História The neighbor - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~SrtaYankes

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Detetive, Hentai, Mistério, New York, Originais, Vizinho
Exibições 7
Palavras 816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sci-Fi, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oh, man... Essa deve ser a 27183727 fanfic que faço...
Bom, sou viciada em histórias, fazer o que?
Tomara que gostem dessa minha nova!
xoxo
Sherlock.

Capítulo 1 - Bye California


Fanfic / Fanfiction The neighbor - Capítulo 1 - Bye California

Por Zoe

Minhas malas já estavam prontas e meu agora antigo quarto, vazio. O caminhão da mudança havia levado alguns móveis meus ontem, peguei minhas malas e fui em direção à sala, onde o velho sofá marrom com um cobertor de retalhos e meus pais e irmãos se encontravam.

Minha mãe mantinha as mãos juntas na frente do corpo, ela usava um vestido amarelo, antigo, e seus cabelos castanhos e longos caiam como uma cascata em seus ombros, ela tinha um sorriso calmo, porém preocupado, afinal, sua filha iria morar em outra cidade. Meu pai tinha um sorriso orgulhoso, que combinava muito bem com seus cabelos com alguns fios já grisalhos e seus olhos esverdeados.

Ame e Phillip, meus irmãos mais velhos estavam ansiosos do lado do meu pai e minha mãe, Ame tinha seis anos e Phillip dez, os dois ficaram repreensivos quanto a eu mudar de cidade, mas como toda criança, já tiraram algum lado bom naquilo e aceitaram a proposta de cada um ter seu quarto agora.

- Tem certeza que ficará bem, filha? 

- Tenho sim mãe - Respondi afagando os cabelos castanhos claros de Ame e depois os de Phillip.

- Vá com Deus - Ela beijou minha testa e meu pai me abraçou, eu depositei um beijo na bochecha de Ame e um na de Phillip.

- Eu volto para o natal...

Minha família assentiu e eu me virei, indo em direção à porta de entrada da casa, com as rodinhas da mala fazendo seu clássico barulho, com seu ar de despedida.

Me encarei pela última vez no espelho do hall de entrada da casa. Eu estava perfeitamente normal, com meus cabelos simetricamente curtos e negros, minha franja chegava na linha das sobrancelhas, meus olhos emitiam um castanho cor de mel, e meus lábios eram incrivelmente vermelhos naturais.

A luz do sol adentrou pela porta aberta da casa, e eu entendi isso como uma deixa. Suspirei com um sorriso nos lábios e saí de casa, avistando o táxi amarelo na rua de frente à minha casa, que me esperava. O motorista era um sujeito gordo e baixo, que tinha um grande bigode negro. Ele abriu o porta-malas, onde eu coloquei minha mala vermelha e depois entrei pela porta de trás do carro amarelo, dizendo o endereço para o homem gordo. Ele assentiu e eu entrei a quantia que iria pagar todo a viajem.

Acabei por deixar uma lágrima salgada descer pela minha bochecha, enquanto encarava minha casa ficar pra trás. Mas era por um bom motivo, eu agora teria uma vida melhor. Eu sentia que minha vida precisava de mais movimento, eu sei, Califórnia, cidade linda e maravilhosa, isso era verdade, mas eu sentia que New York era mais perfeita pra MIM.

 Depois de longos minutos, finalmente o táxi saiu da cidade e foi mais ou menos nesse momento em que eu acabei adormecendo.

*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*

Depois de algumas horas, acordei com o motorista balançando meu ombro, abri meus olhos lentamente, e encarei ao redor, estávamos realmente em NY, a cidade que nunca dorme.

Devia ser meio dia, agradeci ao motorista e fui até o porta-malas, pegando minha grande mala e indo até o apartamento em que o pequeno papel em meu bolso continha. Eu havia falado pelo telefone com a dona do lugar e ela me disse que havia um apartamento para alugar, aceitei na hora, considerando pelo preço, já que você deve imaginar que uma jovem de 19 não seja milionária por conta própria.

Cheguei ao local em que o pequeno papel indicava e olhei para o edifício, era simples, mas bem cuidado. Apertei a campainha e a senhora com que falei no telefone atendeu:

"Sim?"

"Ah, oi Sra. Trump, sou eu, Zoe!"

"Ah, sim! Zoe, querida! Entre, entre!"

Ela abriu a porta pra mim, Sra. Trump era magricela e tinha a pele branca como diamante, ela usava um óculos colorido e seu batom parecia ser sangue de tão avermelhado, ela tinha cabelos loiros e olhos zuis.

- Seja bem vinda!

- Obrigado, Sra. Trump!

Ela me indicou o apartamento em que eu iria morar, tal qual o número era 505, adentrei o mesmo, usando a chave prateada que a Sra. Trump de dera. O lugar era simples e bem cuidado como a pensão, era perfeito pra mim, no momento.

Deixei minha mala em algum lugar qualquer da sala e examinei o apartamento, dava para o gasto. Por fim, decidi examinar a vista da janela da sala, mas a vista era apenas pra outra janela de outro apartamento de frente ao meu, examinei rapidamente dentro daquele apartamento. Ele era escuro, e a televisão estava ligada. Havia um homem caminhando lá dentro e curiosamente eu não consegui ver seu rosto. 

Aquele homem me dera um pressentimento ruim, então, eu fechei as cortinhas da janela, sentindo a mesma áspera em minhas mãos. 

Vou precisar meu acostumar com maluquices daqui pra frente.

 


Notas Finais


É isso!
Até o proximo cap, tomara que tenham gostado!
Sei que ficou curtinho, mas meu irmão quer o PC >:u


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...