História The Monster - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Ravi
Tags Daddykink, Leo, Neo, Vixx
Exibições 114
Palavras 1.450
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁÁ
Bom, já é segunda né -pelo menos onde moro né, horário de verão ;w;-
Desculpa estava muito ansiosa pra publicar
Bom, espero que gostem, hein

Boa leitura!!! ♡

Capítulo 2 - Chapter Two - Help


Fanfic / Fanfiction The Monster - Capítulo 2 - Chapter Two - Help

 

Do lado de fora daquela boate, Jung Taekwoon espera impaciente pelos seus amigos. Alguns minutos mais tarde o homem resolveu entrar no local, bufou olhando a multidão e pôs-se a caminhar entre as pessoas que dançavam sem parar, seu objetivo era o bar e assim que chegou fora pego de surpresa, seus lábios foram selados por alguém, alguém que de começo não reconhecia, mas logo percebeu o cheiro incrivelmente doce, capaz de causar diabetes, invadir suas narinas fazendo com que parecesse que uma lâmina em chamas atravessasse sua garganta, aquilo fez Taekwoon grunhir devido a dor, mas reconheceu o cheiro, era de uma garota que já conhecia, não tanto, mas sabia seu nome.

— Wow! Leo já está pegando alguém — disse Jaehwan chagando ao local. — Espera aí! Ah, não, Leo. Seu desgraçado! A minha garota! — exclamou ele. Rapidamente a garota se afastou e olhou para os outros, uma garota um pouco mais velha ria alto, um rapaz fora para o lado da garota mais baixa dali, aquela que Jaehwan havia dito ser sua.

— Ela não é sua Lee Jaehwan. — disse o rapaz em um tom claramente irritado, que fez a menor encolher-se.

— Aish! Vamos, parem! Não acabem com a brincadeira, venha N, Ravi, vamos continuar. — disse a garota mais velha cujo nome era Hwa Young, N, a garota baixinha que havia beijado Leo sorriu tímida e foi para o balcão, Ravi, o rapaz que estava ao seu lado, fez o mesmo.

Taekwoon continuou encarando a garota até que fora puxado por Lee HongBin, que começara a dançar um pouco próximo de mais de si, HongBin era um tanto ousado quando se tratava de Leo, mas não era capaz de tomar uma atitude, tinha medo daquele homem afastar-se. Leo começou a dançar, não tanto como HongBin ou outros daquela boate. Taekwoon estava com sérios problemas, estava começando a apaixonar-se por N, ou Cha Hakyeon.

Há muito tempo atrás surgiram lendas sobre os ghouls. Embora os ghouls tenham chegado à literatura oriental japonesa foi no mundo árabe islâmico onde apareceram às primeiras lendas, segundo elas, esses seres pertenciam a uma raça rebelde de espíritos malignos. São criaturas que possuem aparência humana, mas que se alimentam de carne humana seja ela proveniente de um cadáver ou de alguém que assassinaram, e algumas vezes se alimentam dos próprios ghouls. Apesar da semelhança entre os humanos, os ghouls possuem características particulares: sua pele é resistente contra metais afiados, possuem olfato aguçado e seus olhos são vermelhos e negros.

A família Jung, uma família muito nobre e desde o inicio fora formada por ghouls, gerações e gerações. Esta família, para o bem deles, criou uma regra para viverem no mundo humano e não correrem o risco de serem caçados pelos mesmos era simples, apenas uma: evitar, de qualquer, maneira apaixonar-se por um humano e se isso acontecesse, deveria mata-lo, os membros da família Jung achavam repugnante relações entre ghouls e humanos, e se tal coisa acontecesse quem estivesse apaixonado pelo humano deveria mata-lo e caso não o fizesse, outros membros da família iriam atrás de ambos e assim começaria uma guerra, devido a isso fora crescendo o ódio pelos humanos, sempre destruíam as famílias.

E tudo isso fez Jung Taekwoon decidir-se, iria matar aquela garota, por mais que fosse difícil, era para seu bem e o bem de sua família.

 

 

— Yah! O que foi aquilo? — disse Hwa Young rindo, já visivelmente bêbada. — Com certeza se nós tivéssemos deixado você continuar, vocês estariam se pegando até agora, né? — cutucou N, que corou e deu um beliscão no braço da amiga, que reclamou.

Logo continuaram a brincadeira, riram e se divertiram e Hwa Young zoou N, os minutos foram passando, o rapaz, vestido de garota, já havia voltado ao trabalho. Após um tempo quem Hakyeon menos desejava apareceu ali, o homem que havia beijado, o mesmo sentou-se em uma das cadeiras do balcão, o homem pediu uma bebida e outra bar girl serviu-o, o mesmo deu um pequeno gole encarando Hakyeon, o analisava dos pés a cabeça, e logo os olhos do maior pousaram sobre as coxas expostas de Yeon que corou ao perceber aquilo, um tanto furioso o moreno saiu dali indo em direção ao banheiro, Hakyeon já deveria ter se acostumado com olhares assim sobre si, mas era impossível, haviam tantos pervertidos que olhavam seu corpo como se quisessem devora-lo, fora despertado de seus pensamentos quando esbarrou em alguém, ao olhar para cima percebeu que era Wonshik.

— D-Desculpe, Ravi. — disse N, dando um pequeno sorriso.

— Sem problemas, N, vá para casa, já está tarde. — disse Wonshik, sua voz rouca soava carinhoso.

Hakyeon assentiu e fora ao pequeno vestiário para funcionários do local, pegou seus pertences e saiu dali. Ainda estava com as roupas femininas, estava cansado demais para troca-las, o moreno seguiu para a saída dos fundos e então começou a caminhar pelas ruas vazias, iluminadas pelas luzes de postes espalhados por ali. Alguns minutos caminhas Yeon teve uma sensação estranha, a sensação de estar sendo seguido, o rapaz olha disfarçadamente para trás por cima dos ombros e vê uma figura alta caminhando silenciosamente a alguns metros de si, o mesmo começa a sentir um medo repentino, suas mãos começaram a tremer e logo acelerou seus passos fazendo com que barulho do salto alto que usava fosse à única coisa audível ali. Hakyeon olhou novamente por cima dos ombros e a pessoa havia se aproximado ainda mais, o rapaz imediatamente começou a correr.

O moreno corria sem parar pelas ruas escuras, já estava um tanto ofegante e ainda mais assustado quando ouviu uma risada baixa e abafada, virou para direita e deparou-se com um beco sem saída. Foi aí que Cha percebeu que fora levado até este lugar e percebeu que estava literalmente ferrado.

 

 

E novamente o monstro encurralou sua vitima. O monstro caminhou até sua vitima, aproximando-se cada vez mais e fazendo-a recuar alguns passos até suas costas chocarem contra a parede dali. Desta vez o monstro não estava interessado apenas em matar sua vitima, desta vez queria se divertir.

O monstro aproximou-se da garota com a expressão visivelmente assustada e prensou-a na parede, levou uma das mãos à cintura da mesma apertando o local e aproximou seu rosto do pescoço da menor e puxou o ar inalando o cheiro extremamente doce, aquele cheiro incrível, capaz de causar diabetes. O mesmo deu uma lambida em toda a extensão do pescoço da garota, que imediatamente tentou afasta-lo, mas falhou.

— Me solta! — gritou ela espantada batendo conta o peitoral daquele homem, que se afastou olhando-a nos olhos e segurando seu queixo com o polegar e o indicador. — J-Jung Taekwoon...? — perguntou ela, pasma.

— Isso mesmo, mas agora, N, fique caladinha, hm? Isso vai acabar logo. — Taekwoon sussurrou próximo ao ouvido de N que choramingou devido à situação. O homem prontamente levou as mãos às nádegas da garota começando a distribuir chupões pelo pescoço da mesma.

— Pare com- AH! — a garota soltou um grito esganiçado ao ter o pescoço mordido, a mordida rasgou sua pele e então pôde sentir seu sangue sendo sugado — S-Socorro...! — pediu, mas sua voz já estava fraca e mesmo que conseguisse gritar, ninguém ouviria.

Logo uma das mãos do homem adentrou sua saia deslizando para a parte da frente e então o mesmo notou algo estranho, algo que uma garota comum jamais teria, e então Taekwoon rapidamente parou de sugar o sangue de N e abaixou da mesma logo notando um volume mascando a calsinha rosa que estava usando.

— Você... Você é um garoto?! — perguntou ele, um tanto confuso. Hakyeon engoliu em seco, estava fraco, não conseguiu responder, sentiu uma forte tontura e caiu no chão, a mordida em seu pescoço ainda sangrava muito sujando sua roupa. Ao longe se pôde ouvir o som de uma sirene, um carro da policia de Seul se aproximava.

Taekwoon encarou o moreno caído no chão com certa raiva, bufou e logo saiu correndo, sumindo da vista de N que com certa dificuldade deslizou a mão pelo asfalto frio à procura de sua bolsa, ao achar puxou-a para si e pegou seu celular, sua visão estava começando a escurecer. Procurou o contato que queria e logo ligou, levou o celular ao ouvido, Hakyeon chorava descontroladamente e piorou ao ouvir que a ligação havia caído na caixa postal.

—W-Wonshikie... A-Ajude-me... — disse o moreno entre soluços, desligou a ligação e pediu silenciosamente para que Ravi visse logo a mensagem. Hakyeon ficara caído no chão, chorando e tremendo devido ao ar frio, era possível ver sua respiração descompassada, o rapaz não conseguia mover-se e sentia uma dor agonizante em seu pescoço fazia-o soltar gemidos de dor e não demorou muito tempo para que sua visão escurecesse e perdesse a consciência. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Tretas, tretas.... askdnksjanfdjcd
NÃO ME BATAM PELO QUE FIZ COM O N, TÁ BOM?!
ELE É MEU UTT ENTÃO DOEU ESCREVER
Mentira, eu ri escrevendo
Comentem o que acharam, estou muito feliz que estejam gostando *3*
Obrigado e até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...