História The Olimpians - The Other Side Of Time - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Calipso, Chris Rodriguez, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Cronos, Dionísio, Éolo, Eros (Cupid), Frank Zhang, Grover Underwood, Hades, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Hylla Ramírez-Arellano, Íris, Jason Grace, Katie Gardner, Leo Valdez, Luke Castellan, Nico di Angelo, Paul Blofis, Percy Jackson, Perséfone, Personagens Originais, Piper McLean, Poseidon, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Thalia Grace, Travis Stoll, Will Solace, Zeus, Zoë Nightshade
Exibições 10
Palavras 1.564
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Titulo completo do capítulo:
Dor, Fúria, Destino E Paciência... Acho Que Kaíros Realmente Entende de Sentimentos.

Desculpa a demora galera.
Fiquei enrolada com faculdade, saúde e família.
Por isso vou postar mais essa semana (uns dez capítulos).
Espero que isso ajude por que minha segunda leva de provas está se aproximando.
Leiam as notas finais, estou colocando curiosidades capítulo sim capítulo não dessa leva.

Capítulo 25 - Dor, Fúria, Destino E Paciência... Acho Que Kaíros ...


Yue

 

Aproximadamente 110 Anos Antes de Bloodlines Time.

Ano Aproximado: 1920.

 

-Eu falei que queria ficar sozinho! –E independente de quem fosse, mortal ou deus, a minha intensão era ser ríspido.

-Estou ciente, por isso vim desacompanhado apesar de sua tia quase fazer outro dos nossos acordos para me convencer a trazê-la junto. –Mesmo assim, Kaíros não era o tipo de deus que eu podia simplesmente expulsar.

-Aonde dessa vez?

-Quer mesmo saber?

-Não.

Ele riu e sentou ao meu lado.

-Por que não foi até lá e bateu nele como Ryuu fez?

-Meu irmão é impulsivo em excesso para o próprio bem.

-E você é contido e vingativo demais para o seu próprio bem. Sabia que esses sentimentos podem te destruir por completo um dia, mesmo sendo um deus?

-Imagino que você saiba bem disso.

Kaíros riu.

-Na verdade eu sei. Um dia isso vai ser o meu fim, pelo menos de uma parte de quem eu sou.

-O que isso quer dizer?

-Que existe mais de um tipo de morte para pessoas como eu que mexem com o destino de tantos seres importantes como os deuses.

-Você já manipulou os deuses? –Eu achava que ele não fazia isso.

-Nunca precisei, mas mexer com o destino nem sempre significa manipular. Ás vezes significa ser quem você é e nada mais.

-Como as Parcas?

-Como as Parcas. Sabia que elas não morrem? Pelos menos não antes de os outros deuses.

-E antes de você?

-Se os deuses morrerem mesmo um dia, como os mortais, as Parcas morrem antes de mim. Antes delas até os primordiais vão morrer e depois de mim... Acredito que o último a sumir será a essência do Caos, embora não possa garantir que o Caos morra ou vá apenas renascer das próprias cinzas.

Nós dois ficamos em silêncio por algum tempo, apenas olhando para o horizonte.

-Sabe que vai encontrar a pessoa certa um dia, uma que mesmo eu não vou poder tirar de você, não é?

-Eu a queria. Queria apenas ela e seus olhos profundamente sinceros e apaixonados sempre que tentava me dizer “Oi” se perdendo em duas miseráveis letras. Queria o seu perfume profundo de flores selvagens como o de um gato selvagem que corre pela floresta: livre e belo, linda como ela sempre vai ser. –Eu não sabia como Kaíros conseguia ficar ao meu lado, por que sei que estou irradiando poder.

Muito poder.

-Eu sei. É o tanto que quero a sua tia a cada segundo dos meus dias desde que a vi pela primeira vez.

-Mas você não a perdeu.

-Também nunca a tive até hoje.

-E quer que eu aceite outra pessoa no lugar da que eu amava. –Ele estava me irritando.

-Não falei que será outra, disse que será a certa.

-E qual é a diferença?

-Só por que a forma será um pouco diferente, por que acha que a alma não pode ser a mesma? Sendo a sua mãe quem é, imaginei que entenderia isso.

-Ela pode reencarnar? –Ok. Eu acho que soei um pouco surpreso demais.

-Todas as almas mortais podem e Elleh não é diferente, só o destino dela que não aconteceu ainda.

-Como assim? –Tudo bem, agora eu estava confuso.

-Alguns deuses, nascem deuses de corpo e alma, como você e sua mãe ou eu e sua tia. Outros, como Héracles e Dionísio, nascem mortais e viram deuses por algum outro meio. Quantas vezes acha que seu avô nasceu como mortal antes de nascer semideus e virar um deus?

-Não sei, mas agora acho que foi mais de uma. –De certo modo eu estava ficando um pouco nervoso de uma forma diferente.

-Elleh é a alma certa, mas não a pessoa certa pra você, ainda.

-E quem decide que é ou não certo? Eu deveria decidir isso.

-E quem disse que qualquer deus pode interferir com o destino seu e dos seus irmãos ou da sua mãe?

-Como assim?

-Acredite você ou não, o tipo de pessoa que vocês são, em especial você e seus irmãos estão além da interferência divina.

-Mas Hefésto...

-Por que era permitido.

-Por quem?

-Você.

-Eu não...

-Me deixe terminar. Acredite, sou o único que pode ler isso e não queria ter que te explicar, mas sua tia pediu.

Kaíros parecia cansado só de mencionar aquilo, então eu acabei cedendo.

-Tudo bem.

-Sua mãe cresceu entre os humanos por insistência dos pais dela, não por que ela queria ou por que era o melhor. Por isso ela não... Na falta de termo melhor, ela quebrou. –Tudo bem, aquilo soou estranho. –Não era para ela ter se envolvido com Hefésto, só com Apolo. O problema é que todos os deuses tinham medo de interferir negativamente no crescimento dela e acabou como você bem sabe.

-Acho que o Olimpo todo sabe Kaíros, até os que não queriam saber.

Ele deixou uma risada irônica escapar.

-Só que com vocês é diferente. Os três cresceram em meio aos deuses e aprenderam as coisas difíceis tanto quanto as boas da forma como vão sempre as ver acontecerem, como imortais. Teresa foi criada por mortais para viver como mortal, mas é imortal, por isso ela ás vezes é ingênua demais.

-Não acho que ela possa ser camada de ingênua quando está com meu pai. –Eu estava falando sério.

-Só por que ela é tarada pelo seu pai acha que sua mãe é menos ingênua com relação ao mundo?

Verdade.

Minha mãe podia ser bem tonta às vezes.

-Então, eu e meus irmãos somos perfeitos imortais intolerantes? É a sua explicação.

-Não. Vocês não querem ficar sozinhos. Como a maioria dos deuses, com a diferença que depois que encontrarem a pessoa certa nunca mais ficarão com outra pessoa em suas vidas.

-Mas meus pais...

-Já falei que a Teresa estava quebrada e seu pai não é uma Coroa.

-Acho que ainda não entendi direito isso.

-A sua Elleh não tinha como destino ficar com você para sempre, não agora. Mas a essência dela, a alma dela se preferir colocar dessa forma, essa vai voltar para você e de uma forma que vai estar pronta para viver a eternidade do seu lado.

-E se nesse momento ela não me escolher como Elleh me escolheu?

-Sabe o mais curioso desse tipo de destino?

-Acho que sabe que não faço ideia.

-A sua Elleh queria que você a amasse e vai procurar em cada pessoa que cruzar o seu caminho nas próximas encarnações cada qualidade sua, mesmo que separadas, mas no final é só você que ela vai poder realmente amar a ponto de que isso vai doer nela como algo físico. A ponto de ela desejar nunca ter te conhecido e você também, quando ela nascer para ficar a eternidade ao seu lado... Você pode até tentar fugir, como sei que vai, mas no final, vai ser como a sua tia quando me escolher.

-Não acho que minha tia ficou feliz de ouvir isso.

-Ela não precisa. –Ele parecia se divertir com a ideia.

-Por que acha que vou fugir dela? Da Elleh?

-A alma pode ser a mesma e ter o mesmo fogo, a mesma doçura perdida em um canto profundo, mas almas mortais nunca nascem duas vezes iguais.

-Você sabe quando ela vai nascer para ficar comigo?

-Eu tenho uma vaga ideia, mas nada é certo para o futuro.

-Vai demorar?

-Um pouco.

-É mais provável você casar com tia Ártemis ou eu ficar com Elleh?

-Primeiro, pare de chama-la pelo nome, ela não vi renascer com o mesmo nome e mesmo que aconteça de ter o mesmo nome ainda será uma pessoa diferente, apenas a mesma alma. Segundo, você ainda deve ganhar, pelo menos é o mais provável.

Eu queria dizer que iria chama-la de Elleh mesmo que seu nome não tivesse nada a ver com esse, mas a verdade é que ele tinha razão.

Mesmo que o nome fosse o mesmo, provavelmente não seria a mesma Elleh que eu conheci, ainda que pudesse ser parecida, a forma seria diferente. Ou até mesmo tudo. Desde o corpo até a personalidade.

Além disso, eu ainda mudaria até lá.

De um modo ou de outro, as coisas não seriam como eu esperava.

-Quero acertar a cara dele. –Consegui dizer.

-Quanto?

-Tanto quanto puder sem ele revidar.

-Não quer envolver Easley, certo?

-As coisa entre os dois já estão tensas por ele ter ajudado Ryuu, não quero piorar ainda mais.

-Por mim, será um prazer.

Encarei Kaíros que tinha um sorriso de pura satisfação no rosto.

-Minha tia pagou no acordo pela sua ajuda nesse caso?

-Sim.

-Sério, como pretende cobrar todos esses acordos dela depois que casarem?

-E quem disse que vou cobrar? –Algo em sua voz me fez entender imediatamente o que ele queria dizer.

-Como se ela fosse deixar de pagar qualquer dívida com alguém um dia da vida dela... Você é bem inteligente.

-Ainda assim, quem vai decidir quando pagar cada acordo vai ser ela.

-E você vai adorar isso, não é?

-Assim como você vai se sentir satisfeito com cada soco que der em Hefésto, só que eu vou me sentir umas dez mil vezes mais feliz por cada centésimo de milésimo de segundo.

Sinceramente, não sei onde minha tia está, mas tenho quase certeza que ela está ouvindo essa conversa, só acho que não é uma boa ideia respirar perto dela agora.

-

-

-

Continua...


Notas Finais


-Teresa não faz ideia da sua idade exata.
Ela nunca foi o tipo de pessoa que conseguia memorizar sua própria data de nascimentos e como é imortal nunca tentou se esforçar para tal.
Tudo que Teresa sabe é que nasceu no começo do século 18 e que a maior parte dos acontecimentos importantes e relevantes da sua vida aconteceram nos seus primeiros cem anos de idade.
Teresa sabe que nasceu no inverno e por isso ela comemora seu aniversário durante esse período, Hades acabou aderindo à época como seu aniversário também já que não sabe qual sua verdadeira data de nascimento e nunca procurou ter uma antes das Coroas.

=X=

-A despeito da preocupação e amor que os deuses tem por Teresa nem mesmo eles sabem sua idade exata.
Eles apenas calculam que ela nasceu na primeira metade do século 18 (entre 1700 e 1750).
Por isso todos acreditam que ela tenha no máximo 300 anos e no mínimo 250.
Mas os cálculos exatos ou sua idade real ninguém sabe. Exceto Kaíros, ele já disse uma vez que sabe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...