História The Most - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais
Tags Chaz Somers, Chris Beadles, Criminal, Justin Bieber, Romance, Ryan Butler
Exibições 1.020
Palavras 2.948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - Forgive me


POV's Alanna 

O dia estava nublado e eu não estava com a mínima vontade de levantar da cama. Eu estava desistindo de tudo.

Eu estava perdendo tudo.

Se Thomas nunca tivesse aparecido em minha vida, talvez eu ainda estaria com o Justin, talvez que ele estivesse me amando agora e talvez nós teríamos um filho. Aliás, eu me lembro bem do dia que conversamos a respeito disso.


FlashBack On

— Você quer ter algum dia um filho? — perguntei com um sorriso.

Justin virou a cabeça me encarando. Tínhamos acabado de acordar, e mesmo com a cara toda amassada ele conseguia ser perfeito.

Perfeito para mim.

— Você por um acaso está grávida?

— Não.

— Então por que tá perguntando isso?

Dei de ombros — eu quero saber sua opinião.

Justin se moveu na cama me olhando com um pequeno sorriso em seus lábios.

— Sim, quem sabe algum dia. Preciso deixar tudo o que eu tenho com algum herdeiro.

Soltei um risada deitando minha cabeça no peito dele — e se for uma menina?

— Aí eu vou foder de novo até nascer um moleque.

— E com quem pretende ter um filho? — fechei os olhos com força com medo de sua resposta.

Óbvio que tinha que ser comigo, eu sou a mulher dele!

— Não vou deixar uma vadia qualquer ser mãe dos meus filhos. Tem que ser alguém que eu goste, alguém que eu tenha confiança, alguém que possa ser minha mulher e quem sabe... alguém que eu ame.

Ouvir aquilo dele era estranho, era realmente ele que estava dizendo aquilo? 


FlashBack Off

— Senhora Alanna — a empregada desgraçada gritou batendo com força na porta do meu quarto.

— O que foi caralho? — disse entre dentes, odeio que me interrompam desse jeito.

— O senhor Dylan está na sala a sua espera.

Dylan? Mas que porra ele tá fazendo aqui? 

Quando que esses dois vão me esquecer e me deixar pelo menos um dia sozinha? Que raiva.

— Eu já tô indo.

Sem mais ouvir os gritos irritantes dela, me levantei da cama seguindo até meu closet e colocando minha camisola já que estava apenas com minhas peças íntimas. Não que Dylan já não tenha visto, óbvio que não, mas eu não estava afim de dar esse gostinho a ele.

Ele que foda a pirralha.

— O que você tá fazendo aqui? — perguntei com tédio descendo as escadas do meu dúplex.

Dylan estava jogado no sofá com o celular na mão, e assim que me viu desligou o mesmo jogando ao seu lado — tenho boas notícias.

— O que? Não teve ejaculação precoce? Que ótimo, agora vaza da minha casa.

Ele soltou uma risada irônica negando com a cabeça — okay, eu falaria algo que te ajudaria a ficar com o Bieber. Mas se você não quer... — ele ameaçou se levantar e eu rapidamente corri em sua direção impedindo.

— Espera, espera, espera — sentei do seu lado no sofá — o que é?

— Eu convidei a Sky para jantar comigo, e ela aceitou.

Foi impossível impedir o sorriso que se formou em meu rosto.

— Está falando sério? A pirralha aceitou?

— Sim.

Ótimo, isso é ótimo! Finalmente Justin vai desistir dessa garota.

— O que planeja? — perguntei ansiosa.

— Eu já tenho tudo em mente, só falta buscar ela hoje de noite e colocar meu plano em pratica — ele sorriu que nem um idiota.

Eu estou começando a desconfiar que Dylan está realmente gostando da pirralha nojenta.

— Então comece a contar.


POV's Skyler


— Ah não, essa cor é horrível — Samantha tentou tirar a mão dela da minha.

— Para de frescura Sam.

— Olha isso, nem vermelho direito é. 

Revirei os olhos continuando a pintar a unha dela.

— Tá toda assim por que vai sair com o Ryan? Pensei que nem ligasse pra ele.

— Eu não ligo, mas ele vai me levar em um restaurante ótimo e é isso que importa.

— Ele também vai te levar pra um motel muito ótimo depois — soltei uma gargalhada.

— Skyler — ela disse indignada logo rindo depois — acho que o Justin está te levando para o mal caminho.

— Falando de mim? 

Justin e o Ryan entraram na sala, os dois sem camisa e eu pude jurar que eles deviam estar rindo da minha cara e da cara da Samantha ao ver eles daquele jeito.

Não importa quantas vezes eu já vi ele sem camiseta, eu sempre vou me hipnotizar pelo seu corpo.

— Fecha a boca que a baba tá caindo — Justin sorriu puxando meu braço e me abraçando.

— Aí Skyler, me fala o feitiço que você usou pra deixar o Drew todo viado — Ryan riu ficando do lado da Sam.

— Cala a boca testa de avião. Fala isso de mim mas quem dá o cu aqui é você.

— Claro, pra você todo dia — ele revirou os olhos — com todo respeito Sky.

Soltei uma risada e logo Justin me puxou pro canto da sala, me prensando na parede — quero fazer algo com você essa noite, te levar pra algum lugar — ele disse beijando meu pescoço.

Hoje a noite?

Droga, eu tinha combinado de sair com o Dylan. Eu não posso desmarcar! Não mesmo.

— Hoje a noite? É... não dá.

Justin franziu o cenho parando de me beijar e me encarando.

— E por que não dá?

O que eu falo?

Merda!

— Hm... porque.. é porque eu vou ir pra casa da Sam!

— E eu deixei? 

— Vai Justin por favor, eu nunca mais fui lá. O que custa eu ir só hoje?

— Você não vai dormir lá!

— Eu não vou.

— E se o teu tio aparecer, você vai me ligar na hora.

— Desde quando você se preocupa tanto comigo? — ergui uma de minhas sobrancelhas.

— A partir do momento que você se tornou minha mulher.

Abri um sorriso tão idiota, que deve ter tomado meu rosto inteiro.

— Senhor Bieber — um dos seguranças entrou na sala chamando a atenção de todos — seus homens estão só esperando a sua ordem.

— Eu já estou indo — o cara concordou com a cabeça saindo da sala.

Do que ele estava falando.

— O que está acontecendo?

— O assalto é amanhã — Justin se afastou de mim.

Senti meu coração acelerar e eu tenho certeza que minha feição se fechou completamente. Eu não queria que ele fizesse isso, eu estava com um pressentimento ruim a respeito disso. Eu sabia as consequências do que poderia acontecer com ele caso algo desse errado. Justin deixou um selinho em meus lábios e logo saiu da sala com o Ryan.

Enquanto ele estava sofrendo risco amanhã, eu ainda minto pra ele e vou sair com o Dylan de noite.

— Ei, o que foi? — Samantha pergunta parando ao meu lado.

— Eu sou uma péssima pessoa.

— Por que? — ela perguntou visivelmente confusa.

Olhei para o lado só pra ter certeza se a naja da Daniela não estava por perto. E por minha sorte, não estava.

Se ela ouvisse, era capaz de sair correndo atrás do Justin para contar.

— Eu vou sair com o Dylan essa noite — sussurrei.

Samantha arregalou os olhos — O QUE?

— Shii.... — olhei para o lado novamente me certificando se ninguém ouviu — ele quer se redimir comigo e me convidou para um jantar.

— Você tá louca Skyler? Se o Justin descobrir disso você está ferrada.

— Eu sei... — fiz uma careta — eu disse a ele que eu iria a sua casa hoje à noite.

— Sua louca, você esqueceu que eu vou sair com o Ryan?

— Não, eu não esqueci. Mas você fez ele prometer que não iria contar a ninguém certo? — ela assentiu com a cabeça — então está tudo resolvido.

— Me diz uma coisa, você gosta do Justin ou do Dylan? Porque pelas suas atitudes parece que não sabe quem escolher.

Parei para pensar na pergunta dela.

Eu? Gostar do Dylan? Isso é impossível. A não ser que eu realmente esteja gostando dele. Não, não, não.

Eu amo o Justin! Dylan é apenas meu amigo.

— Eu não gosto do Dylan, Samantha — revirei os olhos.

— Ah é mesmo? Não é o que parece.

— Chega desse assunto — segurei no pulso dela a puxando escada acima — você vai me ajudar a escolher uma roupa?

— Fazer o que, melhores amigas servem para isso — ela resmungou atras de mim.


...

— E então? — sorri dando voltas na frente dela — o que você acha? 

Samantha me olhou de cima a baixo com um sorriso no rosto — está linda, tirando o fato que vai estar toda roxa depois.

Cruzei meus braços a olhando — o que quer dizer com isso?

— Que o Bieber vai te matar.

Bufei caminhando para frente do espelho — eu já disse que ele não vai ficar sabendo!

Eu usava um vestido preto, totalmente colado no meu corpo. Pattie que havia comprado assim como todas as minhas roupas. O vestido dava volume as minhas coxas e a minha bunda, e eu podia perceber que os meus seios estavam maiores, ou era só impressão minha mesmo.

Mas eu não ligava se o vestido dava valor ou não ao meu corpo, eu ligaria se fosse o Justin com quem eu sairia essa noite.

— Calma aí nervosinha — ela disse parando atras de mim — sua sorte é que você me tem como amiga, e se aquele loiro oxigenado mexer com você, ele mexeu comigo.

Soltei uma risada, me virando e abraçando ela — até parece que você conseguiria ganhar de um traficante muito mais forte que você. Mas vamos fingir que sim.

— Ei, não duvide de mim não. 

Três batidas na porta nos interromperam e logo pude ouvir a voz da Rosa do outro lado — Senhorita Skyler? O menino Dylan está te esperando lá embaixo.

Meu coração se acelerou mais, e eu tenho certeza que foi por nervoso.

— Rosa onde o Justin está? 

— No escritório.

Eu teria que sair rápido, muito rápido porque o escritório tinha acesso às câmeras.

— Tudo bem, obrigada!

— Toma isso, você vai precisar — Sam me deu um sobretudo vermelho.

— Obrigada de verdade — a abracei com força.

— Boa sorte.

É o que eu realmente vou precisar.

Colocando o sobretudo, o mesmo cobriu todo o meu vestido indo até o início de minhas canelas. Descendo as escadas eu já conseguia sentir as minhas pernas bambas. Eu estava nervosa, muito nervosa. 

Eu estava com medo do Justin descobrir.

Até porque não tem nada de errado em eu sair com o Dylan, meu amigo. Mas para o Justin é errado, ainda mais com o Dylan. Se fosse com Chaz ou Chris ele nem ligaria.

Mas estamos falando do Dylan, Justin odeia ele e eu nem sei o porquê!


Descendo todos os degraus, a casa estava um completo silêncio. Não tinha ninguém lá. Provavelmente todos deviam estar se preparando para amanhã, e os empregados descansando. Ótimo, menos chance de eu me dar mal.

— Skyler!

Pulei de susto me virando para trás.

— Você me assustou! — soltei um ar aliviado ao ver que era apenas a Samantha.

— Você se esqueceu disso — ela sussurrou me entregando a minha bolsa.

— Eu preciso ir, depois eu falo com você.

Não tive se quer tempo de ouvir a resposta dela, assim que saí correndo até a porta de saída. Estava frio, muito frio. Eu podia avistar o carro do Dylan estacionado no jardim e provavelmente ele estava dentro do mesmo.

Segurando com firmeza minha bolsa, me equilibrava pra não cair no chão com os saltos que eu usava. Chegando perto do carro, abri a porta com certa rapidez entrando no carro.

— Vamos logo.

— Mas o...

— Por favor Dylan, só dirige.

Eu não queria ser grossa, mas o meu medo estava gritando mais alto.

Dylan não fez diferente, ele não disse nada, apenas deu partida no carro acelerando o mesmo. E assim que saiu pelos enormes portões, eu senti um alívio enorme, me fazendo me confortar mais no banco do seu enorme carro.

— Tudo isso é medo do seu namorado ver? — ele soltou uma risada debochada.

— Se ele visse, não seria você que sairia ferrado na história.

— Você pode ter coisa melhor do que o Bieber, sabia? Por que não consegue enxergar isso, Sky? Por que?

Respirei fundo mantendo meu olhar na paisagem da janela — nós não estamos saindo para nos reconciliarmos? Porque não parece.

— Me desculpa... eu só não quero ver ele te tratando mal  assim.

— E como você sabe que ele me trata mal? — virei meu rosto o encarando.

— Porque ele já fez isso com a Alanna.

— Eu não sou a Alanna!

— Eu sei que não, você é muito melhor, só não enxerga isso —  fiquei quieta.

Eu realmente sou melhor que a Alanna? 

— Chegamos — Dylan estacionou o carro em frente a um enorme estabelecimento cheio de luzes.

Levando minha mão até o suporte da porta, já estava quase saindo assim que Dylan me impediu segurando em meu braço.

— Nada disso. Eu sou o cavaleiro e você é a minha donzela.

Soltei uma risada negando com a cabeça. Se fosse o Justin já me mandaria sair do carro porque eu estava demorando. Dylan saiu do carro e deu a volta no mesmo, abrindo a porta para mim.

— Obrigada meu cavaleiro — sorri ficando a sua frente.

Dylan mordeu o lábio inferior, me encarando, mais precisamente a minha boca. Ele não estava fazendo aquilo de novo certo? 

— E o que cavaleiro ganha como recompensa? 

Soltei o ar de forma alta me distanciando dele com rapidez. Eu estou louca? Ou eu realmente pensei em beijar ele?

— Ganha um maravilhoso jantar, que será servido lá dentro porque a donzela está com fome — segurei no pulso dele o puxando a força.


O clima tinha ficado tenso depois do nosso " quase beijo", mas nada que as piadas dele me fizessem esquecer do que tinha acontecido. Acho que eu nunca vou conseguir ficar brava com o Dylan, ele sempre foi tão bom para mim, nos piores momentos naquela casa era ele que estava comigo. 

Depois da sobremesa nos apenas ficamos conversando de como era sem graça as piadas do Chaz e os truques de cantadas falhas que o Ryan usava para conquistar a Sam. O restaurante era maravilhoso, aliás, não pude deixar de notar que só casais jantavam ali. Será que algum dia Justin me levaria em algum desses?

Pois é, não sei.

— Gostou da noite? — Dylan perguntou também saindo do carro.

Estávamos em frente à casa do Justin, a temperatura tinha diminuído mais ainda, me fazendo encolher dentro daquele sobretudo.

— Eu amei. 

— Não está mais brava? — ele sorriu parando em minha frente.

— Eu deveria estar? — soltei uma risada.

— Não, com certeza não.

Dylan se aproximou mais de mim, colando os nossos corpos. Eu estava encostada no capô do carro e ele estava a minha frente me prensando aos poucos na lataria do carro. Suas mãos escorregaram em minha cintura, apertando a mesma. 

Mas que droga!

Ele está fazendo isso de novo!

— Dylan.. é.. eu preciso ir — tentei me desvencilhar dele mas ele me impediu me prensando mais ainda no carro.

— Skyler, espera. Tem algo que eu preciso fazer, algo que eu tenho vontade de fazer desde quando eu te vi pela primeira vez.

Arregalei os meus olhos com a aproximação do seu rosto — do que está falando?

— Uma atitude vale mais que mil palavras.

Antes que eu se quer pudesse perguntar do que ele queria dizer com aquilo, Dylan colou os lábios no meu de uma forma doce e lenta. Eu estava sem reação, totalmente estática, não conseguia me mexer e nem se quer ter alguma reação. Ele estava me beijando, Dylan estava me beijando! Sentindo ele pedir passagem com a língua, não conseguir controlar o meu corpo, me entregando aquele beijo. Nossas línguas mantinham um movimento lento e totalmente delicado, ele segurava em minha cintura com todo o cuidado do mundo, como se eu fosse quebrar em suas mãos. Dylan levou uma de suas mãos até meu rosto, acariciando o mesmo com o seu polegar. Levando minhas mãos até sua nuca, escorreguei os meus dedos até seus fios de cabelo, apertando os mesmos em minha mão.

Droga!

Mas o que eu estava fazendo?

Eu não posso beijar ele, eu estou com o Justin! Que merda eu fiz?

Descendo minhas mãos por seus ombros o empurrei pra longe de mim. Dylan me encarava surpreso, talvez por eu ter retribuído o beijo.

Saindo correndo dali, eu pude ouvir seus gritos desesperados atras de mim — SKYLER! SKYLER ESPERA, ESPERA POR FAVOR!

Eu não queria mais ouvir uma palavra. A culpa não foi dele, a culpa foi minha! Eu me deixei levar! 

Entrando pelos portões da casa do Justin, meu coração estava agitado e minhas mãos suando. Como que eu pude fazer isso? Por todas as vezes que eu tive repulsa em ver o Justin com a Alanna eu fiz igual? E pior, quando estamos finalmente juntos?

Parando de andar, eu estava sentindo um olhar queimar em mim, me sentindo observada. Levantando minha cabeça, quase caí pra trás assim que vi o Justin na varanda.

Ele estava com as mãos no bolso da calça, e mesmo metros longe dele eu podia observar seu maxilar trincado. Ele, ele viu tudo?

Ele estava ali o tempo todo?

Justin me encarou uma última vez e se virou, entrando no seu quarto.

Merda, merda, merda.

Tirando os meus saltos, os deixei ali mesmo no jardim, correndo a pressa em direção à porta. Eu preciso conversar com ele, eu preciso me explicar com ele!

Entrando apressadamente na sala, parei de correr assim que vi que Justin estava sentado em um dos degraus da escada, me encarando. O olho dele estava vermelho, e muito mais negro do que costuma a ser. Eu conseguia enxergar as mãos dele fechadas em punho e seu cabelo todo desgrenhado, o que ele costuma a fazer quando está nervoso.

— Justin.. Justin.. eu, eu posso explicar... — as lágrimas quentes contornaram o meu rosto.

Justin, sorriu se levantando e só então eu pude perceber que ele segurava o cinto da sua calça em sua mão.

— Se divertiu essa noite amor?

 


Notas Finais


Vissh, vai dar treta isso daí ein? Só digo uma coisa, se preparem que os capítulos de agora vão ser destruidores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...