História The Nerd and The Douchebag - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Ahri, Akali, Caitlyn, Darius, Diana, Draven, Ekko, Ezreal, Fiora, Garen, Gragas, Graves, Janna, Jayce, Jinx, Karma, Katarina, Kennen, LeBlanc, Leona, Lulu, Lux, Miss Fortune, Personagens Originais, Poppy, Shen, Sona, Tristana, Veigar, Vi, Vladimir, Zed, Zyra
Tags Adolescente, Colegial, Escolar, Gay, League Of Legends, Lol, Populares, Shed, Shen, Yaoi, Zed
Visualizações 107
Palavras 4.684
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Lírica, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olaaaa <3. eu devia estar começando uma nova FanFic? Não...
Uma Fic que ainda é escrita por dois e que vai dar um trabalho da porra, claramente não

MAS EU SOU DESSES AHSUAHUSAHSA

Antes um avisos importantes para o começo desse capitulo, SIM, a Fic é escrita por duas pessoas em conjunção, eu (BeeYond79) e o EdXY, estamos escrevendo juntos, mas cada capitulo tem seu narrador, logo todo capitulo com ''SHEN'' no começo, é escrito por mim e todo capitulo com ''ZED'' no inicio, respectivamente é escrito por (EdXY)...

Mas os capítulos só saem quando os dois entram em acordo com o resultado <3

Os personagens dessa estória não são de minha autoria, mas os eventos narrados aqui por mim juntamente com ~EdXY são de nossa propriedade criativa, lembrem-se que plágio é crime e por fim, boa leitura <3

Capítulo 1 - The Beginning of the First Day


Shen 

O despertador soava irritante e estridente, ele estava bem mais alto por que eu simplesmente não esperava por ele, depois de dois longos e maravilhosos meses trancado no meu quarto apenas lendo e sem fazer absolutamente nada, eu tinha que me levantar e enfrentar o primeiro dia da minha nova escola. 

Eu estava tão acostumado com a minha vida antiga, mas é claro que meu pai tem que arruiná-la, comprando essa casa grande demais e me mudando de escola. 

Esfrego meus olhos esperando que essa merda pare de apitar, mas o despertador continua, eu me sento na cama me descobrindo dos lençóis e jogo o despertador contra a parede com raiva... 

Funciona. 

Paz, sorrio para mim mesmo com o silencio e abraço meu travesseiro novamente, quase fechando os olhos, voltando ao sono em que eu estava. 

-Senhor Dawneye, – Alguma empregada sem amor aos outros e que deve esta só cumprindo ordens bate na minha porta com força e repetidas vezes – seu pai esta te esperando lá embaixo, ele se esforçou para ter um café da manha com o senhor hoje. 

Meu pai? Me esperando? 

Ela dizia educada, mas o meu sono fazia a voz dela dar vontade de vomitar. 

-Arghhhh – bufo alto – já estou descendo... 

Levanto e pego minha toalha e vou em direção ao banheiro da minha suíte, ouço passos da empregada descendo para fazer o que seja lá que ela faça em casa o dia inteiro, e lembro do meu pai lá embaixo e o que adianta? “Se esforçar” para ter um café da manha comigo se depois eu não o verei o resto da semana inteira, não que eu estivesse reclamando, amava não ver ele. 

Depois meu pai vem com seu dinheiro no final de semana e acha que esta tudo bem, mas já se passou a fase que eu reclamava dele e sua ausência, este é meu ultimo ano de colegial, vou terminar com o boletim completamente azul como todos os outros anos e depois sumirei da vida dele na faculdade, o que pode dar errado? 

Meu banho é tão quentinho que tenho vontade de viver ali, eu sou o tipo de pessoa que sabe aproveitar mais as coisas mínimas do que as grandes, não troco um final de semana com meu travesseiro, um bom livro, chocolate branco e um banho quente por nenhum outro que envolva bebidas, pegação e drogas. 

Às vezes eu me pergunto se sequer gosto de gente, nunca me atrai por ninguém, me considero assexual e solitário, mas isso não importa. 

Saio daquela água para me secar e vestir meu uniforme, desço as escadas e encaro meu pai, as escadas são longas e deixa tudo ainda mais dramático, por que eu não posso ser normal e morar numa casa de proporções normais, quem compra uma mansão enorme apenas para duas pessoas? Adivinhem? Meu pai. 

Vejo ele na ponta da mesa com o celular em mão e uma xícara de café na outra, ele me olha e da um sorriso um pouco forçado e cansado. Tá, não posso ser tão escroto, ele é viciado em trabalho, bipolar, desconta seu stress em mim e me deixa o tempo todo sozinho, tá, eu tenho o direito de ser o mais escroto possível, mas ele nunca deixou de fazer meus desejos de criança mimada e eu acredito no melhor das pessoas, por isso. 

Dou meu melhor sorriso. 

-Bom dia, filho. – Ele me analisa por inteiro, nós somos parecidos, mas eu sou mais bonito comparado a ele na minha mesma idade, ele diz que é culpa da minha mãe, e é mesmo. 

-Bom dia, pai. – Sorrio um pouco falso, mas eu sempre fui bom nessas coisas e por isso ele se alegra. 

-Animado com o primeiro dia? – Ele diz tomando seu café e alcançando um pão. 

-Sim, uhu! – digo irônico completamente desanimado. 

Ele ri e passa nutella no seu pão. 

-Que bom, ainda mais que você não vai estar sozinho nessa escola nova... – Ahn? O que esse velho metido a galã de novela quer dizer? 

-Como assim? – Levanto meu olhar para ele. 

-Eu sei que foi muito idiota da minha parte nos mudar de bairro assim do nada, sem te avisar, mas a sede da empresa mudou e eu precisava ficar mais perto da atual... 

Ah tá, pô, mas precisava da mansão? 

 –Você estava a vida toda naquele colégio e eu te mudei do nada, por isso fiz questão de colocar um dos seus amigos lá, pra te ajudar a socializar – ele terminou orgulhoso de si mesmo, mal sabe ele que não faz diferença, eu não conhecia quase ninguém lá. 

-O quê??? Como cê fez isso? Não pera, quem você colocou lá? 

-Ah, o Kennen, – Ufa, porra, que susto – e respondendo sua primeira pergunta, eu só pedi pro diretor colocar mais uma vaga pra ele, os pais dele aceitaram de boa, até porque é um colégio melhor. 

-Okay, tudo bem, – Eu estava com medo, meu pai estava sendo legal demais hoje – érr, obrigado eu acho. 

-Por nada filho, faço o melhor por você... – ele disse comendo um rocambole, tá, tem algo estranho aqui, ele quer uma refeição comigo e ainda por cima me trata bem, não com berros?  

-Pai... – Ele olha pra mim – O senhor está com algum problema no trabalho?  

-Não, pelo contrario, as coisas vão muito bem, sou o vice-presidente da empresa que mais gerou lucro desde o fundamento, acho que estou na melhor fase da minha vida desde que... 

Eu sabia o que ele ia dizer, foi triste pra nós dois, mas isso não muda o fato de como ele me tratou desde que ela se foi. 

Eu não sei que porra tá acontecendo comigo, mas eu me sinto na necessidade de fazer isso, minhas pernas se levantaram sozinhas e eu me coloquei do lado aonde ele ainda está sentado, eu... o puxei para um abraço e ele me abraçou de volta. 

-Tá tudo bem... – eu disse, me lembrando dela e ele apertou ainda mais meu corpo. 

Nos ficamos algum tempo abraçados como pai e filho normais, até que o celular dele apitou e ele se despediu, saindo para o trabalho. 

Que merda rolou aqui? 

Eu ainda não sei como sai desse café da manhã sem levar tapas ou escutar berros, mas, estou a caminho da escola e meu pai por mensagem falou que Kennen a partir de hoje passaria a dormir na nossa casa de segunda a sexta, visitando seus pais no sábado e domingo. Eu não reclamei, Kennen é um ótimo amigo, ele sabe que eu gosto de me reservar às vezes e respeita isso. 

Eu estava até animado em ter alguma alma viva em casa durante essa ano, já que meu pai só chegava em casa às 21h e completamente cansado e, bem, eu não gostava dele. 

Eu me arrumei para a escola e esperei na sala. Eu me achava bonito, sou um pouquinho vaidoso, sim, mas eu não me importava com a opinião dos outros, só gostava de me sentir bem.

A buzina tocou e eu entrei no sedã preto, o motorista me levou até a escola.

Ele dirigiu devagar e com cautela e quanto mais eu me aproximava da escola - conforme o Google Maps dizia - mais eu ficava tenso, a sensação de entrar em um lugar novo para mim era incomum, eu não sabia o que fazer e fiz o que sempre faço quando não sei como reagir. 

Peguei meu livro da semana e abri em sua metade, localizando onde eu havia parado e começando a devora-lo.

                            - x - 

Entrei com calma, diversas pessoas vinham atrás de mim e outras já circulavam na minha frente. 

Eu não conhecia nada, e saí procurando alguém para me ajudar, todos me olhavam torto e eu já ficava nervoso, mesmo faltando bons minutos pra aula começar. 

Eu sentei no pátio e desisti, ia pedir pra um dos inspetores quando esse lugar esvaziasse um pouco, abri meu livro de novo e comecei a lê-lo. 

Eu não estava me concentrando nele, todos passavam por mim me encarando, algumas garotas riam e cochichavam algo depois e os caras apenas me encaravam como um E.T por ler um livro, pra eles eu tinha um corpo atlético que devia ser usado para basquete e falar sobre buceta, não para ler romances e saga de Victoria Aveyard. 

Eu ia me levantar para me reservar, mas uma mão pequena puxou meu uniforme para baixo. 

Eu reconheci Kennen, e havia também uma yordle roxa ao seu lado, com cabelos soltos para trás. 

Nós nos cumprimentamos com um toque de mão simples, e eu acenei pra ela, ela retribuiu com um sorriso no rosto. 

-Hey, Shen. – Ele respondeu um pouco seco, porque não fazia tanto tempo que nós nos vimos, fora as conversas por mensagens durante as férias. 

-Hey Kennen, – Disse e depois olhei para a yordle roxa ao seu lado – e você é? 

-Lulu, prazer em conhecer você! – ela riu fofamente no final da frase. 

Nós mantemos uma conversa divertida mesmo não tendo intimidade para deixá-la mais agradável, eu reparei que Kennen encarava Lulu demais enquanto ela falava. 

E lá vamos nós de novo, Kennen tem essa mania de se apaixonar por pessoas tão rápido quanto eu demoro para terminar um livro de Harry Potter.

-A aula vai começar logo, – eu mudei de assunto depois de rir de uma bobeira da yordle - pode me levar até a sala, Lulu?  

-Okay, nerd, vou te mostrar alguns lugares primeiro, -  ela sorriu e começou a andar saltitando pela escola. 

Não vi opção a não ser segui-la. 

A escola era grande mas bem simples, tudo era praticamente em um corredor. as salas do primeiro e segundo ano eram no térreo, o segundo andar eram apenas três salas, e a minha e do Kennen era a última. 

Atrás se localizava o ginásio e um lindo jardim de tulipas, onde eu já me imaginava lendo romances e fugindo de adolescentes transando. A cantina era na entrada do lado da secretaria, e no caminho, Lulu cumprimentava os professores e dizia a qual matéria eles ensinavam, nada importante e nem me dei trabalho de decorar. 

Lulu disse que o sinal logo tocaria e o período de aula se iniciaria, nós entramos na sala e já havia duas garotas na sala, elas eram bonitas, lindas na verdade, mas não sabiam se vestir direito, e usavam roupas demais para serem populares, e o mais estranho é que a loira se comunicava com sinais para a de cabelos azuis. 

Para minha surpresa, Lulu correu até elas e todas se abraçaram e a loira começou a falar coisas do tipo: “Que saudade”, “As férias foram chatas sem vocês e blá, blá..." 

Kennen se aproximou e a mesma loira se apresentou a ele, elas eram legais, mas tipo, eu só quero terminar meu romance no intervalo e ir pra casa, é, eu sou muito chato, mas tenho educação, me aproximei e sorri para elas. 

Elas se levantaram e estenderam a mão pra mim. 

-Eu sou Janna e esta é Sona, – A loira disse e sorriu, ela era bonita, mas a de cabelos azuis não disse nada e eu já associei. – ela é muda, mas como quase todos os professores sabem sinais, ela não precisa estar em uma classe especial. 

Ela afirmou com a cabeça. 

Eu sabia a língua de sinais desde criança, e então a cumprimentei surpreendendo a todos... 

Ela me cumprimentou de volta e sorriu para mim, jogando suas tranças azuis com detalhes amarelos nas pontas para trás. 

-Oh, você sabe sinais, vai poder me ajudar a traduzir para os professores que não sabem! – Janna disse e nós nos sentamos, o clima estava agradável e as três pareciam pessoas legais para se ter como amigas. 

O sinal tocou, e de alguma forma, o assunto que antes era sobre as férias, virou sobre apresentar os alunos que entravam na sala, parecia uma espécie de ritual para elas, eu não reclamaria, porque havia começado divertido. 

A primeira pessoa a entrar na sala foi uma yordle como Lulu e Kennen, ela tinha cabelos brancos curtos e era bonitinha, mas parecia haver uma certa rixa entre ela e Lulu. 

-Essa é a Tristana, – Janna disse baixinho de forma que todos se aproximavam para escutar, menos Lulu, que bufou para si mesma. – ela era popular nos primeiros anos do colegial, mas ela começou a namorar um yordle meio nerd e desde então só anda com ele, ela é legal, mas a Lulu não gosta dela, – Janna e Sona riram. 

-Por quê? – Eu perguntei. 

-Por que o namorado da Tristana e o atual da Lulu, se odeiam – Sona gargalhou e Kennen ficou sem graça, acho que a paixão dele foi forçada a acabar antes de eu reler o Enigma do Príncipe. 

-Namorado? – Ele disse já triste e disfarçando sua pergunta pessoal como se fosse apenas mais lenha na fogueira. 

-Sim, o Veigar... – Janna continuou... 

-Cala a boca Janna!!!– Lulu bateu sua mãozinha na mesa. – Antes que eu corte sua língua e faca você ser obrigada a usar sinais pra fofocar! – Ela disse e Sona que se ofendeu, mostrando a língua, e Janna só rolava de rir, tá, elas eram divertidas. 

Tristana se sentou e um grupinho entrou na sala, Sona os apontou e Lulu começou a apresenta-los. 

-Aqueles são os clássicos palhaços da turma... – Era um garoto e duas garotas, uma de tranca azuis não tão hidratadas como a de Sona e outra com cabelos rosas em uma franja e um pirulito na boca, eles estavam rindo que nem porcos. 

-Ekko, Jinx e Vi... – Janna disse. 

-Em algum momento eles farão piadas de vocês ou quebrarão alguma coisa da escola, e não serão punidos por isso... – Lulu disse os encarando com ódio. 

Por ironia Jinx se aproximou e como uma maníaca olhou para Sona e comentou com um odor forte, ela cheirava a tabaco e sei lá o que mais. 

-Soninhaaaaaaa, – ela puxou as bochechas de Sona. Era histérica e não parava de fungar o nariz, como se já não fosse muito abuso, ela começou a mover sua boca lentamente e dizer coisas para Sona como se ela fosse surda, com calma e com ênfase em toda sílaba. 

-Jinx, se sabe que ela é muda e não surda, né? – Lulu disse para ela. 

-Qual a diferença? – Jinx disse realmente séria. 

-Ela te entende, só não consegue te responder... 

Jinx abriu sua boca demonstrado que agora tudo fazia sentido pra ela. Ekko, que estava no fundo da sala gritou para nosso grupinho. 

-Qualé, Soninha, vai deixar? Por que você não responde ela de volta? – Ele começou a rir e Jinx foi até ele marchando. 

-PORRA, EKKO!!! Ela te escuta! – Jinx bateu nele com um caderno varias vezes nas costas – Seu sem sentimentos do caralho... – Eles continuaram se batendo e rindo como doentes, e eu apenas desviei minha atenção deles para Lulu, Janna e Sona de novo. 

-Idiotas – disse Lulu rindo e mais pessoas entraram na sala. 

Entraram umas seis pessoas e era engraçado ver elas apressando para apresenta-los. 

-Aquela é Katarina e aquele é o Gragas, – Janna apontou para uma ruiva e para um cara muito gordo que parecia ter repetido três anos - eles andam com os palhaços, mas ela é legal e não tão chata quanto Jinx e Ekko, e o Gragas, bem... 

-Ele e engraçado – As três garotas riram e Lulu apresentou os outros quatros alunos que tomavam seu lugar. 

-Aqueles são os certinhos, mais que nós, – Elas se olharam – nós conversamos bastante mas ainda assim tiramos notas mais altas que eles... 

-Ta, qual os nomes? – Kennen realmente estava interessado. 

-Garen, Lux, Leona e Caitlyn – Janna disse e eu reparei que a Caitlyn encarava Vi envergonhada, elas trocaram olhares rápidos, mas eu li romances demais, sei reconhecer um tensão entre duas pessoas, e para minha surpresa, Lulu e Janna não sabiam dessa fofoca. 

-Garen e Lux são irmãos, ele e gostoso mas é meio chato e ela é muito linda e todos a acham legal, só não é popular porque não quer – Lulu disse caçoando e mais alunos entraram, dessa vez era vários e ela só apontava dizendo nomes, eu só escutava, interessado. 

-Diana, Karma, Darius, Vlad, Zyra e aquela de cabelos negros eu não conheço, deve ser nova como vocês... – De todos que entraram apenas o musculoso de cabelo preto e a garota com flores no cabelo se sentaram perto, eram Darius e Zyra... 

-E por fim, LeBlanc... – Elas apontaram para uma garota de cabelos curtos um pouco azulados, ela era bonita e tinha um rosto sexy, por isso chamava atenção. 

-LeBlanc é uma vagabunda nunca confie nela – Sona me contou por sinais e eu ri. 

E eu ri peala certeza que Sona tinha. 

-Agora só falta as populares – Lulu disse olhando para a porta... 

Sona fez sinais para ela e eu entendi algo como... 

“Falta ele ainda...” 

-Ah eh, o babaca sempre chega atrasado, mas lá estão as populares – Eu olhei para a porta e vi duas garotas lindas, uma de cabelos vermelhos, que todos encaravam, uma de cabelos negros mostrando um decote e as curvas de seu corpo, ao lado delas vinha um garoto esbelto com cabelos loiros médios. 

-Deus me ajude, saca o uniforme da Ahri... – Lulu disse com a boca aberta, todos reparavam que era curto e indecente demais... 

-Essas são as poderosas e as poderosas estão sempre juntas e nunca se separam, – Janna continuou – se houvesse uma revista de moda na escola, elas seriam a capa. 

-Elas? Tem um cara no meio... – Kennen questionou. 

-Aquele é o Ezreal, ele é tão gay que chega a gostar mais de homens que nós três juntas... – Lulu disse e todos riram. 

-Mas não se engane, ele é bonito mas é muito burro, Lulu sentou do lado dele na aula de literatura ano passado... 

-Ele me perguntou como se escreve laranja – Lulu disse e até eu ri com elas e agora eu estava mais interessado que nunca. 

-A do lado é a Ahri, sabe os podres de todo mundo na escola, sabe tudo de todo mundo e ama o fato de todos quererem ela na escola, – Janna olhava para ela – ela e uma piranha e não pensara duas vezes antes de usar as armas dela para ter o que quer. 

-O que geralmente é uma rola – Sona me contou por sinais eu passei mal tentando segurar meu riso. 

-Por isso o cabelo dela e tão longo, ta cheio de segredos – Lulu completou e eu me descontrolei mais, eu já adoro essas três. 

Kennen riu e perguntou sobre a ruiva, querendo rir mais. 

-E a do meio? 

-Bem, aquela é Sarah Fortune, o mal em figura de gente, ela parece uma garotinha egoísta, traiçoeira e descarada – Janna respondeu Kennen. 

-Mas na verdade ela é muito, muito mais que isso – Lulu completou. 

-Ela é a abelha rainha, a estrela, as outras duas são os zangões dela... 

Conforme ela iam dizendo, eu via Sarah conversar com alunos no corredores causando um pequena confusão, mas ninguém dizia nada. 

-Sarah Fortune, como eu posso começar a te explicar Sarah Fortune? – Janna levou suas mãos ate o queixo. 

-Ela é perfeita... – Sona me contou... 

-Ela tem duas bolsas de pele e um carro importado prateado – Lulu completou... 

-O cabelo dela esta no seguro por dez mil dólares – Janna continuou, nos estávamos falando baixo e eu reparei Sarah, ela era linda, seus cabelos vermelhos para frente na roupa arrancando olhares de todos. 

-Todos que não são próximos a chamam de Miss Fortune... 

-Uma vez me disseram que ela faz comercias de carro, no Japão!  

-O filme que ela mais gosta é Marcação Cerrada... – Sona me contou e eu me senti péssimo por  saber que filme que é... 

-Ela até conheceu o Adam Levine no avião, – Lulu disse ainda mais baixo e nos cinco estávamos quase nos beijando – e ele disse que ela era linda... 

Eu a encarei de novo, as roupas que obviamente custaram uma fortuna e cada detalhe perfeitamente bem nela. 

-Uma vez ela socou uma amiga nossa, - Janna e Lulu disseram juntas – Poppy guarda o papel higiênico com o sangue ate hoje, foi o dia mais irado da vida dela... 

Elas pareceram terminar e se afastaram quando o professor entrou na sala, eu olhei e vi todos os alunos que Lulu, Janna e Sona me fofocaram, eu ri mentalmente, porque eu consegui decorar o nome de cada um. 

O professor se apresentou como Jayce, e logo depois de começar a escrever algo no quadro, outro aluno entrou, ele tinha cabelos negros com uma franja lisa pintada de azul, ele se sentou junto de Sarah, Ahri e Ezreal eu automaticamente cutuquei Janna e ela logo me apresentou ele. 

-Que foi? Ah, esse e o Kayn, ele entrou no meio do ano passado e nós não sabemos muito dele... 

-Diga por você querida, descobri que ele gosta do Zed... – Lulu se virou já rindo. 

-O que? – Janna disse e Sona levou suas mãos ate a boca. 

-Aham, que obviamente ele esta atrasado porque estava com ele no banheiro do ginásio – Lulu completou, Sona e Janna estavam incrédulas. 

-Quem é Zed? – Eu perguntei, e elas engoliram um seco. 

As três não conseguiam explicar, ele deve ser horrível, se elas explicaram Sarah Fortune, quem e esse Zed? Uma garota que escutava a nossa conversa atrás de nós respondeu... 

-O maior filha da puta do mundo – eu olhei para trás e a vi jogando suas tranças para trás para trás. 

-Espionar a conversa dos outros e feio Karma – Lulu disse – mas eu ainda te adoro – Ela fez um coração com a mão e Karma retribuiu com um beijo a distância. 

-Por que ele é filho da puta? – Kennen perguntou. 

-Porque ele é o maior pegador da escola, quase toda garota já ficou com ele e todo gay já deu pra ele – Lulu disse e eu as encarei, será que até elas ficaram com ele? 

Elas sacaram. 

-O que? Ah não, a Janna nunca ficou com ele e ele não gosta de yordles, mas a Soninha aqui já experimentou a fruta... – A loira e a baixinha riram e Sona ficou tão vermelha quanto um tomate. 

-Ele é um babaca, que vai te usar, te dar esperança que você é especial e depois te descartar, foi assim comigo e com todo mundo, – Sona me contou, e eu via tristeza no olhar dela – ate com a Sarah... 

Ta, aquilo me chocou, Sarah não parecia a garota que um cara normal conseguiria iludir. 

Quando elas terminaram e se voltaram a copiar o tema no quadro, um cara entrou na sala. 

Janna ao vê-lo se virou para mim e disse. 

-Esse é o Zed... 

Ele era diferente e me interessava em alguns aspectos, todo garoto cheio das minhas salas anteriores era cheio de testosterona, eles secavam peitos e bundas de alunas e andavam como animais 

Mas ele, não precisava olhar ninguém como os outros garotos, porque ele agia como se aquilo fosse seu reino, ninguém conseguia ignora-lo, todos o odiavam, menos Kayn que o encarava esperando algo de volta por parte dele. 

Eu não consegui tirar meus olhos dele, e ele me reparou, eu sempre fui invisível para essas coisas, mas dentre toda aquelas pessoas ele olhou em meus olhos, por longos segundos, até eu quebrar o contato e me obrigar a olhar para o quadro. 

Eu sabia que ele me olhava pelas costas, meu corpo tremia e suava, eu nunca senti isso, essa vontade de olha-lo de volta, de ir ate lá e escutar a versão dele das coisas,  

Qual é Shen? Você é inteligente e sabe o tipo dele, já te avisaram, você só seria outro nome em uma lista nojenta dele, esquece. 

Estou tão perdido que nem percebo que o quadro já esta apagado e eu não copiei nada, o professor Jayce esta perguntando a todos sobre as matérias que ele ensinou ano passado, me concentro nele, aonde importa, meu futuro. 

Ele termina e olha para mim, checa meu nome na lista de chamada dele e finalmente solta. 

-Shen Dawneye, pode me dizer quais são os principais gases poluidores referentes a aula do segundo ano?  

Ele parecia estar ansioso pela minha resposta, assim como todos, eu já li de todo assunto nessa vida, até os livros escolares e essa pergunta não me assustava. 

-Os gases são monóxido de carbono, dióxido de enxofre e CFC – eu disse calmo e confiante. 

-Parabéns Shen, – Jayce disse – já vi que vou gostar de você! 

Eu sorri tímido e a sala aplaudiu pra mim, que exagero.  

-Muito bem gente! – Jayce disse mais – Obrigado a quem prestou atenção na aula e boa sorte com o primeiro dia! – Ele terminou e depois disso o sinal tocou e ele saiu da sala,  

Eu bufei porque sabia que isso só havia interessado Zed mais, e eu sabia que ele me olhava. 

Algumas pessoas se aproximaram e perguntavam sobre como eu respondi com tanta facilidade. 

Eu estava tremendo e passando mal, mas eu lembrei de alguns nomes, Leona, Tristana, Karma e a garota nova que Lulu conhecia me cercavam perguntando da onde eu vim, elas falando só me lembrava Janna e Lulu contando seus segredos eu ri e me acalmei, pelo menos fiz algumas colegas naquele momento. 

Esperei pelo próximo professor, que era uma mulher alta com um terno apertado... 

O nome dela era Fiora e ela ensinava geometria, eu peguei meu caderno da matéria dela e guardei o de geografia. 

Uma bola de papel caiu em cima do meu caderno e Sona que estava ao meu lado viu. 

Ela deduziu que vinha de Zed, porque ele era o único que teria essa audácia na aula da Fiora. 

Sona fez sinais repetidos dizendo, “não abre”, “não lê”, “não, não”, seus dedos se moviam rápido enquanto ela balançava a cabeça. 

Eu ignorei e ela levou suas mãos até a cabeça, a letra era bonita, mesmo sendo escrita rápido e com pressa. 

“Qual teu nome? :/” 

Era só isso, e eu ri pra mim mesmo, e o encarei, ele fez um sinal com as mãos as girando e eu entendi. 

Girei o papel e vi outras letras. 

“Me chamo Zed xd, mas a Janninha já deve ter me apresentado por mim >.<” 

Ninguém havia reparado em nós, apenas Sona, que não havia feito nada ate agora. 

Eu fiquei completamente perdido o resto da aula, eu não sei o que esta acontecendo comigo, depois de tudo que ouvi dele, eu quero saber a parte dele, descobrir por que ele é assim, mas na versão dele, na versão certa das coisas. 

Não vou responder os bilhetes agora, não quero me encrencar com isso logo no primeiro dia, mas meus pensamentos não se acalmam, eu abro meu caderno toda hora e escrevo uma resposta, apenas para apaga-la depois. 

Eu preciso me acalmar, Lulu já esta me estranhando e perguntando se estou bem, eu vou ate a ultima pagina do meu caderno, onde está colado minha grade de horários, minha mão segura a ponta da caneta ali e eu sei o que quero escrever, eu preciso me expressar. 

As milhares de letras que li percorrem minha mente, eu lembro de uma frase de uns dos meus livros prediletos. 

É a única forma que tenho, colocar em letras, aquilo que sinto de forma dramática, como um livro qualquer. 

Amor é saber que antes de tudo você tem seu infinito particular. 

Eu mantenho a caneta parada no ponto da frase retirada do primeiro livro que li e depois, minhas emoções percorrem a folha. 

É a primeira vez que isso ocorre, e eu já estou sendo dramático, é a primeira vez que quero descobrir a historia de alguém que não esteja contada em livros, é a primeira vez que me atraio, mas nesta minha primeira viagem, ele já é um abismo, tão profundo e imenso, que não vejo lugar pra mim lugar pra mim. Não sei como conhece-lo sem ser sugado e caso eu seja sugado, será tão ruim? Como eu sairei? Machucado? Provavelmente, sem o que fazer, escrevo nesta folha, apenas vou ignora-lo, como fiz com todas e todos, as vezes me pergunto se faço isso comigo mesmo... 

Meus dedos largam a caneta e eu fecho o caderno, já cansado deste dia. 


Notas Finais


Comentem o que acharam, serio, no começo de uma fanfic e muito importante, eu e o Ed nos esforçaremos para nao demorarmos para o 2 chap, mas temos nossas fanfics tb ahshahsahhda

Obrigado por leeeerem ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...