História The New Selection - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção, Dove Cameron, Justin Bieber
Personagens Dove Cameron, Justin Bieber
Tags Tns
Visualizações 242
Palavras 2.163
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii sumidos, normalmente eu posto a cada três dias, dessa vez dei uma pequena atrasada por conta do início das aulas, ficou bem corrido conciliar tudo novamente. Enfim, peço desculpas, sei como é ruim ficar esperando a atualização da fanfic, acreditem, sofro d+ com essas coisas.
Espero que vocês gostem do capítulo, e não me matem, apenas confiem em mim haha.
Boa leitura! 💗

Capítulo 6 - Chapter V


Fanfic / Fanfiction The New Selection - Capítulo 6 - Chapter V

Summer Evining P. O. V

Estávamos no salão de refeições, já estava na hora do almoço e um lugar estava vago fiquei o olhando imaginando o que teria acontecido com a garota que se sentava ali. Passando mal? Indisposição?

- Sabe o que aconteceu com a garota que se senta ali? - pergunto a Audrey entre uma garfada e outra.

- Eliminada.

Engulo em seco, a primeira eliminação havia acontecido e eu não estava sabendo.

- Quando isso aconteceu?

- Hoje pela manhã, todas estão preocupada, geralmente quando uma é eliminada desencadeia várias outras.

Pepper parecia estar nervosa, se até ela estava, é porque o perigo é grande e real, qualquer passo em falso e adeus seleção, de repente a comida não parecia tão gostosa, meu estômago embrulhado e o desespero crescendo cada vez mais. Olho para Justin que come calmamente, não quero ir embora sem antes tentar, eu realmente quero tentar, abaixo o olhar quando o mesmo me encara e levanta a sobrancelha. Espero ansiosamente pelo fim da refeição.

Saio sem olhar para trás, viro em alguns corredores até finalmente achar o que eu queria, a biblioteca.

Como o esperado tudo em silêncio, sem ninguem, respiro fundo aproveitando o momento de calmaria, por um tempo eu não era uma selecionada e, sim, apenas Summer, a garota do vilarejo cujo os avós são donos de uma mercearia. Me jogo em uma das poltronas e relaxo o corpo, não estava afim de ler, apenas de ficar ali no silêncio e organizar meus pensamentos, porem, todos meus planos vão por água abaixo quando vejo alguém entrar. Penso em me esconder, mas é tarde de mais, um cara alto com cabelos loiros e olhos claros adentra e acena para mim gentilmente,  correspondo com um sorriso.

- Boa tarde, senhorita...? - sua voz era grossa e muito bonita.

- Summer, apenas Summer - respondo

- Ok, apenas Summer. 

Rolo os olhos pela brincadeira sem graça, sabia que pela lei de etiquetas não poderia fazer isso e por educação deveria perguntar seu nome, mas eu não queria ser educada, só queria ficar quieta no meu canto.

- E você, como se chama? - pergunto por fim.

- Ryan, apenas Ryan.

Oh, ele estava zoando a minha cara.

- Tudo bem, apenas Ryan? - faço sua brincadeira sem graça de segundos atrás.

- Estou ótimo e a senhorita?

- Estaria melhor se não tivesse usado o senhorita, lembre-se, sou apenas Summer - dou uma rápida piscadela. 

- Posso saber o que está fazendo aqui sozinha?

- Seria estranho se eu dissesse que estou fugindo?

- Não, não seria, entendo exatamente como é querer fugir de tudo - Ryan estava sentado a minha frente, foleava um livro que fora deixado ali.

- Sabe? - questiono me sentando ereta - Estou em uma competição com mais treze garotas, até essa amanhã eram catorze mas soube a minutos atrás que fora eliminada. Tem outra que não larga do meu pé, e eu sinto que ela está planejando algo contra mim, não sei se estrou preparada para tanta pressão. Mas também não quero desistir de tudo, tem algo em jogo que muito me interessa. Porem, estou morrendo de saudade dos meus avós, da comida e da calmaria do vilarejo é tanta saudade que chega a doer e acaba me sufocando.

Desabafo, falo tudo que venho guardando nesses últimos meses o que me surpreende, guardei tantas coisas que nem eu mesma sabia que sentia tudo aquilo.

- Eu imagino que não esteja sendo fácil, mas uma coisa eu posso afirmar; tudo se resolverá no final. Sei que para vocês que são novas nessa área e não estão acostumadas com a pressão que a coroa tem, mas existem coisas que valem apena passar por isso, por todo esse sacrifício, acredite em mim - seu tom era suave, mas suas palavras eram firmes.

- Como...como sabe de tudo isso? - questiono. 

- Pode se dizer que eu tenho bastante contato com a coroa.

- Como assim? - indago. 

- Curiosa.. - cantarola. 

- Não me vejo assim, apenas investigo os fatos - me defendo.  

- Ou seja, curiosa - responde enquanto da de ombros. 

- Bobo - mostro a língua, em um ato sem pensar - Vai me contar ou não?

- Se eu não contar, vai me mostrar a língua de novo? - sabia que não deixaria passar em branco, sinto meu rosto esquentar, estava prestes a me levantar e ir para meu quarto - Tudo bem, tudo bem... eu conto - com suas mãos em meus ombros me fez sentar novamente - Sou o príncipe de Honoris, "primo" do Justin que consequentemente é o príncipe de Auradon, como você já sabe.

Acabei de mostrar a língua para um príncipe, eu poderia ser morta agora mesmo, por que eu sempre faço essas coisas? Por Deus, sou um desastre ambulante. 

- Bom, eu preciso ir... - me levanto rapidamente - Foi ótimo conhecer vossa alteza - faço uma pequena reverencia.

- Ah qual é - se coloca de pé e anda até meu lado - Justamente por isso não gosto de contar para as pessoas que eu sou o príncipe, odeio essa formalidade e essas regras de etiqueta. Que se ferre tudo, eu sou Ryan, apenas Ryan.

Dou um risada baixa, ele é divertido, bato em suas costas em sinal de desculpa já que não tinha sido minha intenção irrita-lo.

- Certo, apenas Ryan - o cutuco - Irritadinho.

- Ei, eu não sou - rapidamente afasta minhas mãos da sua barriga, que era musculosa por sinal.

- Ah é sim - o cutuco novamente - Olha ai, seu rosto já está vermelho. 

- Se eu sou irritadinho você é curiosa - devolve meu cutucão. 

- Claro que não, já falei que apenas investigo os fatos - cruzo os braços.

- Curiosa - seu tom de deboche era irritante - IN-TRO-ME-TI-DA. 

A cada sílaba era uma nova cutucada, já estava preparada para atacar quando a porta da biblioteca foi aberta revelando o príncipe acompanhado por seu pai, rei Aaron. Justin nos encarava sério com a sobrancelhas elevadas e braços cruzados, Ryan e eu nos afastamos em um salto, ambos sem graça e surpresos.

- Majestade, alteza - reverencio-me 

- Senhorita Evining - Justin responde, mas dessa vez seu tom não era brincalhão - Ryan, posso saber o que estava acontecendo aqui?

Olho rapidamente para Ryan, mas ele parecia perdido. Arrumo minha postura, não estávamos fazendo nada de errado, não tinha o que temer.

- Estava na biblioteca e Ryan chegou depois, acabamos nos conhecendo - explico. 

- Sei.. - sua voz era áspera, rei Aaron apenas observava - Senhorita Evining..

- Sim?

- Vá para seu quarto.

- Certo - faço outra reverencia - Até mais Ryan.

- Eu te acompanho - Ryan se dispôs, já ia dizer que não era necessário, mas alguém já tinha o feito.

- Isso não é necessário Ryan, Summer sabe o caminho de seu quarto.

Arregalo os olhos, pela primeira vez usou meu nome na frente de todos, mas sinto que isso não é algo bom. Dou um sorriso solidário para Ry, que corresponde com um balançar de cabeça, rapidamente me retiro da biblioteca o clima estava ficando estranho.

... 

Já estava no meu quarto, de banho tomado e pronta para o jantar, enquanto não dava o horário conversava com Jenny sobre coisas aleatórias que aconteciam no palácio, fomos interrompidas por batidas na porta, como sempre, Jen não me deixou abri-la e assim ela o fez.

- Senhorita Summer, o príncipe está na porta posso deixa-lo entrar? - seus olhos estavam brilhando.

Pensei em recusar, mas da última vez que o fiz Jenny ficou brava, e sinto que precisamos conversar pelo que aconteceu hoje mais cedo na biblioteca. 

- Pode, e nos de licença, por favor!

Jenny sai e Justin entra fechando a porta atrás de si, seus passos firmes me dão calafrio e um arrepio pela espinha.

- Justin - me levanto da poltrona.

- Summer. - responde.

Nos encaramos durante longos minutos, enquanto meus pensamentos criavam várias teorias para ele ter ido até meu quarto. Seria eu a próxima eliminada? Talvez.

- Então.. - inicio, se fosse para ele me mandar embora que fosse logo - Vou arrumar minhas coisas. 

- Arrumar suas coisas? Por quê? - deu alguns passos quebrando toda a distância entre  nós - Você...quer ir...embora? - sua voz era baixa, quase inaudível.

- Eu...não - coloco as mãos no rosto, por instinto. 

- Então por que vai fazer as malas?

- Porque é isso que você quer - resmungo já sentindo as lagrimas escaparem.

- O que? Da onde você tirou essa ideia louca? - uma de suas mãos estava em volta da minha cintura e a outra perdida em meio ao meu cabelo.

- Porque você estava estranho, me mandou voltar para o quarto e nunca vem aqui...e hoje você veio - minhas mãos ainda tampavam meu rosto.

- Nunca mais pense isso - Justin se senta na poltrona e me puxa para seu colo, onde fico de bom grado sendo embalada feito um bebê - Eu jamais faria isso - o silêncio reina sobre o quarto, apenas meus soluços eram ouvidos, abafados por minhas mãos presentes em meu rosto -Sabe, no começo quando aceitei participar de tudo isso, não acreditava muito que acharia alguem que eu pudesse amar verdadeiramente. Se parar para pensar, tudo isso é uma grande loucura. - seus dedos brincavam com os fios soltos do meu cabelo - Sei que não está sendo fácil para vocês e que a muita pressão, e eu peço para que não desista, mesmo sendo um pedido egoísta, gostaria de tê-la por perto. 

Tiro as mãos do rosto e o encaro, seus dedos limpam, com cuidado, as lagrimas que desciam. 

- E agora, você acha que é possível encontrar alguém que mereça seu amor?

- Sim - sua resposta rápida me surpreende, e uma pequena chama de esperança se ascende em meu peito - Algo me diz que já achei, só não sei se sou merecedor do amor dela. 

O olho confusa, afinal, quem não gostaria de amar e ser amada pelo príncipe? Muitas aceitariam só pelo título e as riquezas que o acompanham, mas ele não era só isso, não mesmo. Justin é genuíno, atencioso e de fato, muito carinhoso, fora a beleza que o acompanhava. 

Meus dedos apoiam-se sobre os seus em meu rosto, será que ele não percebia o quanto era merecedor de todo amor do mundo?

Seu pedido rondam meus pensamentos, "peço para que não desista", se eu quiser ir embora o momento é agora. Não sei se conseguiria ficar com alguém com todas as dúvidas e incertezas que essa Seleção nos oferece, a única certeza era do meu possível sentimentos pelo príncipe, sentimentos que pelo menos a metade da província e as selecionadas cultivavam. Ou seja, isso não era garantia, poderia ficar e lutar pelo que eu quero, mas no final ao invés de ganhar o coração do príncipe poderia conquistar um coroação partido. Olho as duas esmeraldas caramelizadas me fitando, a espera da minha resposta. Afinal, eu poderia passar por cima de tudo e ficar com ele? 

- Eu não vou embora - o encaro fitando cada reação - Sei que essa situação não é fácil para você também, afinal, são tantas garotas e tantas possibilidades. E uma de nós ira se tornar a futura rainha, que consequentemente, irá governar ao seu lado, e isso tudo só depende da sua escolha. Espero que encontre alguém que ame, e que seja boa para a província. - desejo do fundo do meu coração, se caso não seja eu a escolhida, continuarei a morar na provincia, gostaria de ter uma rainha digna e amorosa.

Suas mãos calmamente sairam de baixos das minhas e se perderam nas madeixas do meu cabelo, hipnotizada pelas íris dourada e seu aroma amadeirado, com minhas mãos apoiadas em seu peito era possível sentir cada batida do seu coração, que estava quase ou tão acelerado quanto o meu.

Seus olhos, agora escuro, desceram para os meus lábios que mordi inconscientemente. 

Já estava entregue, esperando desesperadamente para experimentar o gosto de seus lábios aos meus, meu sangue pulsava e fervia a cada toque de seus dedos sobre meu corpo. Lentamente esbarra sua boca na minha, instigando uma Summer alvoroçada e predadora, que até segundos atrás não sabia de sua existência.

Fomos interrompidos por batidas na porta, e uma doce voz me chamando. Pepper

Em um salto saio do seu colo e aliso descontroladamente meu vestido, o clima esfriou rapidamente deixando-me constrangida pela situação de segundos atrás. 

- Hm, bom, acho melhor você ir.. - falo sem jeito, enquanto mordo meu lábio com certa força. 

- Já está tarde - responde, se levantando e aproximando-se de mim - Mas, com tudo, nossa conversa ainda não acabou - com seu polegar puxa meu labio o soltando da tortura sofrida pelo meus dentes, sela nossas bocas calmamente me deixando atônita e sem reação - Até mais, senhorita

O observo sair do meu quarto e falar rapidamente com Audrey, que entra rapidamente no quarto com a expressão maliciosa. 

- Pelo jeito alguém está na frente de todas as concorrentes - sentou-se na beirada da cama - O que aconteceu aqui? 

Era a pergunta que eu me fazia, que diabos havia acontecido aqui? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...