História The Neko ghoul - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Akira Mado, Ayato Kirishima, Big Madam, Hideyoshi Nagachika, Hinami Fueguchi, Juuzou Suzuya, Ken Kaneki, Kishou Arima, Nashiro Yasuhisa, Nishiki Nishio, Personagens Originais, Rize Kamishiro, Touka Kirishima, Uta, Yoshimura
Tags Canibalismo, Tokyo Ghoul, Yaoi, Yuri
Visualizações 87
Palavras 1.620
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Galerinha muito obrigada pelos comentários positivos e os favoritos a Pandinha aqui tá feliz.

Capítulo 5 - Nova aparição


Fanfic / Fanfiction The Neko ghoul - Capítulo 5 - Nova aparição

Capítulo cinco- nova aparição 

Após eu ter saído da casa do Juuzou era umas 00:40 A TOUKA VAI ME MATAR. Corri por cima dos prédios por serem o caminho mais rápido e menos movimentado. Chegando em casa tinha um Uta furioso me esperando na sala. É hoje que eu tomo no olho do cu gostoso.

— Onde estava mocinha?— ele pergunta com um olhar de fúria para mim que gelo até a espinha.

— Na casa de um colega, eu avisei o Kaneki— disse tirando meu sapato entrando no local. 

— Você não tem colegas, é mesmo se estivesse não ficaria nem 2 mim na casa de um. Kaneki saiu daqui era 00:20 e você me chegou essa hora.

— EU TENHO COLEGAS SIM TA!—  comecei a me exaltar, tacando um pequeno relógio na direção do mesmo. Pela velocidade do objeto acertou bem no meio da testa dele. 

— VAI JÁ PARA SEU QUARTO VOCÊ ESTA DE CASTIGO!!!!

— Ma-mas...

— SEM MAIS, AGORA ANDA!— ele diz apontando para o corredor, pego meu coelho que estava na sala e vou correndo em direção ao meu quarto. Meus olhos lacrimejavam enquanto eu me jogava na cama.

— Não chore pequenina

— Ele vai pedir desculpas

— Ei monstros ele não seria tão mal assim né ? Quer dizer ele é meu irmão, ele não faria isso né ?— os monstros não me responderam, comecei a ficar triste... Muito triste. —Por que ? Por que? Por que? POR QUE?!— comecei a tacar minhas coisas tudo no chão. Minha sanidade já tinha abaixado a quase zero quando Uta entra no quarto me dando um abraço aconchegante.

— Mats.... Quantas vezes já lhe disse ? Não confie nos monstros. Eles só são dá sua cabeça.— me afasto do abraço olhando para ele com desgosto.

— É isso que acha de mim? Dos meus amigos? ACHA QUE ELES SAO APENAS O FRUTO DA MINHA IMAGINAÇÃO?— eu já não estava sentindo minha sanidade.— você nos acha louca Uta? Acha que nos temos muita imaginação?— disse se afastando dele. Ele olhava surpreso para mim, como se estivesse olhando duas pessoas . Minha voz estava duplicada não era mais eu controlando meu corpo.—  Se você tem esse pensamento de nós , não deveríamos estar aqui né?!— uma risada psicopatica começa a soar pelo apartamento.— Daremos dois dias para você refletir oque fez, antes disso estaremos em outro lugar.— uma névoa preta cobre meu corpo e depois disso não vejo mais nada.

(Uta*-*)

Na frente dos meus olhos eu vi minha caçula sumir, os olhos dela, um olho normal outro vermelho e negro, não era ela falando... Será que ... Não pode ser... Eles me deram dois dias para refletir oque fiz, mas qual foi meu erro? Eu só me preocupei com ela....

Espera não pode ser.... Só por conta disso?

 Ei monstros oque eu fiz de errado a mata foi ter falado que vocês são a imaginação dela?

— Isso mesmo.

— Somos algo importante.

— Sem nos ela não descobriria

Descobriria ? Oque exatamente eles querem chegar. Eu estou ficando louco? Estou ouvindo eles. 

— Se você se acha louco

Esta voz... Ela se parece muito com a minha, Mats oque Você tanto esconde nesses "amigos".

(Mats "-") 

Quando acordei me vi em um sítio diferente, aos poucos meus olhos se acostumaram com a claridade do local. Eu não me lembrava oque tinha acontecido noite passada, e QUE DESGRAÇA DEU NA MINHA CABEÇA o dor do cão. 

— Bom dia bela adormecida.— parei de brigar com minha mente para procurar aquela voz ao redor no cômodo, na porta Juuzo se encontrava de pé dando um grande sorriso. Oi? Oque o Juuzo esta fazendo aqui ? Pera OQUE EU ESTOU FAZENDO NA CASA DO JUUZO? 

— Oh meu Deus em vez da minha cabeça me ajudar ela só atrapalha. Bom dia Príncipe Aladin — devem ter se perguntando o por que de bela adormecida e Príncipe Aladin né ? Bom é um apelido que demos uns aos outros no orfanato, nos brincávamos bastante disso.

— Se te atrapalha tanto tire ela fora.

— HAHAHAHAHAHA ENGRAÇADÃO VOCÊ NÉ. Agora você vem cá — começei a correr atrás dele que sai pelo corredor indo em direção a outro corredor extenso, aquilo era um labirinto e eu já estava presa nele. Fechei meus olhos sentei no chão e começei a pensar nas possíveis saídas que iria dar no Juuzo. —Encontrei três corredores a direita e dois na esquerda, Juuzo esta entre eles na Ala oeste da casa então o caminho vai para lá — apontei para onde deveria seguir, é assim cheguei ao Juuzo, ele estava de costas vendo alguma coisa, me aproximei do mesmo e cai numa armadilha que me pendurou no teto. — Isso não vale não — disse fechando o bico para o mesmo.

— Não li nenhuma regra em algum lugar não.

— ORA SEU...— minha barriga ronca, eu esqueci se me alimentar.

— Por hora você vai ficar livre por que tens que se alimentar né ?

— Eu vou no mercadinho comprar um lanche que estou querendo muito, vai querer alguma coisa?— disse me desprendendo da armadilha com ajuda de Juuzo.

— Não, eu já comprei oque queria hoje cedo enquanto alguém roncava na minha cama.

— Tá tá, Jajá estou de volta.

Sai da casa do Juuzo indo em direção a cidade, era de tarde e vai ser difícil arranjar uma vítima mas. Tenho que me alimentar. Coloquei a minha máscara e fui em um dos becos que sempre tinha uma gangue pedida por lá, eu estava com um capuz branco que escondia meus cabelos albinos. Fui em direção ao beco de cabeça baixa com umas sacolas cheias de "brinquedos" quando fui barrada por um grupo de gangue.

— Olha só oque temos aqui...— disse um dos rapazes segurando a minha sacola vendo brinquedos dentro das mesmas.

— Uma criança? Olha só ela tem um coelhinho. Oque acontece se eu fizer isso— outro toma o coelhinho da minha mão e começa a descosturar com uma faquinha. Eu me solto dos outros dois que estava atrás de mim pego o coelhinho e finjo estar chorando, sem mostrar meu rosto.

— Olhe só, a criança está chorando.— ele veio em minha direção e levantou minha cabeça, bem na hora a sua cabeça cai ao chão os outros três ficam em choque enquanto uma risada psicopatica ecoava ali. 

— Todos tentam fugir, ninguém consegue fugir. Sabe por que ? POR QUE ELES TEMEM A MORTE.— Após isso os corpos se encontram no chão, arranco alguns membros dos corpos para comer quando ouço um rosnado atrás de mim, olho para trás e vejo algo que não esperava. 

— L-Lian— vou correndo em direção a mesma.— oh meu Deus que falta você fez. Quando eles lhe levaram eu fiquei tão triste.— A gata gigante que eu estava abraçando é minha melhor amiga, ela foi levada por outros ghouls quando conheci mama foi daí que veio a origem Neko Ghoul. 

— Mats, Você não sabe o quão importante, as saudades que eu tava de você — eu encosto minha cabeça na dela, Lian é da cultura chinesa, ela era considerada  a uma deusa que protegia o templo Chin Ha, Mas ela se perdeu aqui no Japão e por um grande milagre ela veio parar nas minhas mãos, ela estava assustada mas me deixou ficar perto dela. 

— Você deve estar com fome certo ? aqui está— sim a Lian come carne humana. Nos templos chineses eles faziam varios sacrifícis a cada um ano para a raça Neko não destruir a cidade deles. Porém com o passar dos anos os chineses acabaram evoluindo de mais, deixando de ir ao templo então os Nekos começaram a morrer de uma doença lançada pelos chineses porém Lian sobreviveu. Enquanto eu a via comer aquela carne humana eu recebi uma mensagem do Uta, não queria respondê-lo então desliguei meu celular. — Vamos ?— disse subindo em cima dela. Ela deu um grande salto indo aos céus, estávamos voando  que saudade dessa sensação.

@#@ quebra de [email protected]#@

— Por que a sua gata tá dentro da minha casa?— Lian rosna para o Juuzo me perguntando se podia matar-lo, falei para esperar e acalmei a fera.

— Não a trate como se fosse um bixo doméstico ela é minha amiga.

— Doida.

— PSICOPATA.— Ele me joga no sofá ficando em cima de mim, selando nossos lábios, isso foi inesperado, mas depois fui cedendo aos poucos. Lian sairá do cômodo.

— Gatinha esperta a sua em, ensinou direitinho...— disse ele separando nossos lábios.

— Não tem nada haver comigo ago....— Ele me beija novamente mas pedindo passagem com a língua num beijo feroz, ele explorava minha boca toda, até sentir as suas mãos gélidas subirem pelas minhas coxas indo em direção a minhas partes íntimas, segurei a mão dele com as minhas que num rápido movimento pegou as minhas duas mãos e prenderam em cima da minha cabeça. Continuando aonde tinha parado. Eu estava de vestido facilitando o que ele queria fazer. Senti suas mãos nas minhas partes íntimas, ele estava me provocando por cima da calcinha, quando ele começa a tentar tirar a minha calcinha a campainha toca. Juuzo não ficou nem um pouco alegre mas foi atender, eu me arrumei no sofá e peguei um livro.

— Oque foi ?— Juuzo estava com uma voz irritada.

— São exatamente 12:45, e a CCG não espera madames terem a boa vontade em trabalhar. 

— Tch!— Juuzo Vai na minha direção me dá mais um beijo de língua e fala que voltará a noite, que ele tinha que trabalhar. O superior que estava na porta ficou surpreso com tal ato do garoto, em estantes o silêncio paira a sala deixando só o ronco da pequena Lian. Que havia ficado em um gatinho indefeso. Eu a pego na mão e levo para o quarto, eu mereço dormir também...



Notas Finais


Tentei trazer maior espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...