História The new always wake up - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Nejisaku Sasusaku
Exibições 8
Palavras 1.152
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Essa na foto é a nossa Sakura amores.
Então, aqui estou eu, com mais uma Fanfic.
Eu nunca estive tão animada com uma história.
Espero que gostem, boa leitura.

Capítulo 1 - Faded


Fanfic / Fanfiction The new always wake up - Capítulo 1 - Faded

O que eu acho sobre isso? 

Bom, acabei de chegar na prisão, ops, meu lindo lar. Tive que fazer o teatro diário para meus pais. 

“Mamãe, sim estou bem, fui até a casa de Hinata, ela me mostrou o vestido que usará no casamento, sim ele é lindo, sim estará a altura, mamãe Hinata se veste muito bem, tudo bem mamãe, vou dormir.” 

“Beijo na bochecha, te amo papai, vou dormir” 

Quanta hipocrisia. 

Sasuke, como sempre, me deixou na mão. 

Estou sendo forçada a me casar com Sabaku no Gaara. 

O motivo? 

Para reaver ações, papai colocou a cabeça da filha como prêmio, bom, a mão da filha como prêmio. 

Estou noiva faz dois meses, o casamento é esta semana. 

Mamãe surtou quando viu que teria que resolver o casamento em pouquíssimo tempo, e sozinha, já que a mãe do Gaara é falecida. 

Sim, meu noivado foi digno de uma princesa, mas eu usava uma coroa de espinhos. 

Meu noivo é muito educado, mas tenho minhas dúvidas sobre ele. 

E bom, voltado ao assunto principal, agora estou deitada em minha cama, espumando de raiva, Sasuke!

Tudo que eu fiz foi dirigir quinze quilômetros até o raio da cidade em que ele mora, tentar pela última vez pedir ajuda. 

E ele simplesmente me ignorou e disse pra eu dar um jeito. 

Eu até disse que iria fugir com ele, mas o Uchiha não quer abandonar a família. 

Que ódio! 

-Calma Sakura, calma.-Digo pra mim mesma, olhando o espelho. -Tenho que parar de falar sozinha. 

Pego a bolsa que levei pra esconder a roupa que usei pra ver Sasuke. 

Uma saia pequena e apertada e uma blusa comum, bem do jeito que ele gosta. 

Dona Mebuki teria um colapso se me visse usando isso, por isso me troco no carro. 

Sasuke era alguém um tanto diferente do que eu estava acostumada. 

Grosso, insensível, cafajeste, selvagem. 

Eu adorava tudo isso. 

Ele não é rico, os pais tem uma loja de conveniência, o moreno trabalha lá. 

Nós conhecemos através de Hinata, o Uchiha é amigo de Naruto, namorado da Hyuuga, um dia ela me levou pra conhece-lo. 

E daí começamos um relacionamento. 

Era cansativo as vezes, Sasuke sabia que as vezes não me fazia bem, mas eu gostava disso. 

Vivia numa realidade diferente, morava na cidade vizinha. Era alguém diferente em minha vida. E tudo que é proibido, é muito melhor. 

Porém, logo logo vou me casar, oque será de mim? 

Paro com a paranóia e tiro o vestido que estava. 

 Coloco um shorts normal e uma blusa de moletom do Sai, tiro minhas lentes e ponho os óculos. 

Desarrumo cabelo e me sinto livre. 

Meu cabelo é de uma cor estranha, é ruivo mas parece rosa. Resultado dos procedimentos e remédios que minha tomou durante a gravidez para não ter estrias nem engordar. 

Olho em volta. 

Este é o meu mundo? 

Um quarto todo rosa, cheio de luxo, um closet cheio de roupas, caras, que eu odeio. 

Essa sou eu? 

Sakura Haruno, herdeira do magnata da construção civil, Senhor Kizashi Haruno. 

Sou conhecida por herdar a elegância e beleza de minha mãe. 

Mas eu não ligo pra nada disso. 

Vou pra janela. 

-Olha quem está aqui, vim te procurar. -Digo para Ana, minha gatinha. 

Minha mãe tem horror a animais. 

Achei Ana, uma gata vira-lata, na rua, toda maltratada, não resisti e trouxe-a pra casa, ela sempre vem à minha janela. 

-Quer passiar comigo?-Pergunto e vou para o parapeito da janela. 

A descida é longa, mas estou acostumada a escalar a árvore que tem ao lado da minha janela. 

Corro pela rua com Ana em meu colo. 

Paro na pracinha do condomínio. 

-Vai Ana, vai passiar. -Coloco ela no chão. 

Sinto a brisa. 

As vezes eu queria ser como o vento. 

Ir embora pra qualquer lugar.


                                ★ 


-Bom dia querida. -Recebo uma travisseirada na cara. 

-Ridicula do cacete.-Digo cobrindo o rosto com um cobertor. 

-Acorda meu amor, agora não é hora de dormir, são sete da noite.-Sai me disse. 

-Eu sei, mas experimentei meu vestido hoje, fiquei horas naquele lugar terrível com minha mãe, to morta.-Reclamo. 

Sai sorri triste, ele sabe tudo da minha vida, mas tenho certeza que não está triste por minha causa. 

Ele é meu primo, nascemos no mesmo ano, no mesmo mês e o pior de tudo, no mesmo dia! Minha mãe nunca gostou de ter que dividir a atenção da família e dos amigos com titia Anika. 

Sai é gay, assumidissimo. Desde criança titia desconfiava, ele era uma criança viada. Sempre vestia minhas roupas nas brincadeiras e roubava minhas bonecas. 

-O que foi bicha?-Pergunto.

-Nada não, só estou cansado.-Ele revira os olhos. 

-Você vai bem bonita pro show de horrores que vai ser o meu casamento né?-Começo a trocar de roupa. 

Eu e Sai sempre nos trocamos na frente um do outro e essas coisas. Não temos vergonha de nada. 

-Vou sim. -O moreno deita na minha cama.-Vou brilhar muito mais que você. 

-Você devia ter ido hoje.-Digo.-Pra ver o vestido cafona que eu vou usar, minha mãe é tão previsível. 

-Titia deve ter escolhido o vestido mais esvoaçante e caro que ela achou. -Ele ri. -Amor se eu tivesse esses peitos que você tem...Ia ser feliz, eles são perfeitos! 

-Pode parar com a inveja.-Cubro os meus seios com as mãos. 

-É verdade, oh Deus, por que eu fui nascer homem?-Sai adora ser dramático. 

-Para com isso, tenho certeza que o seu Boy secreto que com certeza é hétero gosta assim, sem peitos para atrapalhar os trabalhos. -Falo.-Me conta quem é esse cara que resiste aos seus encantos. 

-Amor, primeiramente, ele é tão viado quanto eu, só não liberou esse lado colorido ainda. -Ele arruma o cabelo e cruza as pernas. -Segundamente, não conto não, se não você com essa linguinha rodada sai contando por aí. 

-Grr, te odeio. -Abro a porta. -Vamos comer que eu tô morrendo de fome. 

-Sua mãe não vai te xingar por você estar com essa roupa?-Sai pergunta. 

Estou usando uma blusa preta, que deixa minha barriguinha a mostra,um shorts folgado e só estou usando meias nos pés. 

-Minha mãe vai jantar fora com meu pai, o pai do Gaara e o proprio Gaara, eles vão discutir alguma coisa lá que eu não me importo. 

-Aah, então a Nikki tá liberada pra fazer aquele super hambúrguer pra gente?-Ele pergunta esperançoso. 

-Querido, fica mais gostoso quando a gente faz junto. -Solto uma risada. -NIKKI PREPARA A COZINHA, POIS O BRILHO TÁ INDO PRA LÁ. 

-HOJE QUE EU TIRO A BARRIGA DA MISÉRIA.-Sai grita. 

-HAMBÚRGUER, EU NÃO PRECISO DE UM CRUSH, PRECISO DE HAMBÚRGUER! -Cantamos juntos. 

-NIKKI, VAMOS BOTAR O PAPO EM DIA MULHER!-Sai ri que nem uma gazela até chegamos na sala. 

-Mamãe?




“Where are you now? 

Another dream

The monsters running wild inside of me I'm faded

So lost

I'm faded”


-Faded, Alan Walker. 



“Onde você está agora? 

 Outro sonho. 

 Os monstros correm selvagens dentro de mim.

Estou desaparecendo. 

Tão perdida. 

Estou desaparecendo.” 



Notas Finais


Foi isso amores.
Até o próximo.
Logo no último capítulo, terá a explicação para a capa da fic.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...