História The Model And The Photographer - Jikook - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Lemon, Love, Model, Namjin, Photograph, Sugahope, Taeyoonseok, Vhope, Yaoi, Yugyeom
Visualizações 3.778
Palavras 2.099
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ae.... Adivinhem com o que eu voltei?......... isso mesmo, com um lemon de 2000 palavras huahua
Bom, boa leitura <3<3

Capítulo 5 - Você é apertado


Fanfic / Fanfiction The Model And The Photographer - Jikook - Capítulo 5 - Você é apertado

- Você quer que eu lhe ataque com tudo - Sussurrou em meu ouvido - Se continuar assim, eu terei que lhe punir por me provocar - Lambeu meu lóbulo da orelha, e mordiscou-o.

Selei nossos lábios e mordi forte seu lábio inferior.

- Quem disse que eu não quero ser punido? - Provoquei.

Afastei nossos rostos e vi seus olhos faiscarem. Vi em seus olhos que agora não havia saída, e eu iria adorar tudo que fosse me acontecer naquele pequeno elevador. Sorri o mais largo que pude, e empurrei meu membro contra o dele, antes de molhar meus lábios.

---

Suas mãos rapidamente abriram os botões de minha camisa e deslizaram por todo meu abdômen. Arranhando-os levemente até o cós de minha calça e seus dedos apertarem a minha ereção.

- Jimin - Gemi arrastadamente.

Seus dedos tocaram o meu cinto e o abriram, logo o barulho dele caindo no chão pareceu ter me despertado ainda mais, já que os sons saíam frequentemente de minha boca. Minha calça foi retirada e apenas minha boxer permaneceu em meu corpo.

Senti a língua de Park Jimin tocar meu membro por cima da boxer, e minhas pernas fraquejaram.

- Já está assim Jeon? - Riu Park Jimin - Ainda estamos apenas no começo.

- Assim eu espero - Arquejo, quando suas mãos puxam minha boxer rudemente, deixando meu membro à amostra. Mãos firmes eram tudo, e tudo em Park Jimin era firme.

Seu sorriso era debochador e vitorioso. Meu pênis foi coberto por sua boca, com sua língua deslizando por minha glande.

- Puta merda - Solto um gemido alto demais.

Suas mãos agarravam minhas coxas, e as deixavam vermelhas por conta da forte pressão. Bati minha cabeça na parede do elevador quando o prazer era enorme, e agarrei os cabelos de Park, o empurrando cada vez mais para mais perto. Meu membro já estava doendo de tanto que estava duro. A boca de Jimin ia e voltava enquanto sua língua deslizava por toda a extensão. Seus dentes roçaram levemente, arranhando de leve meu membro.

- Puta que pariu - Gritei - Está fazendo isso de propósito.

- Hum, pode apostar que sim - Riu, e parou de sugar meu membro, o que acarretou em gemidos de desaprovação por minha parte - E pode apostar ainda mais que quando eu te foder todo, você passará o seu sábado sem andar.

Seus dedos massagearam meus testículos enquanto sua boca voltava para meu membro. Aquelas palavras foram o ápice para mim. Meu membro já estava liberando o pré-gozo, e eu estava me segurando para aguentar mais um pouco.

- Jimin, eu vou... - E antes que eu terminasse de falar, o gozo saiu em rajadas enormes. Pensei que ele apenas cuspiria o gozo, mas o maldito engoliu tudo e me olhou pervertidamente. 

- Você é uma delícia, bebê - Riu e levantou-se - Mas terá que ser um bom menino e esperar um pouco.

- O quê? - Perguntei confuso. À que ele se referia?

- Vamos para o seu apartamento primeiro.

Park Jimin apertou o botão enquanto eu botava minhas roupas,  e me arrastou para fora do elevador assim que chegamos ao andar de baixo. Passamos direto por meu carro, e até tentei protestar, mas eu não queria poder perder dar um voltinha naquele carro maravilhoso.

O carro dele era maravilhoso, eu seria simplesmente burro se não desse uma voltinha nele.

Já em seu carro, Park Jimin ficava me provocando e acariciando meu membro por cima da calça e eu apenas me segurava para não liberar nenhum som indecente. E pela cara de Park Jimin, ele não estava contente e queria me fazer gemer em seu ouvido. O que eu ainda não faria, me aproveitaria um pouco de sua paciência. 

Afinal, quem não testaria? Se me quisesse teria que aguentar meu pequeno provocamento. Apesar de eu estar gostando.

Assim que chegamos em meu apartamento, Park Jimin foi logo entrando e sem me deixar trancar a porta, me imprensou nela e atacou meus lábios novamente. Suas mãos desabotoavam novamente minha camisa e logo ela estava largada no chão. Park Jimin puxou-me para seu colo e logo eu entrelacei minhas pernas em sua cintura. Desajeitadamente tirei sua gravata e a larguei no chão, juntamente de minha camisa. Seus lábios mordiam os meus selvagemente e o sabor de baunilha que sua boca liberava estava me deixando louco. Eu precisava dele dentro de mim, estava enlouquecendo.

- Onde é o seu quarto? - Perguntou em meu ouvido.

Estremeci e arfei, recuperando o fôlego.

- Na ultima porta do corredor - Sussurrei.

Park Jimin Agarrou minhas coxas mais fortemente e encaminhou-se para o quarto, me carregando em seu colo, enquanto eu mordiscava seu pescoço. Meus lábios grudaram em seu pescoço de tal modo que eu já estava marcando-o com vontade. Totalmente me esquecendo de que ele era um modelo e provavelmente as marcas não sairiam até segunda de manhã. 

Mas quem liga, certo? Era Park Jimin, o modelo mais gato de todos. Ele estava ali me dando uma atenção especial e quem recusaria isso? Eu não sou bobo de perder isso.

A porta foi aberta com um chute, e logo em seguida fui jogado na cama, nada gentil. Jimin caiu por cima e atacou meu pescoço, empurrando seu membro por cima da calça, simulando uma estocada que me fez gemer fracamente. Tirei sua camisa e apreciei seu corpo. Seus braços eram fortes e bem estruturados, assim como seu abdômen. Por ser modelo, precisava estar em forma, mas esse corpo... esse corpo era demais. A melhor visão de minha vida, e nada mudaria isso, nem mesmo o cara mais gostoso da terra, afinal, ele já estava aqui. 

Seus dedos brincaram com um de meus mamilos enquanto sua boca desceu para o outro e o mordiscou, causando-me espasmos. Meus dedos estavam entrelaçados em sua nuca, agarrando uns fios de cabelo.

- O que você quer, Kookie? - Lambeu meu tórax - Me diga e lhe darei.

- Você sabe o que eu quero - Soltei, arfando e contendo um gemido quando seu membro chocou-se contra o meu deliciosamente.

- Hum, talvez eu não saiba - Sua boca desceu até minha virilha e ele mordeu minha cintura - Você precisa ser mais especifico.

- Jimin - Choraminguei, implorando-lhe para ir logo - Me fode logo - Perdi a paciência e gritei.

- Agora está melhor - Puxou minha calça e boxer juntamente - Lembre-se que foi você que pediu.

Sua risada anasalada me fez ter fisgadas e a ereção já havia voltado. Jimin levantou-se e retirou suas calças e boxer também. Agora estávamos totalmente nus, e antes de jogar sua calça no chão, retirou de um de seus bolsos uma camisinha. 

- Já fez isso antes? - Perguntou-me, abrindo o pacotinho. Eu corei, a verdade era que não. Eu não havia feito sexo em minha vida ainda - Acho que não - Riu levemente.

- Algum problema?

- Nenhum - Lambeu os lábios - Ao contrário, aprecio isso. Você será somente meu.

Suas palavras me fizeram explodir em vergonha, mas já estávamos ambos excitados e nus, não iria voltar atrás agora. Jimin já havia colocado a camisinha.

Ele virou-me de bruxos e empinou minha bunda. Devo dizer que fiquei constrangido, mas ele conseguiu acalmar-me com uma pequena carícia em minhas costas.

- Irei te preparar primeiro, está bem? - Confirmei com a cabeça - Tem lubrificante?

A resposta mais correta seria que não, já que nunca havia transado, mas Hoseok me fez comprar um e guardar na gaveta.

- Na gaveta, a última.

E com isso, ele a abriu e retirou o frasco. Senti um de seus dedos lubrificados tentarem entrar em mim, o que foi um pouco difícil. Gemi de dor, estava realmente sendo um incomodo, mas Hoseok sempre me alertou de que logo após a dor viria um prazer que valia a pena.

Para falar a verdade, nunca cheguei a acreditar. Mas quem se importa, certo?

- Relaxe - Park Jimin sussurrou em meu ouvido, o que me acalmou um pouco - Irei movê-lo.

Seu dedo agora entrava e saia, e quando deu alguns minutos, ele colocou mais um dígito. As lagrimas haviam se formado em meus olhos e ameaçavam cai a qualquer instante. Seus dedos faziam o movimento de uma tesoura, alargando meu ânus. 

- Vá logo - Falei, entredentes por causa da dor - Por favor, eu não aguento mais.

Ele não retrucou nem reclamou, apenas seguiu o que eu pedi. Seus dígitos foram retirados e eu pude sentir seu membro esforçando-se para entrar no pequeno buraco. Provavelmente estava sendo esmagado, e isso agradava à Park Jimin que gemia em meu ouvido. Seu membro entrou por completo e a dor era gigantesca. Parecia que meu corpo estava se rasgando e abrindo de uma forma absurda. 

- Vai passar - Beijou minhas costas - Avise-me quando se acostumar.

Ele estava sendo incrível, estava sendo tão bom e gentil. O total oposto que eu achei que seria, já que sua intensão era apenas uma boa foda e tchau. Eu tinha total certeza de que aquilo apenas significava sexo casual, e nada mais. Mas mesmo assim, era bom ser tratado com carinho. 

Seu membro apenas permaneceu parado, e as vezes ele mexia-se minimamente. Dei a entender de que poderia se mexer, e rebolei fracamente contra seu membro, e ele passou a se movimentar minimamente. Suas estocadas ainda doíam, claro, mas eu precisava acostumar. Logo a dor já não era tão insuportável, dava pra aguentar.

- Jimin - Chamei-o, ele apenas apertou minha cintura - Pode... pode tentar ir mais rápido.

Seu membro saiu de dentro de mim, e eu estranhei. Porém antes que eu pudesse reclamar, ele o enfiou novamente com um pouco mais de força, e aquilo foi bom. Sim, mesmo com a dor, foi bom. A sensação de preenchimento era muito boa. 

Park Jimin continuou com as estocadas e os gemidos passaram a vir. Eu empinava minha bunda cada vez mais contra seu membro. As estocadas estavam fortes e já não sentia mais dor. Jimin parecia ter se empolgado já que gemia sempre que entrava com força.

- Kookie - Gemeu - Você é deliciosamente apertado.

Ri. Meu corpo pedia cada vez mais. A cama rangia sob nossos corpo e imaginei se os vizinhos estariam escutando tudo.

- Jiminnie - Gemi - Mais forte.

Park Jimin passou a pegar impulso para trás e estocar fortemente, até que em algum momento minha próstata é atingida. Meus gritos estavam cada vez mais altos e constantes. Passei a massagear meu membro esquecido. A dor da ereção era muito desconfortável e para gozar mais rápido, precisaria masturbá-lo. 

- Jimin, atinge aquele lugar novamente - Minha voz estava estranha, mais manhosa e pidona. Eu nunca em minha vida tinha falado com esse tom. Primeiramente eu me assustei, mas o prazer era enorme. Eu precisava pedir cada vez mais.

- Está muito pidão, bebê - Riu, e em meu ouvido sussurrou - É assim que eu gosto.

Minha próstata passou a ser tocada inúmera vezes e aquilo rodava minha mente, que eu parecia um viciado. 

Jimin passou a estocar lentamente, provavelmente se cansando e trocou de posição comigo. Ele me puxou com força e deitou-se abaixo de mim, me deixando em seu colo. Seu rosto estava contorcido em prazer, e o cheiro do sexo estava presente no ar.

- Cavalgue para mim, Kookie - Sorriu sedutor, e maravilhosamente sexy.

Fiz o que ele mandou, segurei seu membro duro e grosso, e o posicionei sobre minha entrada. A dor foi cortante, mas o prazer... Ah, o prazer! O prazer era enorme, e delicioso. Passei a rebolar em seu colo, ouvindo seus gemidos calorosos e eróticos. Minha visão de seu rosto era privilegiada sempre que eu cavalgava cada vez mais rápido e desesperado. Por fim, acabei gozando no peitoral de Park Jimin, e ao ter feito isso, ele gozou em seguida.

- Kookie, podíamos fazer isso mais vezes - Riu, quando caímos deitados na cama, exaustos.

- Totalmente - Ri - Mas não quero ser apenas mais um caso de sexo casual. Então eu passo.

- Você não resistirá - Dito isso, ele enfiou sua cara no travesseiro e agarrou minha cintura - Nunca se sabe sobre o amanhã.

- Veremos isso outra hora - Virei-me e fechei os olhos cansado. O braço de Park Jimin permaneceu em minha cintura a noite inteira, até adormecermos.

Não queria nem imaginar como eu reagiria pela manhã e não queria nem saber se os vizinhos tinham ouvido. Era melhor não imaginar nada e apenas aproveitar o momento.

 

 


Notas Finais


Adoraria que vcs comentassem o que acharam e o que precisa ser melhorado <3 E eu adoraria que os leitores fantasmas não me deixassem falando sozinha ;-; pq é pra vcs que eu escrevo e não para mim :3 por isso a opinião de todos é a importante para mim <3 <3 bjkas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...