História The Mysterious Room - Capítulo 15


Escrita por: ~ e ~StydiaVK

Postado
Categorias Doctor Who, Pretty Little Liars, Teen Wolf
Personagens 10º Doctor, 11º Doctor, Allison Argent, Amelia "Amy" Pond, Aria Montgomery, Caleb Rivers, Clara Oswald, Donna Noble, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Lydia Martin, Maya St. Germain, Mona Vardewaal, River Song (Melody Pond), Rory Williams, Rose Tyler, Scott McCall, Spencer Hastings, Stiles Stilinski, Toby Cavanaugh
Tags Doctor Who, Emison, Ficção, Haleb, Pretty Little Liars, Revelaçoes, Romance, Scallison, Series, Shipp, Stydia, Suspense, Teen Wolf, Whouffle
Exibições 25
Palavras 6.896
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiee gente! ENFIM, DEPOIS DE 10000 ANOS O CAPÍTULO NOVO CHEGOOOU! Enfim, ele tá grande pra caralho, desculpa pra quem não gosta de capítulos grandes assim! Até as notas finais!

Capítulo 15 - Só eu e você


P.O.V Lydia
Acordo em uma cama dura. Eu vestia um traje horrível, e estava bastante frio. Olho pro lado e vejo uma garota de cabelos crespos e morenos, sentada na sua cama.
- Onde estou? Quem é você?
- Você está em Radley. Sou Meredith. Você é igual a mim?
- ME TIREM DAQUI!!
- Eles não podem te ouvir, mas outras pessoas sim. As que vão morrer. Você é que nem eu, Lydia.
- Como assim as que vão morrer? Como sabe meu nome?
- Você tem um crachá. Você é que nem eu! Vocé é uma... - ela fala e eu a interrompo.
- ESSA MULHER É LOUCA! ME TIREM DAQUI!
- Eles também te acham louca.  - Ela diz e solta um riso. - e gritar é BEM pior. Quer dizer, as vezes né? Quando você grita tudo fica mais claro.
- AHHH! - Quando eu grito dois homens entram na sala.
- Sedativo? - Um dos homens fala e o outro diz "sim" com a cabeça. Um dos homens segura uma seringa, botando um líquido dentro. Ele segura meu braço. Tento reagir, mas ele me dá a injeção e eu acabo fechando os olhos e vendo a escuridão.
P.O.V Clara
Eu acordo as 5:24 da manhã com Matt repetindo " Ela está no Radley, não vai mais interferir." muitas vezes. Eu até pensei que poderia ser ele, por causa que ele estava muito estranho. Me levanto da cama e vou até o quarto da Lydia e Amy. Ainda acho que ela está grávida. Ela exitou totalmente em fazer o teste, não entendi o porquê. Quando entro no quarto das meninas, Lydia não está lá. Começou o desespero. Ele estava no corpo do meu marido, e botou minha filha no Radley. Procuro minha bolsa desesperadamente, pego meu celular e ligo pra Stiles.
Ligação ON
- STILES!
- Clara? São 5 horas da manhã!
- Sem perguntas! Lydia sumiu e está no Radley. Precido da sua ajuda!
- O QUE? ESTOU AI EM 10 MINUTOS! - Ele desliga.
Ligação OFF
Depois de 10 minutos Stiles já está aqui com Allison. Sem perguntas vamos para o Radley e chegando lá, falo com a moça.
- Lydia Pond, por favor.
- O horário de visita já acabou, senhora. Desculpe.
- Eu sou a mãe dela e vou tira - la desse manicômio!
- O senhor que a levou disse que não era para deixar ninguém entrar. Desculpe novamente.
- DEIXAR NINGUÉM ENTRAR É O CARALHO! ABRA A PORTA E DEIXE EU TIRA - LA DAQUI, SUA VADIA! - Eu digo puxando seu braço e tirando uma faca que sempre guardo na minha bolsa. - SE NÃO, VOU ENFIAR ESSA FACA BEM NO MEIO DA SUA CARA OXIGENADA. FUI CLARA?
- Sim... A Lydia esta no quarto 13.
- ABRA A PORRA DA PORTA! - Eu digo segurando ela. A porta se abre, e eu jogo ela no chão.
P.O.V Stiles
Clara estava me assustando, e provavelmente assustando a Alli também. Ela ameaçava matar a recepcionista que não tinha culpa de nada. A recepcionista tinha abrido a porta e então Clara pôs ela no chão. Fiquei com dó e fui ajudar ela a se levantar, mas Clara viu e disse:
- Isso, Stiles!Ajude essa vadia! Mas saiba que eu farei questão de te ver em um desses quartos. - Ela disse isso e eu levantei as mãos como se dissesse " tá bom"
Nós entramos no quarto e vimos uma garota ruiva. Era Lydia. Ela usava um crachá escrito "Lydia Pond. Completamente louca.". Lydia estava sentada, olhando para o nada.
- Lydia? - Alli disse. - Lydia!
- Garotos, peguem ela e vamos logo. Esse lugar não me traz lembranças boas. - Clara disse.
Eu percebi que ela estava amarrada então desamarro ela e pego, botando em meu colo. Quando vamos sair do quarto, a porta se fecha. Alli tenta abrir a porta, mas está emperrada.
- Eu não acredito!
- Afastem - se. - Clara diz e da um chute na porta, fazendo ela cair no chão.
- Aonde aprendeu isso? - Eu perguntei.
- Fiz aula de karatê por 2 anos.
- Ahh... - Eu falo. Quando vamos sair vejo uma garota olhando para Lyds.
- Ela é uma banshee. Cuide dela.
- O que é isso?
- VAMOS, STILES! - Clara grita.
Nós saimos da sala e uma pessoa entra na nossa frente, impedindo nossa passagem.
P.O.V Clara
Iamos sair daquele lugar, quando Matt entra na nossa frente. Ele segura meu pulso. Sim, era ele.
- eu vou te matar.
- quem? Eu ou você? - Eu digo dando um soco na sua cara e Ele me acerta um também. Sinto uma dor horrível e pego ele pela blusa jogando escada abaixo. Ele vem até mim e me bate contra parede. Dou um chute na sua cara, o que faz ele voar até longe. Com ele caido no chão, vou até ele e sussurro:
- Me encontre na sala, sexta, as 23:50. Vamos resolver isso a moda antiga. Só eu e você.
Depois disso, levo Stiles e Alli pra casa. Eu e Lydia vamos pra casa. Ela ainda estava desacordada, então quando chego em casa boto ela em sua cama. Fui dormir, pois tinha que acordar daqui 2 horas.
P.O.V Lydia
Eu tinha acordado as 06:30 com meu despertador tocando. Eu não me recordava nada do que havia acontecido de madrugada, e estava MUITO curiosa pra saber o que tinha acontecido. Viro pro outro lado e tomo um  baita de um susto.
- STILES! DA ONDE VOCÊ SURGIU?
- Eu pulei a janela.
- Ahh, tá. Desde que horas tá aqui?
- Dois minutos depois que sua mãe me largou em casa eu me preocupei com você e vim correndo.
- Ahhh, tá. Eu não consigo mais dormir, vou me arrumar.
- Tá bom.  – Ele diz e pega um livro dele, e eu vou pro banheiro me arrumar.  Hoje estava bem frio, então boto uma calça legging preta, um vestido cor de pele e aqueles cachecóis de lenço preto. Calço uma bota marrom, e pra maquiagem passo base, rímel, delineador e um batom matte vermelho. Eu saio do banheiro, desço as escadas e vou pra cozinha. Stiles já tinha descido, e estava fazendo panquecas.
- Por que tudo isso?
- Ah, sei lá. Levantei com inspiração.
- Só não bota fogo na cozinha, pelo amor de Deus! – Eu disse e ri.
- Vish, não duvido nada... – Ele disse sendo irônico. Ele tinha acabado as panquecas, e botou na mesa.
- Stiles, o que aconteceu ontem de noite? – Eu falei enquanto pegava uma panqueca.
- Quer saber mesmo?
- Sim!
- Lydia, eu não quero fazer você ficar triste!
- Agora tá me deixando mais curiosa. Eu não vou ficar triste! Fala logo!
- Seu pai te internou no Radley. Mas eu, sua mãe e Alli fomos te buscar. Teve uma hora que seu pai apareceu e sua mãe começaram a brigar. Só isso.  – Quando Stiles terminou sua fala, passou um filme pela minha cabeça. Me lembrei de tudo... De meu pai me chamando para sair... De uma garota. Ela me chamava de beinchi, alguma coisa assim.
- E a garota?
- Que garota?
- A que estava no mesmo quarto que eu. Ela disse que eu era alguma coisa, não é? Uma beinchi?
- Ela é louca. Você é uma garota normal, só deve ter alguma coisa acontecendo dentro de você – Ele diz e eu olho pra ele. Ainda não acreditava nisso, mas não queria nenhuma discussão fora de hora.
- Stiles, vamo pra aula? Quero chegar mais cedo hoje pra  decorar os negócios pra o trabalho de português. – Ele concorda com a cabeça e nós dois vamos para a escola. A escola fica pertinho de casa, então ficamos conversando o caminho inteiro de coisas bobas até eu puxar um assunto diferente:
- Stiles, você sabe que vamos depor hoje na delegacia, certo?
- Sim.
- Temos que falar alguma mentira.  Não podemos falar que ela foi possuída por uma criatura que se esconde numa sala da minha casa, se não com certeza nós dois vamos parar no Radley.
- É verdade. Vou pensar nisso.  Quando tiver uma ideia, te falo.
- Ok. – Nós dois já estavamos perto da escola. Atravessamos a rua e entramos. Existia muitos cartazes falando de alguma coisa. Me aproximei de um:
‘’ BAILE!
SEXTA AS 23:00, NÃO PERCA!’’
- Eai, vamos? – Stiles reparou que eu estava lendo o pôster concentrada.
- Aonde?
- Na casa da mãe Joana. No baile, né linda?
- Ah, não.
- Por quê?
- Meu pai acaba de me prender num hospício, tem uma criatura de origem demoníaca tentando matar alguém e outras coisas.
- Ah Lydia! Você precisa relaxar sua cabeça.
- Tá bom! Eu vou. Mas sem vontade.
- Se alegra um pouco, Lydia! Você não é sempre a princesa do baile? Você não adora isso?
- Isso se torna enjoativo as vezes. Vou dar o papel de princesa do baile pra Hanna.
- Tá bom. Mas não é por isso que precisa vir de mendiga, tudo bem? Quero você linda. Aliás, você já é. – Ele diz. Vejo Rose passar toda emburrada, vestindo um moletom preto e uma calça de abrigo de flor.
- Ah, Stiles! Só você mesmo. Agora preciso ir, tenho uns probleminhas pra resolver. – Eu digo apontando pra Rose, e ele faz uma cara de quem entendeu.
Eu vou até a Rose. Ela estava mexendo no ármario dela.
- ROSE?
- Ah Lydia, não fala comigo!
- Por que essa cara de cu? O que aconteceu?
- Me deixa quieta, por favor! – A Allison chega na nossa direção.
- Oi, o que tá acontecendo? – Alli pergunta.
- Só a Rose fazendo birra.
- O que foi? – Alli pergunta.
- Tá grávida por acaso? – Eu digo.
- AI LYDS! Claro que não. Só quero ficar sozinha, to com uns problemas  lá em casa.
- Certo, a gente te deixa sozinha. – Eu falo, e puxo Allison para um lado.
- Allison, você se lembra do que aconteceu ontem?
- Sim.
- Você se lembra de uma garota de cabelos cacheados? Ela disse alguma coisa sobre mim?
- Sim, eu lembro dela. Ela disse que você é uma beinchi.
- Sim, o que você acha disso?
- Não sei o que é beinchi, então não posso opinar nada.
- Ah! Mas esquece tudo isso. Pode vir dormir na minha casa hoje? Dai vamos comprar o vestido pro baile e depois voltamos pra casa.
- Pode ser.
- Depois do shopping, vou convidar todo mundo pra ir lá em casa tentar achar um ponto nessa coisa de ‘’sala’’. Quero investigar isso.
- Tá. – Bate o sinal. – Temos que ir pra aula apresentar o trabalho trabalho.
- Trabalho?  – Droga! Meu trabalho! Vou correndo pra sala de aula.
P.O.V Amy
A trouxa da Lydia não tinha esperado ninguém pra ir pra escola, pelo menos tinha deixado o carro. Eu e Emily tínhamos trabalho no 1º tempo, e não podíamos chegar atrasadas.  Emily e eu pegamos umas laranjas e fomos pro colégio. Chegamos lá 2 minutos atrasadas. Emily foi pra sala dela e eu pra minha.
- Lydia! – Eu disse indo até ela. – Por que não me esperou?
- Ah, desculpa. O Stiles foi comigo, e dai eu fui mais cedo com ele pra eu estudar melhor pro trabalho.
- Tá bom. Vou ir me sentar. – A professora chegou depois de um tempo. Eu abri meu caderno e arrumei minhas coisas.
- Bom dia! Prontos para o trabalho?  - Ela disse e todos responderam ‘’não’’. – Vamos ao primeiro grupo então.
- Theo, Amy, Hayden e Liam. Vocês terão 2 minutos cada um pra contar uma história que já aconteceu com vocês. Valendo! – Nós contamos uma história em que todos estavam na rua e fomos assaltados, levaram nossos celulares. –  Vocês levaram 10 minutos e 34 segundos. Parabéns!
- Isaac, Jackson, Rose, Érica. Vocês terão 2 minutos cada um para contar uma história que já aconteceu com vocês. Valendo! – Eles contaram uma história,  em que todos estavam acampando. – Vocês levaram 9 e 58 segundos. Parabéns!
- Scott, Stiles, Lydia, Allison. Vocês terão 2 minuto cada um para contar uma história que já aconteceu com vocês. Valendo!
A professora tinha nos chamado para apresentar, e todos já tinham se posicionado para falar. A Lydia estava nervosa mesmo, nunca vi ela assim. Ela era a primeira a falar, então começou:
- Eu e meus amigos passamos por muitas coisas, mas a que marcou mesmo foi que uma vez, estavamos em uma festa do pijama.  Na noite, entramos em uma sala... – Ela começou a gaguejar de um jeito estranho.
- Lydia, não é essa a história. – Stiles parece ter  sussurrado.
- Na sala havia um diário muito antigo, a menina que escreveu falava de que as coisas estavam estranhas naquela casa...
- Lydia, acabou o tempo. – A professora falou.
- κάποιος θα πεθάνει  – Ela disse e desmaiou.  Toda sala ficou ao seu redor tentando acorda – la, mas ela não respondia.
- Lydia! Acorde! – Eu falei.   Ela abriu os olhos e gritou.
- LYDIA! O QUE ACONTECEU? POR QUE ELA ESTÁ ASSIM? – A professora Clara entrou na sala correndo.
- Ela desmaiou. – Stiles disse.
-  STILES, VENHA COMIGO PRO HOSPITAL – Ela diz. – DONNA, TENTA ACHAR ALGUMA PESSOA PRA COBRIR MEU LUGAR.
P.O.V Stiles
Nós dois fomos até o carro de Clara. Ela  apertou o cinto dela e começou a acelerar.
-  Clara! Fica mais calma! Ela tá bem!
- Eu to o mais calma que eu posso. Preciso conversar com você, mas só quando chegarmos no hospital. – Ela disse. Nós chegamos no hospital, e levaram ela pra um quarto. Eu e Clara ficamos na sala de espera sentados.
- Você engravidou minha filha? – Clara perguntou.
- Oi?
- Você ouviu, Stiles.
- Não, por que acha isso?
- Ela está passando mal, e nós sabemos que isso é bem um sintoma de gravidez.
- Nada aconteceu pra ela estar grávida.
- Vou fingir que acredito em você. – Ela disse. Não respondi nada, pois não sabia o que falar.
- Clara, você se lembra de noite? Daquela garota?
- Sim. Por quê?
- Ela disse que a Lydia era uma coisa que acho que se chama Beinchi. Você acredita nela?
- Não. Por quê? Aquela garota é louca.
- Ah, esquece.  – O médico nos chamou e nos guiou até o quarto de Lyds. Ela estava acordada, e parecia bem. Cheguei ao seu lado e digo:
- Ei, o que tá sentindo?
-To de boa. Vamo embora.
-Mas antes – Clara diz indo até nós. – você vai fazer o teste.
-Oi? Você é surda mulher? Eu não tô grávida. Você me ouviu?! EU NÃO ESTOU GRÁVIDA! - Diz Lydia gritando a última parte.
-Olha como você fala comigo menina! Mas se você não está grávida, por que se recusa a fazer o teste?
- Tenho fobia de agulha. Podemos ir embora?
-  Vai fazer o teste.
-Mas tu é chata! Puta que...
-Lydia!
-Tá! Eu faço essa merda. – Ela vai até uma sala fazer o exame de sangue. Depois de um tempo, ela sai tonta do exame por causa da baita fobia dela e se senta pra esperar. Quando os exames saem, ela vai, abre e tira. Ela pisca pra mim e corre até a mãe dela:
-Mãe! Você não vai acreditar!
-Qual foi o resultado filha?
-Eu to grávida!
-O que?!
-Mentira. Deu negativo. Agora podemos ir? Temos que depor na delegacia daqui a pouco.
-Deu mesmo?
-Meu Deus! Você quer ver o teste?
-Não, eu...
-Toma! - Lydia atira o teste na mão de sua mãe que lê e fica muita aliviada. Ela segura a minha mão e vai me puxando para fora do hospital. A mãe dela tinha que voltar pra escola, então tínhamos que ir sozinhos.
-Minha mãe é chata né?- ela não me deixou responder - Qual seria a possibilidade de eu estar grávida? Se eu digo que não é porque não. Essa mulher não tem nada melhor pra fazer do que me atormentar. E esses gritos não param, essa pressão. Eu não aguento mais Stiles. - diz ela chorando. Eu abraço ela o mais forte que consigo. Faço carinho nos seus cabelos ruivos e tiro as lágrimas que escorreram no seu rosto.
- Ei, está tudo bem. Eu estou aqui- ela parou de me abraçar e me olhou profundamente:
-Eu sei que é meio clichê mas... você promete sempre estar ao meu lado? Stiles eu não ia conseguir viver sem você. Eu acordo lembrando do seu sorriso, de tudo seu. Eu te amo. - uma lágrima caiu dos meus olhos. Nunca pensei que alguém ia me amar desse jeito.
-Eu também te amo. – Eu digo e ela segura a minha mão e me leva até a delegacia. Fiquei abraçado nela o caminho todo. Sua mãe já estava na aula, e fui até meu pai falar com ele.
-Stiles? É você que vai fazer o depoimento de Malia Tate?
- Yep. Eu e essa linda ruivinha aqui do meu lado. - ela fica corada. Ela é tão fofinha corada.
-Lydia? Meu filho não para de falar de você. Ele fica cantando no chuveiro dizendo que você é a pessoa mais linda do mundo, que ele quer ter 80 filhos com você e que...
-Tá, ela já entendeu. - digo morrendo de vergonha. Lydia da uma risadinha. Puxo ela para o outro lado e vou falar com a secretária:
- Olá, baixinha. Onde temos que ir?
-Segunda sala a direita. Quem é essa garota linda com você Stiles?
-Lydia Martin.
- Ah, a famosa namoradinha do Stiles! Ele não para de falar de você. Diz que...
- Ela já sabe disso. Vamos. - Lydia  não parava de rir da minha cara. Entramos na sala e vimos o delegado sentado na cadeira e Malia também. Eu e Lydia já tínhamos planejado tudo, e pelo que sabíamos não existia nenhuma falha.
-Lydia Martin e Stiles Stilinski?
-Sim.
-Podem se sentar por favor.- Sentamos na cadeira a sua frente.
-Stiles, já que você foi a vítima, pode começar.
-Ok. Eu ia encontrar Lydia para bater um papo...
-Por quê?
-Porque a aula tava chata. Daí eu vi um cara de preto...
-Como era o cara? Podia ser a Malia? Onde ela estava na hora do crime?
-Não era ela. Era um homem.- diz Lydia.
- Como tem tanta certeza?
- A pessoa não tinha peitos.  – Lydia respondeu.
- Bom, dai ele tava com uma faca nas mãos, e tava indo na direção da Lydia. Eu vi e fui correndo, saltei na frente dela e ganhei a facada.
- Daí a Malia acabou aparecendo, o cara de preto botou um aroma no nariz da Malia que fez ela desmaiar, e botou a faca na mão dela e saiu correndo.
-Mas como ela apareceu? Ela não estava na aula?
-Eu tinha visto ela no corredor antes de ir lá. Talvez ela estivesse passeando no corredor.
- Então Lydia e você, Stiles, iam se encontrar para praticamente matar aula e enquanto você Stiles não chegava, Lydia tentou ser atacada por um cara de preto. Quando você viu, entrou na frente dela e levou a facada. Malia estava passando perto e acabou vendo a cena, correu até lá e o homem passou um tipo de aroma que há fez desmaiar, botou a faca na mão dela e saiu correndo. Correto?
- Correto. 
- Correto Malia?
- Correto. – Passou se um tempo com o delegado perguntando as coisas, e respondemos tudo do mesmo jeito.
- Pelos dados ditos pelas testemunhas – o delegado se levantou e se posicionou, lendo um papel em que havia escrito todos os detalhes. –  Malia Tate é considerada inocente. – Ela foi solta pelos delegados.
Fui até Lydia abraçar ela, e depois Malia foi na minha direção dando um super abraço em mim.
-Muito obrigado, Stiles! - saiu do abraço e abraçou Lydia - E muito obrigado Lydia!
- Imagina! Não foi nada. Malia, por que não combinamos um dia de sair? Tomar um sorvete...
- Eu quero!
- Outra hora nós combinamos, então. Tenho uma amiga pra buscar e umas comprinhas para fazer. Tchau Stiles! – Lydia disse me dando um selinho.
Eu larguei Malia na casa dela, e voltei para delegacia para ajudar meu pai nos casos.
Pov Allison

Eu estava arrumando meu quarto,  quando recebo uma mensagem de Lyds.
Whatsapp ON
Lyds ❤: oi alli, qr q eu busque vc?
Alli (eu): pode ser.
Lyds ❤: ok, to indo agr.
Whatsapp OFF
Eu comecei a arrumar minha bolsa e a campainha tocou. Desci correndo e abri a porta:
- Ly... Isaac?
- Allison? Você é minha vizinha agora?
- Acho que sou.
-Ah legal!
-Quer entrar?
-Ok.- Dou espaço para ele passar.
-Sente-se. – Ele se senta numa poltrona laranja. Nós conversamos sobre o tempo, pois não tínhamos muitos assuntos. A campainha toca agora.
- Allison! – ela diz entrando e  me abraçando. Ela olha pra poltrona e vê  Isaac. Ela sai correndo na direção dele. – Você faz o trabalho de biologia agora! Se não, você vai ver. – Ela diz gritando.
- Pra que esse show? – Eu falo sussurrando. Ela me  pega pelo braço e me traz pra cozinha.
- Você tá traindo o Scott, Allison? Porque se você estiver traindo ele, eu juro que dou umas bofetada na tua cara e na do Isaac ai também!
- Lydia, eu não to traindo ninguém! O Isaac é só um amigo.
- Ah vai, sei. Ele é bonito. Você acha ele bonito, não acha?
- Sim. Mas não é por isso que to traindo o Scott.
- Tá bom. Mas só vou avisar que se você trair o Scott, vai rolar porrada!
- Desde quando é amiga do Scott? Pelo que eu sei, já deu até em cima dele.
- Foda – se! Agora, minha vadiazinha preferida, quer ficar ai com seu namoradinho novo ou ir fazer compras comigo no shopping?
- Você!
- Então vamos, vaca! – Eu falo com o Isaac que tenho que  sair, e nós duas vamos até o shopping de Uber. Lydia paga o motorista e entramos no shopping.
- Primeiro passo: Escolher o vestido. Eu conheço uma loja PERFEITA para vestidos! Me segue. – Eu sigo ela. A loja tinha na vitrine vestidos curtos e longos e algumas lingeries. Entramos e ficamos observando.
- Uau! Que loja PERFEITA!
- Eu sei. Ainda bem que você tem a mim, não é mesmo? – Ela ri. Eu dou um sorriso.
- Gostei desse. O que achou? – Eu digo apontando pra um vestido preto com margaridas.
- Que brega! Como pode gostar disso? - Ela diz e pega um vestido azul longo, com glitter espalhado. – Usa esse. Vai arrasar. Depois só comprar um salto alto preto, uma bolsinha preta e vai ficar perfeita!
- Tem certeza? Não sei se vai ficar muito bom em mim não.
- Tenho certeza que vai. Agora anda, vai provar! – Ela diz e eu vou até o provador. O vestido que ela havia pegado coube completamente em mim. Saio do provador e fico me olhando no espelho.
- UAU! Tá uma gata!  Mas acho melhor um vestido mais curtinho.
- Ah, tá bom esse já!
- Como assim? Você tem pernas lindas, e tem que ser mostradas!
- Toda atrevidinha assim, nem parece que perto do Stiles vira uma boba apaixonada.
- Eu não viro boba apaixonada perto dele.
- Claro que vira! – Eu digo rindo.
- Ok, eu posso até virar ou até mesmo ser, mas use esse vestido curto, esse salto e essa bolsinha. – Ela diz me dando um vestido  um pouco acima do joelho preto com um decote. O salto e a bolsinha eram azuis. – Vai ficar ótimo em você. – Eu vou até o provador de novo, boto o vestido, calço o salto alto e saio com a bolsinha na mão.
- ARRASOU! TÁ DIVA! – Ela disse batendo palmas.
- Obrigada. Sua vez. – Eu digo piscando.
- O que acha desse vestido? – Ela pega um vestido laranja, com babados e curto. Entra no vestiário e sai. O vestido era praticamente até o fim da coxa.
- Tá muito curto. O Stiles não vai gostar.
- Para de pensar um pouco no Stiles.
- Quer mil homens fazendo ‘’fiu fiu’’ pra você na rua e um Stiles bravo e morrendo de ciúme? Não, né?
-  Como você é chata. – Ela diz sendo irônica. Pega um vestido rosa, não muito longo, mas não muito curto. Ele tinha partes pratas, e o rosa era mesclado com rosa escuro. Ela entra no provador e sai. O vestido tinha ficado até  um pouco abaixo do joelho.
- Ficou ótimo! Usa esse salto. – Eu digo dando um salto prateado pra ela. Ela calça e se olha no espelho.
- UAU! EU AMEI!
- Você tá linda!
- Obrigada! Enfim, vamos comprar?
- Claro. – Nós vamos até a moça para pagar.
- Custou 500 reais cada.  – Eu pago e Lydia paga também. Saímos com várias sacolas da loja.
-  Lydia, estou com fome. Que tal um café?
- Bora! Eu pago. – Nós duas vamos até um café no meio do shopping. Sentamos na mesa, botamos nossas bolsas em cima de uma cadeira e aguardamos a garçonete chegar.
- Se lembra das mensagens?
- Claro.
- Recebeu alguma ultimamente?
- Não.
- Também não. Será que ele esqueceu da gente?
- Espero que sim. – A garçonete chega na nossa mesa.
- Olá, o que desejam?
- Eu gostaria de um chocolate quente e um pão de queijo. – Eu falo.
- Eu um cappuccino, só.
- Ok. – Ele anota num papel e logo traz os pedidos. Lydia toma um gole do cappuccino, e fica com a boca suja.
-  Dá um guardanapo ai, Allison?
- Claro. – Eu digo pegando um guardanapo. Sinto uma textura diferente, mas ignoro. Ela pega e quando vai limpar ao redor da boca, olha e se concentra.
- Allison. Olha o que tá escrito nesse guardanapo. – Eu pego e olho. Estava escrito num tom de sangue.
‘’ Eu posso ter esquecido de vocês, mas há uma pessoa que eu não esqueci ainda.’’
- O que isso quer dizer?
- Um aviso? Sei lá.
- Ah, tá bom. – Eu digo guardando o guardanapo na mochila.
- Por que tá guardando esse guardanapo?
- É bom para investigarmos. Não é você que tá  querendo botar um ponto final nisso? – Eu digo e ela me olha nos olhos. Fica um grande silêncio, até eu tomar um susto. Olho pro lado. ISAAC?

- Isaac? Você por aqui? O que tá fazendo aqui? – Eu digo assustada. 
- Ah, só dando uma volta. Oi, Lydia.
- Oi.
- Bom te ver. – Eu digo.
-  É. – Eu olho pro lado e eu meio que vi o vulto do Scott. Não sei se estava paranoica, mas deixei de lado. – Bom, eu vou ali pagar a conta com a Lyds pois preciso ir pra casa. – Eu digo. Ele sorri e me dá um beijo na bochecha e vai embora.
- Uau. Parece que alguém está apaixonadinho por você. – Olho com raiva para Lyds. Nós pagamos a conta, e saímos andando pelo shopping até achar a saída.  Passamos por uma parte do shopping em que não existia quase ninguém.  Vou para casa de Lyds, subo e me atiro na cama auxiliar que já estava arrumada.
- Mal chega na MINHA casa e já se atira, né?
- Como se você se importasse com isso. Ah, e cadê a Emily e a Amy?
-A Emily tá no quarto dela, conversando com a nova namoradinha dela. A Amy deve tá tomando banho.
- Então quer dizer que a Emily tá de paquerinha?
- Sim. – Ela ri. – O nome dela é Alison, uma loirinha. Elas ainda não tem nada, eu acho.
Eu rio e me arrumo na cama. Lydia pega o telefone dela e começa a ligar pra todos.
P.O.V Lydia
Eu liguei para Stiles, Scott,  Hanna, Rose e Malia. Todos estavam a caminho, e Emily, Amy e Allison estavam ao meu redor.
Minha mãe tinha que fazer uns preparativos para o baile de amanhã, e meu pai não faço ideia de onde estava.
Depois do que aconteceu, não vi ele mais.

Eu queria desabafar isso para muita gente.
Eu não sei o que está acontecendo comigo, sinceramente. Eu ouço sussurros, vozes e eu não aguento mais. Eu tenho que gritar. Eu me sinto mais aliviada toda vez que grito, e sinto coisas horríveis. Nessa madrugada, percebi que não posso mais confiar em ninguém, só nos meus amigos. Meu próprio pai me internou num manicômio e ainda começou uma briga com a minha mãe. Minha mãe esconde alguma coisa de mim, e meu pai também.
Desde que entrei naquela sala, minha vida se tornou um inferno. Toda vez sinto um pressentimento ruim, que algo vai acontecer. Isso era antes, pois agora, eu ouço vozes. Pessoas gritam na minha cabeça. Eu não aguento mais isso.
Eu não sei mais o que fazer.
As vozes começaram de novo, e dessa vez não consegui aguentar. Comecei a bater na cama em que eu estava deitada desesperadamente, e gritei.
P.O.V Stiles
Eu tinha chegado junto com Scott no Jeep. Nós dois fomos até o portão da casa da Lydia, tocamos a campainha mas ninguém atendeu.  Fiquei lá por uns 6 minutos, até uma garota correr até nós.
- Rose? – Scott perguntou.
- Eu. – Ela disse tirando o capuz preto que cobria seu rosto. – É tão difícil me reconhecer assim?
- Sabe como chamar a atenção pra abrir a porta?
- Estamos aqui a quase 7 minutos e ninguém abriu a porta. – Eu disse. Ela tirou um grampo da sua cabeça, enfiou no buraco da maçaneta e girou.
- Com quem aprendeu isso?
- Com a própria Amy. – Ela sorri. Nós três entramos. A casa estava totalmente vazia, mas no andar de cima tinha uma enorme barulheira. Subimos as escadas. Vinha do quarto de Lydia. Ela gritava, muito e muito alto. Todas as garotas menos Rose estavam tentando acalmar Lydia. Em um piscar de olhos estavam todos ao redor dela, incluindo eu.
- Stiles, você sabe como fazer ela parar? – Disse Emily. Sem pensar no que estava fazendo, segurei Lydia pelo pulso e fiquei olhando para ela. Logo que me viu ela parou. Mas logo voltou a gritar. Sem pensar no que estava fazendo, de novo, beijei ela. Ela parou de gritar, ou de fazer qualquer coisa.

P.O.V Lydia

Stiles me beijou. Quando beijava ele toda a dor, angústia, gritos. Tudo parou. Fiquei beijando ele por mais um tempo. Depois que paramos ele me abraçou. Todos olhavam para mim, impressionados. Stiles cochichou no meu ouvido:
-Vai ficar tudo bem. Eu estou aqui e não vou deixar nada acontecer com você.
-Stiles, eu ouço vozes, gritos. Eu acho que estou louca.
-Você não está louca. Eu vou te ajudar. Eu amo você Lydia.
-Me ajuda Stiles. Eu preciso de você. Eu não sei mais no que acreditar, em quem acreditar.-Comecei a chorar silenciosamente. Ele me abraçou com força. Só depois eu percebi que todos estavam ali. Nos olhando meio constrangidos e surpresos. Ele parou de me abraçar e olhou nos meus olhos. Ele me olhava com tanta intensidade, que sentia tudo o que ele sentia. Por um momento, esqueci de tudo. Ele limpou as minhas lágrimas e me beijou.
Algo estava estranho
Parecia que quando o Stiles me beijava, tudo parava. As dores, a preocupação. Tudo.
Seu olhar me trazia paz. Só com os olhos, ele me trazia segurança, paz, alegria... amor.
Nunca tive tanta certeza que amava alguém na vida.
-Bom, agora que a Lydia se acalmou...- disse Amy, sempre estragando o clima- Lyds, o que que tá acontecendo com você?
-E-eu...-não sabia o que falar. Não queria falar.
-Eu cuido disso. Agora, mudando de assunto...temos que discutir sobre essa sala misteriosa.- disse Stiles. Senti um grande alívio.
P.O.V Allison
Todos estavam sérios e preocupados. Tinha começado um temporal, e a cortinas das janelas subiam e desciam.
-  Dá pra fechar essa merda de janela? - Lydia disse tirando a cortina que ficava indo até seu rosto. Scott fechou.
- Enfim, o que tá acontecendo? - Hanna disse.
- É isso que a gente tem que descobrir.  - Eu falei. Pego minha bolsa e reviro ela a procura do bilhete. Pego e boto no chão para verem. - Eu tava conversando com a Lydia sobre isso e quando fui pegar o guardanapo tinha isso escrito.
- " Eu posso ter esquecido de vocês, mas ainda há uma pessoa que eu não esqueci". Quem seria essa pessoa? - Stiles perguntou.
- Quando eu bati a cabeça, fiquei insconciente e tive um sonho. Eu tava numa sala sozinha, e ouvia uma voz dizendo que não queria machucar nem a mim nem meus amigos, e Sim ha DUAS pessoas.
- Quem seriam essas duas pessoas? - Scott perguntou. Stiles anotou em sua mão todas as pessoas que poderiam ser.
Stiles pensou muito. Ele olhava para Lydia de um jeito estranho e um pouco suspeito.
- Stiles, você sabe o que Lydia tá passando?
P.O.V Stiles
FlashBack ON
Eu tinha voltado para delegacia e fui ajudar meu Pai nos casos. Fui até sua direção para falar com ele.
- Oi pai, precisa de uma mão?
- Por enquanto não filho. Qualquer coisa te chamo. - Eu respondi com a cabeça um "Sim".
Fui me sentar numa poltrona e peguei meu celular. Digitei "beinchi", mas Nada apareceu.
- Talvez se escreva B  A N S H E E - Alguém me disse. Olhei para o lado, mas não existia ninguém.
Enfim, digitei " Banshee". Apareceram muitos resultados, mas cliquei no da Wikipedia.
Existiam vários tópicos, mas fui diretamente em lenda. Li e gelei.
[...] As banshees eram como seres que previam a morte. Seu grito poderia ser ouvido a km de distância e poderiam estourar até mesmo um crânio [...]

" [...] Seu grito poderia ser ouvido a km de distância [...] "

Lydia grita muito alto e as vezes as pessoas que estão mais longe escutam.

[...] Eram Como seres que previam a morte. [...]

Na aula, quando Lydia gritou na apresentação do Trabalho, ela falou alguma coisa em outra lingua. Eu gravei, sem ninguem saber.
Lydia falou em grego. Sua tradução é " alguém vai morrer".


Lydia é uma banshee.
FLASHBACK OFF
P.O.V Allison
- O que está acontecendo com Lydia?
- Lydia é uma banshee. - Stiles disse.
- Oi? - Lydia disse. - O que é beinchi?
- Pelo que ta escrito aqui - Disse Hanna com seu iPhone na mão, no site da kiwipedia - Fala que elas provem da familia das fadas. Prevem mortes e seu grito pode ser ouvido a km de distância.
-  Isso não existe. - Rose resmungou.
- Ah, claro. Se não existisse, um ser diabólico que vive numa sala também não existiria. - Scott defendeu.
-  Só precisamos que acredite, Lydia. - Stiles disse.
- Eu acredito.
- Você já sentiu alguma coisa? Um pressentimento, sei lá. - Disse Emily, roendo as unhas de nervoso. - Vai que ajude a gente em algo.
- Eu acho que não.
- Por que gritava no meio das aulas, Lydia? - Rose perguntou
- Eu gritava porque...
- Por que você gritava, Lydia?
- Rose, tá deixando ela nervosa. - Emily disse.
- Para de causar pressão nela. - Stiles falou.
- Porque alguém vai morrer. - Ela disse botando as mãos na cabeça como se não agüentasse mais.
- Ela tá nervosa por causa disso.
- Calma Amelia! Talvez  fazendo isso a gente consiga a resposta. - Rose implicou.
-Da pra parar de tratar a minha irmã assim?-Disse Amy, gentilmente.
-Se ela fizer algo útil.
-Quer dizer que a minha irmã é inútil?!
- Talvez.
-E o que você fez? Ficou chorando na cama como um bebê sem chupeta!
-Ta chega! Essa não é a questão - Disse Emily.
-A questão, é que vocês não estão fazendo NADA para deter esse demônio ok? Eu não quero que a minha vida passe perigo!
-Bom, então você está ferrada, porque desde o momento em que veio para a festa do pijama, você tá incluída, você querendo ou não!- Disse Amy, alterando o tom de voz.
-Desde o momento em que eu te conheci eu me ferrei!
-Eu sei. Mas o que pode fazer se foi tão burra ao ponto de ir falar comigo?
-Eu não sou burra! Você é ridícula!
-Eu? Olho quem fala. A menina que se apaixonou pelo professor!
O silêncio reinou na sala.
Assuntos desse tipo, nunca eram discutidos entre eles.
-Bom, de onde a gente tinha parado mesmo?-Perguntou Hanna, querendo acabar com aquele clima estranho.
-Sobre a Lyds- Disse Scott.
-Na verdade, o assunto está encerrado, parem de perturbar ela.- Disse Stiles.
-Ok, temos provas o suficiente para decidirmos quem é essa pessoa?- Disse Emily.
Stiles e Lydia (os mais inteligentes naquela porra) trocaram olhares significativos.
Os dois pareciam que sabiam quem era, só não entendi porque não falavam.
-Tá, pelo visto vocês sabem né Lyds e Stiles?
Os dois trocaram mais olhares significativos.
-Stiles e Lydia, quem é essa pessoa que esse demônio está perseguindo?!-Disse Amy, com um tom de voz impaciente.
-Nós acreditamos, que seja
a Clara.-Disse Stiles, e Lydia concorda com a cabeça.
-Ué, porque?- Eu disse.
-Primeiro, que só podia ser um dos nossos pais...
-Segundo, bom... eu não tinha contado para vocês...Quando a Lydia estava num mani...no Radley, o Matt teve um negócio e, bem... quase matou a Clara. Acreditamos que o tal "Demônio" estava possuindo ele, para matar a Clara.
Todo mundo entra em choque.
Um trovão passa pelo céu de Rose Bills.
- É só uma teoria - Disse Lydia. - Não temos certeza de nada.
A tempestade fica cada vez mais forte e intensa.
- Gente, acho melhor irmos pra casa. Tá chovendo muito.
- É verdade. - Stiles disse.
- Allison, pode vir aqui? - Scott fala e eu sigo ele. Ele não falou muito comigo nessa noite, o que é muito estranho.
- O que foi? - Falo com ar de preocupação.
- Saiu com o Isaac hoje?
- Não! Por quê?
- Você tava com ele no shopping hoje.
- Não, ele só apareceu, tipo do nada.
- Allison, se você tá gostando dele fala agora.
- Scott, se você não tem confiança em mim, acho melhor dermos um tempo.
- É verdade.
- Até depois. - Ele vai até Stiles e os dois vão embora. Em pouco tempo o quarto estava vazio, com somente Lydia na minha frente.
- Allison! Acorda! - Lydia diz e eu acabo abraçando ela e limpando as lágrimas que começaram a cair agora na blusa dela. - O que foi?
- Eu discuti com o Scott. Nós demos um tempo. - Ela olha pra mim com cara de tristeza e limpa minhas lágrimas.
- Calma, linda. Muitos casais dão um tempo. Não precisa chorar. Você é linda, e ainda mais, uma gata! Para de ser sofredora, isso não combina com você. - Eu rio. Já não chorava mais  - Tá afim de ver The Vampire Diares?
- Por que não glee?
- Pode ser! - Ela me dá a mão e vai me puxando até a sala, onde cantamos todas as músicas que nem idiotas.
P.O.V Emily
[DEPOIS DE 2 HORAS]
Eu dormia tranquilamente quando ouço um barulho vindo do quarto das garotas. " É só o vento", eu dizia para mim mesma, então virei para o lado para tentar dormir. Passou se um tempo e o barulho ficava cada vez mais alto, e com isso decidi sair da cama e ir ver o que estava acontecendo. Botei meus pés na minha pantufa e um roupão e fui até o quarto das garotas.
Chegando lá me deparo com um garoto de cabelos castanhos claros, mexendo nas coisas de Amy. Sem ele ver, pego o taco do Stiles e vou até o garoto. Ele me vê, tira o taco de mim  e atira na minha direção. Eu desvio, e quando vou pega - lo novamente, o garoto some. Olho pela janela que estava aberta e vejo o garoto saindo pela janela, abrindo um sorriso sedutor para mim.


Notas Finais


Enfim, é isso! Falta só mais 2 capítulos pra a primeira temporada acabar, então as respostas estão vindo lentamente hahahah!
Muito obrigada por ler! Comente o que achou pra nós, isso ajuda muito!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...