História The Name of the Game - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun
Tags Baekbiassed, Baekyeol, Chanbaek, Chansoo, Chenbaek, Hunhan, Kadi, Kaisoo, The Name Of The Game, Universo Alternativo
Exibições 57
Palavras 3.964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Isso não é uma pausa na fic kkk tem capítulo sim. É um capítulo mais leve (eu acho).
Revisei igual meu nariz, mas espero de coração que gostem. ♥
Ah, talvez eu logo atualize Scourge e traga o último capítulo de A Maldição do Imperador e uma OS baseada em uma música, vai depender do meu tempo livre e logo estarei de férias dos meus estudos, pelo menos, mas final de semestre sempre fica difícil, paciência. ♥
Propaganda de leve: to betando Acrisolar da Cerymor, por favor, deem muito carinho à ela e sua primeira fanfic. É sasusaku, pra quem gosta, tipo eu. ♥
Nos vemos nas notas finais.

Boa leitura.

Capítulo 7 - Pause


Kyungsoo prometeu à Chanyeol não dizer nada ao amigo sobre o Park estar jogando no time de basquete com o Wu, só temia o que poderia acontecer se Baekhyun descobrisse antes de Chanyeol contar a ele, especialmente quando contasse wue sua intenção era o proteger do chinês, já que detestava que o defendessem sem que pedisse tal ajuda; e também a reação do amigo ao saber que escondera isso de si.

Não se lembrava da última vez que escondera algo do amigo. Era raro guardarem segredos um do outro. O Do foi o primeiro a saber que Baekhyun era gay, o primeiro a saber que o Byun estava interessado em Kris; foi o primeiro a saber de seu beijo.

Baek também foi o primeiro que soube da sexualidade de Kyungsoo e o apoiou a contar à mãe, que era quem o criava já que os pais eram separados e seu pai vivia viajando à trabalho; foi o primeiro a saber quando Do tomou coragem e contou ao pai a verdade e a saber que ele estava se interessando por um garoto hétero do time de basquete.

Lhe doía de verdade ter que segurar a língua por duas ocasiões quando, na verdade, queria ver seu amigo feliz e contente por ter Park por perto especialmente por este se disponibilizar a o proteger e fazer com que Baek tivesse espaço para respirar dentre tantas provocações e provações.

E por outro lado, Kyungsoo também se questionava sobre aquela sensação estranha ao olhar o sorriso do Park. Notou que ficava nervoso quando este sorria, talvez pelos sorrisos de Chanyeol serem algo tão raro e bonito, ainda não se havia acostumado a eles.

- Como pretende contar a ele? Já pensou?

- Ah, talvez quando a gente ficar mais próximos eu faça isso. Não quero brigar com ele agora. - Park respondeu e riu, fazendo Kyungsoo rir também.

Ambos caminhavam lado a lado, dizendo uma coisa aqui e outra ali, se conhecendo melhor. Até que ocorreu à Chanyeol saber sobre algumas coisas que talvez Kyungsoo pudesse lhe dizer.

- Quer tomar um café? Na cafeteria aqui em frente à escola. - Chanyeol disse. - Queria que me dissesse algumas coisas.

- Sobre?

- Baekhyun.

- Olha, não sei bem se posso falar…

- Por favor, eu preciso saber porque eu tenho receio de perguntar a ele. Não tocamos no assunto ainda e eu o sinto um pouco distante de mim. Ainda me sinto culpado por tudo, mesmo que eu não tenha culpa.

E Baekhyun sente o mesmo por mais que não demonstre, pensou Kyungsoo.

- Ta bem. - Respondeu e foram em direção à saída em silêncio.

Fizeram seus pedidos enquanto falavam banalidades e assim que ele foi entregue, sentaram-se em uma mesa afastada de um grupo de sua escola e ao lado da janela.

- Muito bem, o que quer saber do Baekhyun.

- Queria saber… o que ele sofreu na minha ausência… Ele tinha tantos amigos, achei até que ele ficaria bem sem mim.

O Do bebericou o chocolate quente, sua bebida favorita, e suspirou antes de falar.

- Realmente ele tinha muitos amigos antes de se assumir… Ele era até popular no fundamental dois, sabe? Muitas meninas gostavam dele, os meninos queriam ser seus amigos. Ele sempre foi gentil e companheiro pra toda hora, de qualquer pessoa, mesmo com os trocadilhos bestas e os palavrões que solta às vezes.

- E como descobriram sobre ele?

- Bem, ele se assumiu pra alguns amigos próximos, incluindo eu, mas ninguém acreditou. Aí outros alunos pegaram ele com o Kris no banheiro da quadra na antiga escola. E não foi uma boa hora… - Kyungsoo comentou de cabeça baixa e quando voltou a encarar o Park, percebeu a expressão séria e o olhar focado no café com canela no copo dele. - O que foi? O Kris não te contou isso? - Perguntou já ficando preocupado.

Aquilo deixava bem claro o motivo de Kris implicar com Baekhyun e ao mesmo tempo confundia. Se Kris também havia sido flagrado, como podia ele tirar sarro de Baekhyun ou por quê ninguém fazia o mesmo com o Wu? Ah, claro, ele era um dos principais jogadores da escola, devia haver o mesmo tipo de hierarquia na escola anterior, ambas iguais à sua escola na China, quem não era popular não significava nada. E o pobre Baekhyun não se livrou do ocorrido mesmo mudando de escola. Por quê?

Além disso, um sentimento remexeu-se dentro dele, algo que o fazia querer Kris longe do Byun, não apenas pelo que aconteceu. Ele sabia que era ciúme, tinha plena consciência do que sentia pelo pequeno.

A expressão de Chanyeol fechou-se mais ao pensar o quão babaca Kris era a ponto de usar alguém - assim como muitas pessoas nesse mundo.

- Não, ele não me contou. Cretino. - rosnou.

- Cacete… Agora o Baek me mata. - Kyungsoo desesperou-se.

- Não, relaxa, eu não vou contar nada pra ele e foi bom me dizer isso porque aí eu acho que entendi muita coisa…

- Tipo o quê?

- É por isso que Kris e o resto do pessoal fala merda pra ele sobre boquete?

- É - admitiu envergonhado -. ele e o Kris já estavam saindo tinha um tempo, não sei quem foi que teve a ideia de fazer isso na escola, só que nem interessa… A vida é deles, mas quem se ferrou foi o Baek e ainda aguenta as merdas que o cara que ele gostava fala pra ele e os outros alunos também. Todo mundo aqui é cabaço idiota… eu queria poder aguentar essas coisas por ele ou o proteger, mas eu não aguento com meus problemas… o máximo que posso fazer é dar meu ombro amigo.

- E garanto que isso ajuda muito. - Chanyeol sorriu docemente ao mais novo.

Ele não sabia o efeito que começara a causar em Kyungsoo.

E Kyungsoo não sabia que aquele tempo que Chanyeol o ouvira, apenas pensava que deveria fazer mais por Baekhyun, para que a amizade dos dois voltasse a ser como antigamente. Era uma das coisas que mais desejava, uma prioridade em sua vida.

Desde o ano anterior quando, em setembro, na volta às aulas, seu pai havia anunciado que voltariam à Coréia do Sul e que estava fazendo a reforma da casa de acordo com o que a sua mãe gostaria, Chanyeol sentiu uma vontade imensa de que aquele tempo passasse logo para voltarem ao antigo lugar; no entanto, suas notas baixas seriam um problema se quisesse reencontrar o sempre estudioso e inteligente Baekhyun e completar sua meta, sua prioridade de reatar a amizade com ele.

Aquela notícia, inclusive, explicava a ausência de seu pai por uns tempos. Até pensou que eles logo lhe dariam a notícia do divórcio, devido à tantas brigas cujas ele se achava causador, mas não foi o que aconteceu.

Então estava ele ali ouvindo aquelas coisas e se tornando mais íntimo de alguém que não era Baekhyun, mas que o apoiava e ajudava.

 

A semana de provas passou e Kris pensava seriamente no que faria em todos aqueles dias, bem como o Park.

Kyungsoo ainda estava negando e estranhando o que sentia pelo mais alto, Sehun tentando apenas ser notado por seu hyung e Baekhyun e Chanyeol conversando normalmente, apesar de aquela intimidade ainda estar longe de retornar. Isso parecia ser o suficiente para o Byun naquele momento. Estava aos pouquinhos mesmo colocando as coisas em ordem dentro de si e se acostumando com a presença de Chanyeol novamente em sua vida; um Chanyeol mais velho, com experiências novas, talvez diferentes das suas.

Na última aula comum daquela segunda-feira, na qual eles estavam recebendo suas notas de língua coreana, os representantes de sala, Gangji e Haeil, ficaram à frente da sala, sobre o pequeno palco que havia ali. O professor deu a deixa para que eles falassem o que havia sido resolvido na reunião da viagem de sexta-feira.

- Bem, juntamente com a direção, coordenação e outros representantes, obtivemos as informações sobre nosso passeio ao parque Taejongdae, já incluso na mensalidade paga; aos bolsistas nada será cobrado, então podem ficar tranquilos - começou Haeil, que desceu e começou a passar por entre as fileiras entregando bilhetes que continham autorização para tal passeio.

- Exatamente. - Continuou Gangji - Lerei com vocês pontos importantes do bilhete… aqui diz que vocês devem destacar ou recortar e entregar a autorização até quarta-feira para que possam ser reservados ônibus para a viagem… se acontecer de só poderem entregar na quinta, devem falar comigo ou Haeil, deixar seus nomes e trazer as autorizações até as dez horas da noite que é quando a escola fecha, após os cursos técnicos e aulas extra curriculares.

Ela olhava constantemente para um lado da sala, o lado onde Chanyeol se encontrava. Pelo jeito, Baekhyun ainda não havia descoberto o que o Park fizera, não era grave, mas ele era orgulhoso e independente, então daria uma boa briga; quem sabe ela não acontecesse em Taejongdae.

Chanyeol ignorava os olhares da menina, quando os percebia e quando recebeu seu bilhete, olhou para trás, em direção à Baek que estava na fileira da janela e lhe sorriu, perguntando se ele iria. O Byun teve seu olhar capturado quase instantaneamente quando o outro se virou para si, uma sincronia que ele não havia percebido, mas Sehun sim. Ele sorriu e acenou com a cabeça, afirmando que iria, recebendo um convite de Chanyeol para sentar-se consigo no ônibus, convite este que foi aceito, coisa que deixou a ambos sorridentes.

A única coisa com a qual nenhum dos dois contava era com os planos de Gangji para aqueles três dias.

- Devemos estar aqui às oito da manhã da sexta-feira com todos os itens pedidos aqui nesta lista dentro da mochila, serão necessários, nada pode ser descartado ou esquecido Hana - disse Gangji já respondendo a pergunta que aquela colega de classe realmente faria, sempre ela tinha preguiça e era desleixada com as coisas que possuía, isso era um dos motivos pelos quais Gangji se irritava facilmente e evitava fazer trabalhos escolares com ela - e… lá, nos participaremos de atividades em grupos, atividades específicas.

- Lembrando que revezaremos com os outros anos, por exemplo: o primeiro ano será o primeiro a ir na trilha que há no parque, no sábado será o segundo ano e no domingo, o terceiro. - Completou Haeil.

- Exato. Assim será em todas as atividades. Terá uma pequena colheita que faremos para podermos cozinhar com o que pegarmos da plantação, também tempo livre onde curtiremos as atividades de lazer disponíveis, circuito de equipes e uma prova de coragem com obstáculos na caverna da região. Dormiremos nos alojamentos estudantis, são várias cabanas, chegando lá saberemos nossos números e blocos. Alguém tem alguma dúvida?

 

No intervalo, Baekhyun disse que iria ao banheiro, Kyungsoo aproveitou e arrastou Sehun para a mesa mais afastada do refeitório depois de ter o feito pegar a comida às pressas.

- Olha, espero que seja um treco muito urgente pra você me fazer pegar as coisas correndo assim. - Disse Sehun um pouco bravo.

- E é, eu preciso te falar antes que o Baek volte. - Respondeu depositando a bandeja na mesa e olhando ao redor com cuidado.

- Por quê?

- Eu não sei se ele vai gostar disso.

Sehun o olhou ligeiramente desconfiado.

Geralmente Kyungsoo era alguém inseguro, sempre tentava decifrar o que o amigo pretendia fazer, porque justamente a insegurança dele deixava tudo na cara.

- O que foi que você fez agora?

- Quê? Eu não fiz nada… ainda… e nem sei se vou fazer.

- Fala logo que tá me deixando preocupado caramba.

- Tá bom, tá bom! Aish… e-eu acho q-que tô gos-tando do Chanyeol - Disse num fio de voz.

Sehun arregalou os olhos encarando o amigo, meio perdido. Kyungsoo dizendo que gostava de alguém? Admitindo isso sozinho?

Nem mesmo quando ele e Baekhyun pegavam o Do encarando Jongin escondido na quadra ele admitira uma coisa do tipo. Sempre negava que estava gostando do moreno, mas dizia que seu primeiro beijo seria com o cara de quem realmente ele gostasse e não com um cara popular que sequer ligava pra ele.

Será que tinha chego a hora?

- Você tem certeza disso? - Perguntou Sehun, abismado.

- Eu disse que eu acho - respondeu o Do, com tédio por ter que repetir.

- Ok… então… por que acha que o Baek não gostaria de saber disso?

- Porque os dois ainda não voltaram à amizade normalmente, eu tenho medo do Baek implicar com o Chanyeol, não quero afastar os dois ou estragar a amizade deles e nem quero que o Chanyeol saiba ainda, quero ter certeza primeiro. Mas como? Me ajuda?

- Calma, calma, Soo… - fazendo um sinal com as mãos para acalmar o menor; tinha que terminar a conversa o mais rápido possível porque Baekhyun havia entrado no refeitório e estava na fila para pegar comida - a melhor coisa a se fazer é deixar as coisas acontecerem, pelo menos por agora, pra você ter certeza disso, entendeu?

- Sim. Tem razão.

- Caso tenha certeza do que sente, a gente vê o que você pode fazer, tá?- Tá - o Do sorriu.

- Agora fica quieto que o Baek tá vindo aí.

Kyungsoo ficou mudo de uma vez e estava corado, de olhos arregalados e Sehun sabia que o amigo não conseguiria disfarçar.

- Credo, por que vocês já não atravessaram a janela se queriam comer tão longe? - Reclamou, Baekhyun se sentando e quando olhou o amigo, sua expressão brava se tornou confusa e levemente divertida. - Soo, você tá bem?

- Sim.

- O que eu perdi?

- Nada não, Baek.

Sehun deu um tapa em sua própria testa em desgosto à tática do amigo para manter seus próprios segredos.

- O que foi que eu perdi? Vocês estão escondendo algo de mim.

- É que o Jongin olhou pra ele e o Soo quase teve um treco - disse Sehun, rindo brincalhão e ajudando o amigo.

- Ah, já imaginava - Respondeu o Byun rindo e logo em seguida se concentrando na comida, sem ver que o Do agradecera silenciosamente pela ajuda de Sehun.

 

Na saída da escola, aquele foi o primeiro dia em que Baekhyun viu Chanyeol saindo cedo. Não que fosse de sua conta, mas nos demais dias, ele observava e não havia sinal do Park.

O mais novo andava na frente, distante, sem saber que era observado por Byun. Estava indo em direção à estação de trem e resolvera que não participaria do treino naquele dia. Precisava ao menos despistar os olhares curiosos dos alunos, especialmente os do jornal da escola que ainda não sabiam dos novos jogadores; só deveriam saber no primeiro jogo da temporada, portanto o treinador pedira discrição. Chanyeol usara isso como desculpa e, além disso, precisava convencer os pais a o deixarem ir na viagem. A mãe deixaria na hora, dizia sempre que ele precisava sair e curtir, o problema seria seu pai e a mania de ele achar que o passado de Chanyeol se repetiria.

Como não avisara o pai para que este lhe buscasse, economizou na cantina para poder pegar o trem.

Assustou-se um pouco ao ouvir aquela voz conhecida chamando seu nome.

- O que tá fazendo à pé? Achei que seu pai te buscava. - Perguntou Baek chegando mais perto e caminhando lado a lado com ele.

Chanyeol diminuiu as passadas para que o outro pudesse acompanhar seus passos.

- É que hoje ele não podia vir me buscar - mentiu.

- Ah sim… você espera seu pai sempre? Por isso que não te vejo na saída?

- Sim, ele chega mais tarde, por isso eu posso enrolar lá dentro. - Brincou e Baekhyun sorriu.

O sorriso de Baekhyun era algo que Chanyeol sempre gostou de ver e cada vez que o menor sorria, seu interior se aquecia.

Andaram em silêncio por alguns minutos até chegarem à estação e compraram seus bilhetes. Ao passar pelo corredor, Baek chamou a atenção do maior.

- Já comeu esses docinhos aqui? - Apontou ele pra uma das divisórias da lanchonete que havia na estação, antes de chegarem à plataforma.

- Não…

- Vamos aproveitar e comer, não é sempre que eu chego aqui nesse horário e tem esses doces - disse o menor sorrindo.

Chanyeol logo ficou sem graça e recusou.

- O que foi, tá de dieta, é? - Brincou Baek de novo e Chanyeol coçou a nuca e corou.

- Tô sem dinheiro, fica pra próxima… eu vou te esperar na catraca. - Disse e logo se virou, ao ver o rosto sério de Baekhyun quando este entrou na fila.

Chanyeol encostou-se na grade ao lado das dez catracas e esperou alguns minutos por Baekhyun e quando o viu se aproximar, notou o tamanho do saco de doces que este trazia.

- Nossa, você come tudo isso?! - Perguntou surpreso.

- Não, idiota. Quero dividir com você. - Respondeu sorrindo, abrindo a sacolinha e a estendendo para que Chanyeol pegasse, mas o mais alto nem a olhou por estar constrangido.

- Ah… não precisava, Baek, é sério.

- Eu já comprei, agora come. - Respondeu, menos simpático.

- Mas você gastou muito… eu te dou o dinheiro depo-

- Cala a boca e come. Vamos. - O interrompeu sem paciência.

Baekhyun bufou quando Chanyeol se calou, o agarrou pelo pulso direito e puxou para as catracas.

Quando estavam no trem, Baekhyun tentava fazer com que o amigo não ficasse acanhado ao pegar os doces. Sim, amigo, já o considerava assim.

A companhia de Chanyeol era boa demais, por mais que algumas vezes ficassem em silêncio apenas próximos, já era um silêncio diferente, nada incômodo; sentia-se confortável com ele como se sentia com Kyungsoo e Sehun.

Talvez estivesse na hora de contar a ele um grande segredo seu e isso certamente seria prova de que Baekhyun o tinha novamente como alguém especial.

 

A porta fora aberta e não havia ninguém, Chanyeol estava sozinho naquele horário. Seus pais ainda estavam no trabalho e chegariam certamente por volta das seis.

Ele tirou os sapatos, colocou-os na sapateira ali ao lado e calçou pantufas brancas. Levou a mochila ao quarto e se trocou para fazer faxina na casa. Apesar de uma diarista aparecer ali dois dias por semana, ela fazia apenas o grosso, como lavar o chão da cozinha, banheiros e o da sala, além de passar a roupa. Cada qual cuidava de seu quarto, mas como chegavam quase no mesmo horário, dividiam as tarefas mais leves entre si. E como Chanyeol chegara antes, resolveu adiantar tudo, exceto o jantar porque ele não sabia cozinhar.

Não era por falta de tentativa ou vontade, mas seu pai não achava certo que ele aprendesse aquilo.

Com essas distrações, sequer viu a hora em que seus pais chegaram, no mesmo horário naquele dia - seu pai provavelmente estaria de bom humor por voltar cedo para casa.

Sua mãe o agradeceu e o mandou se banhar enquanto cozinhava.

O jantar era sua chance.

Depois de seco e trocado, pegou a autorização em sua mochila e desceu com ela e uma caneta que havia pego na escrivaninha.

- Ah, filho, já ia te chamar. Sua mãe estava me empurrando da cozinha… - brincou seu pai, numa rara cena de tranquilidade.

Ele e sua YoonHi riram e se sentaram à mesa.

- Ahn, antes da gente comer… eu preciso pedir uma coisa pra vocês. - Disse Chanyeol e YoonHi sorriu; Eunjun apenas o encarou. - Preciso que me autorizem a ir em um passeio com a escola, tem trilha e outras atividades, é em Taejongdae, perto da montanha. - Falou como se isso fosse um argumento convincente e colocou a autorização em cima da mesa com a caneta.

Eunjun pegou e a leu cuidadosamente, demorando a responder, gerando expectativa nele e em sua mãe.

- Eu acho melhor não.

- Mas, por quê?!

- Nenhum de nós dois estará por perto… não sei o que pode acontecer com você… só estou preocupado que cometa um erro de novo.

- Mas, pai, é uma viagem com colegas-

- Por isso mesmo. - O interrompeu.

- Ah, Park Eunjun! Deixe de ser mesquinho! - Esbravejou YoonHi. - Ele e os colegas não irão por conta própria, estarão acompanhados da coordenação de eventos e dos professores - disse ela lendo o papel depois que praticamente o arrancara dos dedos do marido, o encarando em seguida. - Além disso, ele é bem grandinho pra saber o que faz e tem coisas que ele tem que decidir sozinho, não é você e nem eu que vamos obrigá-lo a fazer algo que ele não queira ou a não fazer. Até parece que se esqueceu do que a psicóloga nos falava…

YoonHi pegou a caneta, assinou e entregou tudo de volta ao filho por cima das travessas de comida.

- Ele vai e acabou, depois me lembre de dar o dinheiro. Não quero discussão - disse fazendo um sinal com a mão quando percebeu que o marido responderia. - Vamos apenas jantar sem discutir, por favor… há muito tempo que não comemos todos juntos.

Eunjun bufou, mas concordou. Até mesmo ele sentia falta daqueles momentos com sua esposa e filho; sabia que batia de frente com YoonHi por suas opiniões divergentes a respeito de algumas características de Chanyeol e que isso causava afastamento, mas constantemente acreditava estar certo e que, em algum momento, eles lhe dariam razão. Isso, somado ao fato de trabalhar demais, acabava gerando discussões com a esposa e ele dormindo no quarto de hóspedes pelo menos duas vezes na semana.

Aqueles raros momentos fazia com que os três desejassem vivê-los para sempre, embora, no fundo, soubessem que era difícil e Chanyeol sabia que um dia teria de acabar de vez com aquela paz.

 

Finalmente, na sexta-feira, logo cedo, os alunos se encontravam dentro da escola com suas malas e seu uniforme composto de calça e jaqueta de tecidos sintéticos que era o padrão para viagens como aquela, além de mudas da mesma roupa e roupas de banho com o logo da escola bordado; poucas peças eram próprias de cada um, as que usariam nos momentos de lazer, apenas.

Cada turma se encontrava em sua sala e cada uma seria chamada por ordem, do primeiro ao terceiro ano para entrarem nos ônibus.

A sala de Chanyeol era a segunda turma do primeiro ano e quando foram chamados ele viu os três amigos inseparáveis andarem juntos na frente; ao se aproximar de um grupo de garotos, entendeu porque eles andavam afastados dos demais.

- Baekhyun vai fazer a festa com os caras do basquete no meio do mato… - riu um deles, um dos poucos amigos do Wu que não era do time e ficando irritado, acelerou o passo, chocando seu ombro ao do garoto, que apenas rosnou de raiva.

Uma das vantagens de esse garoto saber que ele, naquele momento, era próximo de Kris, embora não soubesse que fazia parte do time.

Aproximou-se dos outros e tocou o ombro do Byun, que se virou com a expressão séria, mas logo abriu um sorriso e seus olhos se iluminaram. Ele diminuiu o passo; Chanyeol deu bom dia a Sehun e Kyungsoo e depois dirigiu-se ao mais velho:

- Baek, quer sentar comigo no ônibus como a gente fazia quando era criança?

A lembrança fez o menor rir soprado.

- Beleza. - Respondeu alargando o sorriso retangular.

Sehun olhou para os dois, que passaram a andar na frente e depois olhou para o rosto corado de Kyungsoo, que sustentava o olhar nas costas largas do Park.

Ele sacou naquele instante que aquilo não ia acabar bem.


Notas Finais


E aí, o que acharam? Gostaram do momentinho chanbaek?
O que será que o Chanyeol fez no passado? Será que o Kyung tá gostando mesmo do Chan?
E o Sehun, é Mãe Diná? Pausa pra quê? O que vem pela frente? Merda, só se for ~spoiler. Mentira, não é spoiler, a fic já começou cagando com os feelings dos personagens e vai continuar assim. MUAHAHAHAH parei.
Respostas pra algumas dessas perguntas no próximo capítulo... talvez.
Espero que tenham gostado, deixem seus comentários, eles me ajudam e me inspiram a escrever.
Nos veremos logo nas atualizações das outras fics, pra quem me acompanha.

Beijinhos e até o próximo capítulo. ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...