História The Name of the Game - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun
Tags Baekbiassed, Baekyeol, Chanbaek, Chansoo, Chenbaek, Hunhan, Kadi, Kaisoo, The Name Of The Game, Universo Alternativo
Visualizações 119
Palavras 7.134
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieee
Gente, to pelo celular, sem notebook de novo. Tá difícil de escrever, ainda mais que tive muito compromisso e estudo nos último tempos.
Por hora vou atualizar só essa. As outras farei o mais rápido que conseguir.
Esse capítulo tem umas 7 mil palavras pra compensar a espera.
Obrigada por quem acompanha e compreende, pelos 84 favoritos mesmo eu demorando muito e não desistam de mim. ❤

Boa leitura.

Capítulo 8 - Fight!


- Baek, quer sentar comigo no ônibus como a gente fazia quando era criança?

A lembrança fez o menor rir soprado.

- Beleza. - Respondeu alargando o sorriso retangular. - Achei que tinha esquecido que combinamos isso na segunda-feira.

- E eu fiquei com medo de você esquecer - Chanyeol riu e olhou pros outros dois amigos. - Bom dia.

- Bom dia, Chanyeol. Animado pra viagem? - Perguntou Kyungsoo.

- Ah, com sono, mas animado sim.

- Eu, hein. Quem é que fica animado essa hora da manhã? Eu só tô com um humor melhorzinho por causa da viagem. - Brincou Baekhyun, embora fosse uma brincadeira com fundinho de verdade, risos.

- Digo o mesmo, Baek, e digo mais: só tô aqui porque eu tô de pé, mas ainda não acordei. - Sehun falou uma verdade, mas os outros riram. De fato, era difícil o levarem a sério ali e ele ficava indignado com isso, mas já não reclamava.

Ao se aproximarem da saída do prédio, Chanyeol engatou numa conversa com Baekhyun sobre um dos jogos preferidos do menino Byun, League of Legends, coisa que Kyungsoo já fora forçado a jogar por Baekhyun e Sehun conhecia, mas preferia RPG de mesa e quaisquer outros jogos de estratégia bem como o Do. As conversas se ramificaram e as duplas se afastaram um pouco.

Sehun olhou para os dois, que passaram a andar na frente e depois olhou para o rosto corado de Kyungsoo, que sustentava o olhar nas costas largas do Park. Apesar de ainda conversar, o Do olhava constantemente o mais alto, tentando disfarçar quando percebia que Sehun o observava.

O Oh voltou a encarar os garotos à sua frente, andando bem juntos, com poucos centímetros de distância, era como se fossem imãs; estavam sorrindo, fazendo Baekhyun nem parecer que havia acordado de mau humor por levantar tão cedo como todos os dias e percebeu a intimidade que crescia entre eles, mesmo eles acreditando que ainda faltava muito para serem amigos tão próximos de novo.

Ele sacou naquele instante que aquilo não ia acabar bem, mas ele faria o possível pra ajudar os amigos.

Já do lado de fora, os professores e coordenadores indicaram o ônibus e autorizaram a colocada das bagagens do compartimento do veículo e depois, entrada dos alunos de maneira ordenada.

Baekhyun e Chanyeol se sentaram na fileira da direita, Baek na janela e o Park no banco do corredor. Era um ônibus bem confortável e por isso, o maior logo se acomodou, reclinando um pouco o banco.

- Nossa, já chega assim, é?

- Esse banco é tão bom quanto a minha cama. Devia experimentar.

- Ta doido? - Baek perguntou espantado e um pouco corado com a insinuação de Chanyeol. Será que ele havia descoberto sobre sua orientação sexual e estava zombando de si?

- Eu to falando do banco reclinável, Baek. - Respondeu Chanyeol percebendo que o amigo havia interpretado mal.

Pois é, o que é que a insegurança não os faz pensar?

Se ele realmente se lembrava de como Chanyeol costumava ser e se a essência dele não havia mudado, ele continuaria uma pessoa íntegra, madura e compreensiva às coisas da vida, como essa questão de Baekhyun que toda a escola já sabia e que algumas pessoas intolerantes zombavam.

Como ele pôde pensar que o melhor amigo de infância, que estava aos poucos retomando consigo aquela amizade tão bonita, faria isso consigo? Só pensou isso por ter medo de ter que pisar em ovos com ele; não queria que isso acontecesse quando estava se sentindo tão à vontade com o mais alto, quando ele o deixava ser ele mesmo e supria a necessidade de intimidade e a saudade que sentira do mesmo.

Baekhyun e Chanyeol caíram na gargalhada sem perceber os dois amigos passando por eles. Queriam sentar todos próximos, no entanto não foi possível.

Sehun e Kyungsoo sentaram-se alguns bancos para trás, do lado esquerdo do corredor. Sehun na janela e o Do ao seu lado.

- Esse final de semana eu vou ter certeza das coisas.

- Como fará isso?

- Vou tentar pensar no que eu sinto e ficar perto pra ter certeza do que ele me causa, eu não posso afirmar uma coisa sem provas.

- Por favor, Soo, toma cuidado, ok?

Kyungsoo sorriu docemente afirmando e ele e o Oh começaram outra conversa enquanto os demais alunos ainda embarcavam nos outros ônibus.

Gangji sem querer havia escutado a conversa dos dois, pois estava sentada à frente deles, mais próxima de Chanyeol, inclusive. Mas uma paixãozinha de Kyungsoo não lhe interessava nem um pouco, o que a estava atormentando era o Park que nem bom dia lhe dera; o observava, sentado dois bancos à frente, na fileira oposta à dela. Ele ria escandalosamente enquanto conversava com Baekhyun e isso deixava Ganji com ainda mais raiva e magoada.

Ela gostava da sinceridade das pessoas, já havia demonstrado a ele suas intenções com ações simples e sutis, mas ele nunca lhe negou e também não aceitou. Era demais pedir pra que ele, que já havia notado seu interesse porque não era burro nem cego, dissesse que não a correspondia?

Pelo jeito sim e era por isso que havia armado toda aquela confusão. Tratou de plantar a semente da discórdia para separar os amigos antes que algo mais acontecesse entre eles, com ela acreditava que ocorreria em algum momento e praticamente jogou Kris para Baekhyun, novamente. Então assim que eles brigassem, porque ela conhecia o temperamento de Baekhyun, seria a hora de ela se confessar para o Park e finalmente saber a real, para ter certeza se ela poderia investir ou não.


No ônibus da primeira turma do primeiro ano, a sala de Kris, Jongin e Luhan, os alunos já estavam todos acomodados, apenas esperando os professores embarcarem em seus ônibus para que a viagem desse início.

Kris e Jongin estavam sentados juntos e Luhan estava no banco da outra fileira, sentado ao lado dos dois, junto a uma aluna que ele disse estar saindo havia dias.

Luhan sequer prestava atenção na conversa dos amigos, estava falando com a garota, uma menina muito bonita que sorria apaixonada para ele; todos sabiam do lado galinha de Luhan, no entanto, era praticamente impossível resistir à ele e sua lábia por muito tempo.

- O Luhan não aprende, né? - Comentou Kris, brincando, encarando o amigo, de seu assento no corredor. - Depois ela não vai largar do pé dele… tenho certeza disso e ele vai ficar reclamando pra gente, não sei se tenho paciência.

- Agora você tem, você tá praticamente no lugar dessa menina com relação ao Baek. - Cochichou Jongin para que ninguém além do amigo o ouvisse, embora o ônibus estivesse uma barulheira só. - Você que vai atrás dele ou vai cair aos pés do baixinho igual essa menina com o Lu.

- Nem me lembra disso, cala a boca e vai atrás do teu coruja.

- Não chama ele assim. - Jongin fez cara de tédio.

- Tô brincando, você sabe.

- Eu sei… ah, e aí, vai mesmo falar com ele sábado?

- Sim, tô pensando se falo na hora de uma das atividades ou na hora de lazer… não tenho certeza, mas de sábado não passa. - Disse, já se sentindo nervoso e o Kim lhe sorriu.

- Boa sorte, amigo. Espero que dê tudo certo.

- E você também deveria tentar…

- Eu? Eu nem sei se ele é gay, como posso tentar? - Disse Jongin, se encolhendo contra o banco e desviando o olhar do amigo. - Só conversei com ele duas vezes e as duas foi pra procurar você quando você tava zoando o Baek no refeitório.

O Kim sequer sabia como havia se interessado por Kyungsoo, o máximo que sabia era que o garoto era fofo aos seus olhos, embora parecesse levar as coisas à sério, era bonito e parecia uma pessoa simples. Sentia muita vontade de o conhecer, até mesmo de beijar os lábios carnudos dele, tão bonitos.

Por isso dizia que era só interesse, sempre sentia dúvida se era algo mais, embora não conseguisse não pensar e não querer o Do. Ele queria testar se era ou não algo além de atração, porque não queria fazer mal a si mesmo ou ao outro, quem sabe. E isso o deixava nervoso e confuso.

Não era a primeira vez que se interessava por alguém de maneira forte, mas era um pouco incomum porque não conseguia conversar com Kyungsoo. Se não era ele quem ficava receoso ou encabulado, era o próprio Do, então era praticamente impossível que uma conversa se desenvolvesse.

- É, tem razão. Então deveria começar a conversar, quem sabe dá em algo…

A conversa aos sussurros foi interrompida quando, finalmente, a professora que os acompanharia entrou no veículo e entregou o plano de atividades e o mapa do local. Aquilo indicava que já estava tudo pronto e todos que iriam na viagem já estavam em seus devidos lugares.

Os ônibus deram partida rumo à Taejongdae.


Durante a viagem, muitos alunos caíram no sono. Como não estavam em aula, se renderam a ele e cochilaram em seus lugares.

Chanyeol havia reclinado o banco e quando baek fez o mesmo e ambos pararam de conversar, o maior pegou no sono minutos depois, recostando a cabeça no banco de Baekhyun que riu quando ele entreabriu a boca.

O Byun notou que o amigo ainda tinha aquele mesmo problema de quando eram pequenos; os olhos dele geralmente não fechavam por completo e por isso, quando ele dormia em sua casa, sua mãe ou seu pai, ficavam de verificar à pedido da mãe dele, Yoonhi. Isso rendeu-lhe vários sustos com a entrada de seus pais em seu quarto à noite, até que ele se acostumou com aquilo.

Aquela era apenas uma das lembranças da infância, lembranças essas que eram muito mais profundas do que ele foi capaz de contar aos amigos. Não queria admitir a eles que a razão de sua tristeza e mágoa pela partida de Chanyeol era muito mais profunda do que a amizade que todos viam naquela época.

Analisou com a devida atenção os traços do Park. Ele sempre parecera bonito, desde criança; os cabelos levemente ondulados, castanho escuro, olhos grandes e expressivos, rosto com um formato diferente da maioria das pessoas que Baek conhecia; os lábios fartos que guardavam um grande sorriso, as orelhas engraçadas e não muito diferente das de Baekhyun, que achava as próprias orelhas um pouco grandes para o próprio corpo.

Com delicadeza para não acordá-lo, fechou os olhos alheios.

O que ele não sabia era que com aquele toque, Chanyeol acordaria. Ainda não havia dormido profundamente, mas ele não abriu os olhos. Apenas percebeu, por estar encostado no banco alheio, que Baekhyun se recostou próximo a ele e ele não poderia dizer precisamente quantos minutos depois ele sentiu a cabeça de Baek chocar-se de leve com a sua.

Ajeitou um pouco seu corpo no banco, ainda com a cabeça de Baek encostada na sua e continuou de olhos fechados, até sentir a cabeça alheia cair em seu ombro. Temia se mexer e o acordar, então entreabriu os olhos e viu a cabeleira de Baekhyun próxima a seu rosto, sorriu de canto e continuou na mesma posição.


Quando chegaram à Taejongdae, os professores de cada ônibus desceram para conversar com quem receberia a escola, pedindo que os alunos representantes descessem.

Logo depois de pegar os panfletos com planos de atividade; ao passar pelos amigos Byun e Park, Gangji os olhou de esguelha, ainda não haviam acordado.

Ela praticamente jogou um panfleto no colo de Baekhyun tentando o acordar, coisa que só conseguiu esbarrando de leve no banco.

- Oh, desculpe. - Pediu ela ao ver que Baekhyun acordou assustado e Chanyeol se assustou com o movimento brusco do menor.

- Tá tudo bem. - Respondeu ele com a voz rouca enquanto pegava em mãos o panfleto que estava em seu colo.

Chanyeol ouviu aquele timbre e sentiu um arrepio lhe percorrer o corpo. Tentou seu melhor para se recompor quando Gangji lhe entregou um panfleto também com um sorriso que ele fez questão de ignorar, mesmo ele tendo a certeza de estar corado.

Gangji aparentemente não viu e nem percebeu o que Chanyeol experimentara naquele preciso momento.

Quando saíram do ônibus, os alunos puderam vislumbrar uma vasta clareira contornada pela mata de Taejongdae, de onde era possível avistar as trilhas para turismo em direção à montanha, especialmente a entrada do caminho principal porque as demais eram para especialistas ou exploradores, e uma saída da mesma, quase paralela a entrada, para aqueles que desistiam no meio do caminho.

Os alunos ficaram próximos à seus respectivos ônibus, mesmo assim, Kris olhava para os alunos do ônibus ao lado, observando Baekhyun e seus amigos. Ele estava cercado dos seus amigos e recebeu uma cotovelada de Luhan, que, disfarçadamente, lhe falou:

- Para de encarar, Kris. O pessoal vai dizer que você tá ficando babaca por causa de um cara como ele…

- Deixa ele em paz, Luhan, que saco. Ele já decidiu se assumir - cochichou Jongin.

- Sim, mas só se o Baekhyun aceitar ficar com ele de novo.

Por mais que estivesse se irritando com a cobrança alheia por conta de sua popularidade e das aparências, ele suspirou e deixou de fitar o Byun.

Esperava que Baekhyun compreendesse seu lado e que o aceitasse, à partir daí, sim, mudaria seu modo de agir.

Assim que desviou o olhar, viu os monitores do acampamento se aproximarem, chamando os alunos dos ônibus mais distantes para se aproximarem e ouvirem o que eles tinham a dizer.

- Bom dia, meu nome Hana, serei uma das orientadoras aqui do acampamento e estarei junto à Lily, Choi e Najin e nossos auxiliares. - Disse os apresentando. - Bem, cada um de vocês receberá o bloco e o número da cabana do alojamento na qual ficarão. Alunos do primeiro ano, ficarão apenas entre alunos do primeiro ano e assim por diante, pois não queremos confusões por algum tipo de hierarquia e também queremos que conheçam seus colegas de classe e de turma.

- Isso mesmo. - Começou Najin. - Em seguida, vocês vão arrumar seus pertences e começaremos uma atividade, logo após o almoço, está bem? E a atividade de cada ano ficará sob a responsabilidade de um de nós, que iremos acompanhar cada ano, junto a nossos assistentes. Vocês receberão o cronograma junto ao registro do bloco da cabana.

Enquanto falavam, os representantes de cada classe passava entre os seus com papéis entregues pelos professores para serem distribuídos; nos papéis estavam o que os monitores haviam dito e Gangji sorriu quando viu que Baekhyun e Chanyeol ficariam em cabanas diferentes e que a de Chanyeol ficaria próxima à ala feminina.

- Acho que vamos ter que conversar por sinal de fumaça - brincou Chanyeol, fazendo Baekhyun rir.

Apesar de Gangji não gostar do que viu, sequer se deixou continuar incomodada, afinal sabia que Kris logo tentaria falar com Baekhyun e esperava que ele fosse bem convincente ou então, teria de fazê-lo contar sobre seu trato com Chanyeol.

A cabana de Kris e Jongin, ficara ao lado de onde dormiriam Baekhyun e Kyungsoo, o que era suficiente para deixar Kris com as mãos trêmulas e suando frio, enquanto o moreno sequer tentava encarar o menor, tentava agir naturalmente.

Sehun ficara na outra cabana vizinha a de seus amigos, com o insuportável do chinês Luhan. Não seria ruim ter o outro a sua frente, apenas o modo com que falava e agia irritava Sehun, pelo simples fato de detestar a maneira como ele desdenhava quem não era de seu círculo social e também por ele usar as garotas como se não fossem nada.

- Ah, que bom que chegamos, minhas costas estavam doendo. - Reclamou Dongwoo, colega de classe de Sehun e seus amigos; o garoto colocava a mochila com seus pertences na parte de baixo de uma beliche.

- Nem me diga, não vejo a hora de almoçar e estrear a cama mais tarde… - comentou Sehun fazendo o mesmo na cama de baixo de outra beliche.

- Só mais tarde isso, caras. Antes tem a tal atividade que a monitora falou. - Comentou Hiraku, outro colega, que viera morar na Coréia havia apenas três anos, vindo do Japão.

Hiraku era do primeiro ano C, mas ainda assim, amigo de muitos pois fizera parte do fundamental com boa parte dos primeiro anistas. Estava arrumando seus pertences na cama acima da qual ficaria Sehun.

- Tira a mala daí. - Uma voz disse atrás deles.

Quando Sehun e Hiraku encararam quem lhes falava, ficaram sem palavras por nãoo entender a atitude do chinês.

- Tem outras beliches livres, cara, te vira.

- Tira a mala daí. Não vou falar de novo. - Exigiu Luhan com expressão demonstrando todo seu tédio.

- E vai fazer o quê? - Hiraku o enfrentou.

O japonês era um pouco mais alto e encarava desafiante.

- Só vou tornar sua vida um inferno na escola nesse segundo trimestre… - respondeu como se fosse nada.

- Hiraku, vem pra cá, deixa esse imbecil aí. - Dongwoo chamou antes que o amigo fizesse alguma coisa errada com alguém por quem não valia a pena brigar. - FIca com a minha cama. Hiraku se afastou do amigo e do chinês implicante com certa raiva; ficou com a cama de baixo da qual estava Dongwoo.

Sehun procurou ao redor uma cama sobrando, mas não a encontrou. Todos os rapazes já haviam se colocado em seus lugares. Pensou em trocar com alguém, mas os que poderiam trocar já não estavam ali e também, dificilmente gostariam de ficar perto de Luhan. Do time de basquete, só havia o chinês ali. Suspirou e jogou sua mochila praticamente vazia ao lado da cama.

- Relaxa que eu não sou tão ruim de conviver.

- Não é o que parece. - Respondeu Sehun ao ver o sorriso debochado do mais baixo que já estava sentado em sua cama, saiu bufando de irritação da cabana em busca de seus amigos.


A atividade da tarde para o primeiro ano era uma caça ao tesouro que envolvia todo o acampamento, inclusive as alas dos dormitórios e de outros anos também, além dos dois enorme refeitórios refeitórios. O primeiro cartão com pistas foi deixado com os grupos.

Um deles, era formado por nossos queridos meninos: Baekhyun, Chanyeol, Kyungsoo, Sehun e Dongwoo fora colocado ali depois de insistir em fazer um grupo de seis com seus amigos mais próximos.

- Ok, o que diz aí, Kyung? - Perguntou Dongwoo depois de trocar meia dúzia de palavras com Hiraku e apostar que ele encontraria o tesouro antes mesmo do grupo dele.

- Bem, vamos ver… “Este local você já deve conhecer, junto aos restos eu posso perecer”. - Leu e fez uma expressão confusa.

- Bom, falou aí que esse lugar a gente já conhece, os únicos lugares que fomos foram os dormitórios, o banheiro…

- Banheiro? - Perguntaram os outros.

- Eu cheguei apertado e fui pra lá antes de comer. - Disse Dongwoo.

- Tem a cozinha - disse Sehun - é o único lugar que tem restos, de comida…

- Vamos pro refeitório, a pista deve estar perto da cozinha mesmo. - Disse Baekhyun e os demais concordaram.

Correram para lá e viram o grupo de Hiraku saindo, mostrando a língua a eles. Afinal, a competição era amigável.

Entraram e se depararam com mais dois grupos ali. Aparentemente, parte dos grupos recebeu a primeira pista diferente dos demais, tudo para não tumultuar o acampamento.

O grupo de Kris era um dos que estava no local. Luhan e Sehun se encararam e Baekhyun percebeu.. - Aconteceu alguma coisa? - Perguntou e viu Sehun sorrir para si. - Não, apenas que o Luhan é chato demais… mas isso acho que todo mundo já sabe - riu em seguida.

Luhan havia escutado e ficou com a cara mais azeda possível. Jongin notou, mas nada perguntou. Com certeza levaria uma patada, como sempre acontecia quando pedia ao amigo para maneirar na grosseria e no geral; qualquer hora ele gostaria mesmo de alguém e tentaria se aproximar, mas seria impedido por esse jeito, era o que o Kim sempre, sem-pre (!), dizia e nunca era ouvido.

O grupo de Baekhyun estava próximo do rechaud de comida, já vazio e limpo àquela altura, porque sobrara comida em cada parte do mesmo quando almoçaram mais cedo e começaram a procurar. Chanyeol aproximou-se de onde eram servidos os pratos prontos, uma abertura estilo cantina entre o refeitório e a cozinha, verificando se havia algum dos serventes ali e para a sorte deles, não havia nada. Antes de voltar para perto dos amigos, olhou para o lado, para onde estavam as lixeiras, já vazias também, vendo Kris o encarando seriamente.

Não entendeu o olhar do chinês, mas não lhe pareceu boa coisa, nunca parecia. Estava sempre alerta caso Kris tentasse mais alguma maldade ou imbecilidade contra Baekhyun ou se faria alguma outra troca para se manter longe do Byun.

Ignorou a sensação estranha que lhe rodeou e finalmente voltou ao rechaud para retirar as tampas e, dentro de uma das repartições, encontraram outro cartão.

- Aê! - Gritou Dongwoo.

- Vamos ver: “Eu fico escondido como monstros devem ficar, os seus medos de crianças devem lhe mostrar”. Ué - disse Sehun, ao ler a pista. - “Os seus medos de criança devem lhe mostrar”? Eu tive medo de palhaços, como isso é possível aqui?

- Não deve ser desse medo que o cartão está falando. - Murmurou Dongwoo. - Eu tinha medo de insetos, ainda tenho, não contem pra ninguém - falou baixo a última parte e os meninos riram, o confortando em seguida.

- Será que não é medo de escuro? Mas onde o escuro se esconderia? O jogo não deve acabar apenas à noite… - Kyungsoo disse e já respondeu a si mesmo, voltando a pensar.

- Ah, já sei! Baekhyun, lembra que você, quando era criança, achava que tinha um monstro debaixo da cama? Deve estar em alguma cabana… mas tem muitas!

- Isso foi genial, Chanyeol, mas realmente tem muitas mesmo, mas não deve estar em uma em específico ou a pista apontaria. Vamos.

Dito isso, os meninos do grupo viraram-se para sair, encontrando outro grupo entrando e o de Kris já havia saído do local.

Chegando nas cabanas. Se dividiram. Sehun e Kyungsoo iriam a uma, Baekhyun e Dongwoo para outra e Chanyeol para uma terceira; se encontrariam na porta da cabana “1”.

Chanyeol estava lá dentro olhando tudo com cuidado de não mexer nos pertences de ninguém. Olhou embaixo de todos os móveis e suspirou cansado. Quando estava prestes a sair, Gangji entrou.


Na cabana “4”, Baekhyun fizera a mesma procura junto a Dongwoo, olhos atentos em cada cantinho. Olhou no chão e nada! Não era possível.

Foi então que teve uma ideia. Sentou-se em uma das beliches.

- O que você tá fazendo?

- Espere e verá, sorriu arteiro.

Fez o mesmo em três beliches e encontrou um cartão, o mostrando ao amigo em seguida.

- Como…? Aish! Por que eu não pensei nisso antes? Como pensou nisso?

- Não disse debaixo de que cama estaria e ninguém teve tempo de sentar na própria cama ou mesmo deitar pra poder ver isso preso no estrado da cama de cima… se bem que chamou de monstros quem vai dormir na cama de baixo. - Disse a última parte rindo e saiu da cabana com o amigo, encontrando Kyung e Sehun.

- Tiveram sorte? - Perguntou Kyungsoo e Baekhyun mostrou o cartão, explicando a mesma coisa que explicara para Dong.

- Aish, Chanyeol tá demorando - reclamou Sehun - assim a gente não continua.

- Vou chamar o orelhudo, segura o cartão pra eu não perder.

Depois de entregar o cartão ao amigo, foi correndo à cabana em que o Park estava.

- Oi Chan.

- Oi.

Ele sequer a olhou.

- Nossa, por que tão frio? - Perguntou ela se aproximando lentamente, com um ar de inocência, com as mãos entrelaçadas uma a outra atrás das costas.

- Estou procurando a próxima pista da nossa tarefa, ué.

- Será que a gente pode ter um momento já que estamos aqui sozinhos?

Chanyeol bufou e se virou para ela, deixando de procurar.

- Olha, Gangji, eu acho que entendi tudo apesar de você não dizer claramente. Eu… nem sei o que dizer, não sei se agradeço o seu sentimento por mim, mas eu não posso ficar com você, gosto de outra pessoa.

- Ah, isso eu já imaginava - respondeu com um sorriso inabalável.

- E ainda assim insiste?

- Insisto porque sempre tenho o que quero… e sei do seu trato com o Kris. - Respondeu ao ver que ele abriu a boca para rebater

- Como soube disso?

- Você não pediu segredo, pediu?

Chanyeol levou as mãos ao próprio cabelo, embrenhando as mãos pelos fios.

- Bosta! - Esbravejou e ela riu, ainda se aproximando e o pressionando com seu próprio corpo em uma parede entre duas beliches ao fundo.

- Se não quiser que eu conte ao pobrezinho do Baek que ele é fraco demais pra se proteger do Kris - ela deu uma pausa e ouviu a porta abrir -, é só sair comigo ou me beijar agora.

Chanyeol Segurou na cintura dela para a afastar. Por causa da fala da menina, ele sequer percebeu o ranger mínimo da porta ou os passos que se aproximavam.

- Chanyeol?!

O sangue do Park gelou. Será que ele havia escutado a parte que ela dizia sobre seu trato com o Kris? Será que perderia a amizade dele por isso?

- Caralho, meu! A gente querendo continuar a porra da caça ao tesouro e você aqui pegando a Gangji? Tem a hora do lazer pra isso. - Disse bravo, ligeiramente mais agressivo do que costumava ser, apenas não sabia de onde vinha tal impulso.

Só sabia que não gostara nada de ver os dois juntos, talvez por não ter uma opinião formada sobre ela ou por já ter ciúme da amizade de Chanyeol. Ele não sabia ao certo. Ah, também tinha o sorriso que ela ostentava e as bochechas coradas do Park, que Baekhyun não sabia estarem daquele jeito pelo susto que levara.

- Vamos ou ainda vai precisar de algum tempo pra transarem aqui? - Perguntou e sem esperar resposta, saiu batendo os pés cabana a fora.

Chanyeol não olhou mais para a menina, saiu correndo atrás de Baekhyun, a deixando para trás.

Já do lado de fora, o Byun mantinha a expressão de braveza e andava a passos duros e rápidos em direção ao trio que ficara do lado de fora. O mais velho continuava ignorando Chanyeol, que repetia um pedido como se eles tivessem um compromisso:

- Baek, me escuta.

Porque não entendia o motivo real de Baekhyun ter ficado daquela maneira, talvez ficasse feliz se fosse realmente o que estava pensando, mas não queria se iludir.

- O que foi que houve? - Perguntou Sehun preocupado.

- O babaca do Chanyeol tava com a Gangji lá dentro, os dois ‘tavam se pegando.

- O quê?! - Perguntou Kyungsoo, mais surpreso do que com ciúme, embora este começasse a surgir aos pouquinhos.

- Eu não tava me pegando com ela! - Respondeu o Park olhando para o Byun. - Eu tava procurando a merda da pista e ela entrou, começou a me encurralar…

- Há! Um cara desse tamanho encurralado por um metro e meio de pessoa? Sério mesmo? - Cruzou os braços.

- Baek, talvez ele esteja certo, a Gangji tava perseguindo ele já tem um tempo. - Disse Kyungsoo, que raciocinou melhor ao escutar o que o maior disse a eles.

- É verdade, Baek. - Confirmou Sehun.

- Que sorte, mal chega na escola e já é alvo de uma das meninas, òtimo isso, bom demais. - Ironizou Dongwoo.

- Tá. Que seja, lê logo essa merda aí. - Pediu ele ainda bravo e sem acreditar muito na situação.

Foi Kyungsoo quem olhou o cartão e leu.

A pista seguinte eles logo desvendaram e foram levados ao estacionamento, onde acharam outra pista atrás de uma placa, que os levou à trilha.

- E agora? É pra gente entrar? - Perguntou Kyungsoo, não muito seguro de aquela ideia dar certo. Ele não era lá muito fã de trilhas e a atividade que ele achava que seria a pior.

- Olha, outro cartão - disse Dongwoo - e aqui diz que temos que prestar atenção na trilha porque tem alguns totens que vamos usar em outra atividade.

- Bom, vamos andando…

- Detesto trilha - queixou-se Kyungsoo.

- Vai ser divertido. - Chanyeol lhe disse sorrindo, ainda sem qualquer noção do que causava ao menor.

Chanyeol andou a fr3nte de Kyingsoo e o D9 admirava as costas largas do outro. Apesar de ainda adolescente, Chanyeol já havia se desenvolvido bem, na visão dele. Sorriu contindo tentando não dar sinais de nervosismo perante todos do grupo. Ainda não podia contar a eles o que sentia, Queria saber se ele e Baekhyun haviam se acertado para que não tivesse que desafiar o amigo ao tentar se relacionar com Park.

 O caminho era todo demarcado por fitas amarelo vivo para que ninguém saísse da trilha.

Andaram alguns metros trilha adentro, já encontrando o primeiro totem sob a raíz de uma árvore franzina e alta; o totem era em formato de passarinho, esculpido em madeira.

O grupo andava tomando o máximo de cuidado que podiam com raízes de árvore, pedras, buracos e quaisquer parted com limo, escorregadias.

Conforme andavam podiam vislumbrar as diferentes espécies de animais, nunca antes vistos por eles. Em especial os pássaros, coloridos em meio àquela mata. A luz do sol transpassando as copas das árvores apenas deixava a paisagem ainda mais bela.

Aproximadamente aos dez minutos de caminhada, encontraram um professor. Senhor Kyuhyun,o professor de informática e plataformas de informação, que trajava uma camiseta amarela com a logo do acampamento de Taejongdae.

- Nossa, o senhor aqui? - Perguntou Baekhyun, direto como sempre, ao ver no meio do mato um professor que dizia não ser muito amante da natureza.

- Pois é, meus jovens. Estou aqui para garantir a passagem dos alunos, saber se não há alguém perdido ou com problemas. Se alguém sair da trilha, eu e a profesora Kim saberemos pelas fitas, porque, se alguém cortar, as demais vão afrouxar.

- Ah, agora entendi a utilidade - comentou Sehun, debochado.

- Ah sim, outra coisa - ajeitou os óculos, ignorando o tom de Sehun -, apenas poderão parar na cachoeira que há mais pra frente por alguns minutos. Não há risco de animais de grande porte ou peixes carnívoros. - Brincou, mesmo que os alunos não achassem graça. - Portanto, é beber um pouco de água e continuar. Ok?

Ao vê-los assentir, deu passagem e logo de preparou para o mesmo sermão para a turma barulhenta que ouvia se aproximar em seguida.

Metros à frente, eles de faro encontraram a cachoeira ao lado esquerdo da trilha e ela, felizmente estava dentro dos limites dá fita amarela. Ela devia ter uns quátro metros de altura e o lago a frente dela era relativamente grande, mas não parecia fundo. Baekhyun estava abobalhado com a beleza do.lugar e se aproxomava devagar do lago para não cair nas pedras ou na terra molhada.

Agachou-se perante a água cristalina e molhou as mãos. A água era fria e logo fez uma concha unindo as duas mãos para levar um pouco do líquido à boca e depois lavar o rosto e se refrescar. Os outros o imitaram, exceto por Chanyeol.

Quando Baekhyun prestou atenção nele, estava retirando a camiseta.

- O que tá fazendo? Tá doido?

- O quê? Não tem ninguém aqui que vá se importar ou se incomodar. - Ao retirar por completo, abaixou-se, molhando a peça na água e a colocou de volta.

Mal notou que, sim, incomodava alguém que se importava em fitar seu corpo. kyungsoo corou e engoliu em seco, sentindo-se ficar constrangido com a cena. Dongwoo e Sehun imitaram o Park e nem ele nem Baekhyun pareceram perceber.

O Byun olhava fixamente o amigo com uma sobrancelha erguida.

- O que foi? Tá gostando do que tá vendo? - Provocou Chanyeol.

- Agora sim, tá doido. - Desdenhou Baek. - Vai ficar gripado.

- Já, já eu tô seco com o sol quente que tá, Baek, relaxa - respondeu o Park, risonho, jogando água no amigo logo em seguida, que quase caiu sentado na lama.

Assim que todos estavam refrescados e depois de ver uma turma passar por eles sem parar na cachoeira, resolveram continuar.

Kyungsoo estava apressado para sair logo de perto de Chanyeol, precisava pensar, averiguar aquele sentimento. Sem perceber, pisou numa parte de terra escorregaria sem o devido cuidado e foi ao chão, tendo o tornozelo dolorido.

Os demais foram para perto de si o socorrer e não sabiam bem o que fazer. O Do não queria que os outros ábandonassem a prova por sua causa. Resultou que Chanyeol lhe carregaria nas costas pelo restante da trilha.

- Não o incomodo?

- Claro que não. Até porque eu faço o que gostariam que fizessem comigo.

- Tá que é um pouco difícil carregar um poste - zombou Byun e os demais riram.

A verdade era que Baekhyun estava feliz em ver que seu amigo mantinha o mesmo bom coração de quando eram crianças.


O parquinho de uma praça próxima de casa. Era o lugar em que Baekhyun mais gostava de brincar.

Havia escorregsdores de três tamanhos, uma estrutura cheia de argolas para serem escaladas, gangorras, areia e balnços de dois tamanhos - para crianças menores e maiores.

O sonho de crianças era o pesadelo dos pais, especialmente daqueles que eram responsáveis por lavar a roupa dos pequenos.

Os amigos Baekhyin e Chanyeol sempre iam juntos àquele lugar nos finais de semana e se não eram a mãe de ambos que os levavam, uma delas sempre o fazia.

De repente, um garoto passou correndo entre os balanços e acabou derrubando Baekhyun que, com seus sete anos e meio, como gostava de lembrar, começou a chorar por ter machucaco as mãos e os joelhos.

A mãe do mesmo estava um pouco longe, comprando sorvete para ele e seu amigo, portanto não o ouvira chorar por hora.

Então, tentando se levantar, recebeu a ajuda de Chanyeol que correra do escorregador até ali.

- Você tá bem, Baekkie?

- Tá doendo um pouco. - Respondeu baixinho ainda com lágrimas por seu rosto.

Ao tentar dar um passo sozinho, quase caiu novamente. Então o Park o ergueu e o apoiou sobre si mesmo.

- Vamos sentar e esperar sua mamãe.


Ele continuava prestativo e solidário. Baekhyun não percebeu o sorriso bobo em seus lábios, um sorriso que não precisava exibir os dentes.

E também não percebeu a quem mais a atitude de Chanyeol também encantava.




A noite caiu e todos tinham cumprido sua tarefas. Dongwoo os agradeceu pela companhia e desejou melhoras à Kyungsoo, que havia torcido o é e ralado as palmas das mãos ao tentar amenizar o impacto.

Naquela noite Kyungsoo deveria repousar depois de tomar banho por ordens dos enfermeiros do local. Não participaria da noite de lazer, ao menos haveriam outras duas para ele.

- Espero que Kyungsoo fique bem. - Resmungou Baek andando lentamente até a parte central comum entre todas as áreas de dormitórios, onde fora acesa uma fogueira e havia professores e alguns monitores.

- Vai sim, viu o que a enfermeira falou, amanhã ele estará melhor. E ele já tá alimentado e descansando pra que isso aconteça. - Respondeu Sehun sorrindo.

Eles mal viram a hora em que Chanyeol juntou-se a eles.

Chegando ao local, perceberam no ar o cheiro de marshmallows assando, cada aluno pegava os seus em seu próprio espeto. Alguns outro estavam cantando e tocando violão. Até mesmo pediram que Baekhyun cantasse com eles algumas músicas, ele apenas cantou “Cups” com eles e recusou educadamente as demais Tinha gente demais observando para que pudesse fazer isso por muito tempo.

A voz do mesmo surpreendera Chanyeol, que o elogiou diversas vezes, até que o mesmo estivesse irritado por estar vermelho, o que era engraçado para o Park e para Sehun.

Quem mais gostava de ouvir aquela voz era Kris, que de longe, do outro lado, próximo aos alunos que jogavam baralho, aguardando que fosse novamente sua vez de jogar truco.

- Mais um pouco que você olhar, vai quebrar o pescoço. - Brincou Jongin, rindo ao bebericar o copo de suco que fora oferecido durante e depois do jantar, junto aos doces.

- E você não tá olhando pra ninguém não? - Kris o encarou com uma sobrancelha arqueada.

- Não. Ah, peraí Tô aqui só observando você babar pelo Baek. - Riu e esquivou-se de um soco no ombro.

- Cala a boca, até parece o Luhan. Falando nisso, cadê ele?

Jongin apenas apontou o garoto sentado num dos bancos formados por troncos de árvore, estava num dos mais afastados junto a uma garota, magra, alta, aparentemente mais alta que o próprio Luhan, mas ele mesmo dizia não se apegar a esses “detalhes”.

Sentado ao lado do Park, comendo ainda o que sobrara do jantar, estava Sehun observando os arredores, até que seu olhar cravou no menino chinês que havia sido idiota consigo E com seus amigos mais cedo. Lá estava ele de novop com mais uma menina. Desta vez era Sooyoung. Ela era bonita, mas muito quieta e quase ninguém a conhecia, apenas quem estudara com ela em escolas anteriores ou nem isso. Alguns pareciam não se lembrar da mesma e outros faziam bullying com ela. Alta demais, magra demais. Sem volume, rosto redondo demais.

Aparentemente nada era suficiente.

Mas para Luhan parecia ser. Ou ele realmente não se importa com nada mais que a quantidade de garotas com quem se envolve, pensou Sehun. Logo vai jogá-la fora como as outras.

Isso o indignava tanto… Como alguém com potencial que Luhan tinha para esportes ficava daquele jeito? Ah, sim, a fama escolar. Era exatamente por não querer conviver - mais - com esse tipo de pessoas que ele não participava de esporte algum na escola.

Seus pensamentos foram cortados por uma silhueta feminina que volta e meia rodeava Sehun e os dois amigos.

Gangji passava de um lado a outro fitando Chanyeol, que a encarava sem entender e aquilo já estava começando a irritar os dois amigos ao lado do Park.

E mais uma vez aproximou-se de Chanyeol pedindo sua atenção. Se aproximou dando a ele um de seus marshmallows, deixando o Park sem ação.

- Vai lá, Chanyeol. E desculpa ter atrapalhado mais cedo. - Disse Baekhyun se levantando para pegar mais doces, tentando não transparecer a irritação.

- Baek não é o que você tava pensando. Mas eu vou lá sim pra acabar de vez com isso.

Sehun ficou em seu lugar e, ao terminar de comer e perder Luhan e Sooyoung de vista, levantou para jogar os descartáveis fora e viu Kris levantar de seu lugar. Achou melhor avisar Chanyeol quando viu o chinês alto indo em direção a Baekhyun.

O Byun mal havia chegado à mesa montada ao ar livre e já sentiu que havia alguém atrás de si. Surpreendeu-se ao ver Kris.

- Preciso falar com você e é sério e muito pessoal. - O mais alto soltou de uma vez, antes que Baekhyun pudesse abrir a boca para o afastar.

Resignado, Baekhyun suspirou e seguiu Kris, deixando seu palito sem o doce e já perdendo a fome.

Foram para entre os alojamentos, onde aparentemente não havia ninguém. O Wu parou e virou para o mais baixo sem o olhar nos olhos.

- Tô bem envergonhado, Baek.

- De quê? - Respondeu o outro, curto e grosso.

- Da maneira como te tratei nos últimos tempos.

- Desde quando você se envergonha por isso?

Baekhyun virou de costas respirando fundo pra não meter a mão na cara de Kris, visto que estaria em desvantagem por ser um garoto mais baixo e não muito atlético. Poderia se dizer até um pouco sedentário.

- Sempre senti, é que… As pessoas zoavam demais na nossa antiga escola. Eu não queria que fosse igual no nosso ensino médio.

- Ah e pra isso você precisava me zoar?! - Perguntou Baekhyun, irônico ao virar-se para o maior, de braços já descruzados. - Você acha que eu sou o quê? Acha que eu me senti de que jeito? Aliás, me sinto, porque o pessoal da nossa escola antiga que veio com a gente já fez questão de espalhar o que eu fiz em você, a ideia idiota que a gente teve, aliás, você teve e idiota sou eu que aceitei, de fazer um boquete em você na porra do banheiro da escola, mas que o primeiro ano inteiro me sacaneia por isso você já deve saber, não é? Você zomba de mim pelo mesmo motivo, como se isso te tornasse menos gay que eu.

- Eu sei e eu sei tudo que eu fiz e faço de errado. Mas eu to disposto a mudar isso - disse e ao ver o olhar curioso e um pouco menos raivoso de Baekhyun, continuou - se você, se você aceitar ficar comigo de novo, pra valer agora… Eu vou me assumir pra escola toda e ai de quem zoar você pelo que a gente fez no banheiro da escola. - Kris enfatizou.

- Ah, então, daquela vez não tava valendo. - Baekhyun ironizou mais uma vez e apoiou o cotovelo da destra na mão esquerda e a mão direita no queixo, como se estivesse refletindo e logo desfez a pose, ficando sério. - Esquece, Kris.

- Mas Baek, não é possível que você não goste mais de mim. Não faz muito tempo. E eu gosto de você, Baekhyun, é a primeira vez que admito isso pra alguém.

Enquanto Kris falava, Baek lhe deu as costas e começou a andar, mas teve o braço segurado e se esquivou.

Se aquela confissão fosse meses atrás, certamente teria dado um tapa de luva de pelica na cara de Kris por ser tão escroto em mentir daquela maneira. Ou o teria perdoado, Baekhyun tinha noção de que era um adolescente tonto. E geralmente, quem já é assim, fica piores quando experimentam sentimentos e/ou hormônios à flor da pele.

- Há, até parece que gosta de mim.

- Eu juro!

- Não jure em vão. - Continuava andando de volta, com Kris em seu encalço.

- Mas é a verdade e sei que ainda gosta de mim.

Baekhyun parou e virou para responder rapidamente e sem hesitação:

- Não gosto mais de você.

O Byun surpreendeu a si mesmo ao dizer aquilo e notar que era verdade, nem mesko raiva de Kris sentia mais. Era apenas cansaço pela situação toda e queria que o Wu parasse de o provocar ou de se declarar, que seguisse em frente e o deixasse em paz.

- E como é possível? Me explica. - Pedia Kris quase que desesperado.

Ele sentia vontade de chorar por ter sido tào idiota, mas não faria isso na frente do causador daquele sentimento de perda.

- A gente deixa de gostar das pessoas quando elas magoam a gente, quando pegam pesado. Não sei se você sabia disso, mas agora já sabe.

- Puta merda, eu aqui arriscando a bosta do acordo que eu fiz com Chanyeol pra eu te deixar em paz e você nem me deixa consertar as coisas. Fiz aquilo por nada! - Resmungava o Wu passando as mãos pelos cabelos enquanto suspirava fortemente.

Ele realmente não falara por mal, ao desabafar, não conseguiu conter sua raiva. Tinha se afastado do Byun nos últimos tempos pra ter Chanyeol no time e àquela altura, o Park já deveria ter reparado que ele fora atrás de Baekhyun para conversar. O time estava perdido por sua culpa, pelo medo que Ganji enfiou em si e uma possível reconciliação e conserto das merdas que havia feito para Baek também.

Ao ouvir aquelas palavras, Baekhyun mudou automaticamente de expressão. Odiava que o tratassem como uma donzela indefesa ou como moeda de troca.

- Você e ele o quê?!


Notas Finais


E aí, o que acharam?
A treta continua no próximo, tentarei não demorar.
Ah não liguem pras rimas do caça tesouros, ficou meio ruim kkkk
Espero que tenham entendido o circo que está sendo armado entre eles. Coisas mais sérias vem pela frente.
Desculpem a revisão horrível.
Deixem nos comentários o que acharam, me ajuda e inspira a escrever.
Beijinhos e até o próximo capítulo. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...