História The New... Blonde - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens BamBam, Jennie, Lisa, V
Tags Bambamtailandese, Fromthailandtokorea, Lisatailandese
Exibições 7
Palavras 3.043
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eae povão!
Tia Nath tá de volta e com uma nova historinha!
Eeeee!
*Continuo com as recomends lá nas Notas Finais hem... maneirinho?
Até lá pissoinhas!

Capítulo 1 - De um lugar para o outro


Fanfic / Fanfiction The New... Blonde - Capítulo 1 - De um lugar para o outro

Eu era um tanto alta

Tinha meus cabelos tingidos de loiro

Era  minha "marca" se posso dizer assim

Eu adorava a Tailândia 

Bom, foi lá onde eu nasci...

Me chamo Lalisa Manoban ou ลลิสา มโนบาล 

Eu tenho 20 anos e vou me mudar para a Coréia do Sul

Realmente, não sei o que me espera...

Meu maravilindo despertador toca umas 4 da manhã. Sei lá por que eu coloquei esse horário maravilhoso... tá eu sei sim! Feliz? (T/N: Muito L/S: Ah vai...) 

Levanto da cama com a minha única e linda cara de tédio e vou para o banheiro. Quando eu chego no espelho (acho que é o Satanás porque MISERICÓRDIA EU TÔ HORRÍVEL!), pego minha escova e começo a escovar meu cabelo totalmente bagunçado! Eu tinha um gato, dei o nome dele de มโนบาล (o que significa "Manoban", meu sobrenome). Ele tinha esse nome porque ele era um amorzinho, tipo eu! Todo peludinho e branquinho! É claro que eu levaria ele comigo, preciso de alguém que escute minhas reclamações sem reclamar também! 

Quando eu saio dessa viagem muito loka das kebrada, percebo que eu estava me encarando no espelho boquiaberta, parecendo que tem algum neurônio faltando no meu cérebro! Olho pro tapete rosa do banheiro e vejo meu bichano lambendo meu limpíssimo pé. 

(Que imagem maravilhosa... ~moon face~) 

Dou uma sacudida pra ele largar do meu pé e saio do banheiro. Pego a roupa que iria viajar e de novo, volto o banheiro para me vestir. Saio vestindo um 'top' rosado por baixo e uma blusa regata branca por cima, uma calça jeans vermelha, uma meia calça preta "de desenhos" e um tênis de uma marca que eu não faço a mínima ideia de qual seja, que era num tom marrom bem puxado para o preto. 

Vou direto para o meu celulinho e vejo a mensagem. 

Taezão: Q horas é o seu voo??? 

Ficha do Personagem

Nome: Kim Taehyung / 김 태형 

Apelidos: V / Tae (apelido do colégio) / TaeTae (apelido de infância) / Taezão 

Idade&Nascimento: 1995/12/30 faz 21 esse ano 

 

Aish, as vezes fico pensando com éramos a tempos...

Flash Back On 

-Corre Lice! Corre, corre! - ele dizia me apressando e claro, rindo - Eles vão nos pegar! 

-Eu tô correndo Tae! - dizia parando e me escondendo - Acho que aqui a Nie não vai achar a gente! 

-E o Mook também né?! - diz com uma cara sarcástica pra mim. 

De repente ouvimos. 

-Há! Peguei você! - era o Mook que tinha pegado o Tae - Pega a Lice! 

Eu sai correndo o mais rápido possível para o pique. Só que no meio do caminho, a Nie aparece e ela me pega. 

-Peguei, Peguei! Eu peguei a Lice! - dizia acenando para Tae e Mook - Vem, levanta. 

Sim, eu tinha caído. Nós sempre brincávamos disso no recreio. Tae e Nie eram dois coreanos que vieram passar um tempo aqui na Tailândia. Acabamos nos tornando muito amigos. 

-Ah, finalmente! Ela seeempre é a última! - diz Mook - Vamos, o recreio acabou... infelizmente :( 

Flash Back Off 

Aff, acho que sou muito sentimental quando se trata de memórias...

Deixa eu esclarecer alguma (duas) coisas: Mook e Nie eram abreviações pebas que a gente deu um pro outro quando nós éramos pequenos. E sim, Lice era o meu apelido/abreviação. 

(Resumindo: eu usava uma faixa preta no cabelo igualzinha a da Alice no País das Maravilhas [na época, não era loira] e então, eles juntaram o nome Lalisa com Alice, que ficou Lice. Aí, só me chamavam assim, mas hoje me chamam apenas de Lisa) 

Depois de todo esse meu "transe", respondo: 

Eu: 8:30 senhor horário! 

Taezão: Nossa, engraçaDONA VOCÊ! Garota sem sal... lembra? 

Eu: Como não Taehyung! Sendo que fui eu q inventei POSER! 

Taezão: Nossa, magoou! Nem falo maiiiis com vc! :( >:/ 

Eu: Já pode fazer drama! 

Taezão: Já disse que já tô fazendo? Baby, sô chique miga! 

Eu: Caraca vey! Então se tá rico né bem?! 

Taezão: Kerida, eu tô morando numa das casa + caras de Seul, Inês Tailândia! 

Eu: Não vey, se é uma pipoca estragada man! N quero t encontrar no aeroporto daí! 

Taezão: Oxxi, pq? 

Taezão: Q q eu t fiz? 

Você está Offline 

Taezão está Offline 

Jogo meu celular na cama. 

Sento na cama e o meu gato vem, pula na cama e senta no meu colo. O tiro de lá e vejo que já eram 5;32 am. Saio do quarto e vejo minha mãe saindo do quarto dela - de pijamas com um roupão por cima - andando em direção as escadas, nem percebendo que eu estava ali observando. Então a sigo e ela se vira, tomando um susto quando digo "สวัสดีเเม่" (Oi mãe!) e dou um abraço nela. Ela me responde e nós descemos para a sala, que ficava ao lado da cozinha. Ela me olha e diz:

-Dá uma viradinha filha... - minha mãe diz e eu dou - Nossa já tá toda arrumada! Quer me ajudar a fazer seu último café aqui? - ela me pregunta. 

-Sim! - digo com um pequeno sorriso. 

Aquela sua fala tinha me feito cair na realidade. Era meu último café com ela, meu último dia com ela, minha mãe. 

Sabe aquela pessoa que dá vontade de guardar em um pontinho e ficar com esse pontinho pra sempre? essa era minha mãe para mim. Ela que me criou, me deu carinho, apoio, amor, foi ela que guardou meus segredos, medos, "crushes", badernas... foi ela que montou grande parte desse gigante quebra-cabeça chamado Minha Vida. 

VVVVVVVVVooolllllltttaaannnnnddddoooo.......

Estávamos na cozinha preparando waffles quando o celular da minha mãe toca. Ele stava na mesa de centro da sala então, fui lá e - muito curiosa - vi que era meu pai. 

(Resumindo2: Meu Pai e minha Mãe se separaram a muito tempo. Eu tinha uns 6 anos quando meu pai me chamou e disse que eu ia morar com a minha mãe enquanto ele ia morar na Coréia do Norte. Eu fiquei bem triste, mas superei.)

Dei um grito.

-MMMMMMMMMÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃEEEEEEE! O meu pai tá ligando!!

-Atende pra mim por favor!

-Tá!

Então, a deusa aqui desbloqueia o IPhone 6s plus (POR QUE EU NÃO TTTEENNNNHHHOOOO?????) e atende.

~(voz do telefone) Alô?

-Oi pai! – disse nem um pouco interessada.

-Oi filha! Era com você mesmo que eu queria falar!

-Dá pra parar de falar coreano pai? Não justifica o fato de você estar na Coréia! Se você tá ligando para uma tailandesa, você vai falar tailandês!

-Acho que a sua educação ficou na casa daquela sua amiga ontem...

-Pai! Ela não tem NADA haver com isso tá senhor “adivinha falsificado”!

-Eu vou direto ao assunto porque eu não sou nem um pouco obrigado a ficar recebendo patada não Okay? Quando você chegar lá no Sul (meu pai menospreza a Coréia do Sul assim) você vai morar na minha antiga casa que você ia passar as férias com a sua tia tá?

-Minha tia? Há! Aquela que foi obrigada, não lembro por quem, a ir morara no Norte com você mas ela se recusou e foi morara SOZINHA na CORÉIA DO SUL...

-Está acertado. Você mora lá! Tchau e um beijo pra minha esposa!

-ELA NÃO É SUA ESPOSA E EU NÃO SOU MAIS SUA FILHA!

~ligação terminada

Logo em seguida, respiro bbeeeemmm fundo e conto até três. Depois, com o celular na mão, volto à cozinha e deixo-o em cima da bancada.

-Filha, você não devia falar assim com o seu pai... sabe, ele te ama, é seu pai. Mesmo que nós nos separamos, ainda sou sua esposa e ele meu marido. Mesmo que ele não haja assim...

-Mãe, eu sei... só que dá vontade de falar tudo aquilo que vem na minha cabeça, só para ele ficar sabendo que ele estragou minha infância... os momentos bons que eu me lembro, são os que estamos eu, Tae, Nie e Mook e os com vo-cê...

Minha voz sai falhada no final e meus olhos ficam marejados.

Aish, para com isso Lalisa! Você é adulta! Não pode viver chorando como... antes.

-Filha... – minha mãe vem e me dá um abraço, depois de secar suas mãos em um pano – Eu sei que as vezes, dá vontade de dar uma voadora na cara do seu pai mas... – ela me faz rir – A gente precisa dele vivo né?! E ele tá te dando uma chance de vida nova, e ainda vem com o bônus... é longe dele!

Ah mãe, você é a melhor de todas!

Seco minhas mini-lágrimas e pego meu prato de waffles. Nós fomos até a mesa e comemos conversando diversas coisas sobre a Coréia.

É, vai ser um desafio me acostumar com os hábitos coreanos...

 

Depooooois de comer, eram umas 6:30 por aí. Então, levei meu prato para a cozinha e fui correndo pegar minhas malas e chamar o táxi. Com calma, vou descendo de vagar com minhas malas. Eram duas e uma de mão. Outros móveis do meu quarto e blá, blá, blá... iam ser levados num jatinho que meu pai tinha. E por que eu não vou de jatinho? Não quero ver a cara do meu pai nem um momento sequer! Como o jatinho é mais rápido do que o avião normal – o do povão – as minhas coisas vão chegar mais rápido na minha “casa” do que eu.

&&&&&QUEBRA&&&&DE&&&&&&&&&&&&&&&&&TEMPO&&&&&&&&&&&&

Estava tudo pronto. Já tinha colocado “Manoban” na sua “gaiolinha/caixa/não sei o nome disso” pra ele não escapar. O táxi chegava em 10 minutos e me levaria direto para o aeroporto. Então deixo minhas malas na porta de casa e vejo minha mãe saindo da cozinha. Vou até ela e dou um MEGA abraço nela. Ela não iria me deixar no aeroporto então seria meu último abraço com ela.

Eu conseguia me lembrar de todos os nossos bons momentos, e isso me fazia ficar muito triste. Um mar de lágrimas aparece em meus olhos e começam a escorrer deles como uma cachoeira, que jorrava água e mais água lentamente.

Depois desse meu drama, desfazemos o abraço e seco minhas lágrimas.

-Eu nunca vou te esquecer mãe... Eu vou te ligar todos os dias... Queria que fosse comigo... Mãe, ainda dá tempo! Eu tenho duas passagens e- sou interrompida.

-Filha, você está indo para a Coréia para a sua formação como profissional! E olha, você cresceu muito e já é uma adulta! Pode se virar sozinha! E, escute bem, se nada der certo, as portas estarão abertas para a sua volta MAS – ela dá ênfase – não desista na primeira derrota...

Outro abraço é feito. Estava tão segura, agora com estas palavras de minha mãe. Realmente, estando juntas ou separadas, ela sempre estará no meu coração (e ao meu lado).

O barulho da buzina do táxi adentrou em casa, fazendo-me desfazer o abraço e correr para a porta, abrindo-a. O taxista me ajudou a colocar as malas no porta-malas (até porque, força, é algo que falta em mim). Me viro e vejo minha mãe, olhando serenamente eu e o taxista ajeitando as coisas, vem até mim e diz.

-Vá com fé! Siga em frente... – e eu a maravilhosa continuo.

-Olhe para o lado/ Se liga no mestiço na batida do cavaco!

-(risos) Ai meu Deus, só você mesmo filha! – ela põe as mãos sobre meu rosto e dá um leve selar em minha testa – Dará tudo certo!

Olho para ela e afirmo com a cabeça. Entro no táxi e antes dele dar partida grito.

-Tchau mãe! Eu te amo!!!!!!!

-Eu também filha!

%%%%%%%%%%%%QUEBRA%DE%TEMPO%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%

1 hora de atraso.

Eu estou aqui a milênios gastando meus dados móveis com apps de música. Já estou ficando estressada! Ainda mais pois eu tô vendo que qualquer pessoa que chega horas depois de mim, embarca primeiro. NÃO É POSSÍVEL NÉ UNIVERSO!

Aff, finalmente!

Depois de uns 15 min depois da minha linda reclamação de Demora Absurda, o avião chega. Não sei exatamente quantas paradas são mas... sei lá, só quero chegar lá logo!

Eu dei meu passaporte, que foi carimbado, e me deram permissão para entrar no avião. Lá, rapidamente achei meu lugar – que ficava do lado da janela e por sorte, ninguém ficou nos lugares ao lado do meu. Coloquei a “gaiolinha/caixa/não sei o nome disso” no  assento ao meu lado e minha bolsa de mão em um espaço entre mim e o gato. Abri a mesma e peguei o meu celulinho, abrindo o Kakao – tipo um whatsapp da Coréia – onde mando uma mensagem pra minha Omma (afinal, tenho que começar a me acostumar com o coreano) avisando que eu já estava no avião e ele estava prestes a dar partida.

O avião pegou impulso e começou a subir. Quando chegamos lá no alto, as “televisõeszinhas” ligaram e a primeira coisa que apareceu foi um comercial, um comercial de bolsas famosas da Coréia. E claro que não tinham só bolsas, também tinham roupas e outros. Só que durante o comercial, eu vi uma garota que parecia com a Nie... estranho.

Então, fiz o máximo de esforço para tirar fotos dela, e mandar pro Tae. Ele tem uma memória melhor que a minha.

Eu: (foto)

Eu: (foto)

Eu: Me diz c n parece a Nie?!

Taezão: Mel Dels! É mesmo vish... man, eu acho q é ela!

Taezão: Dondé q tu acho essa ft? Pelamor man, me diz!!!

Eu: Calma aí! Eu tô no avião pô! Eu tava vendo um comercial nessas tvs daqui e eu vi essa menina, aí eu resolvi tirar foto e te mandar inteligência!

Taezão: Claro q eu sabia! Maiiiis pq q tu n quer me ver qnd vc chegar aqui???

Eu: Pq vc é um pateta e vai me fazer passar vergonha igual da última vez caraca!

Taezão: Tá né... c tá locona tio!

Eu:KKkkkkkkk

 

Deixa eu explicar para vocês o “Igual a última vez”.

Quando eu , ano passado, fui passar as férias na casa da minha falecida tia eu encontrei por acaso o Tae depois de uns 14 anos mais ou menos. Aí, ele me fez pagar mico no meio do aeroporto Internacional da Coréia e a partir daí, a gente não para de conversar no Kakao. É o único amigo do nosso quarteto que eu reencontrei.

Depois disso, na TV só passava drama então aproveitei para dormir...

A viagem durou 3:17hrs. Só demorou mais por causa do atraso, que eu contei também. Depois de sair do avião, pegar minhas malas e sair da área de desembarque, a First Person que eu encontrei foi o taxista metido à besta contratado do meu pai que disse um “Estou esperando a mais de horas mocinha” e eu dei um “Problema seu, trouxa!” e dei de ombros. Rapidamente eu chego até o carro dele e entro no mesmo, no banco de trás. Prefiro ficar atrás dele pois lá eu posso ficar mais à vontade e poder empurrá-lo com prazer.

 %%%%%%%%QUEBRADETEMPO2%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%

7, 6, 5, 4, 3, 2, 1! Finalmente!!! Graças!!  

Chegamos na antiga casa da minha tia. Ela era muito bonita, tinha uma cor azulada nas paredes da sala principal, bege nas paredes das escadas – que levavam ao segundo andar – o quarto dela tinha uma das paredes toda rosa e as outras verdes. Era uma casa TODA colorida. Eu iria ficar no quarto da “Titia” porque era o maior (claro) e tinha suíte.

Eu tinha a chave da casa em mãos. Daqui pra frente, seria aqui que eu moraria. Destranco a porta vendo móveis novos na casa. Provavelmente todos foram trocados, mais eram lindos! E nenhum deixava vacilar a combinação das cores, estava mais linda do que antes!!

O carinha que dirigiu – o que eu gosto de atrapalhar no trânsito – pegou minhas malas e as colocou dentro de casa. Deu tchau e foi embora (que bom!).

Meu joguei no sofá logo depois de fechar a porta. Ele era confortável e muito macio. Me levanto e vou até as escadas, subindo-as e indo em direção ao meu novo quarto. Quando abri a porta do mesmo – que ficava do lado esquerdo do corredor – ele estava com uma nova cama, nova escrivaninha, um frigobar (Oh good! J) e milhares de outras coisas super lindas. Saio do quarto e desço as escadas, pegando minhas malas e subindo as escadas novamente.

Coloco-as em cima da cama – que era gigante e alta – e vou jogando tudo lá de dentro pra fora das malas. Depois de tirar tudo, abro o armário e começo a organização:

<: Os meus vestidos, jaquetas e casacos, sobretudos estavam pendurados nos cabides, que ficavam na parte do meio;

<<: As minhas blusas (tanto croppeds, manga curta ou longa) eu guardei nas gavetas da segunda parte do guarda-roupa;

<<<: As minhas calças, shorts, meia calças estavam agora na terceira parte;

<<<<: Os saltos, botas, tênis e sapatilhas, estavam em um compartimento na parte de baixo na parte do meio do guarda-roupas (em baixo dos vestidos);

*OBS: outras coisinhas estavam espalhadas  nele ou em minha penteadeira, que fica ao lado da cama.

-Aleluia Jesus! Acabei!!!! – foi o que eu disse quando acabei de arrumar tudinho.

Como já eram em torno de Meio dia, eu me troquei e sai de casa na procura de um restaurante. E claro, que eu levei o meu bichano comigo né... pra ele dar uma voltinha depois de ficar encaixotado por 3hrs!

“Boto” uma roupa tradicional minha e saio de casa, trancando a porta.

Andava com o meu bichano tão tranquilamente, observando a atmosfera de Seul, que era tão diferente de Bangkok. Estava tão diferente da última vez que vim aqui... impressionante!

De tanto observar as coisas, acabei encontrando um restaurante de comida tailandesa do outro lado da rua, então atravessei e – como tinha a parte de dentro e de fora – fiquei na de fora por causa do meu gatinho. Logo avistei o cardápio sobre a mesa e fui folheando. Pedi um Pad Thai.

Peguei meu celular e fui ver as notificações. Nenhuma mensagem importante, só bobagem de gente que não tem nada pra fazer... mas eu tenho!

 

Meu pedido chegou depois de uns 20min. Fui comendo. A comida do avião é horrível, então acabei não comendo. A coisa mais estranha, é que eu senti alguém me olhando, até que...

Oh não, eu já vim de muito longe

De repente, nada disso é mais um jogo

~Playing With Fire [BLACKPINK]

 

 


Notas Finais


Eae povão?!
Gostaram do 1º cap????
Demorou um pouquinho pra sair por que eu estou em época de prova...
MAS como eu sou um Tia Nath incrível,,,, achei um tempinho e postei aqui proces!
A recomends de Hoje é a música:

Black and Yellow - Wiz Khalifa Ft. Snoop Dogg, Juicy J, & T-Pain [G-MIX]

Beijo pissoinhas! Annyeong❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...