História The New Alpha - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Maia Mitchell, Teen Wolf
Personagens Alan Deaton, Bobby Finstock, Chris Argent, Decaulion, Gerard Argent, Hayden Romero, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jordan Parrish, Ken Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Maia Mitchell, Malia Tate, Mason Hewitt, Melissa McCall, Personagens Originais, Peter Hale, Rafael McCall, Scott McCall, Sheriff John Stilinski, Stiles Stilinski
Tags Alfas, Beta, Hunters, Mia, Ômega, Scott Mccall, Stiles Stilinski, Teen Wolf, Werewolfs, Wolfsbane
Exibições 172
Palavras 3.034
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLAAAAAA

Sim, pessoal, eu voltei e postei um dia mais cedo! Hahahaha, eu sou muito boazinha... seeeeeei (sqn)

Então, mais um cap para vocês! Eu escrevi ele meio rápido, então deve estar com alguns errinhos, mas revelem, por favor! ❤️ Beijos e boa leitura!

~ObrienUnicorn

Capítulo 3 - Shopping Spree


Fanfic / Fanfiction The New Alpha - Capítulo 3 - Shopping Spree

Mia's POV

 A ida até o shopping foi completamente em silêncio. Nenhum som saia de minha boca ou muito menos da de Peter. As únicas coisas audíveis dali era o barulho do ar condicionado e os sons normais do trânsito. 

 - Não, os dois não namoram. – ele soltou, quebrando o gelo e respondendo minha pergunta, a qual havia feito pouco depois do carro dar partida.

 - Ah, sim... Que bom... É, não que eu me importe. 

 - Você é boa nisso, hein?

 - No quê? – Perguntei, confusa.

 - Esconder seus cheiros. Tanto os de uma Alfa quanto os de suas emoções. Tá na cara que você liga, mas realmente parece que você não tá nem aí!

 - Ligo para..? – fiquei bem aérea. 

 - Ah, para, você e o Stiles... – olhei para ele com se dissesse "O que você tá falando?". – Tá bom, desisto por hoje, mas, voltando, você é realmente boa nisso.

 - É, minha mãe que me ensinou. – sorri sem mostrar os dentes.

 - E como é?

 - Você quer que eu te ensine, tipo, agora?

 - Acho que só uma ideia, para eu ter uma noção de como se faz, não seria tão ruim. 

 - Tá, vamos lá. – me ajeitei no banco do carro e me virei para ele. – O que você sente?

 - Em você? – trocou a marcha para virar em uma esquina e deu uma breve olhada para mim, seguida de uma longa respirada.

 - Sim.

 - Alfazema? – sorri. – É isso? Você toma um banho de alfazema todos os dias? 

 - Não, mané! Você tem que focar em um cheiro que você goste. Um perfume, o cheiro de uma flor, uma essência...

 - Uma comida?

 - Pode, mas eu acho que não é muito legal você sair por aí emanando cheiro de pão de queijo!

 - Tá, posso pensar em qualquer perfume? – riu.

 - Pode, ué!

 - Ok, vou fazer o teste com o Scott, vamos ver se dá certo.

 - Beleza, faz isso amanhã... – dei de ombros enquanto ele entrava no estacionamento do shopping. Eu estava falando a verdade mesmo, não tinha como dar errado.

 Pouco tempo depois, já estávamos dentro do shopping, indo em direção a algum lugar que eu não reconhecia.

 - Então, quem você percebeu até agora?

 - Quem eu percebi... Hã? Que é uma criatura sobrenatural?

 - Não, os agricultores locais! Claro que são as criaturas sobrenaturais, trouxa! – abaixou o tom de voz para dizer a última parte.

 - Dos que eu conheci... Liam, Malia, Scott...

 - Consegue me dizer o que eles são? – perguntou, à medida que continuávamos andando. 

 - Pelo instinto e o jeito da Malia... Coiote, certo? – concordou com a cabeça.

 - A filha de um lobisomem com a loba do deserto...

 - Tá. – meio que ignorei ele. – O Liam parece ser Beta do Scott, que, pelo que eu ouvi, é um Alfa Genuíno.

 - Exatamente! 

 - O Stiles também... Ele tem alguma coisa, mas eu não sei dizer o que é!

 - O Stiles? Ah, além de ser seu... Como é que vocês falam? "Crush"?

 - Ele não é nada meu. E eu não tô afim dele. – revirei os olhos, séria.

 - Tanto faz. Ele foi possuído por um espírito de uma raposa.

 - Um Kitsune? Como uma pessoa deixa de ser um kitsune? – ele estava me deixando cada vez mais confusa.

 - Aiai, saudades da Kira... – soltou, aleatoriamente. Quem é Kira? – Posso terminar? Ele foi possuído pelo espírito do Nogitsune...

 - O espírito maligno de uma raposa de mil anos... – completei, boquiaberta.

 - E se alimenta de dor, conflito e caos. 

 - Meu Deus, coitado... 

 - Pois é. – ele apontou para uma loja de bolsas e nós entramos. – Agora, dá para escolher uma bolsa?

 - Ok. – respondi, já caminhando em direção as araras. – Peter... – o chamei.

 - Diga, querida.

 - Assim que eu puder voltar para a minha cidade, juro que eu te pago tudo, ok?

 - Não precisa, só quero que você me ensine tudo que você sabe. Quem sabe não trocamos umas ideias?

 - Tem certeza? – perguntei, pegando uma bolsa.

 - Tenho, fica tranquila. 

 - Ok, então... E... Eu sei que você está preocupado.

 - Não estou preocupado!

 - Está sim, desde que eu te falei sobre os Hoyers você não para de soltar esse cheiro de preocupação.

 - Eles não vão vir para Beacon Hills, não tem motivo.

 - E se eles estiverem à procura de uma Alfa?

 Percebi que ele engoliu seco.

 - Vai escolhendo uma bolsa, eu vou mandar uma mensagem... – o encarei. – Eu já disse que não vou falar nada para eles, se contar, eu não tiro vantagem nisso! – revirou os olhos, enquanto eu continuava a escolher uma das bolsas.

Stiles's POV

 - Mas... O que tem essa garota? – Malia perguntou, enquanto levava a turma no meu jipe para o shopping.

 - Além de um ódio mortal por você? – Liam soltou.

 - Um corpo muito bom e beleza? – Scott acrescentou.

 - E um humor não muito bom? – completei.

 - Af, gente! Eu preciso conhecer essa garota! – Hayden disse.

 - Não, você não quer conhecer ela. – Malia respondeu. – Ela é bem chatinha, além de só dar papo para o Stiles. – olhei de canto de olho para Scott, que estava soltando uma daquelas suas risadinhas.

 - Ela me deu papo quando eu a levei para a aula de história. – Liam compensou e eu basicamente dei graças a Deus, mas Hayden logo deu um tapão no coitado.

 - Relaxa, Hayden... – o moreno ao meu lado foi falando. – A Mia já tem dono, né, Stiles?

 - Não fui eu quem disse que ela tinha um puta corpo... – dei de ombros, o incriminando.

 - Não sou em que está...

 - Se você falar mais uma vez que eu estou afim dela, eu juro que acendo meu defumador de wolfsbane. Ah, que cheirinho maravilhoso!

 Um silêncio mortal se manteve no carro, afinal, eu era o único dali que não morreria se acendesse. Percebi que todos queriam falar alguma coisa, mas ninguém ousou abrir a boca, menos Malia:

 - Você está gostando dela, Stiles? – a ouvi do banco atrás de mim.

 - Eu só disse que acho ela bonita – a olhei pelo espelho retrovisor. –, mas isso não quer dizer nada.

 Sinceramente, eu não sabia de nada. Não sabia se ainda estava namorando a Malia, não sabia o que ainda sentia por ela. Não sabia o que achava de Mia...

 - Peter acabou de mandar uma mensagem, já sei onde vamos encontrar a Mia... – Scott quebrou o clima, rindo.

Mia's POV

 Depois de Peter basicamente se recusar a entrar na Victoria's Secret comigo, eu tive que ir sozinha. Claro, ouvi aquele showzinho típico que eu ouviria do meu pai, se ele ligasse para o que eu faço ou deixo de fazer. Ou melhor, se ele fosse o pai que deveria ser. "Você vai gastar dinheiro comprando maquiagem?", "Cremes, perfumes? Para que isso?"

 Tá, para ele eu ia comprar essas "bobagens" – que são bem úteis, se você for contar –, mas, na verdade, eu tinha que comprar pelo menos quarto lingeries, para dar tempo de lavar e secar. 

 Peguei algumas peças diferentes e fui discretamente para a cabine, enquanto experimentava-os. Consegui montar três conjuntos, um branco, um vermelho, um mais para o tom de pele, mas eu não consegui nenhum sutiã preto que fechasse direito.

 - Merda... Eu peguei um número menor! – exclamei, conferindo o tamanho. – Ei, tem alguém aí? – chamei, abrindo um pouquinho de nada a porta da cabine e vendo um ruivinho (gay, provavelmente).

 - Quer alguma ajuda, querida? – gay, definitivamente.

 - Ah, sim, por favor... – ri meio sem jeito – Eu peguei um número menor que o meu dessa peça. – entreguei para ele. 

 - Entendi. – ele conferiu o tamanho e logo pegou um na bolsa. – Coloca ele e depois olha nesse espelho aqui de fora. – ele apontou para um espelho enorme que estava na área das cabines. – Não tem mais nenhuma mulher aqui no vestiário com você, então fica à vontade. 

 - Ok, obrigada. – peguei a peça e logo a vesti, tentando ver como ela ficava no meu corpo. – Af, esse espelho é realmente horrível... E pequeno. – suspirei, já saindo dali.

 Aquele espelho era, tipo, 100% melhor. Ele ocupava a parte toda da parede e era, simplesmente, muito melhor.

 Fiquei ali, dando uma olhada e avaliando como ele tinha ficado em mim, quando ouvi alguns passos vindo em minha direção. Provavelmente o ruivinho voltara com algumas outras peças para eu experimentar.

 Eu simplesmente dei o maior pulo da minha vida.

 Tá, ok, eu exagerei, mas do nada aparecer um moreno de quase 1,80 de altura atrás de mim não é muito legal. Principalmente se você está seminua e tem uma grande implicância com o menino. 

 - STILES! – gritei, correndo para trás de uma das cortinas que tinham lá, deixando apenas minhas cabeça para fora e cobrindo todo meu corpo. – O que você tá fazendo aqui? O que você viu? Melhor, não responde nada! 

 Stiles's POV 

 - Calma, calma, calma! Eu não vi nada! – deixei bem claro, antes de qualquer coisa.

 - Eu tinha dito para não me responder!!

 - O cara simplesmente mandou eu entrar, então eu imaginei que você estivesse vestida!

 - Você não tem que achar nada! 

 - Olha, eu não tinha como imaginar! 

 - Eu estou no provador de uma loja que vende roupa íntima feminina! O que você pensa? Sorte sua que eu não estava sem roupa completamente.

 - Sorte mesmo! Quer dizer... Não que eu não quisesse ter visto... Ou melhor... Eu não queria.

 - Stiles! Eu não tô nem aí se sua vida sexual não anda bem. Grande foda-se para isso!

 - Quem disse que eu tô com uma vida sexual atrasada? – perguntei.

 - Eu disse que não anda bem, se você quer admitir que tá atrasada, não é problema meu!

 - Eu não admiti nada! Eu me dou muito bem com mulheres, ok?

 - Pelo amor de Deus, você tem cara de ser azarado com pessoas do outro sexo. Dá para fazer o favor de sair, senão eu vou ter que chamar o segurança!

 - Você tá sugerindo que eu sou gay?

 - Se a carapuça serve.

 - Ah, é? – cruzei os braços, enquanto ela ainda se enrolava naquela cortina. – Repete.

 - Se a carapuça serve. – Disse com raiva e pausadamente.

 - Tanto faz. – virei de costas. – Volta lá para a sua cabine.

 - Falta uma coisa ainda para eu experimentar, espera ali do lado de fora!

 - Tem um banquinho ali, eu espero virado de costas. – revirei os olhos, indo em direção ao mesmo e me sentei no banco, ficando de cara para a parede.

 - Faz o que você quiser, já percebi que você é do estilo "do contra" mesmo! – ouvi um barulho de porta se fechando.

 - Eu não ligo para sua opinião. – retruquei.

 - Somos dois, então! 

 Um tempinho se passou, ela estava, com quase certeza, colocando a última roupa, até eu ouvir ela me chamar.

 - Stiles..?

 - O que foi? – perguntei.

 - Dá para você vir aqui?

 - Fazer o quê?

 - Só vem aqui, por favor?

 - Tá bom... – me levantei, meio revoltado, e fui até ela. – O que você quer? – perguntei, assim que estava em frente à cabine dela.

 - Dá para ser mais educado?

 - Ah, desculpa, senhorita. No que quer que eu te sirva? – soltei naquele típico tom sarcástico.

 - Fecha para mim? – ela abriu a porta e virou, mostrando suas costas desnudas para mim. 

 - O f-fecho do sutiã? – dei uma leve gaguejada, mas algo quase imperceptível. 

 – É... – ela colocou o cabelo para o lado e então pude perceber como estava envergonhada, por isso, tentei evitar tirar o olhar de suas costas e levá-lo a outro local. 

 - Fecho, claro. – Peguei, cuidadosamente, os dois lados do fecho e fui fechando, mas fui obrigado a prender os lábios assim que minha mão tocou sua pele fina e delicada. – Tá bom aqui?

 - Pode apertar mais... Tá bom. – soltou, assim que estava satisfeita.

 - Ok... – fechei, dando um passo para trás, em seguida, e passando a língua entre os meus lábios. Uma mania.

 - Ficou bom? – perguntou, me surpreendendo.

 - É...

 - Por favor, você já me olhou duas vezes, por mais que eu já esteja com vergonha, não faz sentindo você não dar sua opinião.

 - Eu não olhei! – menti.

 - Vamos lá... – se aproximou de mim e colocou dois dedos em meu pescoço, para medir minha pulsação. – Teste da verdade. Você olhou ou não?

 - E-Eu não olhei. - Arqueou uma sobrancelha e me soltou. 

 - Não precisava nem de colocar os dedos na sua veia para saber, sua gaguejada entrega. 

 - Como você sabia esse lance da pulsação? – desviei o assunto. 

 - Eu tinha uma escola antiga, ok? Tenho o mínimo de noção.

 - Ah... Entendi... E, aqui está sua chave! – peguei a chave no meu bolso e entreguei para ela. 

 - Isso é?

 - Do seu armário! Por isso que eu entrei aqui. – respirei fundo e ela pegou.

 - E por que tá faltando um chaveiro?

 - Isso você compra depois, né? – ri e recebi um sorriso de volta, porém ele logo foi desmontado.

 - Tá, agora você já pode ir embora. – falou.

 - Mas você já tá acabando aí, eu te espero.

 - Vai embora, Stiles. Agora!

 - Você não me dá ordens, novata. 

 - Não vai sair por bem? Sai por mal. Quem te mandou entrar?! – disse em alto e bom tom a última parte, assim que viu aquele garoto ruivo gayzinho do primeiro ano entrando.

 - Ele! – apontei para o mesmo, meio que a desmoralizando.

 - Aconteceu alguma coisa? – ele perguntou.

 - Por que você deixou ele entrar? – Mia perguntou.

 - Eu achei que ele fosse seu namorado! – respondeu, como se fosse óbvio. 

 - Nós não namoramos. – dissemos em coro. 

 - Desculpa, então... Eu vi vocês na biblioteca hoje mais cedo, tem algumas pessoas na escola falando sobre vocês dois...

 - Ecaaaaaa! – Mia fez uma cara de nojo horrorosa.

 - Eca digo eu, eu nunca namoraria essa novata. Ela é metida, e além do mais se acha o máximo. 

 - Você pode tirar ele daqui, por favor? – ela pediu.

 - Ok, ok... Então o senhor pode se retirar, por favor? – o ruivo voltou a falar.

 - Posso! – concordei, meio que sem opções. – A propósito, você ficou ótima desse jeito. – dei uma piscada e fui saindo.

 - Só sai daqui! – disse, com raiva, mas eu juro que ouvi uma risadinha no final...

[...]

 - Então você quer que a gente acampe na floresta? – Liam perguntou para Peter. – Com a Mia junto?

 - Sim, se esse Alfa realmente tiver atrás dela, ele deve aparecer, principalmente se for noite de lua cheia. – explicou.

 - Olha, acho que meu pai tem uma daquelas barracas conectadas por túneis, posso pegar com ele. – Malia disse. – Podemos manter uma conexão com a Mia, fingindo que é um acampamento para nos conhecermos melhor.

 - Não me parece uma má ideia, no geral. – Scott deu de ombros. – E estaremos com a alcateia inteira lá, dá para proteger bem ela. 

 - Ok. – falei, em um tom suspeito. – Como você tem tanta certeza de que ele vai voltar?

 - Se ele esta atrás dela, é sinal de que ele tem um motivo, não? – Peter perguntou, arqueando as sobrancelhas, e eu concordei com a cabeça. – Então, para ele a achar, ele precisa do cheiro dela. Somos comparados com lobos, não elefantes para termos boa memória.

 - Tá, então vamos usar ela como isca?

 - Basicamente.

 - E como são essas tendas? – Liam perguntou, como se bolasse um plano em sua mente.

 - Tipo... tendas normais, mas, ao invés da "porta" dar para a floresta, dá meio que para um túnel, que vai conectar com os outros "quartos" – Malia ficou fazendo aspas com os dedos.

 - A gente deixa a Mia no mais difícil de entrar. 

 - Mas ele é um Alfa, não trouxa, pode rasgar a tenda.

 - Qualquer coisa, o Stiles faz uma barreira de mountain ash. – Hayden sugeriu – Como ele é o único que pode mexer nisso, ele fica com ela.

 - Ele estava com problemas para mexer nisso ultimamente. – Scott soltou e eu o encarei. Não era para ele ter dito nada.

 - Como assim? Você mordeu ele, por acaso? – o Beta, que mal sabia das informações, disse, fazendo-me rir. 

 - Ah, claro. – soltei irônico. – Você não ouviu os boatos de um homem animal pelado correndo pelas ruas?

 - Isso foi uma vez... – ficou um pouco vermelho e baixou a cabeça. – Não aconteceu de novo.

 - Ah, claro, tirando as inúmeras vezes que você deu um surto porque não se lembrava de falar "O Sol, a Lua e a verdade".

 - Tá, chega.

 - Sim, chega mesmo. Depois a gente fala com o Deaton, tenho certeza que ele dá um jeito. – falei, tentando acabar com o assunto.

 - Vocês pretendem contar para ela a história inteira quando? – Peter perguntou, me ajudando.

 - Não sabemos ainda. – Scott respondeu. 

 - Ok, mas sabem que uma hora vocês vão ter que contar, né? Lobisomens, alfas, kanimas... Simplesmente tudo.

 - Sim, mas acho que pode esperar.

 - Se eles não contarem e ficarem a enrolando, eu conto, relaxa. – Malia concluiu.

 - Tá, de qualquer jeito, vocês vão querer levar ela para o acampamento mesmo? Tipo, a mãe dela morreu na floresta, creio que ela não queira ir. – perguntei.

 - Stiles tem um ponto. – Liam concordou comigo. 

 - Precisamos da pessoa certa para convencer ela a ir... – Peter disse.

 - Convencer quem a ir aonde? – Mia chegou com algumas sacolas, perguntando. 

 - Você vai acampar com a gente no sábado. – Malia soltou. 

 - Acampar? Aonde? – perguntou como se já estivesse entediada.

 - Na floresta! – respondeu, dando de ombros.

 - Vocês querem me fazer voltar ao lugar que eu vi minha mãe morrer?

 - É!

 - Vocês são uns idiotas. – senti que a voz dela ficou embolada e a mesma entregou as sacolas para Peter – E eu realmente achando que vocês quisessem me ajudar. Só querem que eu me sinta pior ao lembrar da minha mãe. – saiu correndo para algum canto do shopping.

 - Malia... – adverti ela, quando notei que todos olhavam para mim. – O que foi?

 - Vai atrás dela, Stiles...

 

 


Notas Finais


Aaaaah, espero que vocês tenham gostado! Mais uma vez, obrigada àquelas que comentaram no último cap! Vocês moram no meu core, sério! ❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...