História The Name of Destruction - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~SophiaMatsukaze

Postado
Categorias 2NE1, 4Minute, B.A.P, Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Bang Yongguk, Chanyeol, Cl, Daehyun, Himchan, Hyun A, J-hope, Jimin, Jin, Jongup, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Tao, V, Youngjae, Zelo
Exibições 52
Palavras 4.585
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Me atrasei para postar de novo ;-;
Mil perdões de verdade eu estava com um mega bloqueio, por mais que a história já esteja escrita e seja basicamente postar quando vou passar do caderno para o computador eu edito muito, mudo muita coisa (sim eu escrevi tudo a mão kkkk)
Bem para compensar eu fiz um leve lemon nesse capítulo <3 espero que gostem não sou muito boa com isso heheheh
Nos vemos lá embaixo sushis ^-^

Capítulo 7 - Sister?


Fanfic / Fanfiction The Name of Destruction - Capítulo 7 - Sister?

11 de maio, 1862 - Wu Yi-fan

As ondas estavam cada vez maiores, o vento empurrava o bote em várias direções.

Segure-se - Falei para Elisabeth - Espero que isso passe logo.

A tempestade já persistia a muito tempo, estávamos totalmente molhados, com nossos trajes grudado em nosso corpo.

Yi-fan - ela apontou para uma região no mar - É o barco de meu pai.

Ela tinha razão, a embarcação do capitão William estava à algumas milhas a nossa frente, também sendo castigada pelas ondas ferozes do mar. Nosso barco balançava para lá e pra cá, então eu puxei a mais nova para meus braços, para não cairmos no mar. Não durou muito e o grande navio foi derrubado por uma imensa onda.

Nãooo! - Ela gritou a plenos pulmões.

 

~-~-End-~-~

Pode repetir por favor? - Lay pedia pela décima vez, após o aparecimento de sua suposta irmã nos dirigimos para seu escritório - Quem é você?

Sou sua irmã - ela estava em pé de braços cruzados na frente da escrivania de Lay, só estávamos nós três na sala - Zhang Ninra…

Como? - ele estava confuso - Sou filho único.

Nossa mãe se afastou para o conselho - ela começou a explicar com um suspiro - Quando fez isso estava grávida, ela nunca contou para nosso pai com medo que ele achasse que só fez isso para ele voltar com ela.

Então você é uns 5 anos mais nova que Lay? - perguntei, intrometendo-me na conversa.

Sim - Ela olhou para onde eu estava, no sofá de estampa escura - acabei de completar vinte anos de idade.

E por que você está aqui?

Nosso pai morreu - ela voltou-se para Lay - Nunca tive a chance de conhecê-lo então quero pelo menos conhecer meu irmão…

Agora que já me conheceu - ele se levantou e caminhou para as portas duplas do escritório - Pode retornar para o conselho e me deixe com meus afazeres.

Mas…

Lay! - repreendi, normalmente ele é acolhedor e jamais expulsaria alguém assim.

Não desejo nada que venha de minha mãe - ele começou a sair da sala - Então retorne para aquela mulher e me deixe cuidar de meu bando.

~-~Penellope~-~

 

-Então nesse mundo de seres mágicos só tem garotos bonitos ou é impressão minha - Perguntei para Taehyung que estava sentado ao meu lado no banco - Porque esses feiticeiros são bem gatinhos…

Ele riu, juntamente a Jungkook que estava sentado em seu colo.

Não sei, talvez a mágica nos dá beleza - quando sorria seus olhos se fechavam - Se bem que somos lobos, não feiticeiros…

Tem razão - Me levantei, espreguiçando-me - Vou perguntar para os feiticeiros se eles tem algum segredo de beleza para me ensinar.

Eu estava caminhando em direção aos três feiticeiros, que estavam parados próximos a uma das mesas de comidas, contudo meu trajeto foi interrompido quando notei Lay sair pela porta dos fundos da mansão. Nesse momento todo o equilíbrio abandonou meu corpo me fazendo cair na grama dos fundos da mansão.

- Parabéns Penellope - exclamei baixo, apenas para mim.

- Você está bem?

Lentamente subi a vista, desde um par de tênis escuros até um lindo par de covinhas e cabelo castanho.

Não foi nada - tratei de me levantar rapidamente e espanar a grama de minha calça jeans - Eu só tropecei. Sabe, salto alto não é o melhor para andar em uma floresta...

Ele mantém um olhar curioso sobre mim, contudo desvia e segue em direção a Namjoon e jin.

Tome mais cuidado - falou enquanto se afastava.

Qual é o meu problema? Meu equilíbrio é impecável e sou centrada então por que sempre que estou perto de Lay ou o vejo viro uma aberração de salto alto.

O que é aquilo?

Alguém perguntou, então notei que havia um brilho roxo no céu estrelado. Cada vez mais forte e expandindo suas dimensões.

Isso é um carro? - Perguntei, porém ao me dar conta já era tarde demais, ele estava vindo para cima de mim porém o pânico me paralisou.

Penellope! - escutei alguém dizer, mas não consegui identificar quem.

Tudo aconteceu muito rápido, braços me envolvendo, um brilho acinzentado e então eu estava à muitos metros de onde o carro pousou.

Você está bem? - Meu salvador era um dos feiticeiros, o de cabelo loiro escuro - Você não tem instinto de sobrevivência? Aquele carro iria te usar como pista de pouso.

Ele estava rindo, então como eu ainda estava chocada só perguntei:

Qual é mesmo seu nome?

Daehyun - ele riu novamente então tirou seus braços de volta de mim.

Você se machucou? - Lay chegou correndo ao nosso lado, seu olhar era preocupado - Sorte que temos um feiticeiros que consegue se teletransportar se não você já era…

Normalmente sou uma garota de muitas palavras, contudo ter uma chuva de carros em sua cabeça pode tirar as palavras até mesmo de um radialista hiperativo.

Chaerin? - O feiticeiro que havia salvado minha vida perguntou para a figura loira vestida com roupas cheias de penduricalhos prata - O que está fazendo aqui?

Bem eles precisavam de uma carona - apontou com o dedão por sobre o ombro - Fiquei feliz em ajudar.

Hyung - O mais alto de todos, com cabelo acinzentado saiu com uma pequena garotinha nos braços, foi em direção a um dos três primeiros feiticeiros, Yongguk - Ela não está bem, será que é pela falta de lobisomens?

O garoto de cabelos escuros e grandes lábios tomou a garota em seus braços e perguntou para Lay - Tem como nos ajudar?

Notei que com toda a agitação End tinha saído novamente da mansão, seguida pela suposta irmã de Lay.

Sem dúvidas- O líder da alcateia falou veementemente - Venham comigo.


 

~-~End~-~

 

Quando meu tio era o líder provavelmente ele não aceitaria Maya conosco, já tinha adotado uma criança que não pertencia ao bando, eu, e com isso muito dos integrantes duvidaram de sua liderança, mas agora com Yixing sendo o novo líder as coisas mudaram, provavelmente Yongguk irá me acusar de negar ajuda para a pequena.

Eu posso ajudar? - minha mais nova prima perguntou, após Lay ter saído do escritório tive uma pequena conversa com ela, na qual descobri que ela não era tão ruim assim, era bem simpática e gentil - Sou pediatra oficial do conselho, posso cuidar dela.

Seria minha melhor chance de me redimir com Yongguk.

Vem comigo - puxei-a para dentro da mansão.

 

-~-Kris-~-

 

Falou com ela?

Mas é claro - Hyuna estava sentada em cima de uma viga no topo do prédio, nosso local de reuniões - Implantei dúvidas na cabeça dela, e pelo que percebi, ela vai se entregar.

Isto é ótimo - afastei um pouco de meu cabelo que caiu sobre meus olhos devido ao vento de início de inverno.

Mas há um problema - ela pulou de onde estava, pousando com graça e leveza em minha frente - Aquela amiga humana contou aos outros, provavelmente vão tentar impedir sua lobisomem de vir…

Então teremos que nos livrar dessa mundana…

Pode deixar que eu cuido disso - ela piscou então alçou vôo, sumindo por entre as nuvens nubladas que indicavam que nevaria em breve.

 

-~-Lay-~-

 

Por quanto tempo ela ficou afastada de lobisomens? - Perguntei para Yongguk, que respondeu que não foi por um longo período - Ela irá ficar bem, só precisa descansar e ficar aqui por uns dias, a simples presença de um lobo vai ajudá-la.

Mais uma vez obrigado - ele agradeceu enquanto inclinava a cabeça humildemente.

Vocês feiticeiros irão cuidar da segurança de meu bando, era o mínimo que eu poderia fazer para retribuir suas barreiras de proteção.

Com licença - End estava parada na porta do quarto onde estávamos - Ninra é pediatra, ela gostaria de dar uma olhada em Maya.

Notei que ela evitava o olhar de Yongguk e se concentrava exclusivamente em mim.

Já falei que não quero nada dela - minha suposta irmã apareceu, logo atrás de minha prima, seus cabelos castanhos agora presos em um nó alto no topo de sua cabeça.

Por favor - Yongguk exclamou, chamando minha atenção - Eu sou o responsável por Maya no momento, e se ela pode conferir se ela está bem de fato eu gostaria disso.

Você não será mais o responsável por ela - falei, não poderia deixar essa criança sem lobos por perto - Ela é uma lobisomem e pelo que soube perdeu seu bando. Normalmente isso é contra as regras mas… Eu gostaria de recebê-la em nossa alcateia.

A princípio o feiticeiro ficou pasmo porém entendeu a situação.

Obrigado - ele olhou meio irritado para End, após agradecer - Mesmo assim eu ainda gostaria que uma profissional desse uma olhada nela…

Está bem - aceitei contrariado - Mas é apenas para nos certificar de que ela não corre riscos e se existir levaremos a pequena para um curandeiro de confiança.

Ninra adentrou o quarto rapidamente, carregava consigo uma pequena maleta de couro escuro. End se recostou na parede do quarto da mansão que eu havia escolhido para o repouso da jovem e Yongguk ficou ao lado da cama de casal, acompanhando os procedimentos.

Yongguk- chamei antes de me retirar completamente - Amanhã iremos discutir sobre a guarda da menina, se você desejar ser o responsável por ela tudo bem, mas ela terá que viver aqui ou próximo.

Obrigado - foi tudo o que ele disse, provavelmente mesmo que significasse que ele nunca mais a veria ele o faria sem nem pensar, apenas para mantê-la a salvo. Levando em conta o pouco tempo que ele a conhece se apegou muito depressa.


 

-~-End-~-

 

Ela ficará bem - Ninra falou após os simples exames - Por sorte não ficou por muito tempo afastada dos lobisomens.

Obrigado - Yongguk falou aliviado, então acariciou os cabelos da menor que ainda dormia na cama.

Logo ela vai acordar, provavelmente seu corpo ficou cansado pelo esforço de se curar do machucado na perna - ela sorriu docemente enquanto guardava o estetoscópio juntamente com sua caneta lanterna em sua maleta - E por falar nele, se ela permanecer aqui em uns dias já estará completamente curado.

Ela caminhou em direção a porta ao meu lado. Acho que seria inteligente eu me retirar do cômodo, Yongguk ainda parecia estar furioso pelo fato de eu ter recusado ajuda-la antes, e agora que Lay basicamente insistiu para que ela ficasse…

End - o feiticeiro me chamou quando estava deixando o quarto.

Sim?

Por que não queria ela aqui?

Não é isso - suspirei - Quando eu falei que o bando não aceitaria ela aqui, meu tio ainda era o líder, mas agora sendo meu primo… Ele não deixaria uma criança morrer, não sei se os outros integrantes concordam mas se não o fizerem Lay é capaz de mover montanhas para deixá-la aqui.

Sim, ele foi muito gentil quanto a isso - Então seu tom mudou para ríspido com a próxima frase -  Já quanto a você… Não posso dizer o mesmo

Não é culpa minha Yongguk!

Ele se levantou da cama, onde tinha ficado sentado observando os exames durante todo o tempo.

Você nem ao menos tentou!

Antes que pudéssemos repensar nossos tons de voz um leve gemido foi escutado da cama, Maya estava acordando.

Melhor você sair, sua gritaria não ajuda o processo de cura dela…

Em primeiro lugar, nossa gritaria - aproximei-me dele, até eu ser obrigada a olhar para cima devido a sua altura - Em segundo, minha voz pode até não ajudá-la mas minha presença de lobisomem ajuda.

Me aproximei de Maya, ela ainda estava inconsciente mas se movia um pouco, isso é bom até então ela estava inerte. Não queria discutir com Yongguk e já me sentia horrível o suficiente por não ter ajudado antes, então no lugar de me retirar do quarto como normalmente eu faria, acaricie os cabelos castanhos dela e falei palavras de conforto.

Se quiser pode voltar para a reunião lá embaixo e comer algo - sugeri sem olhar para ele - Só vou ficar aqui para ajudá-la.

Não - Ele me indignou.

Olhei para ele esperando encontrar uma carranca pelo meu contato com ela porém ele estava com um olhar surpreso, mas tinha algo a mais no olhar castanho dele, algo que não consegui identificar.

Não vou fazer nada com ela - falei, pensando que ele poderia achar que faria algum mal para Maya - Só quero ajudar…

Não vou pois quero ficar aqui - ele se aproximou, agora ficando ao meu lado - Não porque não confie em você, mas porque estou surpreso com sua determinação de ficar aqui para ajudar. Quero apreciar  isso.

Sei que não sou a pessoa certa para esperar ações boas e altruístas - falei de cabeça baixa - Porém não desejo o mal para ninguém…

Acredito em você, End - ele falou seriamente - Você não é má.

As pessoas pensam que eu sou, que irei matar a todos.

São todas idiotas - ele falou como se não fosse nada - Estão te julgando sem conhecer.

Você também não me conhece. E me julgam por minha maldição.

Maldição?

Quando eu nasci, alguns oráculos falaram que eu mataria a todos que amo, depois de meus 21 anos.

E quantas pessoas você já matou?

Nenhuma - pensei um pouco - Na verdade eu não sei…

Como assim?

Quando eu era muito nova… Bem meus pais morreram em um acidente de carro, porém muitos dizem que na verdade fui eu.

Ele simplesmente riu, como se eu tivesse acabado de contar uma piada.

Me desculpe - falou ainda rindo - Mas é que não imagino uma criança matando os pais, ainda mais você.

Eu não me lembro daquela época - Confessei enquanto tentava me lembrar ao máximo dos meus 4 anos de idade - E se eu realmente tiver matado eles? E se minha maldição for real? É melhor eu me entregar para Kris de novo para manter aqueles que eu amo a salvo.

Nem pense em fazer isso - ele falou sério - Se entregar para aquele vampiro não vale a pena, e além disso, você nem sabe se essa maldição é real.

Foi o oráculo do conselho e ele nunca erra.

Sempre tem uma primeira vez, além disso, já faz o que...? Uns 20 anos que ele disse isso, o futuro não está prescrito, ele se altera, podemos investigar e ver se isso é verdade.

Meu tio tentou - falei sem esperanças - ele procurou muito uma solução para mim…

Hey - ele segurou meus braços, e olhou para meus olhos, era como se ele olhasse para minha alma - Sempre é  possível quebrar as maldições, veja as princesas da Disney por exemplo, um beijo de amor verdadeiro acordou a bela adormecida.

Você parece o Jin - falei lembrando do mais velho instantâneamente - Falando das princesas…

Então pergunte para ele, tem várias formas de quebrar maldições, ser beijada por um cavaleiro montado em um cavalo branco, alguma poção - ele apertou um pouco mais meus braços - Seja o que for, vou te ajudar a descobrir.

Você quer me ajudar?

Mas é claro, vamos fazer isso juntos - ele sorriu - Está bem?

Realmente sentir esperança pode ser algo que destrói a alma, contudo nesse momento a esperança acendeu uma pequena chama em meu peito, me deixando tão animada que eu sorri tanto quanto o mais velho.

Bangu!

Olhando por sobre o ombro notei que Maya havia acordado e estava esfregando os olhinhos com as costas da mão.

Oi pequena - ele falou, me soltando e sentando-se ao lado dela - Viu quem está aqui também? End me disse que estava com muita saudade de você.

Sim estava - falei tentando ser gentil.

Está com fome? Zelo, Jungup e Yongjae lhe deram comida?

Deram sim, Bangu - ela falou sorrindo - Eu adoro eles! Principalmente a fada Sa.

Fada quem? - Perguntei, extremamente confusa.

Fada Sa… Vou ter que falar com Jungup sobre isso…

 

~-~Penellope~-~

 

Então vocês são feiticeiros também? - Perguntei para os três meninos que desceram do carro com a garotinha e a linda mulher, estávamos reunidos em uma das salas da mansão.

Somos sim- O menino… Feiticeiro… vou chamá-lo de girafa, mais prático, ele deveria ter fácil 1,80 de altura. E era de uma aparência extremamente fofa e inocente - O que você faz aqui no bando de lobisomens?

É a namorada de um deles? - O ruivo perguntou.

Bem que eu queria - falei rindo - Estou cercada de caras bonitos, por falar nisso, vocês tem algum truque mágico para serem tão bonitos?

Acho que não - O terceiro feiticeiro que desceu com eles do carro respondeu - Onde a Cl está, Yongjae?

Não sei - O ruivo falou.

É aquela menina que estava com vocês?

Sim sou eu - ela se aproximou calmamente, com os penduricalhos de sua roupa tilintando ao ritmo de seus passos - Soube que meu motorista quase pousou em cima de você.

Foi por pouco - ri ao lembrar do ocorrido - Mas aquele menino, Daehyun me salvou.

Ela sentou-se ao meu lado no sofá.

Adorei suas botas!

Obrigada - ela agradeceu gentilmente após meu elogio - Meu amigo, G Dragon quem as projetou. Você quer um par?

Eu adoraria! Ele tem alguma loja ou coisa do tipo?

Então sem aviso ela agitou os dedos, o mesmo brilho que envolvia o carro na queda surgiu e quando o mesmo desapareceu em suas mãos estavam ambas as botas rosa escuro com detalhes pratas.

Isso pouparia muito o meu tempo, de ter que ir nas lojas e esperar na fila para poder pagar.

Sim - ela sorriu - Magia facilita muito a vida.

Facilita mesmo - o menino de cabelo rosa claro respondeu.

Jungup hyung - o menino girafa chamou o de cabelo rosa.

Sim Zelo?

Você viu os outros?

Yongguk está com a Maya - a pergunta, mesmo dirigida a o feiticeiro de cabelos rosa foi respondida pelo ruivo - Do jeito que conheço Daehyun deve estar comendo e Himchan eu faço a menor ideia.

Seguimos conversando por mais um pouco, mesmo sendo tarde da noite eu não sentia nem um pouco de sono.

 

-~-~Lay~-~-

 

-Yixing!

- Eu pedi para você ir embora- respondi para, Ninra - Não te quero aqui.

- Eu não vim apenas pela morte de nosso pai…

- Meu pai - interrompi - Você nem ao menos o conheceu.

Ela abaixou a cabeça e por um momento me perguntei se não tinha sido duro demais. Normalmente não sou assim, mas pensar tudo que minha mãe fez com meu pai me deixa irado.

Desculpe…

Está tudo bem, Yxing - ela olhou para o quadro na parede da esquerda do corredor, a pintura de uma linda floresta, com folhas extremamente verdes - Eu entendo, mas como disse não vim apenas para um encontro familiar, vim com notícias do conselho.

O Conselho? - Cada raça tem seus representantes no conselho e não era diferente com os lobisomens, há 4 representantes, que são obrigados a comparecer nas reuniões e representar os 4 principais bandos de lobisomens, meu pai era um deles é agora esse cargo é meu, o que significa que passarei mais tempo com minha nada querida “mamãe” - É sobre eu ter que ser um representante?

Sim e não - ela remexeu a cabeça - Eles me mandaram aqui por isso mas principalmente para falar sobre a maldição de nossa prima.

A maldição dela? Pensei que esse assunto estivesse encerrado desde que ela era jovem, eles concordaram em deixá-la viver e se ela demonstra-se ser boa não incomodariam sobre isso…

Eles querem matá-la, Lay.

Querem me matar?  - Nesse momento End decidiu aparecer, ela veio por minhas costas, por isso não percebi sua presença.

Não, tenho certeza que não é isso - tentei acalmá-la.

Vocês estavam errados, é melhor sim eu me entregar para Kris, pois se vão me matar, que pelo menos eu morra para o vampiro deixar vocês em paz.

Então ela se virou e seguiu para seu próprio quarto.

End…

Yixing, ela precisa de um tempo…

Não! Ela pode fazer coisas estúpidas!

Sai correndo para meu quarto, foi tantos acontecimentos em tão pouco tempo, que não estou sabendo lidar com tudo isso, não tenho um líder comigo para me guiar e me ensinar. Não sei que caminhos tomar, talvez eu não devesse ser o novo líder.

 

~-~Namjoon~-~

 

- Dia difícil, não é? - Jin falou quando me viu caminhando por nosso quarto.

- Um pouco - decidi me deitar ao seu lado em nossa cama.

Nosso quarto seguia o padrão do resto da mansão, móveis antigos e escuros, porém com algumas pequenas modificações feitas por meu amado.

Estou sentindo que algo muito ruim vai acontecer - confessei quando o abracei, repousando minha cabeça em seu peito, escutando seu coração que batia no mesmo ritmo que o meu, desde que nos vinculamos.

Estamos passando por um momento difícil - ele iniciou um cafuné em minhas mechas rosas - Tem falado com Yoongi? Ele te ajuda nesses momentos.

Ele estava um tanto estranho hoje, provavelmente também está preocupado - suspirei, pensando que fazia muito tempo desde que tínhamos sido felizes e sem preocupações - Mas vou falar com ele amanhã. Agora eu só preciso de uma coisa.

Levantei um pouco minha cabeça para olhá-lo nos olhos.

Do que precisa - então ele sorri, tão docemente como sempre - Me diga para que eu possa providenciar para te ajudar.

De você - iniciei um beijo calmo.

Suguei sua língua, lentamente. Não é necessário se ter pressa quando se tem a pessoa amada em seus braços.

Jin me surpreendeu quando começou a tirar minha camiseta, logo sua mão tinha total acesso para ir e vir entre minhas costas e peito. Não tardei e fiz o mesmo com ele, arrancando fora o moletom rosa.

Eu adoro tanto seu corpo - falei com meu rosto aninhado em seu pescoço, comecei a distribuir selares até seus mamilos.

Lhes dei total atenção, dando prazer para o mais velho. Proporcionar prazer para Jin era muito melhor do que receber uma carícia,  pois o prazer dele era o meu.

Namjoon.

Ele arfava meu nome enquanto puxava meu cabelo e crava as unhas da outra mão em meu ombro.

O que foi meu amorzinho - lancei um sorriso malicioso pra ele - Não gosta disso?

Mordisquei seu mamilo enquanto dava atenção para o outro.

Claro que sim - Sua voz falhou devido a um gemido - Mas...

O que docinho? - falei, cada vez deixando o toque mais suave e lento, meu objetivo era fazer ele implorar por mais.

Eu quero mais, Namjoon - ele gritou desesperado.

Como quiser meu amor - comecei a intensificar as coisas, chupando e alternando de um para o outro.

Logo ele chegaria ao ápice, então diminui a intensidade e comecei a descer por sua barriga, lambendo e chupando por entre beijos. Ele gemeu frustrado devido a diminuição brusca do ritmo, contudo ele vai aprender que a antecipação para o prazer é tão boa quanto o mesmo.

Cheguei ao seu umbigo ao qual circulei com minha língua e então soprei, ele riu levemente devido a sentir leves cosquinhas por isso, amo o som de sua risada. Baixei os selares até me deparar  com o cós de suas calças jeans. Abri o botão e o zíper, revelando uma boxer rosa claro.

Foi a que eu te dei em seu aniversário - comentei  enquanto retirava totalmente sua calça, a visão de suas lindas pernas só fez meu membro estremecer  como um monstro querendo se libertar e encontrar alívio na entrada do loiro.

Foi sim - ele gemeu e me observou por olhos quase cerrados devido às sensações de prazer - É minha preferida.

A minha também - comecei a retirar a cobertura rosa - Mas ela vai ter que sair.  

Me diverti acariciando o membro do mais velho, escutando seus gemidos de prazer e os fortes puxões em meu cabelo. Não consegui me controlar por muito tempo. Sai da cama apenas para retirar o resto de minhas roupas e já retornei para cima do corpo do menor.

Você é maravilhoso - passei minhas mãos por seu tórax, nossos membros estavam juntos, cada vez que respiramos os movimentos faziam uma deliciosa fricção - Seu corpo me enlouquece.

Eu adoro seu cheiro Namjoonie - ele falou manhoso, referindo-se ao meu cheiro característico de vinculação. Os machos vinculados marcam o corpo de seus parceiros com essa misteriosa fragrância para todos saberem quem vai atrás deles se tentarem algo com seus amados - Por favor… Anda logo…

Você é tão impaciente Kim Seokjin - comecei a nos unir no mesmo momento que dei início a um beijo urgente, alternando entre sugar sua língua e mordiscar seus fartos lábios.


 

~-~Jin~-~

 

Namjoon se inseriu devagar em mim, devido ao seu tamanho. Suas proporções seriam capazes de  humilhar até mesmo o Empire State.

Tão apertado - ele gemeu em meu ouvido, causando calafrios por todo meu corpo.

Então ele estava totalmente dentro, não tardou e iniciou os movimentos de vai e vem. Lentamente e aumentando a velocidade gradativamente.

Gemidos de ambas as partes cruzavam nosso quarto. A cabeceira da cama batendo na parede, devido ao ritmo forte e constante do moreno.

Namjoonie - clamei por seu nome.

Jin - gemeu ao pé de meu ouvido novamente.

A fim de intensificar as sensações enlacei o maior com minhas pernas, o aprofundando em mim. Isso fez ele acertar um lugar sensível em mim.

Gemi tão alto que por um nano segundo pensei que as outras pessoas na mansão poderiam escutar, mas logo me distrai por mais golpes no lugar divino.

Eu arranhava fortemente as costas de Namjoon, deixando marcas para todos saberem que ele era meu, e o mesmo o mais novo fazia comigo, espalhando aquele cheiro apimentado secreto por todo meu corpo, aquela fragrância estaria por tudo, desde meus cabelos até em meu interior onde Namjoon começou a depositar seu magnífico líquido em mim.

Eu te amo - gritamos ao mesmo tempo em que chegamos ao ápice juntos.

Meu gozo estava espalhado por meu peito e Namjoon o lambeu, fechando os olhos enquanto saboreava. Eu sentia a umidade onde nossos corpos se uniam, era tão quente e de uma textura incrível.

Acho melhor tomarmos um banho antes de dormir - Ele falou ainda ofegante, o que me animou.

Concordo…

Eu mal conseguia respirar, apenas sentia nossos corações a mil. Ele se retirou de mim e me pegou no colo com facilidade, nos levando para o banheiro de azulejos brancos com detalhe azul marinho. Obviamente tivemos  prazer durante o banho, e após repetirmos ele lavou meu cabelo, ensaboou todo meu corpo e depois enxugou. Para ele cuidar de mim era automático, assim como piscar e respirar. Características de macho vinculado. Então ele me pegou novamente, me levando para a cama que não passava de uma bagunça de cobertas.

Boa noite sol - ele sussurrou em meu ouvido enquanto me abraçava por trás.

Boa noite lua - respondi como era nossa característica, ele era a lua pois possuía uma pele morena e grande maioria dos integrantes do bando o chamavam de Rap Moon. Já eu era o sol porque Namjoon disse que minha alegria era tão brilhante como o sol, assim como minha beleza entre outros, esses foram seus votos de casamento comigo.

Então dormimos abraçados e descobertos, devido ao calor compartilhado de nossos corpos. Podendo por fim descansar calmamente com a presença um do outro.


Notas Finais


Espero muuuuito que tenham gostado!
De verdade muito obrigada pelos favoritos e comentários vocês são muito lindo, de verdade merecem sushi e toddynho ^-^
Até o próximo e não esqueçam de comentar o que acharam e se quiserem pedir para eu colocar algum k-idol que vocês gostem podem pedir, pois eu tenho que compensar vocês pelos atrasos, mais uma vez desculpa ;-;
Enfim beijinhos até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...