História The New Selection - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção, Dove Cameron, Justin Bieber
Personagens Dove Cameron, Justin Bieber
Tags Tns
Visualizações 228
Palavras 2.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Galera, desculpa a demora, mas meus compromissos se estenderam me impossibilitando de postar antes. Fiquei muuuito feliz com os comentários, obrigada de coração! 💗

Capítulo 8 - Chapter VII


Summer Evining P. O. V

Acordo com uma forte dor nas costas, olho para os lados assustada, as lembranças da noite anterior vão ficando cada vez mais clara. Após nossa briga de travesseiro, conversamos a noite inteira até pegar no sono, Pepper estava esparramada na cama. 

Coloco a mão sobre minha costela que reclamava de dor, muito provavel que Audrey tenha me dado um chute enquanto dormia. Levanto-me calmamente fazendo o menos barulho possível, o sol estava pra nascer, seus primeiros raios de luz já eram perceptíveis, caminha silenciosamente até a porta, enfio a cabeça para fora confirmando o que já desconfiava, corredor vazio, corro até meu quarto e adentro quase tão rápido quanto um raio. 

A noite havia sido maravilhosa, totalmente diferente da tarde que só passei raiva. Estava mais calma, mas ainda sim inconformada pela escolha burra e inconsequente de Justin. 

Olho para minha cama ponderando se devo voltar a dormir, mas me conhecendo bem sabia que apenas viraria de um lado para o outro, decido por fim tomar um banho e relaxar.


Saio do banheiro me deparando com Jenny ao lado da cama, com sua postura perfeita, dou um sorriso a cumprimentando. 

- Bom dia, Jen. 

- Bom dia, Summer - Jen havia conseguido se acostumar a me chamar pelo primeiro nome.

Olho meu vestido que a mesma havia separado, azul claro grampeado no busto com os saltos cor creme. Me visto calmamente, já que havia tempo suficiente, opto por fazer uma trança lateral com alguns fios soltos. Peço para Jenny servir meu café no quarto, não estava afim de olhar para cara do príncipe e de ouvir as provocações de Jasmine, quero preservar minha sanidade.

... 

- 1, 2, 3, 4 - Ruby contava lentamente quanto tempo cada uma conseguia andar com três livros sobre a cabeça - Apenas seis segundos, Charlotte - a repreende. 

A grande maioria havia conseguido ficar a cima de um minuto, eu não estava tão atrás mas também não estava igual ou a cima. Precisava me esforçar, mas as lembranças e a raiva do dia passado me invadiam me desconcentrando.

- Agora vamos praticar como se portar sobre a mesa, quais talheres usar a cada refeição - andando de um lado para o outro, nos explicava. 

Ruby nos aconselhou, uma dama tem os movimentos suaves e preciso, graceja por toda parte. Tais qualidades que eu não possuia, mas irei até o fundo e intensificarei os treinamentos até aprender. 

Fomos interrompidas por um guarda que adentrou e foi até Ruby, falando algo baixo quase inaudível. 

- Obrigada, Scott - agradeceu o guarda que deu um balançar de cabeça e se retirou - Senhorita Samantha Stark, o príncipe lhe aguarda lá fora para um passeio no jardim.

Todas viraram em direção de Sam, que sorria alegremente, queria ter ficado feliz por ela. Mas saber que o príncipe estava seguindo bem e sem nenhum remorso me irritava. 

- Prestem atenção, garotas, quem irá sair é a senhorita Stark, o restante continuará na aula. 

Torço o nariz, não aguentava mais essas aulas.

Após longas duas horas, Ruby nos da um descanso, me jogo no sofá observado todas conversarem.

-  Já era a preferida de todas, depois de ontem, de verem a minha química com Drew não vai ter pra ninguém - Jasmine estava no centro da roda que se formava a seu redor - Sei que por ele terminaria essa baboseira hoje mesmo e, pediria minha mão em casamento. Mas sabemos que não é algo sensato, é necessário fazer todo um teatro para acalmar a província. 

Minhas mãos estavam fechadas em punho, prontar para acertar a perna de pau. E que intimidade é essa? Chamando o príncipe de Drew, idiota. Se olhar pudesse matar, Jasmine estava morta e enterrada, adorava se gabar por ter sido a escolhida. 

Saindo da roda, aproximar-se de onde estava sentada. 

- Imagino que ninguém aqui - olha ao seu redor, depois focando atenção em mim - Inclusive você, tenham beijado o príncipe... 

Não, não me diga que... Não pode ser, tudo menos isso. 

- Mas eu já aviso, o beijo dele é maravilhoso, viciante...

Chega, não aguento mais. 

- Chega Jasmine, ninguém quer saber como foi sua experiência com o príncipe - Audrey aparece antes que eu possa fazer alguma coisa - E você, como a dama que diz ser, não deveria ficar se espondo de tal maneira. 

Jasmine a encara com raiva sem reação alguma, seu peito subia e descia de forma rápida. 

- Isso tudo é inveja, pequena Audrey - fala por fim, desdenhando. 

O clima estava ficando sério, nem Pepper a aguentava mais. Jasmine foi salva quando fomos interrompidas por Ruby anunciando o almoço. 

- Só te falo uma coisa - Pepper, esbravejou - Não brinque com fogo. 

Jasmine da as costas e joga o cabelo para o lado, babaca. 

Caminhamos para fora da sala, até o outro lado do hall onde ficava o salão das refeições, nos sentamos na ordem de sempre. 

- Não aguento mais essa coisa - Audrey sussura, se referindo a nossa querida amiga Jasmine. 

- Ela consegue tirar qualquer um do sério - resmungo - Quase cai na provocação, ela pega no ponto fraco. 

- Você precisa ser forte, não pode cair nas provocações - Pepper analisava a mesa - Não pode ser eliminada por bater em um animal. 

Sorrio por sua comparação, mas estava certa, não poderia cair facilmente nas provocações. 

Nos levantamos e reverenciamos quando a família real entrou no salão, Justin mantinha a expressão seria, algo de errado havia acontecido. 

O almoço foi servido, sopa com ervilha, comi mais por obrigação do que por fome, sentia um olhar pesado sobre mim me fazendo olhar para todos em busca do dono. Justin me encarava, sua expressão ainda mais séria e centrada do que a minutos atrás.

"Mais tarde. Seu quarto" mexeu com a boca, sussurrando, neguei com a cabeça e voltei a atenção para meu prato, que agora tinha um bolo de chocolate.

... 

Estava no meu quarto, deitada na cama e olhando para o teto, cantarolava algumas músicas aleatórias que vovô cantava para mim. Levantei rapidamente quando a porta foi aberta revelando Justin, pensei que ele tivesse entendido que eu não queria conversar com ele. 

Fico de pé, prontamente, Justin não estava com seu terno habitual apenas com a camisa que estava dobrada até o cotovelo e alguns botões abertos que davam uma pequena visão do seu peitoral, teria que me esforçar muito para não perder a linha. 

- Pensei que você fosse um pouco mais esperto - disparo - Deixei bem claro que não queria conversar. 

- Pode me explicar o que é isso aqui. - esticou o jornal que estava até então despercebido em sua mão. 

O pego rapidamente, logo na primeira pagina havia uma foto minha e de Ryan. Segurava em seus braços enquanto nos encatavamos sorrindo, quem visse e não soubesse do contexto acreditaria que eramos um casal. Mas não era o caso.

"A Selecionada Summer Evining e o príncipe de Honoris, Ryan, estariam tendo um caso?" 

Frase que estava em destaque, li e reli varias e varias vezes, não queria acreditar naquilo. 

- Você não acreditou nisso, né? - pergunto por fim, demonstrando meu desespero. 

- Olha essa foto, seu olhar pra ele - Justin andava de um lado para o outro, enquanto suas mãos desmanchavam seu topete perfeito. 

- Eu não posso acreditar que você está fazendo tal acusação... Você pode sair desfilando, beijando qualquer uma, enquanto nós que sobramos ficamos a mercê de suas escolhas, torcendo para ser a próxima a ter sorte em sair com você - esbravejo. 

- Vocês estão aqui pra isso, esse é o intuito da Seleção. Se isso não te agrada não deveria ter aceitado, desde o começo você soube que não podia ter relações com terceiros - riu com ironia. 

- Então é isso? Se está sendo um problema pra você, não se preocupe que antes de acordar estarei fora do seu caminho - o empurro varias vezes, já podia sentir as lágrimas rolarem por meu rosto - Você é um grande idiota, não conhece ninguém ao seu redor e os julga, se estivesse o mínimo de conhecimento sobre mim saberia que jamais nutriria amor por duas pessoas. Estou nessa competição de corpo e alma, jamais passou pela minha cabeça ter outro alguém, eu não sou esse tipo de pessoa. Eu não sou você. 

As lagrimas desciam livremente, a essa altura pouco me importava, meu coração sangrava e doia como se alguém tivesse o esfaqueado. 

- Sun.. - Justin parecia arrependido, segurou-me pela cintura com uma mão, enquanto a outra secava minhas lágrimas - Eu não quis dizer isso, não era minha intenção ofende-la. 

- Mas ofendeu - minha voz era rouca por conta do choro.

- Você me deixa louco, me faz perder a linha, não sei o que é certo ou não. Como se tivesse perdido o chão e caísse em um buraco sem fim - um beijo calmo é depositado em minha testa - O pensamento de te perder é pertubador, ver alguém se aproximando de você me enlouquece. 

- Não é justo você entrar no meu quarto feito um doido, fazendo acusações sem fundamento - me livro dos seus braços - Pegaram bem no momento que Ryan me ajudava a soltar o salto que havia prendido na rua, ele apenas foi cavalheiro o suficiente para me acudir. Diferente de você que estava lá na frente, esbanjando sorrisos ao lado da Perna de Pau - lembrar dos dois juntos e da afirmação de Jasmine sobre o possível beijo, me machuca, me tortura - Poderia ser qualquer uma, até mesmo Pepper, mas não, claro que você tinha que escolhe-lá.

- Eu deveria ter imaginado que era um imprevisto, a conheço suficiente para saber que é capaz de cair mesmo estando sentada no chão, porque essa é você. Esse de fato, é o seu charme, só deixei o ciúmes me sucumbir - sentado sobre a beira da cama, Justin mantinha sua expressão suplicante - Escolhi a senhorita Jasmine, pois ela, querendo ou não, é a preferida de todos. Rei Aaron achou que seria interessante e esperto  da nossa parte escolhe-lá e assim, agradar a todos. 

O analisava, eu queria acreditar, queria engolir tudo e poder me sentir bem, poder sumir com esse sentimento que me corrói e eu nem mesmo sei o que é. Só sinto vontade de ir atrás de Jasmine e agarra-la e soltar somente quando tiver tirado fio por fio do seu cabelo. 

Justin pareceu perceber meu conflito interno, aproximando-se novamente com cautela, coloca uma mexa de cabelo atrás da minha orelha e desce os longos dedos por meu rosto, sobe para meus lábios os soltando da prisão dos meus dentes. Com a outra desce para minha cintura e me puxa colando nossos corpos, eu não conseguia dizer não, ou fazer qualquer interferência meu corpo era anestesiado toda vez que suas mão entravam em contado com qualquer parte. 

- A escolha foi feita pelo Príncipe, que não pode pensar em si, e sim na província, em todos. Mas, se fosse o Justin, que não liga para o que vão falar e quem vai agradar, teria a escolhido... Sem pensar duas vezes, sempre foi você, sempre será você - sua mão segurava meu queixo impossibilitando que eu desviasse meu olhar. 

Engulo em seco, não esperava por tal declaração. De um jeito ou de outro, o sentimento era mútuo, como se todos esses anos eu tivesse o esprando mesmo que inconscientemente, nunca quis algo como quero agora, nunca desejei como o desejo. 

Envolvo seu pescoço com meu braços quebrando todo espaço existente. Fazendo uma promessa silenciosa, jamais deixaria que qualquer outra pessoa interferisse em nossa relação, ou qualquer coisa que possa nomear esse sentimento ardente. 

- Me prometa que nunca mais irá duvidar de mim - imploro. 

- Eu prometo - suas mãos envolta do meu corpo traziam a tona toda segurança e confiança que havia perdido. 

- Então eu te desculpo - fito seu rosto, que agora tinha uma expressão de alivio - E eu espero do fundo do meu coração, que isso nunca mais se repita. 

- Se depender de mim, jamais acontecerá - fala, abrindo seu famoso sorriso lindo e estonteante - Odeio ficar brigado com você, posso suportar tudo, menos a distância e a sua indiferença. 

Não consigo disfarçar o sorriso bobo que se abria, sorria pela nossa conciliação, porque de uma forma ou de outra ele me pertencia assim como eu a ele. E principalmente, por ter conhecido o Justin e não o príncipe, ele não cumpria as normas de etiqueta ao meu lado, nem as regras que acompanham a coroa. Era apenas eu e ele. 



Notas Finais


Só ressaltando, não corrigi o capítulo haha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...