar, apertando a bunda dela e chegando no seu seu ouvido, onde eu espalhei beijos pelo colo até chegar ali. 

- Você está melhor do que nunca nisso.- Eu susurrei pra ela que foi na direção do meu pescoço. 

Jessica deu um beijo leve na região e depois puxou a pele entre os dentes pra, em seguida, realizar um chupão longo. Depois, quando ela ia me beijar eu me levantei junto com ela. As pernas dela se entrelaçaram agora na minha cintura, eu virei a posição, a encostando na cama deitada. 

- Acabou a brincadeira.- Eu disse ainda colado dela que soltou as pernas de mim. 

Me afastei e tirei a camisa e em seguida a calça, ela observava tudo antenta, mordendo os lábios e passando as mãos sobre os seios descobertos. Voltei pra cama indo na direção dela. 

- Sou toda sua Malik.- Jess respondeu pra mim conforme eu me aproximava. 

POV JENNY 

- Pode falar, eu sou a garota havaiana mais gata que existe!- Harry dizia alto e rindo, fazendo eu dar bastante risada. 

Nós dois estávamos juntos na área da piscina, Grace tinha ido procurar os outros. Afinal, eu e o Styles tínhamos uma novidade pra contar.

- Estou mais fabulosa que o Charlie né?- Harry me perguntou impaciente e eu logo dei um selinho nele, que puxou pra um beijo. Era mesmo com a intenção de calar a boca dele, literalmente. 

- Acho que os casais devem estar ocupados.- Grace disse ficando mais próxima de nós, ela falou com uma voz confusa e lenta. Eu logo separei do Harry e ela começou a rir.

- Era isso que queríamos anunciar.- Harry disse sorrindente pegando na minha mão. 

- Tá, mas dessa vez sem ficar com aquilo de vai ou não vai... Né?!- Nossa amiga perguntou rapidamente, rindo bastante com um sorriso animado. - Agora foi?!

- Foi.- Eu respondi com um sorriso como o dela, que foi na minha direção me dando um abraço apertado e logo fazendo o mesmo com o Harry. 

Quando nos separamos o Charlie apareceu todo atrapalhado, ele olhou bem pra nós três mas logo voltou a olhar envolta, como se buscasse por alguém. 

- Vocês viram a Dany?- Ele perguntou rapidamente pela lider de torcida, e nos negamos com a cabeça.- Estou com o bagulho dela! 

- Harry e Jenny estão juntos!- Grace disse pra ele, que pareceu não ligar muito e estendeu o saquinho transparente com o pozinho pra Grace. 

- Isso era mais do que previsível!- A fada afirmou tocando no ombro do Harry.- Agora eu tenho que achar aquela garota, fiquem aí! 

POV MED

Ficar sozinha com o Liam não era o que eu mais queria, me chamem de egoista mas eu não estava conseguindo olhar pra ele. Nunca estivemos brigados como aquilo, era literalmente um porre, eu achava então que o mais sensato que podia fazer era evitar brigar. Ou seja, evitar ficar muito tempo com ele.
Isso resultou em nós dois procurando pelo pessoal, qualquer um deles, não que o Liam tenha gostado da ideia. Ele estava de cara amarrada enquanto eu o puxava comigo a procura dos outros. 

Então eu achei a Jenny com o Harry, a fada e a Grace. Eu vi uma coisa que me deixou revoltada, mas que não causou o mesmo no Liam, já que eu estava na frente dele. Eu vi a pior cena que poderia ver naquela festa: Grace pegando com o Charlie um saquinho transparente com pozinho dentro. Na hora eu pensei que não era à toa eles estarem na área da piscina, junto com o pessoal drogado. 

Eu larguei da mão do meu namorado e fui as preças na direção deles, abrindo com força a porta de vidro. Assim que fiquei próxima pareceu que o Charlie queria sair dali, mas eu não deixei, o puxando pela camiseta. Ele encarou confuso a minha expressão de raiva, assim como os outros. 

- Jura?!- Eu gritei com raiva olhando pra Grace e pro Charlie.- Acha que só porque as coisas estão se acertando agora, que você nunca foi uma viciada?!- Falei diretamente com a minha amiga que me olhou confusa.- Não finja que não sabe o que está fazendo Grace. 

- Ei ei, abaixa o tom ai!- Jenny gritou no mesmo tom que eu. As pessoas ao redor logo perceberam o que se tratava e começaram a assistir de camarote a briga que se iniciava entre nós. 

- Você não tava com essa garota quando ela quase foi embora!- Respondi olhando torto pra Jenny, me referindo às vezes que a Grace quase morreu devido ao vício. 

- E você estava depois disso Med?- Harry se pronunciou, ficando na minha frente e falando em um tom que só eu pude escutar, ele sabia que o que menos precisávamos era fazer daquilo um barraco. - Pelo o que eu lembro era a Jessica que tinha que cuidar dela e de você ao mesmo tempo. - Styles acrescentou tentando estar com um tom irritado, mas saiu mais triste do que ele provavelmente gostaria. 

- Eu não daria nada pra Grace. - Charlie disse do meu lado, ele estava bem sério. Eu só consegui revirar os olhos. 

Não era o que parecia. 

Liam estava atrás de mim, e quando eu já queria dar outra resposta atravessada pra eles, o meu namorado ficou mais próximo. 

- Não desconta neles Medson.- Foi tudo que ele consegui-o me dizer, no meu ouvido, só eu escutei. 

Grace me olhava tristemente, Jenny, Harry e Charlie pareciam estar extremamente irritados. Eu só respirei pesado e virei de costas saindo dali, reparando pelo canto dos olhos que o Liam estava me seguindo.

Passei no bar, e Nick colocou minha bolsa sobre o balcão assim que me viu, parece que até ele sabia do que tinha acabado de acontecer. Sai pra frente da casa e peguei o celular, já chamando um Uber pra mim pelo aplicativo. Liam parou na minha frente e pegou o celular da minha mão. 

- O que tá acontecendo com você?- Ele perguntou baixo, parecia estar tentando ficar neutro mas na realidade dava pra notar o nervosismo. 

- O que?- Respondi olhando pra mão dele que estava com o meu telefone.- Não posso querer ir embora?! 

- Você não é assim Med.- Liam falou rouco segurando na minha mão. 

- O que foi Liam?!- Eu disse olhando fundo nos olhos dele, já irritada.- Eu tenho que ser sempre a calma e pacificadora? 

Me afastei dele, fazendo-o não tocar mais em mim. Liam estava com as sombrancelhas cerradas. 

- Eu to cansado de me sentir culpado por isso.- Ele respondeu alto, deu uns passos na minha frente e devolveu o telefone. - Eu não escolhi Newcastle, ou Oxford pra você, e muito menos o nosso termino!- Liam afirmou com raiva com os nossos rostos quase colados. Eu nunca tinha o visto tão irritado.- Mas você está escolhendo. 

Ele disse tão rápido quanto saiu dali, voltando pra dentro da casa frustrado. Não que eu quisesse que nos brigássemos, mas eu só queria estravazar. O problema era que eu estava fazendo da forma errada. 

POV GRACE

- Que bosta!- Eu esclamei assim que vi a Med saindo enfurecida com o Liam atrás. 

- Vai circulando, não tem nada pra ver aqui seus viciados! - Charlie exclamou fazendo o movimento voltar como antes. 

- Pelo amor de Deus! - Jenny exclamou olhando pra mim.- Não vai se sentir mal por isso hein. 

Enquanto o Harry tentava me confortar, dizendo que a Medson só viu coisa onde não tinha, e que ela devia estar surtada com o Liam, ou algo do tipo, eu só via o meu namorado vindo as preças até a gente. 

- O que tá acontecendo, tá tudo bem? - Louis disse se aproximando de nós.

Eu o encarei triste e com aquela cara de "tanto faz", ele colocou uma mecha meu cabelo pra trás, o pessoal deu espaço pra gente. Nós fomos pra piscina de mãos dadas e nos sentamos na beira. Eu tirei os saltos e os deixei do meu lado, pra colocar os pés na água. Estava um frio insuportável, mas eu quis mesmo assim. 

- O tempo passa e eu ainda sou a viciada que só gera problema.- Disse observando a água trasparenre da piscina ficar colorida com o efeito das luzes. 

Louis se próximou mais de mim e me abraçou de lado, observando o meu falso sorriso. Ele deu um beijo em meu ombro descoberto e estendeu a mão pra mim. 

- Não era o melhor momento né?- Ele perguntou sério, e eu não entendi o que ele queria dizer com aquilo. 

- Pra que? - Questionei desanimada e ele levou uma das mãos para um de seus bolsos. 

De lá Louis tirou um cordão de ouro e o estendeu na nossa frente. 

- Pra ser como a nossa cena de filme preto e branco.- Ele completou abrindo mais a mão, assim pude ver melhor.

Era um cordão fino com um belíssimo pingente de uma bola de futebol com rubis. Era o nosso símbolo, como quando assistimos no filme preto e branco no Hotel no Rio de Janeiro. 

- Louis é lindo.- Eu disse observando a joia que parecia brilhar cada vez mais. 

Eu sorri pra ele, ao ver aquele olhar radiante. Foi ai que a briga recente não importava mais, e tudo que estava na minha mente eram coisas sobre como meu namorado era incrível. 

Louis abriu o colar e o passou pela minha frente, assim fazendo eu prender os cabelos com as mãos. E assim ele fechou o cordão, colocando a peça em mim exatamente como eu sempre sonhei. Como em um filme antigo.

Eu toquei o colar sentindo o relevo das pedras do pingente e a delicadeza do cordão. Louis sorria fraco vendo como eu já estava melhor. 

- Não importam os momentos ruins, eu sempre vou te amar Grace.- Louis falou tocando as maçãs do meu rosto e me aproximando mais dele. 

Assim selamos o nosso beijo, que pra mim, foi melhor do que qualquer beijo, de qualquer filme romântico. 

POV JESS

No dia seguinte eu acordei na minha cama com o Zayn ao meu lado. Ele voltou comigo da festa e me pois pra dormir, mas acabou dormindo junto comigo. Resultado: ele teve que pular as janelas pela manhã. Muito autêntico. 

Eram cerca se quatro horas da tarde, quando eu estava com a Vanda, a caminho da última prova do vestido de noiva dela. Digamos que ela não estava muito animada, porque se acordo com ela: "eu não tenho mais idade pra esse tipo de coisa." Sendo que minha resposta foi que "não existe idade para se oficializar o amor verdadeiro, e ainda por cima arrasando de vestido branco e tudo."

- Estamos adiantadas Jessica.- Ela disse se segurando no banco. - Não prescisa correr. 

Eu revirei o olhar e tentei diminuir a velocidade, mas parecia que nunca era o suficiente. Talvez se eu andasse a vinte por hora ela se sentisse mais segura. 

- Faço o que posso.- Respondi rindo da expressão assustada dela enquanto dirigia.- E então dona Vanda, me conte como é estar apaixonada.- Disse me preparando pra efetuar o retorno, tentando colocar um assunto pra destrai-la. 

- Você sabe muito bem como é isso, não é?- Ela respondeu com um tom desconfiado e eu não acreditei quando ouvi.

- Não me diga que você viu ele saindo hoje...- Exclamei fechando os olhos por um segundo, logo quando paramos no farol.- Falei pro Zayn ser discreto saco! - Exclamei alto rindo sem jeito do sorriso que vi na face da Vanda. 

- Estava escrito nas estrelas que vocês voltariam.- Ela disse contente tocando na minha coxa logo após eu acelerar novamente. - Mas só quero ver com o seu pai. 

- Acho melhor ele nunca ficar sabendo...- Falei abaixando o olhar conforme estacionava o carro pro manobrista. 

Vanda me encarou com a típica expressão materna, do: "depois não diga que eu não te avisei." O manobrista abriu as portas e logo nos saímos do carro e entramos na loja. 

A loja tinha tanta coisa incrível que dava até vontade de se casar, só pra usar um daqueles vestidos. 

Fomos recebidas muito bem e logo Vanda foi pro provador que estava reservado no nome dela. O vestido já tinha cido escolhido e ajustado anteriormente, aquela era a ultima prova. 

- Me sinto uma boba.- Ela dizia de dentro do provador. 

Já imaginei qual discurso teria que usar para mostrar a ela o quão bonita ela deveria estar, mas assim que ela saiu e pisou no palanque, nossa! Eu vi naquela mulher toda abobada um enorme sorriso. 

- Tá muito ru...- Ela até poderia querer falar a palavra ruim, mas eu a cortei com a mais pura verdade. 

- Deslumbrante.- Eu falei me levantando da poutrona onde estava e caminhando na direção dela. Ficando em pé do seu lado, e a envolvendo com os meus braços. - Você é a noiva mais bonita que eu já vi.

E era verdade mesmo. Não sei exatamente o que era, mas um fator decisivo para a minha opinião era não só aquele sorriso, mas também o brilho que vi nos olhos dela. Vanda estava maravilhosa, era como se uma luz emanasse dela e iluminasse toda a sala. 

Eu não poderia pedir uma madrasta melhor pra mim, e uma noiva melhor pro meu pai. 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...