História The Night Circus - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon
Personagens Cameron Dallas, Jack and Jack, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley
Exibições 29
Palavras 1.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, voltei antes do combinado pq a Tori pediu amo vc amo as najas e aproveitem.

Capítulo 14 - Verdade e desafio (part um)


Fanfic / Fanfiction The Night Circus - Capítulo 14 - Verdade e desafio (part um)

Narrador

  Já estava perto da meia noite e maioria já estava presente no salão, onde acontecia a festa. Alguns até bêbados já estavam ou até drogados. Ali era realmente possível ver que mesmo aprisionadas juntas, as meninas tinham suas panelinhas: as mais famosas, as mais tímidas, as que sofreram mais e as mais “estranhas” e observasse com mais atenção ia ver que o grupo das famosas se divide em dois: o composto por Aurora, Claire, Giovana, Vitória, Emily e Luiza; e o composto por Lilly Marx e algumas de suas amigas. Fora os grupinhos de meninas, também havia os dos meninos, dividido em: meninos que estavam para o quitação de dívida, meninos contratados, os que pegaram todas dali de dentro, os famosinhos e os que sabiam mexer com arma – todos os grupos sabiam, menos os que estavam ali para pagar o que deviam. Os mais famosinhos dali eram: Dallas, Johnson, Maloley, Gilinsky, Espinosa e Grier, com a companhia de alguns amigos que de tempo em tempo os visitavam, Caniff, Reynolds, Mendes e Whitesides.

  - Ei, Nate. – Cameron chegou e fez um toque com o amigo. – Como que tu conseguiu fazer isso aqui?

  - Dei minhas voltas, né Dallas. – sorriu e a luz verde passou no seu rosto e ele bebericou a bebida que tinha no copo.

  - Então, quer dizer que os caras responsáveis não sabem? – perguntou.

  - Não só sabem como também estão aqui. – respondeu e Cameron ficou mais alerta. – Agora se me dá licença, tenho uma companhia melhor que você essa noite.

  Maloley levantou o copo em brinde ao amigo e foi em direção à Aurora. A menina estava sozinha em um canto, segurava um copo e olhava o resto de pessoal dançando alguma música eletrônica que não era de seu conhecimento. Estar em uma festa não era seu hobby preferido.

  - E aí, gata. Tá curtindo a minha festa? – o menino botou as mãos na cintura da menina e a mesma pulou de susto.

  - Na verdade, eu não gosto de festas. – tentou se soltar no aperto que Skate fazia em sua cintura. – Me solta.

  - Por que?

  - Porque eu quero que me solte. – respondeu entre os dentes.

  - Não é isso, até porque hoje eu não te solto Babygirl. – falou e enfiou o rosto do pescoço da menina, sentindo o perfume doce dela e fazendo a mesma de arrepiar.

  - Não tenho… hm.. boas lembranças de festas. – fechou os olhos ao sentir seu quadril ir de encontro com o do menino e uma mordida seguida de um chupão ser deixada no seu pescoço.

  - Fica comigo hoje e eu te faço ter a melhor lembrança da sua vida. – a voz de Nathan saiu arrastada e abafada, ele apertou mais a menina contra si, fazendo-a jogar a cabeça para trás.

  Vitória estava sozinha em um canto, mas ao contrário de suas amigas que estavam se divertindo, ela estava praguejando a menina que havia derrubado bebida em sua roupa. Ela esfregava o guardanapo contra o pano vermelho do seu cropped já com vontade de chorar, era apenas o começo da noite e ela já estava fedendo a bebida sem antes beber?

  - Sei lá o que está querendo limpar, mas sabe que não vai adiantar, né? – olhou para frente e encontrou um par de olhos azuis a encarando. Aqueles olhos azuis.

  - Realmente, quero matar aquela ruiva do grupo da Lilly. Ela derramou isso em mim de propósito, ela sabe que eu não gosto de ficar melada de bebida. – a menina bufou e botou o cabelo que estava caindo no seu rosto.

  - Então ela fez para te atingir? – Nash perguntou e a menina assentiu. – Então volta lá e mostra para ela que você não liga.

  - Mas eu ligo! Eu ligo muito! Odeio feder a bebida, nem quando eu bebo fico com cheiro de álcool. – Vitória quase gritou e o menino soltou uma risada abafada chegando mais perto dela. Ele curvou as costas para poder cheirar o pescoço da morena.

  - Olha, eu gosto de Vodka. E você fica ainda mais atraente cheirando à bebida alcoólica, se isso lhe serve de consolo. – Nash falou e sorriu para menina, que largou o guardanapo que segurava no chão e sorriu determinada curtir a festa.

  - Seria muita ousadia minha te tirar para dançar, Grier?

  - Não, mas se fosse eu amaria te ver ousando.

  - MATTHEW, VOLTA AQUI! PARA DE CORRER DE MIM! – Luiza gritava e tentava, falhamente, correr em cima dos saltos atrás do menino loiro. Por que raios ele estava correndo? Essa a segunda coisa que passava na mente de Luiza, a primeira era como castigá-lo por ele estar fazendo-a correr de salto alto, borrar a maquiagem com o suor que forma do rosto e bagunçando o cabelo que levou tempo para ficar apresentável. – Matthew. Lee. Espinosa. Será que você pode parar de correr por favor?

  - Não!

  - Poderíamos estar na festa, dançando, e quem sabe até juntos! – a menina sem pensar e o menino parou de súbito na porta de saída da mansão.

  - Ficar juntos, em qual sentido? – mandou um olhar malicioso à menina de olhos azuis.

  - Não nesse, né cara. – a menina sentiu suas bochechas corarem, pois era nesse sentido sim que ela queria. – Iríamos ficar na companhia um do outro a noite toda.

  - Ah, se é assim, podemos ficar juntos aqui fora.

  Matthew puxou Luiza pela mão a levando até a parte florida do jardim, lá havia uma toalha quadriculada forrada no chão, uma cesta de piquenique e umas velas em volta. A menina estava estática sem saber que reação tomar e o menino olhava atento para seu rosto procurando algum sinal de que tinha feito algo errado.

  - Ai meus Deus, Matt. – sorriu para o menino que soltou o ar que nem se deu conta que prendia. – Isso tá lindo, é para mim?

  - Claro. – sentou na toalha e chamou Luiza para sentar ao seu lado. – Soube que seu niver está chegando, queria que você tivesse pelo menos alguma lembrança boa daqui. Nem que seja uma.

(...)

  Já eram quase quatro da manhã e a maioria já estava mais que bêbada quando Johnson gritou para que quem quisesse se reunir para jogar algo, fosse para uma parte mais tranquila do salão e se sentassem em círculo.

  - Eu quero jogar verdade e desafio. – Giovana se pronunciou e mandou um olhar divertido para as amigas, ela era quem tinha as melhores perguntas e os melhores desafios nesse tipo de jogo.

  Todos concordaram e decidiram que toda vez que uma pessoa fosse desafiada ou tivesse que responder uma verdade, antes de cumprir o ato beberia uma dose de tequila. Estavam a maioria dos famosos ali: Cameron, Claire, Johnson, Gilinsky, Giovana, Emily, Nate, Aurora, Lilly, Caniff e mais algumas pessoas.

  - Eu rodo primeiro! – Claire gritou e acabou de beber o que tinha em sua garrafa, logo a girando.


Notas Finais


E aí galero? 1° desculpem qualquer erro. Cometem o que acharam, isso me incentiva muito. O cap ta pequeno mas foi divido em dois sim, esse jogo vai ser cool, a festa ainda nem começou heuhauahaj beijo para vocês
Quero o fav e o comentário ein


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...