História The one that got away - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Super Junior
Tags Angst, Eunhae, Eunhae Rainha, Otp
Exibições 28
Palavras 643
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


É PRIMEIRA FANFIC DO SUPER JUNIOR AUHFJDS TÔ NERVOUSAR
Queria dedicar pra mozao, que quase pede divórcio qq
Agora tu me desculpa, né mozao? <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


27 de dezembro
Está chovendo, e a chuva me lembra você. Você a odiava, diferente de mim. Clichê, não? Eu que sempre odiei rotinas, agora sinto sua falta todos os dias, o destino sempre nos prega peças irônicas; incrível.

Seria demais pedir para que essa chuva leve embora todos os sentimentos que eu tenho por você? Você não vai voltar. De qualquer forma, ficarei aqui, sozinho, como eu te disse que eu era. Eu nasci pra ser sozinho, Hae, depois de um tempo você percebeu isso.

28 de junho
Está calor e, ironicamente, o calor também me lembra você. Era tão confortante te ver sorrir, apreciando o maravilhoso dia ensolarado. Eu odiava o calor, você sempre disse que não entendia o motivo e ria quando eu os explicava. Oras, não é legal suar, calor me irrita. Mas você amava o calor, e eu aprendi a gostar um pouco dele, mesmo que eu ainda não entendesse o motivo de você sempre querer ir ao parque, tomar o mesmo sabor de sorvete - não entendo como você não experimentava outros sabores, chocolate não é tão bom quanto os outros - e ficar deitado embaixo da mesma árvore. Era rotina, e eu odiava rotinas.

13 de setembro
Não tem mais folhas nas árvores e o céu está nublado, e isso também me lembra você. Você sempre dizia que a cidade ficava muito "preta e branca" quando o outono chegava, e claro, eu achava que a paisagem da cidade ficava linda. Sempre discordávamos de tudo. "É estranho andar e sentir o clec-clec das folhas no chão. Você não acha que isso é triste? Sabe, parece que quando pisamos nas folhas do chão, matamos mais uma parte dela". Suas analogias sempre foram um tanto estranhas, mas eu gostava. Sempre assistíamos aqueles filmes de romance, que você tanto gostava, quando o tempo estava assim e eu odiava. Hoje, continuo assistindo, mesmo que não tenha ninguém para me obrigar.

7 de abril
 As árvores estão floridas e o clima está agradável, a brisa está fresca; esse era seu clima favorito. Confesso que, talvez, essa seja uma das únicas coisas em que concordávamos, pois eu também gostava do clima assim. Nós sempre ficávamos deitados embaixo da sombra de uma árvore, sentindo a brisa que soprava e vendo as nuvens. Muitas delas tinham formatos, como você sempre dizia. Hoje percebo que realmente tinham, acho que eu não era bom em imaginar coisas.

E por não ser bom em imaginar coisas, nunca imaginei que você partiria sem ao menos se despedir. Acho que nunca sequer imaginei que você partiria, ainda mais para nunca voltar. Por que não me levou junto com você aquele dia, por que disse que eu devia descansar e me curar da gripe? Por que não era eu dirigindo aquele carro? Por que não era você que estava com gripe? Da gripe eu posso e já me curei, mas e essa falta sua que eu sinto todos os dias, existe alguma cura? Logo eu, que sempre odiei rotinas.

Hoje eu te trouxe lírios, Hae, sei que eram suas flores favoritas. O dia hoje está agradável, só faltou você aqui. Me desculpe por todo meu mau humor constante, mas eu te amei, disso você nunca duvide. Ainda te amo e, obviamente, sempre amarei. Promete que vai continuar a cuidar de mim por todos os dias, como dissemos aquela vez? De onde estiver, só espero que saiba que eu sinto sua falta, todos os dias, como uma rotina - que eu sempre odiei - e, como sei que não vou supri-la, não me resta muito a não ser te escrever palavras às vezes e te visitar aqui. Por mais que eu só olhe para o jazido de mármore, eu sei que você está aqui, eu sinto sua presença. Me espere, amor. Talvez eu não demore muito para eu chegar aí.

Te amo.


Notas Finais


AAAAAAAAAAAAA A AAAAAAAAA AAA DESCULPEM
P.S: eu só coloquei um nome na foto ahsulgtkfmnj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...