História The Newcomers The Boarding - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 7
Palavras 3.633
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Sorriso Sedução


Fanfic / Fanfiction The Newcomers The Boarding - Capítulo 3 - Sorriso Sedução

Mike

Dei vários beijinhos no rosto da Lis. Ela resmungou algo e se virou pro outro lado abraçando um pinguim de pelúcia. Ri, fui pro outro lado e dei mais beijinhos no seu rosto.

- Ahh Nanda, deixa de ser lésbica! - Lis virou o rosto pra baixo.

- Nanda? - ri.

E ela rapidamente levantou a cabeça assustada:

- Não foi um sonho? - perguntou.

- Felizmente não.

Ela deitou de novo.

- Ok, mas se não foi um sonho tenho que esclarecer algumas regras se estamos basicamente "ficando" - assenti. - Nada de mãos dadas, nem melações em público, nem apelidos terminados com "inha" ou "inho" e, por último, mas não menos importante, não faça nada clichê.

Ri e levantei:

- Tá bom, princesa.

- Não me chame de princesa - se levantou também. - É sério.

Lis me deu um selinho, pegou uma roupa e entrou no banheiro.

Fuxiquei o quarto dela à procura de algo pra passar o tempo. Vi dois porta-retratos em cima do criado mudo. Peguei-os e sentei na cama observando.

No retrato azul havia uma garota, provavelmente a Lis mais nova, e outra menorzinha. Estavam sorrindo abraçadas em um quarto lilás. O outro retrato era verde, e tinham a Lola e a Nanda com uns 14 anos fazendo caretas numa praia que não parecia ser por aqui.

Não sei porque, mas essa última foto me deu meio que um deja-vu.

- Somos eu e minha irmã na primeira foto - Lis (1) apareceu penteando os cabelos.

- Quantos anos ela tinha? - perguntei.

- Na imagem ela tá com 5, mas hoje em dia tem 12 anos - respondeu. - Sinto saudades.

- E a outra foto?

- Ah! Somos eu e a Nanda no Brasil à alguns anos atrás.

Franzi a testa:

- Vocês já foram pro Brasil?

- Na verdade, meu caro, nós somos do Brasil, viemos pra Inglaterra com 11 anos.

Sorri.

- Então minha namorada é brasileira?

- Não - ela respondeu.

- Mas você não acabou de dizer que era?

- Certo, mas eu não sou sua namorada!

Lis piscou o olho pra mim. Larguei os porta-retratos em cima da cama e fui de encontro a ela. Dei-lhe vários selinhos e depois a beijei. É uma garota nada normal, mas é isso que a faz interessante.

 

Nanda

Eu (1) estava no refeitório com David, Eric, Joe e Theo. Desde ontem a noite não tenho notícias da Lis, nem do Mike. Presumi que estavam no quarto e não bati pra não interromper.

- Porque a Lis não chega logo pra me contar os detalhes? Se fosse eu ela já tinha arrombado a porta do meu quarto! - disse impaciente.

Os meninos se entreolharam maliciosos. Será que eles só pensam nisso? Gostaria de um dia entender a mente dos homens. Deve só passar besteira por lá, né?

- Ela deve estar bem ocupada, se é que você me entende - Eric disse e riu com os garotos.

- Primeiramente, a Lis é virgem - disse, expondo a minha querida amiga, mas ela não se importa. Pelo menos é o que eu espero.

- E você? - David passou o braço pela minha cintura.

- Também. Temos um acordo de só perder a virgindade com 17.

- Vocês são estranhas - Joe disse.

- Disse o garoto que fala baleiês.

Rimos.

Do nada ouço um grito de "sai da frente" e uma vaca louca quase se bate na mesa com o skate. Já vi que ela tá de bom humor, a noite deve ter sido boa. O skate explica isso.

A Lis meio que não gosta de chamar atenção, acredite, mas o skate dela meio que chama muito, porque ele é azul, rosa e verde neon e tem nome dela escrito em baixo, então basicamente hoje ela quer chamar atenção, o que significa que ela tá de bem com a vida. É como se ela quisesse gritar pra todo mundo como ela tá feliz, entende? É, eu sei, é bem louco.

- Olá pessoas que me amam! - Lis disse pegando o skate do chão e sentando entre Theo e Joe.

- Ninguém te ama - falei.

- Eu amo! - Joe disse.

Lis o abraçou e tomou conta da sua comida.

- Não sabia que andava de skate, ainda mais tão bem - Eric falou, impressionado.

Um fato sobre nós duas: Quando queremos algo, nós conseguimos. Nesse verão eu queria aprender a dançar e Lola a andar de skate, hoje nós somos expert nessas coisas. Quer dizer... Mais ou menos.

- Eu manjo nos paranauê! - Lis disse.

Ela e Eric fizeram um hi-5.

- Onde tá o Mike? - Theo perguntou.

- Foi se arrumar. E aí, sobre o que vocês tavam conversando?

- Nada, exceto pelos garotos que estavam tentando adivinhar se você e o Mike tinham...

- NÃO! - me interrompeu - Credo, ainda nem tenho 17.

- Aha! Eu disse!!! - sorri, porque eu sou diva e sempre tenho razão.

Lis pegou pela segunda vez um pedaço de comida do prato de cada um e colocou no prato do Joe pra eles dividirem.

- Você não acha mais eficaz ir pegar sua comida? - David perguntou tirando seu prato de perto da Lis.

- Pela primeira vez na vida você tem razão - Ela respondeu, depois levantou e saiu gritando com seu skate.

 

Lis

Estava eu andando tranquilamente com meu skate e pedindo "fofamente" pros outros saírem da frente, porque eu posso, quando caio e bato de cara com o chão. Mentira, porque eu divo, e pessoas divas não caem de cara com o chão, mas de chão com a cara.

O mundo deve estar ficando ao meu favor, olha só o Mike... Ele tá legal, e cá pra nós eu nunca pensei que um dia o Mike iria ficar legal.

Meio que não acredito muito no amor, é só uma pessoa falar que te ama e PUF!, ela te ama (?). Como você vai saber se é verdade, na real quem foi que disse que o amor existe? Segundo Fallen foi Lúcifer, mas isso aqui não é Fallen, eu bem que queria que fosse, mas não é...

... Isso tudo é muito confuso.

- SAI DA FRENTE! - Gritei pra uma garota (1) na minha frente, mas foi tarde demais.

Atropelei ela e caímos as duas como num filme pornô. Isso não faz nenhum sentido.

- Ai, caralho! - me levantei.

A garota me olhou e do nada ficou com raiva:

- Você não olha por onde anda?

- Eu? - ri. - Eu disse pra sair da frente, mas se você é surda aí já não é problema meu!

- Foi você quem me atropelou!

- É, mas se você olhar por outro ângulo quem me atropelou foi você!

Ele revirou os olhos e saiu andando. As pessoas que observaram nossa momentânea discussão voltaram a fazer o que faziam e eu fiz o mesmo, afinal minha fome não vai passar se eu ficar aqui parada.

Pra não ter que pegar uma file enorme, repito, ENORME, furei ela dizendo que era prima da tia da filha do diretor e todo mundo reclamou, mas quem liga??

Bem... Eles.

Voltei pra mesa e sentei lá. O David e a Nanda haviam sumido e o Mike apareceu. Ele me deu um selinho vindo pro meu lado - e empurrando Eric - e pegou uma batatinha minha. Bati na mão dele, porque ora essa, a batata é minha, eu que tive o trabalho de ir buscar.

- Que romântico! - os meninos abusaram.

- Cadê a Nanda? - ignorei-os.

Os quatro, incluindo Mike, se entreolharam:

- Resumidamente? Uma garota beijou o David - Theo respondeu.

- E a Nanda saiu - disse Mike. - O David foi atrás.

Certo, uma garota beijou o David, ele então perdeu a aposta, mas não foi ELA quem beijou ELE? Isso muda algo? Então a Nanda saiu, isso não é muito a cara dela. Ok, o David perdeu a aposta.

Caralho, o David perdeu a aposta! É, o David perdeu a aposta.

Nada demais, todos sabíamos que isso iria acontecer.

- Onde eles estão agora?

- Devem tá no quarto, se reconciliando, se é que você me entende - Eric riu.

Vai ser esse negócio de "se é que você me entende" a história toda? Pelo amor, viu??

Revirei os olhos. Levantei levando comigo a bandeja e fui em direção aos dormitórios. Bati no quarto da Nanda, David abriu, mas não encontrei a dona do quarto lá dentro.

- Ué? - coloquei a bandeja em cima da cama.

- Ela não sai do banheiro.

- Ah, pode deixar que eu cuido disso - falei.

- Mas...

- AGORA! - gritei, David se assustou e foi embora.

Eu posso!

- Nanda? - silêncio. - Ele já foi.

Então como uma deusa, só que não, a Nanda abre a porta e se joga na cama suspirando.

- Pensei que ia ter que derrubar a porta - comi um pedaço do meu sanduíche.

- Você não é forte o bastante.

Rimos.

- Qual foi? - perguntei.

- Nada demais. Só vi os dois se beijando e vim pra cá. Não queria olhar pra cara dele, seria estranho e eu não ligo o mínimo pra ele ter perdido essa aposta, só acho que ele me devia respeito. Ele podia me falar que não queria mais, ou sei lá, beijar a garota na minha frente. Acredito que ele tava me enganando esse tempo todo.

- Não suporto ser enganada - disse. - Vamos? Você vai superar. Podemos ligar pra aquele primo do Tiel, o que acha?

- Tá zuando , né?

Depois descemos pro refeitório, o café da manhã já havia acabado, mas os meninos continuavam sentados, exceto Theo e Eric, pelo motivo de não ter coisa alguma pra fazer.

Mas, claro, tivemos uma surpresa.

- Olha se não é a garota do skate! - sim, ela mesma! Sentada no MEU lugar da mesa entre Mike e Joe.

Empurrei a mesma do meu lugar e me sentei. É, ela caiu no chão, mas quem se importa?

- Isso aqui não é chiqueiro!

- Ah, eu imaginei, mas fiquei confusa quando você sentou - ela levantou do chão e limpou o short.

Sentou ao lado do David abraçando ele pela cintura.

- Parece que vocês já se conhecem - Nanda sentou do lado entre Joe e David.

- Ah, claro. Ela me atropelou com seu skate de menina macha!

- MENINA MACHO É O CARALHO! - gritei. Sabe nem português a mocréia, "macha" não existe. - O que é que você tá fazendo aqui, na real?

- Não nos apresentamos, não é? Sou a Tori, to com o David. Ah! Mas é claro que você percebeu!

Revirei os olhos, essa garota precisa de um manicômio!

- Mas que clichê!

- Então foi essa daí que você beijou? - Nanda se pronunciou.

- E você é a tal "namorada"? - Tori perguntou com desprezo. - Se não fosse por mim diria que você tem um péssimo gosto! - se dirigiu a David.

Qual o problema desses garotos? Eles não tão vendo que estamos em desvantagem aqui? Eles não podem nos ajudar? O David nem tenta se defender! Que caralho!

Olha só escritora, a primeira versão dessa merda tava mais treteira!

- Quer saber? - Nanda se levantou. - Vamos, Lola!

Levantei também, mordi o sanduíche do Mike e saímos dali.

 

Nanda

Eu lá sou alguma Erza Scarlet pra ficar sendo admirada por Luce? Ou nesse caso, aqueles três idiotas? Sério, eles tavam nos assistindo como se estivessem num cinema!

Eu não to triste pelo David, porque eu sabia que isso iria acontecer e por isso tomei cuidado. Mas eu to com raiva, ele é um idiota!

- Você sabe que foi ela que beijou ele, né? - Lis perguntou enquanto andávamos.

- Isso não importa mais agora, como vão você e o Mike?

- Ah, cala a boca! - disse. - Essa manhã tá bem agitada, dá nem pra comer direito.

- É.

Andamos mais um pouco sem falar nada. Nossa relação é meio estranha. Hm... Tenho que pensar no que vou fazer com o David, afinal ele perdeu a aposta e trato é trato!

- CARALHO! - gritei ao perceber que um garoto quase me derrubou.

Sabe aquelas cenas de filme quando um menino tomba com uma menina e aí ele segura ela pela cintura a alguns mínimos segundos de ela cair, e as duas criaturas ficam olhando um pra cara do outro por uns cinco minutos?

Essa não é a situação.

- Você tá bem? - me perguntou.

Ok, eu poderia até ser grossa com ele ou armar um barraco, tava quase fazendo os dois, até que olhei pra cara dele... A raiva se foi!

- Tô sim, obrigada.

- Eu quase te derrubei e você diz obrigada? - ele riu.

- Eu sei que foi sem querer, você não me derrubara por acaso, derrubaria?

Sei que todos temos uma técnica de sedução. O da Lis é o seu olhar que atrai qualquer um - não sei como ela faz isso -, também tem o caso do 'jogar de cabelo' ou o andar da pessoa, mas nesse momento meu SS apareceu sem mesmo que eu percebesse.

SS: Sorriso Sedução.

Mas pra estragar o momento, a Lis começou a gargalhar alto e veio pro meu lado:

- Qual é, você tá usando o SS com ele?

Revirei os olhos:

- Qual o problema? - perguntei.

- Nenhum, mas tipo... - ela começou a rir de novo. - Você acha que isso vai fazer ele cair de amores por você?

Pigarreei:

- Acho não, tenho certeza! Aliás, meu SS é muito melhor que seu OS!

Hm... ela olhou pro garoto, eu olhei pro garoto. Ela não vai fazer isso! Qual é, ela tem namorado ou sei lá o que o Mike é dela!

É, bem... O garoto tava nos encarando como se sofrêssemos de algum tipo de doença mental. Ele pode estar certo, claro, mas ninguém precisa saber disso.

Mas voltando a cena em câmera lenta, eu preparei meu sorriso, Lis preparou seu olhar e lá estávamos nós que nem duas idiotas sorrindo e olhando pra um cara que nós nem ao menos conhecemos.

- Isso é meio intimidador - ele disse depois de uns dez segundos.

- Desculpa perguntar, mas qual é o mais intimidador? - perguntei.

- Ah, sei lá! Você tem um sorriso lindo, mas os olhos dela também são, então... Posso me casar com as duas?

Rimos.

- Sou a Lis, essa trouxa aqui é a Nanda - ela se aproximou mais como se estivesse contando um segredo. - Ela tava te paquerando.

- Sou o Daniel - ele falou, rindo. - Querem sentar conosco?

Daniel apontou pra uma mesa onde tinham mais quatro garotos. Ah, por que não? Eu acabei de sair de um relacionamento, pode não parecer mas preciso de amigos ao meu lado agora. Ou só de cinco garotos lindos ao meu redor, tanto faz.

Andamos até a mesa. Onde acham tanta perfeição assim?

Sentei entre Daniel e Lis que se sentou ao lado de um de cabelo cacheado e ficou mexendo no cabelo dele. Já tentei educar ela uma vez, acredite se quiser.

- Esses são Nat, Michael, Bill e Jeremy - Dan nos apresentou. - Meninos, essas são a Nanda e a Lis.

- Oi! - Nat disse.

- Oi - sorri pra ele.

- Nanda, caralho, você mal terminou uma relação e já tá paquerando todos os garotos da escola! - Lis disse.

Fiz o cosplay daquela garota lá do filme de terror e virei a cabeça pra Lola:

- Eu não terminei nenhum relacionamento porque a) Era uma aposta e b) Era o David!

Os meninos se entreolharam:

- David Cutts?

Assentimos. Michael riu:

- Não nos damos muito bem com eles - ele disse se referindo a David e os outros garotos. - David tinha uma namorada, ela terminou com ele e o Daniel começou a namorar ela.

#OQue?

- Tá, mas pera. O David não é o típico "galinha"?

- Sim, mas parece que seu "namorado" já gostou de uma garota ao menos uma vez na vida - Michael continuou.

Ah, bateu aquela invejinha agora. Ela nem deve ser tão legal assim pro David gostar tanto dela, aposto que sou mais bonita, mais legal, mais diva, mais tudo que ela!

- O Mike e o Nat não estavam aqui na época, mas mesmo assim odiamos eles. Parece coisa do destino, sei lá!

Isso que é amizade: "Não tenho motivo nenhum pra gostar dele, mas se meu amigo não gosta, por que eu vou gostar?".

- Bem, só sei que essa história tá se repetindo - Lis disse. - E que eu amei seus cachos perfeitos!

Revirei os olhos.

- Onde tá essa tal garota agora? - perguntei.

- Foi expulsa. Era a maior galinha, o diretor pegou ela com o antigo supervisor em situações bem íntimas - Bill disse.

Pelo menos mais inteligente que ela eu sou!

 

Mike

Agora que eu e a Lis estávamos finalmente indo bem chega essa tal de Tori e faz essa merda toda! Caralho, o David não podia deixar isso pra depois? Agora ela e a Nanda foram sentar com aqueles cinco.

Eu gosto da Lis. Ela é legal, engraçada e não se importa muito com essas coisas que todas as meninas se importam como maquiagem, salto, comer pouco pra não engordar... Ela é diferente e eu também quero um lance sério pra agora, sabe? A Lis tava perfeita pro posto!

- Bom, meu trabalho aqui está feito! - Tori se levantou e sem dizer mais nada foi embora.

Revirei os olhos e encarei o David com raiva. Ele percebeu e ia falar algo, mas antes eu me levantei e andei pra onde a Lis estava. O David gritou algo, mas não escutei. Dane-se!

- Hey, Lis - dei um selinho nela.

A mesma revirou os olhos:

- Iaê.

- Vamos ali.

- Ali onde? - ela levantou.

- Calma.

Puxei ela. Fomos pro campus atrás da escola. Na verdade é meio que uma "floresta", porque a escola tá pensando em aumentar a área e aí compraram o terreno, mas por enquanto é só mato.

Ficamos numa parte do gramado que era antes da cerca que ia pra "floresta".

- Tava pensando em ficar só com você - disse.

- Ah, eu pensei que fosse algo mais interessante como uma piscina aqui nesse fim de mundo, mas ok. Isso também serve.

Sorri, puxei ela e a beijei.

- Agora tá começando a valer a pena.

 

Lis

Depois de ficar praticamente o dia todo com o Mike voltei pro quarto, não precisamente pro meu quarto. Fui pro de Nanda pra saber das novis, mas todos sabem que tudo que é dela é meu. E também sabemos que tudo que é meu é meu, faço questão de deixar isso bem claro.

Bati no quarto da Nanda, gritei, esperneei e fiz mais um monte de merda, mas ela não abriu a porta. Mas aí  que acontece? Eu girei a maçaneta e a porta tava aberta. Resultado: me matei toda pra merda nenhuma!

Isso é o que chamamos de sorte!

A Nanda nunca deixa nenhuma porta aberta... Mas as coisas podem mudar, não??

Entrei no quarto e me deparei com... NADA!

Certo, a Nanda deve tá me traindo ou coisa do tipo. Essa vaca vai se arrepender de ter me feito andar do meu quarto pro dela pra eu chegar aqui e encontrar ele vazio!

Se eu conheço aquela filha da dona Susan quando ela chegasse no quarto ia arrumar ele todo, porque tá quase pior que o meu.  Mas não vejo nada além de algo que representa que a Nanda não esteve no quarto desde a confusão com o David.

Ela deve tá se pegando com ele ou com o Daniel, talvez roubando a cantina... Ok, essa história de roubar a cantina me deu fome, acho que vou roubar a cantina.

Desci pro refeitório, olhei pros dois lados pra ver se tinha alguém por lá mas tava tudo vazio. Entrei na cantina e quase morri de susto quando vi o cosplay do Pequeno Príncipe encostado na parede.

- Oi Lis - ele me disse com um saco de salgadinho na mão.

- O que você tá fazendo aqui? - sussurei.

- Não precisa sussurrar.  A partir das 17:00 todos os empregados vão embora, a supervisora só passa a cada meia hora. Ainda temos 27 minutos.

Revirei os olhos. É possível uma pessoa ser tão esfomeada a fim de gravar isso tudo? Vou tentar também.

Ignorei o Mike e fui procurar algo pra comer nos armários. O garoto que se encontrava no mesmo lugar que eu e começou a falar algo, mas eu não estava escutando nada. Não porque queria, mas porque estava preocupada. Sei que é exagero ficar preocupada com a Nanda já que ela já tá bem crescidinha e também porque não há tantos motivos pra ficar preocupada, ela só deixou de fazer algumas coisas que ela sempre faz.

Mas... Se eu conheço a Nanda ela estaria a essa hora assistindo "É Tudo Improviso" no TBS, ela não perde. E também me deixaria um recado se fosse sair. Quando se convive com uma pessoa há muitos anos e sabe tudo sobre ela a menor coisa fora do normal é preocupante.

- Você tá me ouvindo? - Mike me perguntou.

- Não - me sentei no chão com outro pacote de salgadinho. - Você viu a Nanda por aí?

- Desde o café da manhã não, por que?

- Nada, eu... Vou voltar pro quarto. To cansada e amanhã tem aula - dei um selinho nele. - Tchau.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...