História The Murder — Interativa - Capítulo 5


Escrita por: ~

Visualizações 75
Palavras 3.375
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - 1x04 — No One is Safe


Episódio 4 — No One is Safe (Ninguém está salvo)

Galesworth


No Dia Seguinte


Kol e Emma tinham virado a noite juntos, inclusive, ambos ainda estavam deitados na cama de Kol pelados. O garoto agarrava a garota e, ao mesmo tempo, ficava de conchinha com ela.

Como o alarme estava desligado por conta das aulas anuladas, já havia dado por volta das onze horas e os dois ainda estavam deitados alí, juntos.

Ambos foram surpreendidos quando a porta do quarto do garoto abriu instantâneamente, revelando a mãe do garoto.

A senhora Marshall ou Alana Marshall era uma mulher muito respeitada naquela cidade já que ela era responsável por salvar grande partes das vidas da cidade e quando tinha tempo de sobra, ela passava orando à Jesus, a tornando uma mulher com adeptos e julgamentos bem pesados. 

Ao ver Kol e uma garota, a mulher entrou em total pânico, sua reação foi andar até do lado da garota e lhe dar uns fracos tapas em sua bochecha, praticamente expulsando-a dalí.

Foi algo momentâneo, a garota que dormia com Kol automaticamente se ergueu da cama, andou até suas peças de roupas, que estavam espalhadas por todo o quarto e para concluir, ela correu para fora da casa do seu namorado.

Enquanto isso, a mãe de Kol estava do lado dele e se preparava para dar um susto em seu filho, dando-lhe uma lição. Ela se aprontou em frente ao seu filho e deu um alto berro.

— Que bosta é essa? — Perguntou Kol olhando para sua mãe assustado. — Onde está a Emma?

— Essa bosta é a minha... — Tentou dizer a mãe, mas ela deu uma medida em sua cabeça e voltou ao foco inicial. — Eu a expulsei.

— Ok! O que você vai falar sobre isso agora? — Perguntou Kol se erguendo bem pouco.

— Eu tenho a dizer que caso ela voltar aqui grávida, cortarei o seu órgão genital com uma tesoura e depois mato o seu bebê e sua namorada. — Respondeu a mãe queimando em fúria. 

Quando ouviu tais palavras, Kol deu uma leve risada e se levantou da cama e colocou suas peças de roupa.

— Menino, eu não te levei à igreja todos os dias da sua infância pra você saber que vai para o inferno não. — Comentou a mãe. 

— Se você falou sério aquela outra frase, então você já irá para o inferno. — Respondeu o garoto tentando enfurecer sua mãe.

— Pelo menos eu irei te tirar do caminho das trevas. — Concluiu a mãe seguindo Kol aonde ele fosse.


Flashback On

Seis Dias Atrás


Kol conversava com Eva atrás de umas das dezenas carros do estacionamento particular do colégio. Acontece que o garoto tinha acabado de descobrir sobre o vídeo intimidador que a garota tinha da Emma e do próprio garoto.

Por mais que não parecesse, Kol tentava ao máximo esconder seu lado negro e pertubado, mas ele em poucas vezes continha um insucesso ao esconde-lo, revelando-se pouco tempo depois.

— Como assim? — Perguntou Eva. — Você realmente quer que eu apague um vídeo daqueles?

— Claro que sim, afinal, não sabemos quando você pode ou não ter um acidente fatal. — Respondeu Kol ameaçando a garota. 

— Está me ameaçando, querido? — Eva perguntou sarcásticamente. — Não brinca com fogo, pra não se queimar.

Após dizer isso, Eva deu um leve beijo no garoto, andou em meio aquele estacionamento, e por conta das pedras, a garota deu uma leve caída de lado, mas ainda estava alí, intacta e com sua completa dignidade de vadia do colégio.

— Eu quero uma depois em... — Falou a garota mostrando seu dedo do meio ao rapaz.

Enquanto a garota saía do estacionamento, o rapaz estava pertubado e seria capaz de qualquer coisa para que aquele vídeo não caísse a tona. 

A forma com a qual ele passou a observar a garota que o intimidava era tamanha, que ele a perseguia tentando achar uma forma perfeita para acabar com a garota.


Flashback Off


Lucca havia dormido na casa de Jessie, não em uma mesma cama, mas sim em um colchão que continha alí naquele quarto.

Quando o garoto se ergueu do colchão, que tinha uma parte do mesmo estava completamente destruída, ele pôde ver Jessie sentada na ponta de sua cama.

Ela estava de frente com a janela que dava uma visão perfeita do quarto do vizinho, Charles.

— Tudo bem? — Perguntou o garoto preocupado com a garota. — O que está acontecendo?

Fazendo tais perguntas, Lucca foi se aproximando de Jessie e chegou a apoiar-se em seu ombro e conforta-la.

Na noite passada, o garoto havia falado e comentado sobre a morte de Roddy e aquilo afetou muito a garota.

Ela se sentia culpada, mesmo que a culpa disso não fosse sua. Aquele era um sentimento mais do que terrível e te consumia por dentro, fazendo com que a culpa lhe dominasse e desse espaço à uma tristeza infinita.

— Estou. — Respondeu a garota rapidamente encostando sua cabeça sobre o ombro do colega ao seu lado. — Apenas estava aqui observando o Charles. Ele acordou já tem muito tempo e eu sei lá pra quê.

Ela deu uma rápida olhada para os olhos de Lucca e depois voltou a observar a janela, dessa vez havia algo de diferente naquela cena. Dessa vez, Charles estava no quarto e ao ver os dois amigos, deu um rápido tchau com sua mão direita.

Após isso, ambos os dois amigos receberam mensagens em seus celulares, foi algo instantâneo. Jessie nem mesmo aguardou para pegar o mesmo, ela sacou de seu bolso e desbloqueando o mesmo pôde ver a mensagem do assassino.

"Cena bonita, não? Daqui a pouco fica ainda melhor!" — Dizia a mensagem.

De repente, enquanto Lucca e Jessie tentavam ler a mensagem sem entrar em pânico, algo surgiu do armário de Charles. Um ser encapuzado com sede de sangue.

Charles, vendo daquela cena, correu para a porta do quarto, mas foi puxado para trás e jogado contra a cama, ficando deitado alí mesmo.

O ser retirou uma faca de seu um bolso que tinha no capuz, e enfiou-a na barriga de Charles, que deu um leve grito de dor. Com a primeira facada na barriga, não foram necessários mais do que dois segundos até que ele retirasse a faca do lugar e a enfiasse em outro lugar. Em meio à duas facadas na barriga, Charles tentou defender-se da terceira com sua mão, mas acabou que a mesma forá perfurada pelo objeto pontudo.

A esta altura, Jessie já se encontrava na janela e chorava pela cena que ela estava presenciando. Alguém sendo esfaqueado era uma cena que Jessie não gostaria de ver jamais.

Lucca não permitia que as lágrimas saíssem de seus olhos e preferia ficar com raiva.

Enquanto isso, o assassino utilizava de sua faca e a enfiava contra a barriga de Charles. Para piorar a situação, o garoto ainda estava vivo quando a décima facada acertou em sua barriga mais uma vez.

O assassino pegou Charles em seu ombro e jogou-o contra a janela do próprio quarto. Diversos cacos de vidro caíram sobre o corpo do garoto, o perfurando quase que inteiramente.

Alguns baixos gritos e berros de medo podiam ser escutados da boca do garoto, mas ambos foram interrompidos por uma profunda faca cravada em seu peito.

Quando o garoto finalmente parou de debater-se, o assassino retirou a faca de seu peito e a ficou exibindo para os dois amigos que estavam na outra casa.

No mesmo instante que ele apontou a faca para ambos, o assassino correu para a saída do quarto de Charles, sumindo da visão de ambos.

Agora, Lucca e Jessie além de traumatizados, agora também estavam loucos com a cena que haviam acabado de presenciar. 

Talvez sangue não tivesse sido a pior coisa para Jessie, mas ver o corpo morto de Charles havia sido. Era como se todos ao seu redor estivessem morrendo. Primeiramente, Eva, a mulher pela qual Jessie odiava. Logo depois, foi Roddy, o garoto que ela amava em segredo. Para completar a lista, atualmente, Charles tinha sido o próximo e para piorar, o garoto havia sido assassinado em sua frente.


Flashback On


Lucca correu para cima de Eva a empurrando contra a longa escada, fazendo com que a moça quase caísse.

— Está louco? — Perguntou Eva olhando furiamente na direção do garoto. — Eu quase caí.

Quando escutou aquilo, Lucca andou um pouco mais à frente e posicionou-se de frente com a garota.

— Deveria ter te jogado dessa escada desde o dia que você entrou nessa escola! — Comentou Lucca. — Se você quer ser maior, vá pra outro lugar, sabe, o inferno é uma boa.

— Olha, não fui eu quem tentei me matar. — Comentou Eva olhando para o garoto que ia na direção oposta à dela. 

— Mas foi você quem mandou aquelas fotos para todos do colégio. — Respondeu Lucca olhando para a garota. — Mandar fotos de cortes no braço não foi legal.

— Foi super legal pra mim, especialmente ao ver a cara da Jessie de choque. Pânico. — Comentou Eva mordendo seus lábios.

— Eu vou arrebentar sua cara vadia. — Gritou Lucca jogando a mochila no chão e correndo na direção de Eva com seus punhos fechados.

Lucca se preparava para um soco fatal que acertaria Eva, porém o mesmo foi interrompido por Roddy que chegou do meio de toda aquela plateia, que observava aquela discussão, a maioria deles diziam coisas como "briga" e etc.

— Não briguem! — Exclamou Roddy ficando entre Lucca e Eva. — Briga não dá em nada.

Quando ouviu aquilo, Lucca pegou firmemente em sua mochila e correu para longe dalí, indo para sua sala.

Antes de virar no corredor, o garoto que agora era observado por todos, deu uma olhada para trás e pôde ver Eva com uma cara anormal, ela mordia seus lábios e andava até Roddy.


Flashback Off


A garota que tinha acabado de ver Charles ser assassinado, pegou em seu celular e digitou o número da polícial Lohan, ela precisava tirar aquele peso de sua consciência e contar à pessoa mais próxima de Charlie sobre sua morte.

— O que você vai fazer? — Perguntou Lucca pegando o celular da mão da garota que tentava discar o número. 

— Eu vou ligar pra Lohan. — Respondeu Lohan. — Ela saiu tem pouco tempo pra ir trabalhar, eu aposto que entre o trabalho dela e a morte do irmão dela, ela com certeza escolhe o irmão.

Lohan pegou o celular da mão do garoto e discou o número da polícial, que atendeu no mesmo instante.

— Alô? — Perguntou Lohan.

— Lohan! Aqui é a Jess, preciso falar algo urgente com você.


Minutos Antes


Lohan ainda estava em sua casa, mais precisamente estava sentada na cadeira da cozinha e se prepava para os bacons que Charles preparava.

Charles fritava o bacon, usava uma colher e se distânciava ao máximo da frigideira afundando o alimento cada vez mais na frigideira com a colher. O óleo respingava por todo o chão e raramente, relação a pele do garoto, fazendo com que desse uma ardência.

Ele pegou no cano da frigideira e dirigiu a panela até a mesa. Sem relar na mesma, ele esperou até que sua irmã erguesse o prato e rapidamente, colocou o bacon no prato com o auxílio da colher.

No mesmo momento, Lohan abaixou seu prato e passou a comer a feitura que estava encharcada de óleo, exatamente do jeito que a garota gostava.

Enquanto a garota devorava o bacon, Charles colocava o restante em seu prato.

— Vai arranjar um emprego hoje? — Perguntou Lohan levando uma garfada do bacon até sua boca. 

O garoto nem mesmo abriu a boca, ele calou-se e andou até a sua cadeira com um prato na mão. 

— Eu fiz uma pergunta! — Exclamou a garota olhando para o seu irmão que havia acabado de se sentar na cadeira. — E quero uma resposta.

— Vou. — Respondeu Charles. — Só que depois. — Concluiu o garoto. — Agora quero me focar nesse bacon delicioso.

— Vou cobrar antes de mim ir ao trabalho. — Comentou a garota voltando ao bacon.

— Cobre a vontade! — Respondeu Charles.

Assim que Charles terminou sua frase, Lohan terminou seu prato de bacon, ela ergueu-se da cadeira e andou até a porta.

— Tchau! Ainda tenho que pegar o Nathanael na viagem. — Falou Lohan olhando em seu relógio.

— Você não estava trabalhando com o Jay? — Perguntou Charles deixando seu bacon de lado e virando-se para sua irmã, que estava em frente à porta.

— Não, ele trocou com o Nathan e agora, ele está trabalhando com o Gregory. — Respondeu Lohan nervosa. Ela não queria admitir de seu relacionamento para o garoto. — Não se esqueça de usar terno. 

Quando Lohan encerrou sua frase, uma buzina foi soada do lado de fora de sua casa. A garota correu para fora da casa e foi até a viatura, entrando na mesma e ficando ao lado do Nathan.

— Como vai as amostras? — Perguntou Lohan. — Quanto tempo vai demorar até sair?

— Vai demorar! De acordo com a senhora Fields, pode demorar de cinco a sete dias, podemos não ter isso. — Respondeu Nathanael.

— Eu tenho medo de que não tenhamos todo esse tempo. — Comentou Lohan. — Faz apenas três dias e já tiveram quatro assassinatos.

— Pelo menos agora temos algo, uma prova. — Concluiu Nathanael tentando animar a garota. 

— É! — Respondeu Lohan dando um sorriso para o garoto que dirigia.

Rapidamente, Lohan sentiu algo vibrando em seu bolso da calça. A garota pegou o aparelho, atendeu o mesmo e aproximou-o até sua orelha.

— Alô? — Perguntou Lohan.

— Você vai destruir aquelas provas ou eu vou matar alguém próximo a você! Quem sabe o Charles? Ou o seu amante Jay? Ou o garoto que está ao seu lado, qual o nome dele mesmo? Nathanael? — Perguntou a voz.

— Quem é? — Perguntou Lohan sem entender nada. — Não estou gostando dessa brincadeira.

— O Roddy e a Eva também não acreditaram e olha como acabaram. — Respondeu a voz. — Não adianta tentar localizar essa ligação. Eu sou melhor que você, mais rápido é mais ágil.

— O quê? — Perguntou Lohan.

— Ou você destrói aquela prova que você tem contra mim, ou eu mato o Charles, já estou mais próximo dele mesmo. — Respondeu a mensagem.

— Ok! — Exclamou Lohan com seu coração avançado. — Eu destruo as provas.

No instante que Nathanael escutou Lohan dizer aquelas palavras, ele meteu um tapa contra o celular da mulher, e permitiu que o mesmo caísse no chão do carro.

— Que merda você fez? — Perguntou Nathanael com suas mãos sobre o volante. — Que negócio é esse de destruir as provas?

— Acho que o mesmo cara que matou o Roddy e a Eva quer matar meu irmão. — Respondeu Eva.

— Você acredita nele? — Perguntou Nathanael parando na guia mais próxima.

— Claro que sim. — Respondeu Lohan se abaixando para pegar o celular. — Mas estou apenas mentindo, ele não vai nos escutar dizendo que é mentira, vai?

— Acho que não. — Respondeu Nathanael.

Lohan conseguiu pegar seu celular e subiu seu celular até sua face. No browser de mensagens, o possível assassino teria mandado duas mensagens para a garota, a mais recente era a que havia apavorado a polícial.

"Não adianta achar que eu não escuto o que vocês estão dizendo aí no carro, pois eu faço um trabalho melhor do que o olho que tudo vê." — Dizia a mensagem.

— Acho que estamos enganados. — Comentou Lohan mostrando seu celular para que Nathanael pudesse ler a mensagem.

Quando terminou de ler a mensagem, Nathanael arregalou seus olhos e virou o volante acelerando com o mesmo virado.


Ao chegar em sua casa, Lohan saiu do carro de Nathanael com tal velocidade que, mal era possível vê-la. Ela caminhou com sua arma erguida e abriu a porta que, a propósito, já estava aberta.

Quando a porta abriu-se totalmente, a garota pôde ver Jessie e Lucca sentados na cadeira que, ela e Charles haviam sentado mais cedo para tomar o café da manhã.

De repente, do seu quarto saiu um dos seus vizinhos e sua filha, Lydia Palmer e o senhor Palmer. 

O senhor Palmer andou até Lohan e colocando sua mão sobre o cabelo da garota, ele deu a triste notícia:

— Eu sinto muito! Ele morreu com uma facada no peito. 

Ao ouvir aquela notícia, Lohan avançou até o quarto de seu irmão e quando viu o corpo de Charles, ela jogou-se no chão, lançou diversos gritos e permitiu que as lágrimas dominassem seu rosto lindo. 

Seu olhos bonitos agora brilhavam em um tom mais claro por conta das lágrimas presas em seus olhos.

Vendo os dois amigos sentados nas cadeiras, Lydia andou até os dois e sentou-se na única cadeira restante.

— Como foi? Ver ele morrer? — Perguntou a garota vendo Jessie que, se entregava às lágrimas.

— Eu não o conhecia muito bem! — Respondeu Lucca. — Mas eu sei que foi a pior cena de minha vida.

— Ele era meu vizinho. — Comentou Jessie em voz alta. — Eu o via todos os dias. Ele não tinha um emprego, então às vezes eu ia na casa dele. Eu vinha aqui!

— Sinto muito! — Falou Lydia. — Tem que haver um motivo para todas essas mortes.

— Tem... Quando eu estava vindo para a casa de Jessie ontem, eu recebi uma mensagem e nela, dizia que a culpa de tudo isso é da Melanie, da Clarissa, da Emma e do Kol. Também tinha o Roddy e a Eva, mas ambos estão mortos, então... — Lucca completou a frase de Lydia.

— Então vamos falar com ele! — Falou Lydia puxando Lucca pelas mãos.

Lydia puxou Lucca até a porta, e o garoto notou que Jessie estava sentada ainda. Ele parou em frente à porta e voltou a olhar para sua amiga.

— Você vem? — Perguntou Lucca.

— Não, o Jonathan vai chegar aqui daqui a pouco. Acho que posso ficar por aqui mesmo. — Respondeu Jessie dando um beijo na bochecha de Lucca.

Lucca e Lydia correram para fora da casa e andaram até a casa de Kol.

— O que pega entre você e a Jess? — Perguntou Lydia. — São namorados? São amigos?

— Nada, somos somente amigos. — Respondeu Lucca dando uma risada à garota.

Nathanael estava dentro do carro e tinha acabado de ouvir os gritos de pavor e apelo de Lohan. Ele já imaginava o que havia ocorrido.

O garoto sacou seu celular e avistou uma mensagem que havia chegado uma hora atrás, antes mesmo do próprio Charles falecer.

"Dorothy morrerá se não apagar a droga daquelas provas." — Dizia a mensagem.

— Eae, Nate! — Cumprimentou Jonathan entrando na casa, ele provavelmente havia ido buscar Jessie.

— Eae! — Respondeu Nathanael.

Assim que terminou de responder aquela mensagem, Nathanael ligou seu carro e acelerou até sua casa.

Chegando no local, Nathanael adentrou em sua casa e caminhou até chegar na cozinha. 

Observando ao seu redor, o único cheiro que dominava naquela cozinha, era o forte cheiro do bolo queimado que, Dorothy, sua avó, havia começado a fazer muito tempo atrás.

Após ver que sua avó simplesmente não estava em casa, Nathanael pegou nas luvas, e as posicionaram em sua mão, para que evitasse uma queimadura extrema.

Terminando de colocar a luva, o garoto andou até o forno e no vidro do mesmo, ele pôde observar uma gigantesca bola de sangue e puxando a portinha, o corpo de Dororhy forá exposto. 

Nathanael não aguardou para gritar. No exato instante pelo qual, viu o corpo de sua avó com uma facada na barriga e seu rosto inteiramente queimado, o grito foi a única coisa que ecoou daquela cozinha.

Pouco depois, também se podia ouvir o som do choro sofrido do garoto e, então, as pessoas que passavam em frente à casa do mesmo, se espantavam e pensavam em coisas ruins, mas mesmo diante disso, ninguém o ajudou ou tentou ajudá-lo.

Enquanto isso, Nathanael estava com sua avó em seu colo e dava alguns poucos beijos na testa da mesma. Mesmo que sentisse o gosto e cheiro de algo queimando ou queimado.

Para concluir, em seu celular, uma mensagem assustadora chegou. Era da mesma pessoa que havia-o avisado sobre sua avó, ou que talvez a tivesse matado.

Ele ergueu seu celular até sua cara e conseguiu ler a mensagem reveladora. Acontece que ele não era o único que havia recebido a longa e ao mensagem, Lohan também havia recebido.

"Não adianta fugir! A partir de agora, ou destroem as provas, ou estão no jogo ao lado dos adolescentes babacas." — Dizia a mensagem.


Notas Finais


Olá meus leitores! Notei que tivemos uma queda na quantidade de comentario, mas não deixa de ser uma boa quantidade. Por isso, agradeço a todos que estão lendo a Fanfic, ainda.
Para os leitores Fantasmas, comentem, façam críticas e etc. elas são sempre aceitas...

Como vão os suspeitos? Já sabe quem são os assassinos?

Já lhes aviso agora que a Segunda Temporada foi renovada (e.e), isso mesmo, teremos uma Segunda Temporada...
Eu farei o poster da Segunda Temporada e deixarei aqui em qualquer capitulo... Se prepararem...

* Avisos da Segunda Temporada:

• Só terá um assassino(a);
• O assassino estará totalmente envolvido com os assassinos desta primeira Temporada;
• Esse assassino da Segunda Temporada ajudou esses dois da Primeira a matar algumas pessoas dessa temporada;
• Todos os sobreviventes dessa Temporada (aqueles que sobreviverem ao jogo final) participarão da próxima;
• Aquele jogo se passará dois meses depois do encerramento desse; (com jogo quero dizer aos assassinatos)
• Todos estarão na formatura;
• Vocês poderão mandar suas fichas em um capítulo especial que será feito assim que esta Temporada acabar!

Elenco da Temporada:

• Emma Watson como Emma Backer
• Jennifer Lawrence como Clarissa Backer
• Nathaniel Buzolic como Kol Marshall
• Alexandra Breckenridge como Jessie Victs
• Léo Howard como Lucca Campbell
• Kyle Gallner como Jonathan Ethienne
• Scarlett Leithold como Lydia Palmer
• Nathan Kress como Hunter Kirigiri
• Megan Fox como Lohan Harey
• John Karma como Gary Hastwoods
• **** como Hyraku
• Chloë Moretz como Chloe Ethienne
• Ian Somerhalder como Charles Harey
• Jensen Ackles como Justin Hammer
• Nick Jonas como Nathanael Holland
• Esmeraude Toubia como Claire Camille
• Grant Gustin como Louis Pierre
• Justin Hartley como Gregory "Greg" Sanchez
• Bridget Satterlee como Melanie Benson
• Lucky Blue como Christopher Brandt
• Bonnie Wright como Maddison Louise
• Troye Sivin como Harry Mitchel


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...