História The Only Exception - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah
Visualizações 16
Palavras 1.267
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Iae paceros como cês tão?

Então gente, capítulo ponte, precisei dividir pra não ficar muito grande. (e desculpa a demora pra atualizar rsrs) boa leitura galero :)

Capítulo 7 - I miss you.


Duas semanas depois...

Camila Cabello's point of view.

Ansiedade. Era o que eu sentia hoje desde que botei meus pés para fora da cama. Pensar que em algumas horas eu estaria a caminho de uma das maiores festas do ano me deixava eufórica. Hoje era aniversário de Ally e ela fará um mega lual na casa de praia da sua família, praticamente a escola toda foi convidada, aquilo vai ser épico.

Depois de estar devidamente vestida, peguei minha mochila e saí do quarto, descendo as escadas rumo a cozinha. Lá encontrei meus pais, obviamente, e conversamos sobre a pequena viagem que eu faria para a casa de minha amiga. Pude ouvir Sinuhe pedindo por vezes insistentes que eu tomasse cuidado, não bebesse do copo de ninguém e me alimentasse, enquanto papa a fazia parar com as exigências, me cobrando apenas que eu me divertisse e ligasse assim que chegasse lá. Aqueles dois eram cômicos, sempre tirando um sorriso de mim todas as manhãs. Olhei o relógio e percebi que se ficasse mais um pouco me atrasaria. Dei um beijo em meus pais e saí rumo a Juilliard.

Dinah e eu caminhávamos lado a lado agora, eu havia passado em sua casa para irmos juntas. Como já era de se esperar, a loira estava tão eufórica quanto eu, falando o tempo todo o quão boa seria não só essa noite, mas o resto do fim de semana, já que Ally exigiu que ficássemos em sua casa mais um pouco. Enquanto Dinah falava como nunca, me lembrei de um assunto que estávamos em falta, era como se uma lâmpada se acendesse no topo da minha cabeça. Então de repente eu perguntei:

-O que tá rolando entre você e a Mani? - soltei com um sorriso sacana no rosto.

A mais alta calou a boca na mesma hora e parou no lugar, me olhando com uma expressão que evidenciava nada mais que surpresa. O cenho tão franzido que era quase possível ver um ponto de interrogação em sua testa. Segurei o riso.

-O q-que?

-Você ouviu, Dinah. - a empurrei pelos ombros e continuei a andar, ela logo me acompanhou. - O que há entre vocês duas?

-Não há nada, Mila. - riu sem graça. - Somos amigas, apenas.

Eu podia ver minha melhor amiga corada como um tomate. Hansen com vergonha? Aquilo sim era novidade.

-Fale, Jane.

-Eu sinto... - coçou a nuca. - Sinto atração por ela. É de corpo entende? Não é como se eu gostasse realmente dela.

-E vocês já conversaram sobre isso?

-Claro que não, Normani nem deve ter percebido e não sou eu quem vai falar. - disse mais descontraída.

-Então vai ter sua chance hoje.

-E você também Camilinha. Ou pensa que eu não vejo você comendo a Jauregui com os olhos? 

-Lauren é uma amiga, Dinah. Só isso. - andei mais rápido. Ela estreitou os olhos para mim.

-Veremos se isso não muda essa noite Karla, veremos.

Soltei um riso baixo enquanto chegávamos às escadarias de Juilliard, na minha cabeça a frase de Dinah martelava insistente. Será mesmo que isso mudaria essa noite? Balancei a cabeça tentando espantar tais pensamentos. Despedi-me da loira e segui para minha sala. O dia estava só começando e hoje nada estragaria meu humor, nem mesmo a professora resmungona que acaba de entrar na sala. Me concentro na aula, torcendo internamente para que o tempo passasse voando.

[...]

Depois daquele tempo de aula, passaram-se o segundo...

Terceiro...

O intervalo...

E agora eu estava no meu quarto tempo de aula praguejando céus e terra em agonia. Por quê logo hoje o tempo passava tão devagar? Juntando o fato de que não havia visto Lauren por estar ajudando Ally com os preparativos para a festa por conta de sua folga e a lentidão do dia eu poderia dizer que estava ficando impaciente. E o maior motivo disso, por mais que eu não quisesse mesmo admitir, era a ausência de Lauren. Tudo que eu queria era que as horas passasem para que eu pudesse ver aqueles olhos de novo e me sentir ser levada por eles. Isso era inexplicável até para mim, não tente entender.

Ouvi o som estridente do sinal que dava fim às aulas, suspirei pesado de alívio, pegando minha mochila e indo ao encontro de Dinah e Mani. Ally havia mandado um carro especialmente para nos levar até lá. Sua família era extremamente rica, dona de uma das maiores indústrias extrativas de petróleo dos EUA. Seus pais esbanjavam dinheiro, possuiam as melhores casas nos melhores lugares, sempre esnobes, muito diferente de Ally que era simples e nunca demonstrou ter tanto apresso pelo dinheiro.

Ao chegarmos no portão de Juilliard, logo percebemos o carro luxuoso estacionado em frente à escola. Entramos e seguimos a viagem de uns vinte minutos entre conversas até ouvir o motorista avisar que havíamos chegado.

Quando saímos do carro quase caímos sentadas novamente. Aquilo não era uma casa, era uma verdadeira mansão com uma praia particular como quintal. Nós três, garotas de classe média, com certeza não estávamos acostumadas com aquilo.

-Puta merda. - Dinah soltou boquiaberta.

Já podíamos ver a tenda enorme na praia onde seria o lual. Luzes ainda apagadas ao redor do lugar. Caminhamos eufóricas até a porta da casa, que logo foi aberta pela governanta. A mulher simpática nos informou que Ally e Lauren estavam no quarto e nos indicou o caminho. Passamos pela sala onde podemos ver os pais da pequena, que nos comprimentaram gentilmente como sempre, nos pedindo para que ficássemos à vontade em sua casa.

Finalmente chegamos no quarto, podendo ouvir as vozes já bastante conhecidas por nós lá dentro.

-Hey bitches, chegamos! - Dinah gritou da porta, como sempre muito sutil.

-Nossa que rápidas. - falou Lauren saindo do que deve ser o closet, Ally vinha ao seu lado. Nos abraçaram apertado.

-Lauren estava me ajudando a escolher a roupa pra mais tarde. - Ally disse.

- Ela não se decide de jeito nenhum, vocês precisam me ajudar. - Laur falou baixinho, como se nos contasse um segredo, o que nos arrancou algumas risadas.

-Venham meninas, vou mostrar o quarto de vocês. - a baixinha foi na frente e todas nós a seguimos.

Depois de deixarmos as malas em nossos respectivos quartos, voltamos ao quarto de Ally e começamos a discutir sobre roupa e cabelo para mais tarde. Sentei na cama enquanto as outras estavam no closet junto da pequena. Eis que Lauren surge do nada e se joga na cama, me dando um tapa na testa de surpresa. Abafei o grito agudo pelo susto e estreitei os olhos para a morena que rolava de rir pelo colchão. O som daqiela risada gostosa ecoando pelo quarto.

-Idiota. - dei língua e comecei a rir também. Ela se ajeitou na cama, sentando ao meu lado.

-Sentiu minha falta, Camz? - perguntou com um sorrisinho de canto, aqueles verdes olhando no fundo dos meus olhos.

-Eu consigo viver sem você, Jauregui. - debochei e dei de ombros.

-É?

-Claro.

-Seus olhos não dizem isso. - deu aquele sorriso brilhante de orelha a orelha. - Também senti sua falta, Camz.

Deu um beijo rápido na minha buchecha e se levantou, pegando minha mão e me levando para o closet.

-Vem cá, precisamos de uma mãozinha.

E então, algumas horas depois estávamos as cinco devidamente prontas e maquiadas. O céu já se escurecia a medida que o Sol dava lugar à Lua cheia daquela noite. O clima era ameno, mas logo esquentaria. Da sacada do quarto já era possível ver as luzes da tenda acesas, cores vibrantes iluminavam o lugar que já começava a ser ocupado por uma quantidade grande de gente.

Nós temos a noite inteira hoje, que comece a festa.


Notas Finais


Será se vai rolar o famigerado beijo camren no próximo capítulo? Acho que sim ein.........


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...