História The Moon Next Door - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Who
Personagens John Entwistle, Keith Moon, Pete Townshend, Roger Daltrey
Tags Anos 60, Keith Moon, Mods And Rockers, Rock, Romance, The Who
Visualizações 40
Palavras 1.479
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi *-* Essa é minha primeira fic, escrevi ela em homenagem ao meu crush e baterista favorito do rock n'roll, Keith Moon <3 (olha essa foto que gracinha)
Espero que gostem!!

Capítulo 1 - A New Life


Fanfic / Fanfiction The Moon Next Door - Capítulo 1 - A New Life

-Pegaram tudo,meninas?- minha mãe pergunta com as mãos no volante.

-As roupas...Os livros...- penso alto por um instante.- Sim, mãe!- digo,com um sorriso no rosto. - E você, Nathalie, pegou tudo? As bonecas, o castelinho? - eu perguntei para minha irmãzinha de 7 aninhos, que acenou que sim com um sorriso.

 Acenamos para meus tios e a minha prima, que também eram nossos vizinhos . Pattie, minha prima  chorou como uma criança, mas para consolá-la prometi que nos  veríamos de novo.

E assim deixamos a rua movimentada e comercial do centro de Wembley, Londres e seguimos para o bairro de Alperton,acompanhadas pelo caminhão de mudanças. Por que estamos nos mudando? Bem, minha mãe é divorciada do meu pai e nos sustenta trabalhando como costureira para uma loja onde morávamos em Wembley. Porém, a rua começou a ficar muito movimentada e violenta e ela achou que não seria boa ideia morarmos mais lá. Por causa da nossa condição, fomos morar em um bairro um tanto mais humilde, porém tranquilo e tem uma boa escola. Ao contrário do que se espera de uma garota de dezesseis anos, não achei ruim a ideia de morar em um lugar mais calmo. Sou otimista e acho que as coisas podem sim melhorar! E minha irmãzinha também não desaprovou a ideia. Ela não tinha amiguinhas da idade dela para brincar, é um recomeço de vida também para ela!

E, imersa nesses pensamentos, eu notei que já estava na rua onde moraríamos, em Alperton. Uma rua estreita e simpática, com um conjunto de casas. Havia poucos carros na rua, crianças brincavam e adultos conversavam ou regavam as plantas.

- Chegamos! - minha mãe disse, com um sorriso sutil e eu adquiri a mesma expressão.- Vamos entrar?- acenei que sim. 

- Ebaa!! Casa nova!!- Nathalie gritou, com uma típica empolgação de criança e eu ri.

Entramos na casa, é pequena, mas bonita e nova. 

- Barbara e Nathalie,me desculpem se não era o que vocês esperavam, mas vocês compreendem, não é?- mamãe disse.

- Sim,mãe, eu entendo. Além do mais, eu sinto que vai dar tudo certo, eu vou fazer amizade,a Nat e a senhora também, e vamos ser felizes!- eu disse e ela sorriu. 

- Eu gostei daqui mamãe!- Nat falou, segurando sua boneca favorita.

-Ah, minha menininha está amadurecendo!- ela disse, emocionada e me abraçou. -e você,ainda não, tá? Mas também já é tão espertinha!- ela olhou para Nat e a abraçou também.

- Agora,vamos, precisamos arrumar aqui!- ela disse e começamos a tirar coisas das caixas, ficamos o dia todo nisso.  No dia seguinte minha mãe resolveu fazer um jantar para os vizinhos. Mesmo não tendo dinheiro para dar banquetes, ela preza muito os bons modos, e sempre disse que temos que ser simpáticos e generosos. 

- Barbara,Nathalie, se arrumem, nada de cotovelo na mesa nem falar de boca cheia! - ela disse, enquanto cortava uns legumes - e diga, obrigada, boa noite, por favor e ...

- Está bem, mãe!! - eu e Nat dissemos, acostumadas a ouvir coisas do tipo. Fui pro meu quarto, coloquei meu vestido xadrez rodado,sapatilhas e um laço sutil no cabelo, não é meu estilo de roupa favorita, curto roupas mais modernas, mas tudo pra "dar uma boa impressão".

- Oi, Barb, posso entrar?- minha irmã bateu na porta.

- Claro,Nat!- eu disse e ela entrou, lembro quando essa menina não alcançava a maçaneta.- Amarra essa fita pra mim?- ela me pediu e eu arrumei os cabelos dela com a fita. 

-Pronto! Está linda, maninha.- eu disse.

-Obrigada!!- ela sorriu.

- Por nada. Ah, e comporte-se hein! Nada de contar meus micos ou algo assim!!- eu disse repreensiva, e ela acenou. Eu a abracei.

Ouvimos a campanhia, e minha mãe foi atender, enquanto eu esperava no sofá. Uma família entrou pela porta, a Sra. Kathleen Moon, que mora na casa do lado esquerdo, o Sr. Alfred Moon e também um rapaz, o filho deles. 

- Boa noite Sr. e Sra. Moon- minha mãe disse para eles, que retribuiram. - Essas são minhas filhas, Barbara e Nathalie.

- Prazer em conhecê-los - cumprimentamos o casal.

- Esse é Keith, meu filho.- disse o Sr. Moon, apresentando o garoto.

- Muito prazer em conhecê-las. - ele disse, sorrindo meio sem jeito. Eu também fiquei ao notar que ele é muito bonito, não como os galãs da TV, mas de um modo diferente, e seus olhos grandes e castanhos são encantadores.

- Se acomodem aí, por favor.- minha mãe disse,cordial e todos nós sentamos. Eu ouvi a mãe de Keith sussurrando discretamente "comporte-se" para ele.

- Primeiramente, sejam bem-vindas à vizinhança. Segundo, qualquer coisa vocês podem contar conosco!- A Sra. Moon disse. 

- Muito obrigada, Sra. Moon!- disse minha mãe. 

- Terceiro, não precisa de tanta formalidade, Sra. Brown. Pode ser Alfred e Kathleen mesmo.- Alfred disse.

-Ah- mamãe riu.- Então, podem me chamar de Sally.

E no meio das conversas chatas, notei que Keith ainda me olhava com um sorriso enigmático, mas ficou sem graça e olhou em outra direção. Uma pena, um sorriso lindo.

- Err...Então... Quantos anos você tem, Keith?- a pergunta saiu impulsivamente, só pra cortar aquele silêncio estranho entre nós, paralelo a conversa dos adultos.

- Dezesseis. - Ele respondeu,saindo do transe.- E você?

- Também! - eu respondi.

- E você, menininha... Nathalie, não é?Quantos anos?- ele perguntou pra ela,simpático.

- Sete.- ela disse,tímida, e ele voltou a sorrir pra mim.

- Você vai estudar aqui perto?- ele perguntou.

- Sim, aquele colégio no fim da rua.- Eu respondi.

- Estudo no Alperton High. Umas duas quadras daqui.- ele falou.- E, você vai gostar daqui, tem gente legal.- ele disse e eu acenei, esperançosa.- Eu também sou.- ele completou e sorriu de lado, me fazendo rir discretamente com sua observação nada modesta.

A campainha tocou novamente. 

- Com licença, Kathleen,Alfred, são os Smith. - minha mãe foi correndo atender, e entraram os outros vizinhos pela porta, um casal bem vestido, nem parece que é daqui.

Cumprimentamos o casal e eles sentaram e foram conversar com a minha mãe e com os Moon sobre trabalho, afazeres domésticos e filhos.  Por fim, o Sr. Smith tocou em um assunto delicado para a minha mãe. 

- E o Sr. Brown? Ele está?- ele perguntou.

- Er... Não senhor, ele está viajando a trabalho.- Minha mãe mentiu, olhando para o tapete e fingindo um sorriso. Ela não vai conseguir esconder por muito tempo que é divorciada. Sim, algumas pessoas ainda falam mal das mulheres divorciadas, é isso que mamãe teme.

- Bom, acho que a comida já está pronta,querida, você poderia tirar o macarrão do forno? 

- Sim, mamãe.- eu respondi e fui fazer o que ela mandou.

- Ahn... Quer uma ajuda, senhorita?- Keith disse, meio corado- pra arrumar a mesa?- ele completou.

- É, vai lá, filho, seja cavalheiro!- Kathleen disse.

- Bom, obrigada, Keith e senhora Moon, mas já está arrumada!- eu disse,meio sem graça de recusar a ajuda. 

- Ah, entendi.- Keith disse, simpático.

Coloquei o jantar na mesa, enquanto pensava, será que aquele garoto está me cantando? E se for, até que não é ruim.  Ah, que besteira, ele só estava sendo gentil! 

E enfim fomos jantar, todos elogiaram a comida da minha mãe. Eu puxava assunto com Keith novamente.

-E aí, você conhece bastante gente aqui na rua? Você poderia me apresentar, não?- eu disse.

- Claro, senhorita!- ele respondeu. 

- E pra mim, também?- Nathalie perguntou, animada.

- Sim, garotinha.

E então, terminamos o jantar, minha mãe serviu um chá para os convidados, eles conversaram mais e foram embora depois. 

Fui ajudar minha mãe com a louça, e logo depois fui dormir. O sono demorou a vir, minha mente estava rodando em "preciso ter novas amizades", "expectativas para o primeiro dia de aula" e... "Keith". Aqueles olhos, aquele belo sorriso de "pareço um cavalheiro mas sou bem levado", e aquele corte de cabelo no maior estilo Beatles ficaram em minha mente por horas. "Vai com calma, Barbara, você nunca gostou de um garoto,esse pode ser o primeiro. Mas, seja racional."- pensei. Ah, porque estou pensando isso? eu mal conheço o garoto! Que viagem!

P.O.V Keith:

Cheguei em casa, coloquei meu pijama e me deitei, com a mente bagunçada e cheia de ideias, como sempre porém, me senti culpado por pensar tanto naquela garota de cabelos cacheados, pele dourada e olhar instigante que agora mora do meu lado. "Toma vergonha na cara, Keith! Você tem namorada!", pensei,  esfregando meus olhos pra ver se esses pensamentos iam embora. Se bem que a Kim parece tão interessada em mim quanto um cão se interessa por uma bicicleta. E aquela cartinha que ela recebeu, não colou muito a história de que "foi de uma amiga". Pensar nesse relacionamento anda me chateando um pouco, voltei a pensar no sorriso de Barbara e me senti um pouco melhor


Notas Finais


Então, é isso!!
Beijos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...