História The Neighbors - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Kris Wu, Lay, Suho, Tao
Tags Sulay, Taoris
Exibições 74
Palavras 1.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie! /Desvia das pedras.
Gente, sério, me perdoa. Eu juro que sinto muito ahsuhsus
Eu tenho um certo problema com o fim das coisas, eu geralmente não aceito sabe. E quando é o final das minhas fanfic's, eu travo.
Some isso, ao fato de eu ter estado na fase de enem/vestibular e temos uma escritora louca e totalmente bloqueada, sem vida social.
É, pois é.
Me perdoem de verdade. Eu me odeio por ter deixado vocês esperando por tanto tempo.
Mas tá tudo pronto agora. Último capítulo, daí tem mais dois extras.
E eu prometo que não vou demorar, vou postar tudo agora em dezembro, bem na época que a fanfic tá completa do um ano ♥♥♥
Enfim, amo vocês, boa leitura!

Capítulo 11 - Capitulo onze.


Depois de corrermos o caminho todo, Tao e eu chegamos na nossa rua mortos.

A verdade verdadeira era que eu queria ficar mais com o Lay e Tao com o YiFan, mas os bonitinhos iriam voltar para a boate e a gente como menor de idade fugindo de casa, voltamos com o rabo entre as pernas.

Porém, mesmo assim, Tao estava todo empolgado e feliz, veio o caminho todo rindo e conversando. E continuava assim.

- O que aconteceu?

Perguntei a ele.

- Eu estou feliz Suho.

- Eu percebi. - Sorri para ele. -Aconteceu alguma coisa que eu não sei?

Tao me olhou como ele quase nunca me olha, com um olhar cheio de amor.

Assim que abri a porta de casa para entrarmos, ele me abraçou.

Ele estava carente?

- O que você tem, Tao? Você nunca me abraça.

E ele riu baixo.

- Você está feliz Suho? Está feliz com o Lay?

Ele olhou nos meus olhos sério.

- Eu estou feliz sim.

Ele sorriu, parecia uma criança. Era tão bonito quando sorria.

Me abraçou mais apertado.

- Eu te amo irmão.

- Você está bem mesmo?

Ok, isso já estava demais. Tao e eu não demonstravamos muito afeto um com o outro.

- Eu estou sendo todo amoroso e você está negando meu amor, Junmyeon?

- Não. - nos rimos. - Eu também amo você, sabe disso. Não parece mas você ainda é o meu irmãozinho.

- Você vai cuidar de mim pra sempre?

Ele perguntou com os olhos brilhantes.

- Claro que sim.

E me abraçou mais, quase achei que ele ia chorar. Aí não ia prestar, porque eu também iria chorar.

- Tenho que te contar uma coisa.

Ele disse, quando se afastou de mim.

- Sabia que esse amor todo tinha um motivo.

Disse brincando com ele.

- Vamos entrar primeiro.

Entramos e fomos pro meu quarto. Tao deitou na minha cama e abraçou minha almofada.

- Você já deve saber, ou desconfiar.

- Do quê?

Eu estava ficando com medo do que ele diria.

- Sabe quando as pessoas da boate lhe disseram que o Lay falava muito de você?

- Sim.

- Então, ele meio que queria te conhecer desde que te viu na rua. E eu meio que sabia de tudo isso. Sabe, sempre te vi estudando e se esforçando mas nunca vi você com ninguém, aí eu me intrometi. - Ele me olhou e eu o olhei sério. - Isso foi há alguns meses, Lay se mudou e eu achei ele muito bonito e passei a perceber que ele te observava de longe, aí num belo dia fui falar com ele.

- Não sei se estou gostando disso.

Disse baixo, recebendo um "me deixa contar", de volta.

- Bem, eu falei com o Lay e perguntei o que ele queria com você, porque ele te olhava tanto. E ele disse que queria te conhecer e me pediu ajuda.

Essa história é toda estranha. Mas sempre achei inusitado o fato de alguém como Lay se interessar por mim.

- Pegaram amizade rápido não é, Tao?

- Eu conheci ele na boate Suho, ele era amigo do YiFan, aí

acabei me aproximando.

- Eu nunca vi o Lay por aqui.

Disse, refletindo. Eu realmente nunca tinha visto, até aquele domingo que eu fui falar com ele.

- Claro, você estava sempre enfiado no seu quarto fazendo vários nadas. - Ele me olhou rindo. - Tem que sair pra rua comigo.

- Aí não, credo. Chega de agitação.

- Bem, foi tudo meio que planejado sabe. Lay queria te conhecer, eu queria te tirar do meio dos livros da escola e pronto, juntamos o útil ao agradável.

Tao disse como se fosse a coisa mais simples do mundo. Ou talvez fosse.

- Eu devia te xingar, mas essa foi a melhor coisa que você já me fez.

Disse a ele, recebendo uma careta de volta.

- Menos drama, senhor apaixonado.

- É sério! - Garanti a ele. - Obrigado por me apresentar o Lay.

- É um bom partido não é?

Disse Tao e nós rimos.

- Não se gabe pelo meu namorado, porque você tem o seu.

Ele riu de novo e ficou em silêncio. Alguns minutos depois, ele falou.

- Voce não está bravo com essa história?

- Eu deveria estar?

Questionei. Eu não via muito problema nele ter tentado ajudar.

- Não sei.

- Pense. Se você não tivesse feito isso, eu provavelmente ainda estaria sendo um nerd e estudando o dia todo sem ter uma vida de verdade. Provavelmente quase enlouquecendo com as suas saídas no meio da noite, e sem os pais por aqui. Acho que você me salvou dessa vida chata, afinal.

Disse a ele. No fim, ele foi uma boa ação, me ajudou a encontrar alguém que eu gostava e que gostava de mim também.

- Bom saber. Farei mais vezes.

Ele disse e eu decidi que bastava de agitação mesmo. Nunca se sabe para onde Tao vai te levar.

~ Dias depois ~

Nós encontrávamos na casa de YiFan, estávamos sentados no chão rindo e jogando conversa fora.

- Vamos fazer como naquele dia.

Tao disse e todos o olharam.

- O quê?

- Verdade ou desafio.

Ele disse e o vi sorrir maliciosamente.

- A gente não vai ter que invadir a casa de ninguém né?

Perguntou Lay.

- Aliás, a gente só invadiu a casa do YiFan pra fazer graça ou tinha algum motivo? - Olhei para os outros.- Porque eu fui arrastado para cá.

- É verdade! Quando eu apareci vocês estavam mesmo assustados.

Olhei para Tao e vi que ele olhava ao seu redor.

- Porque você estava mexendo nas coisas do YiFan aquele dia, Tao?

Imediatamente, Tao arregalou os olhos e YiFan o encarou.

- O que estava procurando aqui?

Questionei.

- Nada.

Disse Tao baixo.

- Estava procurando algo sim.

Disse Lay, colocando lenha na fogueira. Ele parecia saber de algo.

- O que você estava procurando?

YiFan o questionou.

- Eu estava irritado com você aquele dia.

Disse Tao baixo, sem olhar para ninguém.

- ZiTao você usou a gente?

Eu perguntei incrédulo para ele.

- Você talvez. - Ele me olhou. - O Lay sabia.

- Eu disse que ele não estava te traindo o mané. Deixei você procurar, porque sabia que você não ia encontrar nada.

Achei que Tao mataria meu namorado ali mesmo. Eu só queria rir. Depois alguém teria que me explicar essa história toda. YiFan deu um selinho em Tao e sussurou um "bobo" pra ele.

- Tá, tá. Vamos brincar.

Disse meu irmão, mudando de assunto.

*****

- Agora, ninguém precisa ter vergonha.

Disse Tao, revirando os olhos.

Quase tremi na base, Tao faria a gente passar vergonha com certeza.

- Suho!

Ele me chamou quando a garrafa parou na minha direção e na dele.

- Vai me pedir pra tirar a roupa de novo?

Perguntou lembrando da última vez que jogamos.

- Não exatamente. - Ele riu. - Bem, irmãozinho, mostra para o Lay o que você aprendeu com os meninos na boate.

Ele disse e eu quis me enfiar em algum buraco.

- O que você aprendeu na boate?

Lay me perguntou.

- Bem, enquanto eu não estava com você, eu ficava com os meninos na boate e eles me ensinaram a dançar.

Disse o mais vago que consegui.

- Quem te ensinou, Suho?

Olhei para os outros dois, Tao estava quase explodindo de rir, YiFan não estava muito diferente.

- Sehun me ensinou.

Disse baixo.

- Achei Que tinha ciúmes dele.

- Ah, eu ainda tenho. - Olhei para ele, só pra confirmar essa parte. - Mas agora somos amigos.

Contei. Depois que tentei deixar meu ciúmes de lado, Sehun se mostrou uma pessoa incrível. Ele era engraçado e tão legal, não me deixa no tédio nunca.

- Amigos?

Lay questionou, com uma cara confusa.

- Claro. - Sorri para o meu namorado. - Sehun é bem legal e ele me contou que tem um abismo pelo Luhan, então eu fiquei de boa.

É, foi só depois disso que eu me aproximei do Sehun.

- Você pode ajudar ele com o Luhan. - Disse YiFan, se intrometendo na conversa. - Sehun é meio tímido.

Eu tive que concordar. Sehun não era tímido para dançar e rebolar quase sem roupa para desconhecidos, mas para chegar em Luhan ele era muito tímido. Ele fica todo vermelho só de falar no Luhan. Era muito fofo.

- Eu vou ajuda-lo.

Disse rindo.

- Eu também ajudo. - Disse Tao. - Sou ótimo nisso.

Ele deu uma piscadela para Lay e eu, sorrimos em resposta.

Tao realmente era bom em juntar as pessoas.

Passamos o resto da tarde brincando e rindo. Era agradável ficar com eles, depois de muito tempo eu me sentia confortável com as pessoas. Tenho muito que agradecer a Tao, que aprontou isso tudo. Se não fosse por ele, eu não teria conhecido o Lay, nem o YiFan, nem ninguém da boate. E ter conhecido eles, foi a melhor coisa para mim.


Notas Finais


Qualquer erro, vocês me perdoem. Achei meio bleh esse capítulo, muito óbvio. Esse final também, meio sei la, mas eu não sei fazer finais ahduhsus
Esperem pelos extras, eles estão bem melhores eu juro ahsushus e tudo o que não entenderam nesse capítulo, estará nos extras.
Aaah, sobre esse final com HunHan aí, se quiserem um extra deles, com Tao e Suho sendo cupidos, eu faço, é só pedir pra tia ahsushus
♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...