História The one (Jargot) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Exibições 52
Palavras 970
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oie mores! Estou muito feliz com o retorno de vcs sobre a fic, muito obrigada! Mais um capítulo, espero que curtam! Ah, e olhem as notas finais, tenho um recadinho para vocês.

Capítulo 13 - Fuga


Fanfic / Fanfiction The one (Jargot) - Capítulo 13 - Fuga

—Jared? — Eu consigo murmurar, porém meus olhos continuam cerrados. —Cadê você? — Tento alcançar algo com as mãos e esse pequeno esforço já me transtorna.

—Estou aqui! — Sinto sua mão na minha e sorrio. Arrisco dizer algumas palavras, mas nada sai de minha boca. —Estou aqui! — Vislumbro o preto, mais uma vez.  

Abro os olhos ligeiramente desnorteada. Aos poucos, me situo, estou na cama do meu quarto. Sinto-me tonta e com dor de cabeça, mesmo assim atrevo-me a levantar. Vou até as cortinas e as abro, revelando a noite iluminada de Paris, então dormi até agora? Até queria andar mais pelo apartamento, talvez achar Cara, mas a tontura força-me a deitar novamente.

—Mag? — Cara está em pé na porta do quarto, com uma expressão que vai do alívio a felicidade plena. —Graças a Deus, você está bem! — Ela vem correndo até mim e me abraça.

—Sim, estou. O que houve?

—Você não se lembra?

—Um pouco, estou confusa.

—Bem, o médico disse que você sofreu uma forte emoção, o que baixou sua pressão e te levou ao desmaio.

—O que?

—Não é nada grave, só basta repousar. Você teve sorte em tudo ter acontecido quando Jared estava por perto, ele te levou para o quarto e nos chamou, David providenciou um médico na mesma hora, você estava muito pálida.

—Cadê o Jared? Preciso agradecê-lo.

—Não, você tem que descansar. Deu-me um baita susto, e ele sabe o quanto você está agradecida, amiga.

Ainda quero vê-lo, contudo argumentar com Cara não irá ajudar em nada, quanto mais cedo eu me recuperar, mais cedo irei encontrá-lo. Então, outro pensamento me acomete.

—Ah, amiga! Acho que estraguei nossa primeira vez juntas em Paris, não?

—Que nada, sua louca. Prometo que voltaremos aqui nas férias, agora precisa comer um pouco.

Minha amiga me serve a janta recomendada pelo doutor, não é muito apetitoso a primeira vista, mas depois de umas colheradas acabei me acostumando com o sabor.

—Agora que você já está devidamente alimentada, vou avisar aos outros que está melhor. Ah, e você devia ligar para a sua mãe.

—Você contou para ela?

—Não dava para esconder. Desculpa!

—Não acredito em você. —Respondo, bufando.

Cara deixa o quarto e eu, imediatamente, ligo para a minha mãe, ela pede um relatório completo sobre como estou me sentindo e no final da ligação, acredito que consegui tranquilizá-la.

Lentamente, as memórias voltam a minha mente. Lembro da coletiva, da pergunta indiscreta do jornalista— que foi à razão de toda essa confusão— Recordo-me de ter corrido para o elevador, da tontura no corredor e dos olhos de Jared como a última coisa que vi antes de apagar. Então, a dor de cabeça volta e eu desisto de pensar em qualquer coisa, me distraio com os programas de TV. Até que uma figura entra no quarto e chama minha atenção.

—Jared? Cara sabe que está aqui?

—Não, ela me mataria, mas eu precisava te ver para ter certeza de que está bem.

—Pensei que ela estaria montando uma espécie de guarda especial na porta.

—Bom, ela está bem entretida com Joel nesse momento para notar qualquer outra movimentação ao redor. — Eu dou risada porque agora tenho certeza de que estava certa sobre eles dois.

Jared deita ao meu lado na cama, eu abandono o tom brincalhão para agradecê-lo.

—Obrigada.

—Obrigado você por estar bem. Fiquei preocupado.

—Talvez eu devesse dar uma entrevista e acabar logo com esse tormento.

—Claro que não! Não tem que fazer nada que não esteja a fim de fazer. Você está passando por um momento pessoal, íntimo, não precisa compartilhar com quem não quer.  

—Eu sei, mas também não posso continuar com medo de sair, de checar meu celular, minhas mensagens... Queria dar alguma satisfação aos meus fãs.

—Quem realmente gosta de você vai te entender e respeitar seu momento. Não faça nada sem que esteja preparada, por pressão. Infelizmente, alguns da mídia só querem se beneficiar à custa da dor dos outros, venderem mais revistas, mais fotos na primeira página... Você sabe. Tudo vai melhorar com o tempo.

—Você realmente acredita nisso?

—Eu sei que vai.

Aconchego-me em seu peito e absorvo o seu calor por um tempo antes de confessar que só queria fugir dessa loucura.

—Eu sei do que você precisa. — Ele diz.

—De você? — Pergunto, ironicamente.

—Não tão rápido, Robbie. — Ele beija a ponta do meu nariz. —Te pego amanhã as seis?

—O que? Por que tão cedo?

—Você vai descobrir, não vou arruinar a surpresa.

—Ei! Não pode simplesmente me deixar aqui, sozinha, até amanhã com essa duvida.

—Não só posso como vou. — Ele responde já se levantando. —Vê se descansa um pouco, baixinha.

—Se eu conseguir...

Ele já está na porta quando diz.

—Ah, separe algumas roupas, vai precisar!

—Como assim? Quero uma pista! Não sai sem me dizer nada, por favor!

—Tchau! — Ele diz dando altas risadas, estou certa de que ele está adorando isso. 

—Eu te odeio! — Grito alto bastante para que todo o andar ouvisse e irritada o bastante para fazê-lo rir ainda mais.

—Eu te amo! Até amanhã.

Parece que toda a minha energia desaparece junto com Jared, o breve momento que tivemos de conversa já foi o suficiente para me cansar física e mentalmente. Nem perco meu tempo especulando que surpresa é essa que ele tem para mim, de repente se Cara estivesse aqui poderia me ajudar a pensar nas possibilidades, de modo que apenas sigo as instruções dele e arrumo uma bolsa com algumas peças de roupa. Depois disso, tomo um banho e programo o despertador para as cinco e meia. Tento esperar por Cara, para contar sobre os planos de Jared e perguntar mais sobre Joel, porém depois das atividades antecedentes estou oficialmente esgotada. Não demora nem um segundo para o sono vir, graças a Deus, porque ele é muito bem vindo.       


Notas Finais


babies, antes do tradicional favoritem, comentem e até o próximo, venho falar para vcs de uma história de uma miga aqui do site. A maioria de vcs deve conhecer, mas para quem não conhece recomendo darem uma lida. Eu, particularmente, me diverti muito lendo e adorei!
Esse é o link da fic da miga: https://spiritfanfics.com/historia/tudo-o-que-voce-e-7584047
Agr sim fav, comentem e até o próximo! love uuuu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...