História The My Gangster Love - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Nina Dobrev
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Nina Dobrev, Personagens Originais
Tags Bebida, Drogas, Nudez, Romance, Violencia
Exibições 316
Palavras 1.565
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Mistério, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura!
E desculpa se tiver algum error ❤

Capítulo 8 - O beijo


Fanfic / Fanfiction The My Gangster Love - Capítulo 8 - O beijo

P.O.V Nina

Acordei de manhã em meu quarto, levantei um pouco da cama olhando o sol lá fora e me sentei na borda da minha cama até que senti um dor no meu pescoço. Levantei e fui para o banheiro, cheguei lá e olhei meu pescoço.

- Não está tão ruim assim – Murmurei e despir-me indo em direção ao box, liguei o chuveiro e tomei um banho gelado. Terminei de tomar banho e fui para o closet pega uma roupa. ‘’ nem morta que eu vou olhar para o Justin depois de ontem’’. Pensei.

Peguei uma blusa jeans que parecia mais um vestido em mim é um tênis preto. Terminei de me vesti, passei um batom vermelho vinho é peguei uma bolsinha preta. Depois que terminei de me arrumar abri a porta do meu quarto e fui passando pelo corredor até chegar a escada em que fui descendo devagar até eu ouvir a voz dos meninos.

- Olha quem acordo – Ryan disse todo brincalhão

Olhei para a mesa e vi Justin tentei não olhar muito mais tinha um garoto em meio deles que eu não tinha visto ainda.

- Bom dia para vocês também – Falei entrando na brincadeira.

- E bela adormecida, você dormiu demais-Olhei para o garoto que sorria para mim.

- Conheço você? – Falei sorrindo e meio confusa

- Não mais vai conhecer, meu nome e Christian fui o cara que te salvou ontem – Fiquei meio que sem reação naquela altura pensei que tinha sido o Ryan mais foi ele.

- Eu ainda estou aqui Chris – Ouvi Justin falar mal-humorado

- Eu sei, foi para você escutar mesmo – disse Chris rindo.

Tomei um suco de laranja e fiquei conversando com os meninos um bom tempo, Justin continuava ali eu esperei pelo menos um pedido de desculpa, mas ele ficou só me olhando.

- Bom obrigada pelo café, mas eu vou indo – falei me levantando

- Onde você pensa que vai nina? – Ouvi aquela voz rouca que eu tanto gostava

- A um lugar que não te interessa - Ele veio em minha direção e segurou meu braço

- QUANDO EU PERGUNTO ALGUMA COISA VOCE TEM QUE ME RESPONDER CARALHO – Falou gritando eu olhei para ele e vi aquele mar de caramelo de volta.

- Me solta Justin – Tentei me soltar mais ele me segurava com força.

- VOCE NÃO VAI PARA LUGAR NENHUM ENTEDEU, EU NÃO SOU IGUAL SEU PAI – Gargalhei na cara dele, ele me olhava com o punho fechado para me bater.

- Sabe Justin eu dou graças a deus por você não ser meu pai, agora solta a porra do meu braço porque eu saio na hora que eu quiser – Falei me soltando dele até que eu senti meu rosto arder.

- VOCE ESTA ME FAZENDO PERDER A PACIENCIA NINA- disse ele entre dentes, eu senti meus olhos marejando por conta do tapa.

- Sabe Justin eu sei porque você e sozinho – Falei sorrindo com a mão no rosto – Porque ninguém teria essa moral toda de te amar sabe porque, porque neste exato momento a sua amada alexia deve estar dando para outro – Falei e ele veio na minha direção para me dar um soco mais os meninos segurou ele. Até que Ryan gritou para mim.

- NINA PORRA SAI DAQUI SE VOCE NÃO QUER MORRER – eles seguravam Justin que queria avançar em mim eu fui correndo com os olhos marejando até porta da casa.

Depois do ocorrido eu peguei um taxi e fui para uma cafeteria, cheguei lá comprei um café e fiquei sentada na mesa sozinha. ‘’ será que eu fui longe demais falando isso ‘’. Fiquei pensando nessa única frase até acabar meu café, levantei da mesa e fui andando até uma floricultura que tinha ali perto.

- Olá moça – veio uma garotinha ruiva com os olhos castanhos perto de mim.

- Oi – sorrir para ela é voltei a olhar as rosas que tinha ali.

Eu vi que ela me deixou sozinha mais não liguei depois de uns minutos tentando escolher, a garotinha chego perto de mim com um buque de rosas brancas do meu lado.

- Toma moça – Ela me deu o buque e eu sorri com os olhos marejando até que lembrei da minha mãe.

Flashback: on

- Olha mamãe o que eu trouxe para você – Eu segurava uma rosa branca na mão.

Ela olhou para mim e sorriu.

- Ela é linda minha princesa vem cá senta no meu colo – Disse ela batendo a mão delicadamente nas pernas. Eu fui em direção e sentei no colo dela com a rosa em mãos. -Está vendo essa rosa em suas mãos – Disse ela apontando para a rosa – Um dia você vai se torná-la  – Eu olhei para a flor confusa

- Não tem como mamãe eles planta essas flores – Disse a ela

- Essa flor significa você, você foi um bebê igual a ela, quando ela for a flor adulta ela será a mais bela e querida igual a você um dia – Eu sorri e olhei para a flor e entreguei a ela.

Flashback: Off

- Obrigada linda essa flor me traz boas lembranças – sorrir para ela e fui até o caixa pagar, paguei a moça e dei tchau a garotinha e fui andando para fora da floricultura. Peguei um taxi e pedi para ele ir em direção ao cemitério, enquanto eu olhava pela janela eu via tudo passando como um borrão. Fiquei um bom tempo assim até que ele parou em frente ao cemitério. Paguei ele é sai andando, fui andando pelos túmulos até encontrar o da minha mãe, coloquei as flores no gramado e fiquei sentada ali.

- Mãe você faz tanta falta – Senti meus olhos marejando – Você não sabe as coisas horríveis que eu tenho vivido, meu pai me deixo aqui com uma pessoa horrível – Enquanto eu falava eu já sentia que estava soluçando enquanto chorava, deitei minha cabeça no gramado e fiquei ali deitada por uns minutos – Por que mãe? Porque a minha vida e tão injusta porque eu não tenho um final feliz como todo mundo – Falei chorando com os olhos fechados, levantei e passei as costas da mão no olho – Tenho que ir mãe – Falei vendo a chuva fina cair.

Fui andando até a rua mais próxima, peguei um taxi e fiquei vendo a chuva cair pela janela. Eu sair do carro e fui andando até portão onde estava os capangas do Justin. Eles me viram e abriram o portão eu fui andando pelo jardim até chegar porta. Abri a porta e vi os meninos jogando vídeo game.

- Você estava chorando? –Ryan pergunto preocupado, eu joguei minha bolsa e fui até ele e abracei ele – Que foi baixinha? – Eu fiquei ali abraçando ele chorando, ele ficou me abraçando até eu olhar para ele.

- Ryan por que a vida e tão injusta? – Perguntei a ele

- Gostaria de te responder essa pergunta mais nem tudo é injusto – Olhei para ele confusa

- Vou fingir que entendi – soltei um riso  

- Vem cá garota – Ouvi chaz me chamar

- É bela adormecida vem cá vamos rir um pouco – ouvi Chris dizer, eu fui até eles e Ryan veio me seguindo. Fiquei ali com eles jogando e rindo, eles não eram monstros eles eram legais me tiravam altas risada é isso me fazia bem.

- Em Justin quer falar com você depois – Ouvi Ryan dizer e senti um frio na espinha.

- Ok vou subir e trocar de roupar porque esse vestido está subindo – Falei me levantando e indo subir as escadas

- A NÃO,0FICA COM ELE – ouvi os meninos gritarem enquanto  eu subia as escadas

- NEM SONHEM COM ISSO –Gritei indo em direção ao meu quarto e vi que a porta estava aberta eu fui andando até chegar e ver Justin sentado na minha cama vendo uma foto minha e da minha mãe, eu vi que ele estava com uma caixa que eu guardava fotos minha e da minha mãe quando eu era criança.

- Justin – falei quase em um sussurro

- Era sua mãe – Ele perguntou, naquela hora nem parecia o Justin parecia ser outra pessoa

- Era, só que ela morreu em um acidente de carro – Falei com minha voz quase falhando

- Você parecia feliz – Disse ele sorrindo

- Eu era – sorri e fui andando até chegar na cama – Justin desculpa pelo o que eu falei hoje eu. - Na hora que eu ia terminar de falar ele veio encima de mim e me beijou. Em seguida ele pediu passagem eu cedi derrotada e minha mãos foram para a sua nuca e suas mãos foram diretamente para a minha cintura onde ele deu um aperto ele foi me colocando na cama me beijando, seu beijo era viciante mas tinha aquele gosto proibido que eu estava louca para experimentar ele foi passando a mão na minha coxa onde ele deu um aperto e eu arfei. Ficamos assim até pararmos pela maldita falta de ar. Eu sai de perto dele e fiquei e pé.

- Isso não era para ter acontecido – Falei botando a mão na testa.

Ele sorriu para mim mais não era aquele sorriso debochado de sempre ou sarcástico era um simples sorriso sincero ele passou por mim se falar nada e foi andando para fora do meu quarto. Eu fiquei ali pensando por uns segundos, eu não estava acreditando que eu tinha beijando o Justin Bieber.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...