História The Mistress - Capítulo 42


Escrita por: ~ e ~Lily_R

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Personagens Anastasia Steele, Christian Grey
Tags 50 Tons De Cinza, Anastasia Grey, Ava Grey, Christian Grey, Família, Grey, Humor, Phoebe Grey, Sr Grey, Theodore Grey
Exibições 448
Palavras 1.657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores!!!
Eu sei que faz tempo que não posto, sinto muito não estava conseguindo escrever, tanto é que metade do que estava na minha cabeça eu não consegui passar pro papel :S e eu tenho quase certeza que eu dormi durante uma semana toda pq não me lembro de ter passado tanto tempo assim
Bom, aqui está mais um capítulo, espero que gostem.

Capítulo 42 - Capítulo 42


Fanfic / Fanfiction The Mistress - Capítulo 42 - Capítulo 42

Jason POV

 

Ainda não acredito que isso está acontecendo. Ver ela deitada naquela cama, tão frágil e machucada, quase me fez perder a cabeça, sem contar que nem ao menos posso ficar lá com ela. Tenho vontade de arrebentar a cara daquele filho da puta e talvez eu faça isso quando encontrá-lo.

O toque do meu celular me tira dos pensamentos.

“Kevin.” Digo atendendo-o.

“Hey cara... Nós... Nós encontramos ele.” Ele diz baixo, mas ouço perfeitamente.

“Onde? Estou indo ai.”

“Calma ai car...” ele começa

“Não! Me diga onde ele está!”

Ele bufa e me passa o endereço da área abandonada da praia, onde tem um monte de containeres.

Não demora muito e logo passo pela porta da frente do galpão, deixo escapar um largo sorriso quando Willian me vê e a cor parece sumir de seu rosto já manchado de sangue.

Vejo que não era o único que queria fazer ele pagar pelo que fez.

“Belo trabalho no nariz.” Digo olhando para Ace e Kevin aparece em seguida.

“Eu tenho um gancho ótimo, mas isso não foi obra minha.” Ace diz mandando um olhar para Melissa, a namorada dele que esta sentada tranquilamente no canto.

“Wow...” digo surpreso.

“É pra isso que servem os amigos...” ela diz piscando para mim com um sorriso divertido.

“Me lembre de nunca mexer com você Mel...”

“Eu sei que você queria ser o primeiro a acabar com ele, mas quando o encontramos, foi impossível segurar a vontade de encher a cara desse filho da puta de socos. Jenny é como uma irmã mais nova para mim.” Ace diz.

“Você é um desgraçado filho da puta Colben. Qual é? Não é homem o suficiente para resolver isso sozinho? Teve que mandar as suas cadelas atrás de mim?” o maldito diz.

“O desamarrem.”

Eu não preciso falar duas vezes e Ace e Kevin desamarram o filho da puta. Eu tiro minha jaqueta.

“Pode segurar isso para mim?” peço a Mel.

“Claro.” Ela diz pegando da minha mão.

Estou com tanta raiva que ela parece irradiar de mim e sei que posso acabar matando ele.

“Ace, Kevin...” chamo me virando brevemente para eles “não me deixem matar ele... Se o virem inconsciente... me parem.” Os dois concordam com um aceno de cabeça e deixam Willian livre.

O maldito parece que vai se borrar todo. Ele sabe o que vai acontecer.

“Agora Sr. Banks, eu vou te oferecer uma saída... Bom não uma saída, uma opção. Nós dois sabemos que no momento que o Grey colocar as mãos em você, não há nada que o faça parar, então se você conseguir me superar aqui, talvez tenha mais tempo para fugir dele.”

“Vai se fu...” antes que ele possa terminar a frase, meu punho atinge seu rosto o fazendo cair no chão com a dor e eu começo a chutar suas costelas e pernas com toda força.

“EU VOU FAZER VOCÊ PAGAR PELO QUE FEZ COM ELA SEU DESGRAÇADO!” Eu rosno para ele, sentindo ainda mais raiva, minutos depois Kevin e Ace me puxam para longe.

“Jason, pare!” os dois falam.

“Vai matá-lo!” Kevin diz e me solta em seguida.

“Vamos amarrá-lo de novo.” Ace diz pegando uma corda.

Começo a andar de um lado para o outro assustado comigo mesmo. Nunca fui uma pessoa violenta. Tive algumas brigas na escola, mas nada demais. Espero ouvir uma voz em minha mente me falando para parar, mas não ouço nada.

“O que vai fazer agora?” Ace pergunta depois de terminar de amarrar Willian.
“Esperar ele acordar, então vou fazer com que ele não consiga falar e o entregarei ao Sr. Grey.”

“Não é ariscado?” Ace diz.

“Nós nunca estivemos aqui Ace... Assim como Jenny nunca esteve em uma corrida antes.” Digo a ele “Sem contar que eu duvido que ele saia da cadeia, Christian não deixará que ele saia livre dessa.”

“Nisso você tem razão...” ele concorda.

Nós permanecemos em silencio por alguns minutos.

“Olha... Acho que ele está acordando.” Kevin diz apontando para Willian.

“Bem vindo de volta Sr. Banks...” digo com um sorriso sádico, mas os olhos dele vacilam para longe de mim e parecem mais assustados do que antes.

“Vejo que o encontraram.” Ouço uma voz vindo de trás, tão fria e controlada que me faz estremecer e me deixa paralisado. Nunca em um milhão de anos eu sonharia que ela estaria aqui.

“Ace... Quanto tempo...” Ela diz um pouco mais suave.

“Phoebe... Muito tempo, como vai?” Ace pergunta. Mas que poha? Eles se conhecem.

“Sabe meu pai está desesperado atrás dele, não sei como ele não pensou em ir atrás do pessoal da racha.” Ela diz e por um momento me pergunto se ela já esteve lá antes. “Dei a vocês um tempo, agora precisam ir antes que meu pai chegue... O Sr. Banks aqui nos deve algumas respostas.”

Eu quero me virar e falar que não, mas sei que ela vai me reconhecer na hora e não posso correr esse risco, sem contar que posso quase sentir a raiva dela.

“Vou lá fora fazer uma ligação enquanto tiram o que for de vocês daqui.” Ela continua autoritária como sempre.

“Como vai explicar isso ao seu pai?” Ace pergunta.

“Vou dizer a verdade, que alguns amigos dela acharam ele antes.”

“E nossa identidade?” Ace insiste.

“Não será importante para ele.” Ela responde “vão logo, já fizeram um belo estrago aqui.”

“Obrigada Phoebe.” Ace diz.

“Eu que deveria agradecer.” Ela diz.

“Ela já era família antes mesmo de começar a correr. É o mínimo que podemos fazer.” Ace diz. Que poha é essa?

“Obrigada Cortez!” Ela diz e então a ouço sair. Cortez? Caralho, será que esse é o nome do Ace?

“Vem Jason... Vamos pelo fundo ou ela vai te matar.” Kevin diz e Ace concorda.

“Cortez?” Não consigo deixar de perguntar.

“Andrew Cortez. ACe!” ele diz. Puta que pariu, como ela sabia disso, conheço Ace há anos e nunca descobri seu nome verdadeiro “Outra hora meu amigo, outra hora.” Ele diz vendo as perguntas em meu rosto.

“Tudo bem, mas antes de ir...” digo e dou um soco no maldito, o apagando novamente, então os sigo para fora.

 

Christian POV

 

Como esse maldito consegue se esconder assim, ninguém parece saber sobre o desgraçado.

Ouço meu celular tocar e o atendo sem ver o identificador. É Phoebe avisando que encontrou o filho da puta, não sei como, mas ela me passa o endereço e sem pensar duas vezes saio apressado.

“Taylor, prepare o carro.”

“Senhor?”

“Ande, vou apenas avisar Ana que estou saindo e já irei lá.”

“Sim, senhor!” ele responde já sumindo.

Aviso Ana que estou saindo, sem dar detalhes porque não quero que ela vá junto, seria perigo.

Uma hora depois e eu estou entrando em um galpão no fundo de longas filas de containeres.

“Meu Deus Phoebe! O que você fez?” Pergunto assim que passo pela porta e vejo o estado do maldito.

“Por mais que eu adoraria ter feito isso nele, não fui eu...” ela diz e em minha cabeça passa todos que poderiam ter feito, até que... Oh meu Deus! Como não pensei nisso.

“Eles se importam com ela.” Digo sem acreditar.

“Isso realmente te surpreende?” ela pergunta.

“Não, sua irmã pode ser um pé no saco às vezes, mas não tem como não amá-la.” Digo e ela ri.

“Vou esperar lá fora.” Ela diz saindo.

Assim que a vejo sumir, sinto a raiva subir e acordo o desgraçado no tapa.

“Acredito que temos muito para conversar Sr. Banks.” Digo em tom ameaçador e ele tem a coragem de dar um breve sorriso.

“Nós certamente temos.” Ele diz com dificuldade.

“Nada que você tenha a mais para dizer me interessa... Apenas quero saber por que fez aquilo?”

“Tem certeza Sr. Grey? Eu posso saber de uma ou duas coisas.”

“O que quer que seja não me interessa.” Digo novamente.

“Nem mesmo sobre o namorado da sua querida filhinha?”

“Eu já sei sobre ele... É gay e o pai nunca o aceitaria, blá, blá, blá...” digo

“O que?” ele pergunta parecendo confuso.

“É bom que tenha algo melhor que isso Sr. Banks. O relógio está correndo e eu quero resposta. Porque fez aquilo com minha filha?”

“Porque vocês merecem sofrer.” Ele diz “tudo o que aconteceu comigo é culpa sua e da sua adorável família.”

“Do que está falando, eu não tenho nada com o que quer que tenha acontecido com você.” Digo sem entender.

“Sabe Sr. Grey, eu nunca tive a chance de conhecer meu pai verdadeiro. Minha mãe era uma vadia qualquer que me largou em um orfanato com fome e doente. Quando meus pais morreram e descobri que era adotado, passei muito tempo procurando por meu pai e quando finalmente o encontrei ele havia morrido, queimado na cadeia, cadeia que o senhor o colocou.” Ele diz com aspereza.

O que? Esse merda está dizendo que é filho do Hyde? O maldito filho da puta não deixa minha família em paz nem depois de morto!

“O que foi? O grande Christian Grey não tem nada á dizer?”

“Sinto muito que Hyde seja seu pai e que isso tudo tenha acontecido com você, mas não é minha culpa que seu pai tenha pagado pelo que fez com minha família, não fui eu que o matei.”

“FOI SIM. SE ELE NÃO ESTIVESSE NAQUELA CADEIA, ESTARIA VIVO!”

“Se ele não tivesse ido atrás da minha família e raptado minha filha, não estaria lá. Ele apenas teve o que mereceu, assim como você também terá.” Digo a ele, por um momento tive pena dele, mas me lembrei o que fez e eu nunca o perdoarei por isso “nunca mais chegará perto de nenhum dos meus filhos Sr. Banks e marque minhas palavras, se cruzar meu caminho novamente, não viverá para contar a alguém e nem se importe em se fazer de vitima nessa história, farei tudo que estiver em meu poder para que você nunca mais faça mal a alguém.”

 

 


Notas Finais


Com certeza não foi isso que imaginaram do encontro deles com o Banks, mas se ele morreu ou foi preso nós deixamos nas mãos de vocês

Deixem comentários e até o próximo capítulo

XoXo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...